XP Expert

XP Morning Call 02/10/2018

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Tópicos do dia

Brasil

  1.  Política Brasil: Bolsonaro cresce no Ibope e empata numericamente com Haddad no 2º turno

Internacional

  1. Guerras Comerciais: Trump se preparando para um longo debate com a China após acordo com Canadá
  2. Ativos italianos sob pressão
  3. Petróleo atinge a máxima em 4 anos após acordo EUA-Canada e expectativas de sanções dos EUA e no Irã 

Empresas

  1. Qualicorp -29,4% e Via Varejo -14,9%
  2. CESP: Leilão de Privatização adiado para 19 de outubro | NEGATIVO
  3. Bradesco lançará plataforma de registro com B3


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Bolsonaro cresce no Ibope e empata numericamente com Haddad no 2º turno

  • Na pesquisa Ibope de ontem, Bolsonaro cresceu para 31% e empatou numericamente com Haddad no 2º turno, em 42%.  Vale ressaltar também o crescimento de 11 pontos na rejeição de Haddad, de 27% para 38%;
  • O resultado de segundo turno é particularmente positivo para Bolsonaro por minar o discurso de voto útil empregado pela campanha do PSDB;
  • No entanto, uma vitória de Bolsonaro já no primeiro turno ainda exige que ele conquiste 70% dos votos depositados nos quatro candidatos “azuis” (Alckmin, Alvaro, Amoedo e Meirelles) ou 55% dos votos deles somados aos de Marina Silva de acordo com XP Política. 

Internacional

Guerras Comerciais: Trump se preparando para um longo debate com a China após acordo com Canadá

  • Após chegar a um acordo com o Canadá, o presidente Trump parece pronto para longas discussões comerciais com a China, já que considera que nenhuma das nações está pronta no momento;
  • Além disso, sob o novo acordo com o Canadá e o México, os estados-membros são obrigados a dar um aviso prévio de 3 meses antes de iniciar negociações com uma “economia que não é de mercado”, como a China;
  • ​Assim sendo, a volatilidade relacionada às discussões comerciais entre as duas maiores economias deve continuar.

Ativos italianos sob pressão

  • Uma declaração do chefe de orçamento da câmara italiana de que uma moeda própria resolveria grande parte do problema do país levou à maior alta dos juros longos do país em quatro anos e meio;
  • Mesmo que o plano de deixar o Euro tenha sido negado posteriormente, os juros permaneceram elevados e comparações com a Grécia feitas por políticos também pioraram o sentimento do mercado;
  • A diferença entre os cupons da Itália e Espanha atingiu nesta terça-feira o valor máximo dos últimos 20 anos.

Petróleo atinge a máxima em 4 anos após acordo EUA-Canada e expectativas de sanções dos EUA e no Irã

  • Os preços de Petróleo subiram + 2,7% para a máxima de 4 anos de US $ 85 / bbl ontem após a conclusão do acordo comercial entre EUA e Canada, refletindo uma menor preocupação com o crescimento econômico devido a de guerras comerciais;
  • Do lado da oferta, o foco está nos efeitos das sanções dos EUA contra o Irã (que começam em 4 de novembro) no atual no ambiente atual de pouca oferta;
  • Os pontos acima mencionados, combinados com maior conformidade da OPEP + aos cortes de produção, a diminuição estrutural da Venezuela e restrições logísticas para o xisto dos EUA mercado devem continuar a sustentar os preços do petróleo.


PMI Industrial dos EUA sobe em setembro

  • O Índice de gerentes de compras (PMI, sigla em inglês) do setor industrial dos EUA subiu de 54,7 em agosto para 55,6 em setembro, registrando o maior nível em quatro meses, segundo a IHS Markit. Resultado veio em linha com expectativas de analistas;
  • Apesar do avanço, o economista-chefe de Negócios da IHS Markit, Chris Williamson, destaca que as preocupações com a guerra comercial continuam influenciando os negócios, levando a confiança dos empresários para o menor patamar do ano.

PMI da indútria da Zona do Euro recua em setembro

  • O PMI da indústria da zona do euro teve queda em setembro, de 54,6 em agosto para 53,2, segundo IHS Markit, levemente pior que o projetado, atingindo a mínima desde setembro de 2016;
  • O crescimento da produção e da geração de vagas desacelerou. A perda de fôlego está ligada à desaceleração na demanda e a uma maior aversão ao risco, ligada a preocupações como as tensões comerciais e tarifas recentemente aplicadas, bem como às incertezas políticas “crescentes” e a preços mais altos, diz Chris Williamson.​

Empresas

Qualicorp -29,4% e Via Varejo -14,9%

  • As ações da Qualicorp caíram 29,4% ontem, seguindo anúncio sobre acordo com diretor-presidente, que também é dono de 15% da companhia, de R$150 milhões. O acordo se refere a um contrato de não competição em que o mesmo não poderá vender suas ações por seis anos, elevando a percepção de risco de governança da empresa;
  • As ações da Via Varejo caíram 14,9% ontem e acumulam queda de 23% desde a última sexta-feira, seguindo expectativa de resultados fracos no 3T18, com margens pressionadas devido à: (1) aumento de promoções no online e (2) vendas impactadas por problemas com o novo software recém implementado nas lojas;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra para o papel, apesar de reconhecermos pressões de curto prazo que elevam a volatilidade das ações.​ 

CESP: Leilão de Privatização adiado para 19 de outubro | NEGATIVO

  • ​Apesar de ter conseguido suspender a liminar da Justiça do Trabalho que suspendia o leilão de hoje, o Governo do Estado de São Paulo adiou o leilão de privatização da CESP para 19 de outubro;
  • Governo do Estado de São Paulo adiou o leilão de privatização da CESP para 19 de outubro;
    As notícias apontam que o atraso se deve ao baixo interesse de players como CTG, Engie e Votorantim Energia em vista a atual hidrologia atual, dos R $ 8,8 bilhões de passivos não provisionados e as incertezas com a proximidade das eleições;
  • Por fim, os notícias também destacam que, se o leilão for adiado para além de novembro, a liquidação da transação ocorrerá em 2019, criando riscos que a assinatura de um novo contrato de concessão ocorra no próximo governo.

​Bradesco lançará plataforma de registro com B3

  • Segundo o Estadão, o Bradesco, em parceria com a B3, terá a partir de 2019 sua própria plataforma de registro de títulos e valores mobiliários;
  • A registradora, que focará inicialmente em CBDs, foi desenvolvida dentro da inovaBRA pelo consórcio R3, que trabalha no desenvolvimento de um sistema de transações usando blockchain;
  • A expectativa do banco é simplificar o processo de registro e aumentar a eficiência. Com relação à B3, aguardaremos detalhes sobre o acordo e o impacto nos resultados, uma vez que o Bradesco é um importante emissor de CDBs, totalizando 12 milhões de títulos ao mês.  

Azul: Cade declara complexa a JV entre Azul e Correios | NEUTRO

  • O Cade declarou ontem complexo o ato de concentração entre Correios e Azul, que consiste em uma JV entre as companhias;
  • O órgão solicitará informações adicionais e a análise será submetida ao tribunal, que terá prazo de 240 dias para realizar a análise (prorrogável por outros 90 dias);
  • A decisão poderia postergar a potencial aprovação da operação, o que em parte foi refletido na queda dos papéis ontem. Nossos números não embutiam a aprovação.

CCR: Conclusão da compra de fatia no aeroporto San Jose | NEUTRO

  • A CCR concluiu ontem a aquisição do controle do aeroporto de San Jose, localizado na Costa Rica;
  • A aquisição havia sido anunciada em agosto, a termos atrativos em relação ao que a empresa negociava;
  • A conclusão é positiva para a empresa, mas os papéis já incorporaram em parte o fato quando anunciado.

Casino vende lojas da rede Monoprix por 565 milhões de euros – leitura para Via Varejo

  • O Casino, informou ontem que vendeu 55 lojas da rede de alimentos e vestuário Monoprix por 565 milhões de euros;
  • Considerando a alienação, anunciada em julho, de 15% da Mercialys, empresa da área imobiliária do grupo, a empresa atingiu metade do plano de desinvestimento de 1,5 bilhões de euros até o começo de 2019;
  • A notícia é positiva para Via Varejo, tendo em vista que a alta alavancagem do Casino (que controla o Grupo Pão de Açúcar, que por sua vez controla a VVAR) elevou preocupações no mercado sobre uma potencial venda das ações da Via Varejo à mercado.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.