XP Expert

Impeachment de Trump na Câmara e Relatório Trimestral de Inflação no Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 1,5% | 114.314 Pontos

CÂMBIO -0,3% | 4,06/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ontem o Ibovespa subiu 1,5%, atingindo a máxima histórica de 114.314 pontos, enquanto o dólar caiu 0,3% para 4,06. Nesta manhã, bolsas europeias operam em baixa enquanto índices futuros nos EUA sobem levemente.

No internacional, destaque para a aprovação ontem do impeachment do presidente americano, Donald Trump, na Câmara. Agora, o processo irá ao Senado, que não deve ser aprovado. As pesquisas continuam mostrando elevada popularidade do presidente entre republicanos e alta rejeição ao impeachment entre simpatizantes do partido. Apenas fatos novos que mudassem esses números poderiam alterar o resultado no Senado. Dada a cristalização das opiniões do eleitorado, seja a favor ou contra Trump, esse cenário parece praticamente impossível de ocorrer.

Existem poucos catalisadores para reavivar os ânimos dos mercados e os detalhes do acordo comercial entre os EUA e a China permanecem vagos. Formuladores de política monetária no Japão e Taiwan deixaram as taxas de juros inalteradas na quinta-feira. Ainda são esperadas as decisões do Riksbank, o banco central da Suécia, que deve elevar juros e terminar a era de taxas negativas no país, e do norueguês Norges Bank, que provavelmente não trará mudanças, conforme a expectativa de analistas.

No Brasil, o destaque será a apresentação do Relatório Trimestral de Inflação do quarto trimestre de 2019 nesta manhã, seguido de entrevista coletiva com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, e do diretor recém empossado, Fábio Kanczuk. O documento deve esclarecer o tom de cautela empregado pelo Banco Central na última ata, apesar de suas projeções de inflação indicarem um cenário de inflação abaixo da meta em 2020 e 2021.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, recebeu ontem os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado Federal, Davi Alcolumbre, para acertar a criação de uma comissão mista que pretende conciliar as duas propostas de Reforma Tributária que tramitam no Congresso.

De acordo com o ministro, os principais objetivos da proposta devem ser a simplificação e manutenção da carga tributária. Serão três principais pilares: a reforma da tributação sobre consumo, a transformação do IPI em um imposto seletivo que controle o consumo de bens que produzem externalidades negativas, e a desoneração da folha de pagamentos. Em entrevista coletiva feita durante a tarde de ontem, o ministro fez uma defesa enfática do imposto sobre transações digitais para financiar a desoneração da folha de pagamentos.

No campo político, após decisão do STF que permitiu a continuidade das investigações relativas a Flávio Bolsonaro, ontem ocorreu operação no RJ em endereços ligados a Queiroz e ex-mulher de Jair Bolsonaro e seus familiares. O presidente não se manifestou sobre o assunto. O ministro da Secretaria de Governo e do GSI negaram que a operação tenha efeito no andamento do governo.

Por fim, publicamos ontem um relatório atualizando nossas estimativas para o setor de Papel & Celulose. Olhando para 2020, estamos otimistas com o setor e acreditamos que vale a pena a relação entre e risco e retorno desses papéis. Mantemos nossa recomendação de Compra na Suzano (R$45/ação) e Neutro na Klabin (R$20,5/ação).

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: MP realiza operação de busca e apreensão em endereços ligados a Queiroz
  2. Imposto sobre transações digitais poderá ser implementado para financiar a desoneração da folha de pagamentos
  3. Governo discute 13º salário para idosos e pessoas com deficiência

Empresas

  1. Papel & Celulose: 3 fatores do porquê estamos otimistas para 2020; Compra Suzano, Neutro Klabin
  2. Petrobras (PETR4): Encerra negociações com CNPC sobre o Comperj, planeja alternativas
  3. Petrobras (PETR4): Adesão a programas tributários estaduais
  4. Petrobras (PETR4):Anúncio de pagamento de Juros sobre o Capital Próprio (JCP)
  5. Bancos: Guedes avalia propor imposto em transações digitais
  6. Copel (CPLE6): Programa de Demissão Incentivada concluído, com 395 adesões, Positivo
  7. Cemig (CMIG4): Anúncio de pagamento de Juros sobre o Capital Próprio (JCP)

Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: MP realiza operação de busca e apreensão em endereços ligados a Queiroz

  • Após decisão do STF que permitiu a continuidade das investigações relativas a Flávio Bolsonaro, ontem ocorreu operação no RJ em endereços ligados a Queiroz e ex-mulher de Jair Bolsonaro e seus familiares. O presidente não se manifestou sobre o assunto. O ministro da Secretaria de Governo e do GSI negaram que a operação tenha efeito no andamento do governo;
  • Depois de indicar que vetaria fundo eleitoral de R$ 3,8 bi, governo propôs valor R$ 2 bi para custear as campanhas de 2020. Para evitar disputar com o Planalto em um tema impopular, o Congresso aprovou o orçamento com o valor sugerido pelo executivo. Ontem, no entanto, Bolsonaro deu sinais de que poderia vetar mesmo o valor aprovado, surpreendendo aliados e irritando os líderes partidários. Se efetivada a ameaça, é possível esperar que haja retaliações em votações de temas caros ao governo em 2020;
  • Bolsonaro estuda recriar o Ministério da Segurança Pública em 2020 para acomodar seu aliado, o ex-deputado federal Alberto Fraga (DEM-DF). Para isso, dividiria o Ministério hoje sob o comando de Sérgio Moro.

Imposto sobre transações digitais poderá ser implementado para financiar a desoneração da folha de pagamentos

  • Na tentativa de dar um impulso às discussões da reforma tributária, o ministro da Economia, Paulo Guedes, recebeu ontem os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado Federal, Davi Alcolumbre, para acertar a criação de uma comissão mista que pretende conciliar as duas propostas que tramitam no Congresso Nacional com a do governo federal. A comissão mista será instalada hoje e o grupo terá um prazo de 90 dias para apresentar um texto único de consenso;
  • Além disso, as linhas básicas da reforma pretendida por Paulo Guedes também foram divulgadas ontem. De acordo com o ministro, os principais objetivos da proposta serão a simplificação e manutenção da carga tributária. Serão três principais pilares: a reforma da tributação sobre consumo, a transformação do IPI em um imposto seletivo que controle o consumo de bens que produzem externalidades negativas, e a desoneração da folha de pagamentos;
  • Em entrevista coletiva feita durante a tarde de ontem, o ministro fez uma defesa enfática do imposto sobre transações digitais para financiar a desoneração da folha de pagamentos.

Governo discute 13º salário para idosos e pessoas com deficiência

  • De acordo com o Estadão, a Medida Provisória que prevê o pagamento de um 13º salário (a princípio só neste ano) para os inscritos no Bolsa Família poderá ser estendida também a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda que já recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC);
  • Se a proposta prosperar, o impacto para os cofres públicos poderá ser de R$ 7,5 bilhões ao ano;
  • No governo, há resistência em apoiar a proposta. O relatório ainda precisa passar por uma votação na comissão de deputados e senadores que discute o assunto e depois pelos plenários das duas Casas até dia 24 de março.

Empresas

Papel & Celulose: 3 fatores do porquê estamos otimistas para 2020; Compra Suzano, Neutro Klabin

  • Publicamos ontem um relatório atualizando nossas estimativas para o setor de papel e celulose. 2019 foi um ano desafiador para os preços de celulose, que acumulam queda de 40% até o momento. Na esteira dessa queda, as ações da Suzano e da Klabin não ficaram ilesas e performaram abaixo do índice Ibovespa;
  • Olhando para 2020, estamos otimistas com o setor e acreditamos que vale a pena a relação entre e risco e retorno desses papéis. Temos uma perspectiva positiva para os preços da celulose no longo prazo, suportada por três fatores: (1) Normalização dos estoques; (2) Recuperação gradual das margens dos fabricantes de papel; e (3) Pequena entrada de nova capacidade de celulose no mercado;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra na Suzano, com novo preço-alvo de R$45/ação (vs. R$40/ação anteriormente) e Neutro na Klabin, com novo preço-alvo de R$20,5/ação (vs. R$19/ação anteriormente). Clique aqui para acessar o relatório completo.

Petrobras (PETR4): Encerra negociações com CNPC sobre o Comperj, planeja alternativas

  • Em comunicado ao mercado divulgado após o mercado, a Petrobras informou que concluiu, juntamente com a petroleira chinesa CNPC e suas subsidiárias, os estudos relacionados à viabilidade econômica da conclusão das obras da refinaria do Comperj;
  • O estudo demonstrou que o processo não apresentava viabilidade econômica, e portanto, os projetos com a CNPC foram encerrados sem a efetivação do negócio. Notamos que o acordo entre as empresas inicialmente divulgado em outubro de 2018 também contemplava uma participação da CNPC no cluster de petróleo Marlim, que contempla as concessões de Marlim Voador, Marlim Leste e Marlim Sul;
  • Assim sendo, a Petrobras agora passou a estudar alternativas para o Comperj, localizado em Itaboraí, no Rio de Janeiro. Dentre as alternativas, estuda-se a integração da refinaria de Duque de Caixas com algumas unidades do complexo para a produção de lubrificantes básicos e combustíveis de alta qualidade. Além disso, os estudos também contemplam a instalação de uma termelétrica, em parceria com outros investidores e abastecida com gás do pré-sal;
  • Apesar do histórico conturbado do Comperj para a Petrobras, notamos que não assumimos nenhum aspecto relacionado a um acordo com a CNPC nem uma retomada de operação do complexo em nossas estimativas. Caso a Petrobras implemente alguma das alternativas em estudo (em particular a instalação de uma usina termelétrica, segmento no qual temos uma visão positiva), isso apenas seria uma adição às nossas estimativas. Mantemos recomendação de Compra nas ações da Petrobras, com preços-alvo de R$36 e R$35 para PETR4 e PETR3.

Petrobras (PETR4): Adesão a programas tributários estaduais

  • A Petrobras anunciou ontem, via comunicado ao mercado, a adesão aos Programas de Remissão Parcial do Imposto e de Redução de Juros e Multas de Débitos do ICMS, instituídos pelos Estados do Amazonas, Alagoas, Bahia, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Sergipe;
  • Os débitos tributários incluídos são relativos principalmente à apropriação de créditos de ICMS sobre aquisição de mercadorias (produtos em geral), e à cobrança de ICMS nas vendas interestaduais de gás natural. A inclusão desses débitos nos programas, cujo valor atualizado é de R$ 3,6 bilhões, permitirá à companhia uma economia de cerca de 70%, mediante ao desembolso de cerca de R$ 1 bilhão, com impacto no resultado do 4º trimestre de 2019;
  • Apesar de negativo, destacamos que o efeito será um evento não recorrente nos resultados do quarto trimestre. Nesses casos, expurgamos seu impacto da análise dos resultados ao realizarmos a comparação em nossas estimativas. Mantemos a recomendação de Compra das ações da Petrobras, com preço alvo de R$ 36 e R$ 35 para PETR4 e PETR3, respectivamente.

Petrobras (PETR4): Anúncio de pagamento de Juros sobre o Capital Próprio (JCP)

  • A Petrobras anunciou ontem, via comunicado ao mercado, a distribuição de remuneração antecipada aos acionistas sob a forma de juros sobre capital próprio (JCP) no valor bruto de R$ 0,42 por ação preferencial em circulação (PETR4 e PBR_A). O pagamento do referido JCP será realizado em 07 de fevereiro de 2020 para ações negociadas na B3 e partir de 17 de fevereiro de 2020 para as ADRs. O valor ainda terá a dedução do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), conforme a legislação em vigor (no caso, 15%);
  • As ações negociarão ex-Juros sobre Capital Próprio a partir de 27 de dezembro de 2019. Além disso, o valor de R$ 0,42 será corrigido pela taxa Selic de 31/12/2019 até o dia 07/02/2020;
  • O valor implica um dividend yield de 1,17% sobre as ações PETR4, com base no preço do fechamento de ontem e deduzido dos impostos de 15% sobre o valor bruto;
  • Por fim, o valor antecipado aos acionistas a título de JCP será descontado dos dividendos mínimos obrigatórios, inclusive para fins de pagamento dos dividendos mínimos prioritários das ações preferenciais.  Mantemos a recomendação de Compra das ações da Petrobras, com preço alvo de R$ 36 e R$ 35 para PETR4 e PETR3, respectivamente.

Bancos: Guedes avalia propor imposto em transações digitais

  • O ministro Paulo Guedes falou ontem em entrevista para jornalistas que ele está avaliando enviar uma proposta de imposto para transações digitais;
  • A ideia é complementar impostos em consumo e em renda com um imposto em transações. O ministro complementou dizendo que o imposto faz sentido, uma vez que transações digitais devem ganhar cada vez mais relevância;
  • Nossa visão é de que o imposto deve afetar o setor como um todo, mas principalmente fintechs e bancos digitais, tais como o Banco Inter (BIDI4).

Copel (CPLE6): Programa de Demissão Incentivada concluído, com 395 adesões, Positivo

  • Ontem a Copel anunciou, via comunicado após o fechamento do mercado, que encerrou o prazo de desligamento do recente Programa de Demissão Incentivada (PDI), que ficou aberto a adesões no período de 1º a 30 de novembro de 2019;
  • Segundo a Copel, 395 funcionários aderiram ao programa (em comparação à estimativa inicial de 492 empregados que se enquadravam nos critérios). Dentre as diversas áreas da companhia, os desligamentos foram divididos em (1) 296 na Copel Distribuição, (2) 2 da Copel Geração e Transmissão, (3) 17 da Copel Telecom, (4) 4 da Copel Comercialização e (5) 6 da Copel Holding. Ao todo, a empresa estima indenizações de R$43,1 milhões, e uma redução anual de custos de R$93,7 milhões. A Copel também aproveitou a oportunidade para relembrar que realizou 1206 desligamentos nos últimos 3 anos;
  • Vemos a notícia como positiva para a Copel, dado que a iniciativa vai de encontro com o compromisso da empresa de reduzir seus custos e tornar-se mais eficiente. A título de exemplo, as eficiências estimadas representariam uma adição de 2,3% à nossa estimativa de EBITDA em 2020. Mantemos recomendação de compra nas ações da Copel, com preço alvo de R$ 68/ação. Notamos que nossas estimativas e preço-alvo ainda precisam incorporar a conclusão do plano.

Cemig (CMIG4): Anúncio de pagamento de Juros sobre o Capital Próprio (JCP)

  • A Cemig comunicou via aviso aos acionistas, o pagamento de Juros sobre o Capital Próprio (JCP) em duas parcelas iguais, sendo a primeira até 30-06-2020 e a segunda até 30-12-2020;
  • O valor bruto do pagamento é de R$0,2743 por ação, a ser contabilizado como parte do dividendo mínimo obrigatório de 2019.  O valor ainda terá a dedução do Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF), conforme a legislação em vigor (15%). O valor implica um dividend yield de 1,7% após impostos;
  • As ações passarão a ser negociadas “ex-direitos”, no dia 26 de dezembro de 2019. Mantemos nossa recomendação Neutra na Cemig, com preço-alvo R$ 16/ação.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.