XP Expert

Morning Call XP (18.out): PIB Chinês desacelera para o menor ritmo em três décadas, crise do PSL se agrava

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,4% | 105.016 Pontos

CÂMBIO 0,3% | 4,17/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ontem, o Ibovespa fechou em leve queda de -0,39%. Nesta manhã, mercados da Ásia fecharam em forte queda em vista da divulgação de dados do PIB da China abaixo das expectativas do mercado, enquanto mercados europeus e futuros dos EUA operam em estabilidade.

Nesta madrugada, a China divulgou que seu Produto Interno Bruto (PIB) teve uma expansão anual de 6% no terceiro trimestre, abaixo das expectativas do mercado de 6,1%. A economia chinesa cresceu no menor ritmo em quase três décadas, e abaixo dos níveis de 6,2% do segundo trimestre, ilustrando os impactos das tensões comerciais com os EUA.

Já os investimentos em ativos fixos em áreas não-rurais tiveram ganho de 5,4% entre janeiro e setembro ante os nove primeiros meses de 2019. O dado veio em linha com as expectativas de mercado, mas também indicou ligeira desaceleração dos investimentos, que foram de 5,5% na comparação anual de janeiro a agosto. Do lado das commodities, o petróleo tipo Brent, após abrir em queda com dados fracos na China, opera agora em leve alta de +0,4%, em US$60,15/barril.

Na agenda doméstica, destacamos a crise escancarada no PSL. Chegamos ao 11º dia em que o conflito interno do partido do presidente da República se tornou público. Agora, cada vez com mais detalhes, já que pessoas com acesso aos bastidores decidiram gravar as discussões internas e vazar para a imprensa. O último é um do líder da bancada, Delegado Waldir, ofendeu o presidente Bolsonaro, e afirmou que vai implodi-lo. Outros parlamentares também reclamam do governo – o mais enfático é o presidente da CCJ, Felipe Francischini, que ainda fala em evitar uma fusão do PSL com o DEM.

O governo passou a colecionar ex-aliados. Ontem (17), a deputada Joice Hasselmann perdeu o cargo de líder do governo no Congresso. Em seguida, ela deu declarações à imprensa de que a troca era uma “carta de alforria”. A cúpula do PSL também retaliou. Sem cerimônia alguma, retirou os diretórios de SP e do RJ de Eduardo e Flávio Bolsonaro, respectivamente. A situação é cada vez pior para a relação dos dois lados e em relação a tudo o que se torna público – o que mais chama a atenção nessa briga.

Finalmente, o noticiário local mostra que o foco do governo em 2019 será terminar a votação da reforma da Previdência no Senado e concluir a avaliação do Orçamento de 2020. Com isso, o restante da agenda de grandes projetos do governo, incluindo a reforma tributária, seria postergada para o próximo ano. As expectativas são de que a reforma tributária ganhe impulso apenas no começo de 2020 com a criação de uma comissão mista da Câmara e do Senado e de que, mesmo assim, o ministro da Economia, Paulo Guedes, envie a reforma de forma fatiada, focando inicialmente apenas na fusão do PIS e Cofins.

Finalmente, no campo de empresas, a Petrobras publicou o seu relatório de produção e vendas referente ao terceiro trimestre de 2019 (ou 3T19). Temos uma avaliação positiva dos números divulgados, embora eles tenham vindo em linha com as estimativas que embasaram nossa prévia de resultados do 3T19.

Destacamos o aumento de produção do pré-sal, fruto da conexão de 6 novas unidades de produção desde 2018, além da maior taxa de utilização do parque de refino. Reiteramos nossa recomendação de compra nas ações da Petrobras.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Crise escancarada no PSL
  2. Reforma Tributária deve ser adiada para 2020
  3. Paulo Guedes deve enviar quatro propostas de reforma na semana que vem
  4. Mercado de trabalho formal brasileiro apresenta expansão em setembro

Internacional

  1. Indicadores econômicos da China ainda apontam para uma economia fragilizada

Empresas

  1. Petrobras (PETR4): Fortes dados de produção no 3T19, em linha com nossas expectativas
  2. Sanepar (SAPR11): TCE pauta processo de reajuste tarifário de 2019 em 23 de outubro
  3. Unidas (LCAM3): Desdobramento com razão de 3:1; Preço-alvo de R$20,0/ação

Renda Fixa

  1. Fitch eleva rating da TCP para ‘brAA(bra)’


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Crise escancarada no PSL

  • Crise escancarada no PSL. Chegamos ao 11º dia em que o conflito interno do partido do presidente da República se tornou público. Agora, cada vez com mais detalhes, já que pessoas com acesso aos bastidores decidiram gravar as discussões internas e vazar para a imprensa. O último é um do líder da bancada, Delegado Waldir, chamando Bolsonaro de “vagabundo” e dizendo que vai implodi-lo. Outros parlamentares também reclamam do governo –o mais enfático é o presidente da CCJ, Felipe Francischini, que ainda fala em evitar uma fusão do PSL com o DEM;
  • O governo passou a colecionar ex-aliados. Ontem (17), a deputada *Joice Hasselmann perdeu o cargo de líder do governo no Congresso. Em seguida, ela deu declarações à imprensa de que a troca era uma “carta de alforria”. A cúpula do PSL também retaliou. Sem cerimônia alguma, retirou os diretórios de SP e do RJ de Eduardo e Flávio Bolsonaro, respectivamente. A situação é cada vez pior para a relação dos dois lados e em relação a tudo o que se torna público –o que mais chama a atenção nessa briga.

Reforma Tributária deve ser adiada para 2020

  • De acordo com o Estadão, o foco do governo em 2019 será terminar a votação da reforma da Previdência no Senado e concluir a avaliação do Orçamento de 2020. Com isso, o restante da agenda de grandes projetos do governo, incluindo a reforma tributária, ficará para o ano que vem;
  • Ao adiantar grande parte da agenda para o próximo ano, o governo pretende focar sua ação no Congresso Nacional para aprovar um pacote de redução de cerca de R$ 30 bilhões de despesas. O desenho de uma PEC Emergencial está sendo fechado para garantir o cumprimento do teto nos próximos dois anos;
  • Na avaliação do governo, o ambiente de base para a tramitação da Reforma Tributária estará formado apenas depois que o Senado aprovar a reforma da Previdência. As expectativas são de que a reforma tributária ganhe impulso no começo de 2020 com a criação de uma comissão mista da Câmara e do Senado. O ministro da Economia, Paulo Guedes, deve enviar a reforma tributária fatiada, focando primeiramente na fusão do PIS e Cofins.

Paulo Guedes deve enviar quatro propostas de reforma na semana que vem

  • De acordo com o Globo, o ministro Paulo Guedes acertou com os presidentes da Câmara e do Senado o envio de quatro propostas de reforma na semana que vem. Rodrigo Maia garantiu que as turbulências no PSL não atrapalharão o andamento da agenda;
  • Entre as quatro propostas, estão as reformas administrativa e tributária, revisão do pacto federativo com estados e municípios e uma proposta para reduzir as despesas obrigatórias e aliviar o Orçamento. A expectativa é de que os textos sejam encaminhados já na próxima quarta-feira, logo após a Previdência ser votada em segundo turno no Senado;
  • Ainda não está claro qual será a ordem de prioridade dada a cada uma dessas agendas. Rodrigo Maia disse que as medidas terão que ser debatidas em conjunto, enquanto Guedes, por sua vez, afirmou que caberá ao parlamento alinhar quais são as prioridades. Entretanto, o novo líder do governo no Congresso, o senador Eduardo Gomes, disse que, após a conclusão da reforma da Previdência, o restante da agenda de grandes projetos do governo, incluindo a reforma tributária, deverá ficar para o ano que vem.

Mercado de trabalho formal brasileiro apresenta expansão em setembro

  • O resultado do Caged de setembro de 2019 mostrou que, pela sexta vez consecutiva, o número de admissões ultrapassou o de demissões, mantendo o saldo geral de empregos positivo. O total de postos de trabalho gerados em setembro (157.213) ficou acima do que era esperado pelo mercado (129.902) e atingiu o maior patamar para o mês desde 2013, quando foram criadas 211.068 novas vagas;
  • Em setembro de 2019, 7 dos 8 setores analisados pelo Caged mostraram saldo positivo de geração de empregos, sendo eles:  Extrativa Mineral, Indústria de Transformação, Construção Civil, Comércio, Serviços, Administração Pública e Agropecuária. O único setor analisado em que o número de demissões superou o número de admissões foi o de Serviços Industriais de Utilidade Pública. As duas maiores surpresas positivas foram a Construção Civil e a Agropecuária, que na série dessazonalizada criaram 8.646 e 10.984 novas vagas, respectivamente;
  • Em síntese, o mercado formal de trabalho brasileiro ainda não recuperou seu patamar pré-crise, mesmo que os números recentes apresentem recuperação de boa parte das perdas que caracterizaram os últimos anos. Em setembro de 2019, o número de admissões ultrapassou o de demissões pela sexta vez consecutiva, mantendo o saldo de empregos positivo e corroborando o argumento de que a economia segue em ritmo gradual de recuperação.

Internacional

Indicadores econômicos da China ainda apontam para uma economia fragilizada

  • A China divulgou nessa madrugada dados do PIB do terceiro trimestre. O avanço de 6,0% ante o mesmo período do ano passado ficou aquém do esperado (6,1%), surpreendendo negativamente as expectativas de mercado. A leitura marcou o ritmo mais lento de crescimento da economia chinesa desde o início da série histórica, em 1992, e confirmou o entendimento de que o cenário internacional permanece desafiador;
  • A produção do setor industrial da China, por outro lado, apresentou expansão de 5,8% em setembro em relação ao mesmo mês de 2018. O crescimento foi mais acelerado que os 4,4% registrados em agosto e superou as expectativas de mercado (4,9%). As vendas de moradias na China também apresentaram expansão, de 10,3% entre janeiro e setembro em relação a igual período do ano passado, indicando uma aceleração no setor imobiliário do país;
  • Já os investimentos em ativos fixos em áreas não-rurais tiveram ganho de 5,4% entre janeiro e setembro ante os nove primeiros meses de 2019. O dado veio em linha com as expectativas de mercado, mas também indicou ligeira desaceleração dos investimentos, que foram de 5,5% na comparação anual de janeiro a agosto.

Empresas

Petrobras (PETR4): Fortes dados de produção no 3T19, em linha com nossas expectativas

  • Em 17 de outubro, após o fechamento do mercado, a Petrobras publicou o seu relatório de produção e vendas referente ao terceiro trimestre de 2019 (ou 3T19);
  • Temos uma avaliação positiva dos números divulgados, embora eles tenham vindo em linha com as estimativas que embasaram nossa prévia de resultados do 3T19. Destacamos em primeiro lugar o aumento de produção do pré-sal, fruto da conexão de 6 novas unidades de produção desde 2018. Em segundo lugar, elogiamos a maior taxa de utilização do parque de refino da companhia somada a menores importações de derivados;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra nas ações da Petrobras, com preços-alvo de R$ 36 / R$ 35 / US$ 18,5 / US$ 18 para PETR4 / PETR3 / PBR_A /PBR. Você encontra mais detalhes sobre os dados operacionais da Petrobras na nossa plataforma de conteúdos, clicando aqui.

Sanepar (SAPR11): TCE pauta processo de reajuste tarifário de 2019 em 23 de outubro

  • As ações da Sanepar (SAPR11) fecharam em alta de 1,86%. Atribuímos a alta à inclusão na pauta do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Paraná em 23/10 (próxima quarta-feira) do processo referente ao ajuste tarifário de 2019;
  • Conforme mencionado no nosso início de cobertura de Sanepar, uma reversão da decisão do TCE referente à exclusão do repasse de Fundos Municipais como despesa não gerenciável levaria a um incremento de R$3/unit do nosso preço-alvo de R$104/unit;
  • Reiteramos a recomendação de Compra nas units da Sanepar em vista do risco-retorno atrativo das ações. Você pode saber mais detalhes sobre o imbróglio da empresa com o TCE no nosso início de cobertura, no link.

Unidas (LCAM3): Desdobramento com razão de 3:1; Preço-alvo de R$20,0/ação

  • O Conselho de Administração da Unidas aprovou ontem em AGE, o desdobramento das ações na proporção de 3 para 1. O objetivo é de tornar o lote mínimo mais acessível e aumentar a liquidez dos papéis. Mantemos nossa recomendação de Compra, com preço-alvo ajustado de R$20,0/ação.

Renda Fixa

Fitch eleva rating da TCP para ‘brAA(bra)’

  • A Fitch Ratings elevou o rating nacional de longo prazo da terceira série da primeira emissão de debêntures do TCP – Terminal de Contêineres de Paranaguá S.A. no montante de R$428 milhões e vencimento em outubro de 2022. A perspectiva é estável, indicando que a agência de ratings não espera novas ações nos próximos 12 meses;
  • Segundo a agência, a elevação reflete o desempenho operacional estável da TCP e a manutenção de índices de alavancagem moderados em 2018, os quais segundo metodologia da Fitch ficaram abaixo de três vezes, e a expectativa de que diminuam ainda mais a partir de 2020. O risco de refinanciamento do projeto em 2021 e 2022 é reduzido pelo forte desempenho operacional e pelo longo período de concessão;
  • A atualização por parte da agência é positiva e indica reforço da qualidade de crédito da TCP.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.