XP Expert

XP Morning Call 03/07/2019: Votação (ou não) da reforma da Previdência hoje em foco

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Novo texto da previdência eleva economia para R$ 1,071 trilhão 

Internacional

  1. PMIs de serviços do Reino Unido e da China mostram desaceleração em junho

Empresas

  1. Vale (VALE3): Considerações sobre CPI de Brumadinho | Relatório conjunto Research XP e XP Política
  2. SulAmérica (SULA11): Oferta indicativa da Allianz; Reiteramos Compra
  3. Via Varejo (VVAR3): Mais nomeações para a nova gestão

IBOVESPA -0,72% | 100.605 Pontos

CÂMBIO 0,1% | 3,85/USD

Votação (ou não) da reforma da Previdência hoje em foco

Mercados internacionais em direções mistas nesta manhã de quarta-feira. No Brasil, o foco esta totalmente votado para a votação ou não do texto da previdência na comissão especial da câmara hoje.
 
O novo texto da previdência elevou a economia estimada em 10 anos de R$ 913 bilhões para R$ 1,071 trilhão. Apesar de acolher mudanças para algumas categorias e excluir estados e municípios, o relator manteve a maior parte das regras para policiais e incluiu R$ 84 bilhões em arrecadação previdenciária em setores exportadores, contrariando a bancada da agropecuária.
 
A aprovação na comissão, no entanto, pode atrasar. O calendário mais otimista previa que toda obstrução seria vencida ontem para que hoje o texto fosse aprovado na comissão. Isso não ocorreu e a abertura de sessão hoje dependerá ainda de resultado de reunião de líderes pela manhã.
 
O pano de fundo é a demora na liberação de recursos prometidos pelo governo e resistências ao texto entre os partidos de centro e do PSL. Sem aprovação na comissão nessa semana, ficará praticamente impossível votar a reforma no plenário da Câmara até o recesso, que começa em ‪18 de julho. Isso pode trazer incerteza e volatilidade ao Ibovespa no curtíssimo prazo.
 
No internacional, o foco está em um ambiente de juros mais baixos por mais tempo, após trégua na guerra comercial dos EUA e China.
 
Na Europa, a nomeação de Christiane Lagarde, diretora-gerente do FMI, para ser a próxima presidente do Banco Central Europeu é vista como continuidade às políticas de estímulo à economia do BCE.
 
Trump também disse no Twitter que pretende nomear Judy Shelton e Christopher Waller para o conselho do Banco Central Americano, Fed, dois nomes que defendem taxas de juros mais baixas, o que é visto como positivo pelo mercado.
 
Do lado das empresas, ontem (02.07), o senador Carlos Viana (PSD-MG) apresentou relatório na CPI de Brumadinho. A proposta de aumento de tributos pode trazer incerteza e volatilidade às ações da Vale no curto prazo, que já reagiram caindo 4,2% no pregão de ontem.
 
Notamos que o relatório da CPI não é definitivo e ainda há uma série de outras instancias adiante, ou seja, ainda deve levar tempo para um desfecho. Importante lembrar que em discussões passadas sobre aumento de tributação, houve também propostas mais extremas como as apresentadas ontem na CPI que acabaram não se materializando por entendimento de que elas inviabilizariam boa parte do setor mineral. Clique aqui para relatório completo


Brasil

Política Brasil: Novo texto da previdência eleva economia para R$ 1,071 trilhão

  • Novo texto da previdência elevou economia em 10 anos de R$913 bilhões para R$1,071 trilhão. Apesar de acolher mudanças para algumas categorias e excluir estados e municípios, o relator manteve a maior parte das regras para policiais e incluiu R$84 bilhões em arrecadação previdenciária em setores exportadores, contrariando a bancada da agropecuária;
  • A aprovação na comissão, no entanto, pode atrasar. O calendário mais otimista previa que toda obstrução seria vencida ontem para que hoje o texto fosse aprovado na comissão. Isso não ocorreu e a abertura de sessão hoje dependerá ainda de resultado de reunião de líderes pela manhã. O pano de fundo é a demora na liberação de recursos prometidos pelo governo e resistências ao texto entre os partidos de centro e do PSL;
  • ​Houve relatos de que o próprio presidente teria feito ligações a deputados para interceder a favor dos policiais após ter sido chamado de traidor pela categoria. Sem aprovação na comissão nessa semana, ficará praticamente impossível votar a reforma no plenário da Câmara até o recesso, que começa em 18 de julho.

Internacional

PMIs de serviços do Reino Unido e da China mostram desaceleração em junho

  • A atividade no setor de serviços da China recuou para 52,0 em junho (vs. 52,7 em maio), segundo a Caixin/IHS Markit. O nível registrado em junho é o mais baixo em quatro meses. O total de novos negócios recebidos se recuperou, mas novas encomendas para exportação voltaram ao território de contração, indicando uma demanda externa mais fraca;
  • Similarmente, o PMI de Serviços do Reino Unido de junho passou de 51 em maio para 50,2 em Junho, atingindo o menor nível em três meses, de acordo com a IHS Markit/CIPS;
  • Apesar da má notícia, ambos os índices se mantiveram acima do patamar de 50 pontos, indicando que o setor de serviços não enfrenta contração, mas apenas taxas mais moderadas de crescimento.

Empresas

Vale (VALE3): Considerações sobre CPI de Brumadinho | Relatório conjunto Research XP e XP Política

  • Ontem (02.07), o senador Carlos Viana (PSD-MG) apresentou relatório na CPI de Brumadinho, anunciando três projetos que tratam de crimes ambientais, da segurança de barragens de rejeitos e da tributação da exploração de minério no país. Na nossa visão, a discussão de tributos, principalmente, pode trazer volatilidade às ações da Vale, que já reagiram caindo 4,2% no pregão de ontem; 
  • Notamos que o relatório da CPI não é definitivo e ainda há a necessidade de outras instâncias se posicionarem e tomarem providências que consideram cabíveis. Ou seja, ainda deve levar tempo para um desfecho, que também pode ser bastante diferente ao proposto inicialmente; 
  • O maior destaque foi a apresentação de um Projeto de Lei que altera as regras de tributação do setor de mineração e uma alíquota máxima da Participação Especial de 40%, que recai apenas sobre as empresas com grande produção. Lembramos que em 2017, a regra dos royalties da mineração foi alterada, de 2% sobre a receita líquida para 3,5% do faturamento bruto da empresa. É importante ressaltar que durante aquele processo, houve propostas mais extremas que acabaram não se materializando por entendimento na época de que elas inviabilizariam boa parte do setor mineral, o que pode ser usado como base para contextualizar a discussão de hoje; 
  • Na nossa visão, o aumento da tributação é possível após tragédia de Brumadinho, o que traz volatilidade às ações, mas não esperamos um resultado tão significativo quanto os 40% de Participação Especial, dado que inviabilizaria o setor mineral no Brasil. Mantemos recomendação de Compra na Vale com preço-alvo de R$68/ação e US$17/ADR. Clique aqui para acessar o relatório completo.

SulAmérica (SULA11): Oferta indicativa da Allianz; Reiteramos Compra

  • A SulAmérica anunciou pela manhã que recebeu da Allianz uma oferta indicativa e não vinculante para sua carteira de seguros de automóveis e ramos elementares. Nenhum valor foi divulgado e ainda não há definição sobre o assunto;
  • Como as ações já mostraram ontem (+4,2%), as notícias são positivas e essa situação proporciona à SULA a opção de escolher entre diversificação ou um foco maior em seu principal negócio, o de saúde. A decisão de desinvestir deve ser baseada deste ponto de vista estratégico e, claro, no preço que a Allianz estaria disposta a pagar;
  • Em um exercício simples, considerando que o Auto + P&C poderia variar de 20% a 25% do lucro líquido de 2019 e usando o P/E da Porto Seguro (focada em auto) como uma aproximação (12x), o valor da transação poderia ser de R$2,6 bilhões a R$3,2 bilhões (16-20% do valor da empresa), embora a Allianz possa pagar um múltiplo mais alto. Reiteramos nossa recomendação de Compra e preço-alvo de R$43,00 para a SULA e nossa visão construtiva em relação ao seguro de saúde. Para mais informações, clique aqui para acessar nosso relatório de início de cobertura do setor de seguros.

Via Varejo (VVAR3): Mais nomeações para a nova gestão

  • Ontem, as ações da Via Varejo se destacaram com alta de 6,6%. O bom desempenho do papel reflete mais nomeações para a nova gestão, que foram bem recebidas pelo mercado;
  • O cargo do Diretor de Ecommerce ficará com Ricardo Saluti. Ele tem mais de 30 anos de experiência no setor e atuou nos últimos cinco anos no online do Walmart, sendo desde janeiro líder da operação no México. Outro nome anunciado é o de Henrique Vendramini, como Diretor Comercial. Ele estava há pouco menos de um ano na área comercial do Carrefour e já trabalhou na Via Varejo entre 2004-2018;
  • Esse nomes devem se juntar aos executivos anteriormente anunciados: Roberto Fulcherberguer (Presidente), Abel Ornellas (Vice-Presidente de Operações), Orivaldo Padilha (Diretor Financeiro), Sergio Leme (Vice-Presidente Administrativo) e Ilca Sierra (Diretora Multicanal de Marketing e Comunicação);
  • Por fim, segundo o Valor Econômico, o empresário Michael Klein (cuja família é o maior acionista da Via Varejo) aumentou sua posição como pessoa física na empresa de 10,88% para 11,35%. A notícia ainda sugere que a fatia da família deve chegar a cerca de 35% (contra 27% atualmente);  
  • No nosso último relatório, ressaltamos a importância de monitorar quem seriam os executivos responsáveis por liderar e executar a nova estratégia da Via Varejo. Na nossa visão, o time de gestão anunciado tem ampla experiência no setor e é positivo para a tese de investimento. Os próximos passos, para termos mais convicção na recuperação da empresa, são acompanhar quais serão as iniciativas para o ecommerce e as lojas físicas, bem como o impacto de ambas no resultado. Temos recomendação de Neutro para Via Varejo, com preço-alvo de R$ 5,7/ação para final de 2019.

Setor Elétrico: Assembléia Legislativa aprova venda da CEEE

  • Ontem, o plenário da assmbléia legislativa do Rio Grande do Sul aprovou por 40 votos a 14 o projeto de lei que autoriza a dezestatização da elétrica CEEE;
  • Além disso, também foram aprovados projetos que autorizam a venda da Sulgás e da CRM (Companhia Riograndense de Mineração);
  • As aprovações compõem uma série de medidas para a adesão do estado ao Regime de Recuperação Fiscal. O BNDES fará a modelagem dos projetos que irão a leilão, com expectativa de conclusão dos editais em 1 ano e meio.

Fenabrave: Projeção de licenciamento de veículos leves reduzida em 2019

  • De acordo com a Fenabrave, instituição que representa o setor de automóveis, a estimativa de crescimento do emplacamento de veículos leves foi reduzida de 11% para 8% em 2019, enquanto a projeção de venda de caminhões novos subiu de 15% para ~18%; 
  • O presidente da instituição, Alarico Assumpção Júnior, atribui à redução das projeções de vendas de veículos leves fatores como o quadro econômico atual, os níveis de confiança e o modo de “compasso de espera” dos consumidores.

Supermercados: Crescimento real de vendas de +2,9% A/A em maio, segundo a ABRAS

  • A ABRAS (Associação Brasileira de Supermercados) informou que o crescimento real das vendas do setor (deflacionado pela inflação) foi de +2,9% A/A em maio. Em relação ao mês anterior, o indicador caiu -1,5% em função do efeito calendário da Páscoa, que já era esperado. No acumulado do ano, o crescimento real é de +2,4% A/A, o melhor dos últimos sete anos considerando o mesmo período;
  • O presidente da Associação, João Sanzovo Neto, comentou que a recuperação do setor é lenta, mas está acontecendo. A expectativa para o ano de 2019 é crescimento real de +3,0% A/A, mas em 30 de julho a associação deve anunciar uma nova projeção.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.