XP Expert

Semana começa positiva apesar das tensões geopolíticas

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,7% | 116.878 Pontos

CÂMBIO 0,1% | 4,06/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Bolsas europeias e asiáticas operam em alta nesta manhã, enquanto futuros nos EUA também sobem, com os investidores deixando de lado seus receios sobre o aumento das tensões no Oriente Médio.

Os mercados foram brevemente agitados antes da abertura da Europa, quando uma agência de notícias iraniana disse que o país está avaliando 13 cenários possíveis de retaliação contra o assassinato do líder militar Qassem Soleimani pelos EUA. O petróleo caiu pela primeira vez em quatro dias para US$68,4/barril e o ouro também suavizou sua alta.

Segundo nosso Estrategista Global, Alberto Bernal, o principal risco seria um eventual fechamento do Estreito de Ormuz, o que poderia impactar significativamente o mercado de petróleo. Discute-se que o mais provável, entretanto, seriam ataques contra instalações americanas no Oriente Médio, em particular no Iraque.

Por ora, é difícil mensurar a probabilidade de um cenário mais extremo ocorrer (apesar de não ser impossível), enquanto o imbróglio geopolítico ainda não altera o cenário econômico global. Portanto, os investidores precificam apenas os eventos atuais, possíveis de quantificação, mas aguardam com atenção os próximos desdobramentos deste evento. Veja mais detalhes clicando aqui.

A primeira semana completa de negociação em 2020 se iniciou em um clima otimista, apesar dos desafios. Ontem mesmo, o sentimento de risco que foi estimulado pela escalada das tensões no Oriente Médio diminuiu à medida que investidores se concentraram novamente nas negociações comerciais entre EUA-China e dados econômicos melhores. O Ibovespa, por outro lado, ainda fechou em queda de 0,7% para 116.878 pontos.

Na Zona do Euro, as vendas no varejo, divulgadas hoje, subiram 1% em novembro ante outubro e superaram a expectativa de mercado, de 0,6%. Na comparação anual, as vendas do setor varejista do bloco cresceram 2,2% em novembro, enquanto o índice de preços ao consumidor subiu 1,3% em dezembro. Ambos os indicadores ajudaram a reforçar a mensagem de que a região tem se recuperado de maneira gradual.

Por fim, os preços de celulose de fibra curta na China tiveram alta esta semana (+US$1,4/t), para US$458,3/t. Apesar da visibilidade baixa no curto prazo, os preços parecem estar próximos de um piso, reforçados pela continuidade do movimento de desestocagem da Suzano. Seguimos com uma visão positiva para o balanço de oferta/demanda da celulose no médio/longo prazo. Esperamos uma reação positiva das ações de Suzano e Klabin no pregão de hoje.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Ministro de Minas e Energia diz que o governo estuda medidas de compensação para a alta do petróleo
  2. Possível fim do subsídio da energia solar segue em destaque

Empresas

  1. Papel & Celulose: Alta no preço da celulose de fibra curta nesta semana
  2. Cemig (CMIG4): Banco é contratado para vender sua participação na Taesa
  3. Azul (AZUL4): Dados operacionais sólidos em dezembro
  4. Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): China deve liberar 20.000 toneladas de carne de porco congelada das reservas estatais em 9 de janeiro
  5. CCR (CCRO3): CGE/PR suspende temporariamente direito da RodoNorte de participar de novas licitações
  6. Caixa Seguridade: Anúncio de nova companhia junto à Tokio Marine
  7. Bancos: Banco Votorantim deve iniciar seu processo de IPO

Renda Fixa

  1. Rating atribuído à proposta de emissão da Rede D’Or Finance

Veja todos os detalhes

Brasil

Ministro de Minas e Energia diz que o governo estuda medidas de compensação para a alta do petróleo

  • De acordo com a mídia local, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que o governo analisa uma série de medidas que possam ser usadas em momentos de crises que resultem em alta do petróleo;
  • Sobre as eventuais medidas que possam ser adotadas, o ministro disse que elas dependem não apenas do Ministério de Minas e Energia, mas também de outras pastas, da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e do próprio Congresso;
  • Albuquerque não adiantou, no entanto, quais instrumentos seriam esses e de que forma eles poderiam ser aplicados.

Possível fim do subsídio da energia solar segue em destaque

  • O debate sobre o fim do subsídio da energia solar segue em destaque no noticiário local. A pressão do governo para extinguir o subsídio sobre essa modalidade de energia fez com que a ANEEL suspendesse as análises da norma que previa o fim desse subsídio aos usuários;
  • O principal argumento do time técnico do ministério da economia é de que o subsídio concedido aos usuários de energia solar é repassado para a conta de luz do restante da população. A ideia da equipe econômica é a de fomentar a discussão com o executivo e líderes do Congresso e explicar seu caráter regressivo;
  • Aproximadamente 200 mil usuários dessa modalidade de energia recebem cerca de R$ 1 bilhão de subsídio, de acordo com levantamento informal de técnicos da Aneel. A expectativa é que essa despesa suba para mais de R$ 2 bilhões nos próximos anos, de acordo com estimativas oficiais do governo.

Empresas

Papel & Celulose: Alta no preço da celulose de fibra curta nesta semana

  • Os preços da celulose de fibra curta na China fecharam em alta esta semana, +US$1,4/t, atingindo US$458,3/t. Na nossa visão, apesar da visibilidade de curto prazo permanecer baixa, acreditamos que o preço esteja próximo de um piso e o movimento de desestocagem da Suzano parece positivo. Mantemos nossa visão positiva no médio/longo prazo;
  • Esperamos uma reação positiva para Suzano (Compra; preço-alvo de R$45/ação) e Klabin (Neutro; preço-alvo de R$20,5/ação).

Cemig (CMIG4): Banco é contratado para vender sua participação na Taesa

  • Segundo o Valor Econômico, a Cemig contratou o Bank of America para a venda de sua fatia na Transmissora Aliança de Energia Elétrica (Taesa). A Cemig tem 21,68% da Taesa – na atual cotação, essa participação vale R$ 2,3 bilhões. A forma da transação ainda não foi definida e pode ser feita por venda direta para outros players ou saída por oferta de ações;
  • A Cemig também tem a intenção de vender sua participação na distribuidora Light (22,6%) e sua fatia na Aliança Energia, sociedade que tem com a Vale. Também avalia sua estratégia de desinvestimento na distribuidora de gás Gasmig, que pode ser feita por meio de listagem em bolsa. Ainda no portfólio da Cemig, o governo estadual planeja desinvestimento nas participações detidas nas hidrelétricas Belo Monte e Santo Antônio. Romeu Zema, governador de Minas Gerais, tem a intenção final de privatizar a própria Cemig, porém, diferentemente das subsidiárias precisa de aprovação da Assembleia Legislativa;
  • Vemos a iniciativa como potencialmente positiva para a Cemig, embora a eficácia seja reduzida caso o governo de Minas Gerais não obtenha autorização do processo de privatização do Congresso. Dessa forma, mantemos recomendação Neutra na Cemig por ceticismo quanto à privatização, com preço-alvo de R$16/ação.

Azul (AZUL4): Dados operacionais sólidos em dezembro

  • A Azul reportou mais um mês positivo em termos operacionais, com um aumento de 27% a/a na demanda consolidada e de 26% a/a na oferta, resultando em um aumento de 0,5 p.p. na taxa de ocupação. Em relação ao trimestre fechado, a oferta consolidada cresceu 30% a/a, enquanto a demanda cresceu 31% a/a, números em geral acima das nossas expectativas;
  • O crescimento no mês foi impulsionado tanto pelo mercado doméstico como pelo internacional, embora o doméstico seja mais representativo (~77% da demanda reportada pela Azul no trimestre). A oferta doméstica em dezembro cresceu 24% a/a, ou +2% em relação ao trimestre anterior, enquanto a demanda cresceu 26% a/a, resultando em um aumento saudável de 1 p.p. na taxa de ocupação no mês. Quanto ao mercado internacional, a oferta cresceu 33% a/a, enquanto a demanda cresceu 31% (queda de 1,2 p.p. na taxa de ocupação);
  • Atualmente temos recomendação de compra para as ações da Azul, suportada por (i) tendências construtivas na esfera macroeconômica, (ii) racionalidade no mercado e (iii) perspectivas de crescimento superiores.

Frigoríficos (JBSS3, MRFG3, BRFS3): China deve liberar 20.000 toneladas de carne de porco congelada das reservas estatais em 9 de janeiro

  • De acordo com a Reuters, um aviso no site do Centro de Gerenciamento de Reservas de Mercadorias da China anunciou que a China liberaria 20.000 toneladas de carne de porco congelada de suas reservas estatais em 9 de janeiro;
  • O aviso do lançamento ocorre às vésperas do feriado do Ano Novo Lunar, que ocorre ao final de janeiro, período de pico para o consumo de carne de porco na China; Pequim já liberou mais de 100.000 toneladas de carne de porco congelada das reservas estatais desde o mês passado para aumentar o estoque, após a Peste Suína Africana ter devastado o rebanho de porcos do país;
  • Vale lembrar, no entanto, que o consumo doméstico de carne suína da China em 2019 está estimado em 49 milhões de toneladas, segundo dados da USDA, uma quantidade já -12% inferior aos 55,3 milhões de toneladas consumidos em 2018 – portanto, enquanto este anúncio demonstra o esforço do governo chinês, as 20.000 toneladas liberadas ainda são pouco significativas mas ajudam nesse período de demanda mais alta.

CCR (CCRO3): CGE/PR suspende temporariamente direito da RodoNorte de participar de novas licitações

  • A CCR informou ontem que a Controladoria-Geral do Estado do Paraná (CGE/PR), em sua resolução n°67, determinou a suspensão temporária do direito de sua concessionária RodoNorte de participar de novas licitações promovidas pelo estado do Paraná;
  • A resolução se restringe à RodoNorte. Ainda assim, a concessionária vai adotar as medidas judiciais cabíveis para reverter a decisão. Não esperamos impacto material para as ações.

Caixa Seguridade: Anúncio de nova companhia junto à Tokio Marine

  • A Caixa Seguridade anunciou ontem em Fato Relevante, a celebração do contrato de associação de uma nova sociedade junto à Tokio Marine com foco nos ramos de seguros habitacional e residencial. O contrato permitirá a distribuição pela rede da Caixa Econômica Federal por 20 anos;
  • Para a concessão do contrato de distribuição, a Tokio Marine subscreverá um montante equivalente a R$1,52 bilhão na nova companhia. Os valores de remuneração pré-definidos à Caixa compreendem comissão de distribuição de 36,4% e 20% para residencial e habitacional, respectivamente, além de uma taxa de performance atrelada ao desempenho anual em volume e lucratividade;
  • Em termos de estrutura societária, a Caixa Seguridade contará com participação de 75% no capital total, sendo 49,99% das ações ordinárias e 100% das preferenciais, enquanto a Tokio Marine contará com 50,01% das ações ordinárias. Por ora, as empresas aguardam aprovações da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), Banco Central (BCB) e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) com prazo até 04 de janeiro de 2021 para fechamento da operação.

Bancos: Banco Votorantim deve iniciar seu processo de IPO

  • De acordo com o Estadão, o Banco Votorantim (BV) está prestar a lançar sua oferta inicial. O banco deve arquivar o seu prospecto ainda essa semana;
  • A oferta deve ser parcialmente secundária, uma vez que o Banco do Brasil deve continuar seus desinvestimentos. A participaçãod o Banco do Brasil no BV atualmente é de 49,99%;
  • A oferta chega após o banco conseguir um lucro de R$ 1 bilhão nos nove primeiros meses do ano (vs. R$ 779 milhões nos nove primeiros meses de 2018).

Renda Fixa

Rating atribuído à proposta de emissão da Rede D’Or Finance

  • A S&P Global Ratings atribuiu rating ‘BB-‘ (escala global) à proposta de emissão de notas senior unsecured da Rede D’Or Finance S.a.r.l. As notas são incondicional e irrevogavelmente garantidas pela Rede D’Or São Luiz S.A;
  • O relatório não informa o prazo ou volume da emissão, apenas cita que tem prazo intermediário e que os recursos serão utilizados para realização de investimentos e prepagamentos de dívidas;
  • O jornal Valor Econômico publicou que investidores esperam que a nova emissão seja de US$ 500 milhões (montante já emitido no mercado externo em 2018);
  • A agência não espera que a nova emissão altere de forma significativa as estimativas de alavancagem para 2020, que devem ficar em torno de 3,0x dívida líquida/EBITDA;
  • A empresa tem plano agressivo de investimentos para os próximos anos e vem levantando recursos no mercado de capitais para financiá-lo.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.