XP Expert

Foco no resultado de três gigantes da bolsa: Petrobras, Vale e Ambev

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,5% | 106.986 Pontos

CÂMBIO 0,1% | 4,04/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou o pregão de ontem em queda de -0,52% em um movimento de realização de lucros. Nesta manhã, mercados asiáticos encerraram em alta, enquanto futuros dos EUA e mercados europeus operam sem direção definida.

O grande destaque da semana vai para a aprovação da reforma da previdência no segundo turno de votação do Senado, com uma economia esperada de R$800 bilhões para os próximos 10 anos. O otimismo do mercado fez com que o ibovespa acumulasse alta de +2,1% na semana, enquanto o real se valorizou +1,7% ante o dólar.

Como temos ressaltado diversas vezes, a reforma da previdência foi um grande marco para a nossa história, e deve impulsionar as expectativas de investidores daqui para a frente. Entretanto, notamos que esse foi apenas o primeiro passo, e resta muito a ser feito. Dentre as principais iniciativas no radar, destacamos: reformas administrativa e tributária, pacto federativo, agenda de privatizações e pautas setoriais como o novo marco legal do saneamento básico.

Nesse tópico, notamos que o secretário Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, afirmou que o governo deve enviar as primeiras medidas relacionadas à reforma tributária, que endereçam a simplificação do PIS/COFINS, por volta dos dias 9 e 10 de novembro. De acordo com Marinho, a ideia é compatibilizar o projeto do governo da reforma tributária com os textos que tramitam na Câmara e no Senado, em uma comissão mista.

No campo internacional, sem grandes destaques. Diplomatas da União Européia concordaram em adiar o Brexit, mas deixaram em aberto também a extensão desse adiamento, que de acordo com a Reuters poderia ser definida hoje. Apesar do texto preliminar ter deixado em branco a nova data, ele afirma que a divisão poderia ocorrer mais cedo se a ratificação fosse concluída anteriormente – uma ideia conhecida como “flextension”.

Por fim, destacamos a divulgação dos resultados de três gigantes da bolsa: Petrobras, Vale e Ambev. Temos uma visão positiva dos resultados da Petrobras, que reportou um EBITDA ajustado em linha com nossas expectativas e com o consenso de mercado, mas com uma sólida geração de caixa e redução do endividamento. Esperamos que os resultados futuros melhores ainda mais com o aumento da produção das 8 novas unidades do pré-sal, e reiteramos recomendação de Compra.

Quanto à Vale, a empresa reportou resultados em linha com nossas expectativas, com a forte geração de caixa de US$ 3 bilhões sendo o principal destaque positivo. Com a normalização das operações adiante, todos os olhos estão (ou deveriam estar) voltados para os dividendos de 2020, cujo reestabelecimento vemos como a principal alavanca de valor para a empresa. Esperamos reação positiva das ações.

Do lado negativo, a Ambev reportou resultados mais fracos do que o esperado, com uma queda de -2,8% A/A no volume de cerveja no Brasil (vs. nossa estimativa de +1,5%).Após a superação das expectativas do consenso no resultado do último trimestre e a subsequente alta das ações, todos os olhos estavam voltados para os volumes, com o mercado esperando algo próximo de um crescimento baixo – expectativa que não se materializou, nos levando a esperar uma reação negativa das ações da Ambev hoje.

Você pode conferir todos os relatórios detalhados sobre os resultados dessas empresas na nossa plataforma.

Tópicos do dia

Agenda de resultados hoje

Ambev (ABEV3): Antes da abertura
Usiminas (USIM5): Antes da abertura
Clique aqui para acessar o calendário completo
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados

Brasil

  1. Política Brasil: O STF suspendeu o julgamento sobre prisão após condenações em 2ª Instância
  2. Agenda pós-Previdência deve ser destravada somente depois da liberação de recursos para investimentos
  3. Recursos do seguro-desemprego poderão ser utilizados para financiar o programa de qualificação profissional
  4. Governo estuda a possibilidade de que governadores de estados em situação de emergência fiscal possam cortar salários e demitir servidores públicos

Internacional

  1. União Europeia concorda em adiar o Brexit
  2. Na Rússia, taxa de juros é reduzida para 6,50%

Empresas

  1. Petrobras (PETR4): Resultados do 3T19 positivos, mostrando a força da empresa; Reiteramos COMPRA
  2. Vale (VALE3): Fluxo de caixa surpreende; Foco está na retomada dos dividendos em 2020
  3. Ambev (ABEV3): Resultados fracos; Volume de cerveja no Brasil cai -2,8% A/A 
  4. Lojas Renner (LREN3): 3T19 com resultados sólidos, com os aspectos positivo superando os negativos
  5. Iguatemi (IGTA3): Lançamento do Iguatemi 365

Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: O STF suspendeu o julgamento sobre prisão após condenações em 2ª Instância

  • O STF suspendeu o julgamento sobre a legalidade de prisões após condenações em 2ª Instância e vai retomá-lo em novembro, mas o voto da ministra Rosa Weber foi o principal fato da sessão de ontem.  Seu voto era considerado fundamental para definir a previsão da decisão do plenário do Supremo. Contrária à prisão em 2ª Instância, ela se juntou a Marco Aurélio, relator da ação. Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Celso de Mello e Dias Toffoli devem seguir o mesmo entendimento, o que daria vitória a reverter o que vem sendo a jurisprudência do STF desde 2016;
  • O governo prepara um pacote de medidas de estímulo à criação de empregos focado nos mais jovens. As ações devem ser anunciadas na primeira semana de novembro, segundo o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. O ministro Paulo Guedes explica que entre as propostas estará “um modelo de contratação para os jovens, que deve valer nos dois primeiros anos de emprego, com redução dos encargos trabalhistas”;
  • O pacote de pacto federativo terá um projeto de desvinculação de 280 fundos setoriais. O governo espera que essas medidas sejam capazes de direcionar recursos públicos para investimentos. A ideia da equipe econômica é também desindexar despesas públicas, o que daria cerca de R$ 50 bilhões anualmente, recursos também voltados a investimentos.

Agenda pós-Previdência deve ser destravada somente depois da liberação de recursos para investimentos

  • De acordo com a mídia local, líderes do Senado afirmaram que a pauta pós-Previdência será destravada apenas se vier acompanhada de projetos que liberem recursos para investimentos;
  • A equipe econômica se prepara para, já na próxima semana, enviar um conjunto de propostas ao Senado para reduzir despesas obrigatórias e apertar o ajuste das contas públicas, incluindo o corte de salários de servidores, redução de jornada e suspensão do abono salarial;
  • As propostas do governo devem ser protocoladas na próxima terça-feira, 29, permitindo que os textos comecem a tramitar no Senado antes da votação na Câmara. Entretanto, na opinião de líderes do Senado, o governo deverá agilizar a liberação de emendas, pois será difícil defender novas medidas restritivas logo após o Congresso já ter aprovado regras mais duras para a concessão de aposentadorias.

Recursos do seguro-desemprego poderão ser utilizados para financiar o programa de qualificação profissional

  • De acordo com o Estadão, o governo estuda utilizar recursos do seguro-desemprego para bancar a expansão de seu novo programa de qualificação profissional;
  • A ideia central é que, como o pacote de medidas garantirá a empregabilidade dos indivíduos desocupados, os recursos que seriam utilizados para financiar o seguro-desemprego poderiam passar a ser utilizados para financiar os treinamentos. Assim, o programa seria “autofinanciável” e o governo não seria ainda mais onerado;
  • Também está em estudo permitir que empresas contratadas lancem títulos em mercado para financiar os cursos, a exemplo do que acontece em outros países, como Reino Unido, Estados Unidos, Israel e Bélgica. O chamado Contrato de Impacto Social é um dos pilares do programa Emprega + e será lançado na próxima sexta-feira.

Governo estuda a possibilidade de que governadores de estados em situação de emergência fiscal possam cortar salários e demitir servidores públicos

  • De acordo com O Globo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, estuda a possibilidade de flexibilizar ainda mais os gastos obrigatórios de governadores de estados em situação de emergência fiscal;
  • A ideia central é permitir que governadores e prefeitos possam demitir funcionários, reduzir jornadas e salários ou interromper programas estatais, a depender da situação das contas públicas regionais;
  • Essa situação de emergência fiscal será analisada quando um estado ou município for ao Conselho Fiscal da República apresentar suas contas e pedir o enquadramento na categoria. Esse deve ser um dos pontos do pacote que será enviado à Câmara já na próxima semana.

Internacional

União Europeia concorda em adiar o Brexit

  • Diplomatas da União Européia concordaram em adiar o Brexit, mas deixaram em aberto também a extensão desse adiamento, que de acordo com a Reuters poderia ser definida hoje;
  • Apesar do texto preliminar ter deixado em branco a nova data, ele afirma que a divisão poderia ocorrer mais cedo se a ratificação fosse concluída anteriormente – uma ideia conhecida como “flextension”;
  • Conforme explicado por um membro da UE, as duas opções possíveis englobam (i) uma “flextension” de três meses ou uma de “dois níveis”. No primeiro caso, o Reino Unido deixaria o bloco no dia 31 de janeiro, três meses após a data atual de partida, mas mais cedo se ratificasse um acordo com a União Europeia antes disso. Já o segundo caso incluiria uma outra data específica em que o RU poderia sair.

Na Rússia, taxa de juros é reduzida para 6,50%

  • Dando continuidade ao ciclo de cortes de juros nas principais economias mundiais, o Banco Central da Rússia decidiu cortar sua principal taxa de juros em 0,50%, passando a taxa para 6,50% ao ano;
  • O BC russo avaliou que a perspectiva de crescimento do país é ameaçada por persistentes riscos de “uma desaceleração econômica global substancial”;
  • Se a situação atual não se alterar, a autoridade monetária disse também que avaliará a necessidade de reduzir ainda mais os juros nos próximos meses.

Empresas

Petrobras (PETR4): Resultados do 3T19 positivos, mostrando a força da empresa; Reiteramos COMPRA

  • A Petrobras divulgou ontem os resultados do 3T19. O EBITDA Adjustado foi de R$32,5 bilhões, em linha com nossa estimativa de R$31,9 bilhões (+1,7%) e com o consenso de mercado de R$32,5 bilhões (+0,0%). Por outro lado, o Lucro Líquido da empresa no trimestre de R$9,1 bilhões veio acima da nossa estimativa de R$7,4 bilhões e do consenso de mercado de R$6,4 bilhões;
  • A diferença entre os resultados da empresa e nossas estimativas foi fruto de (1) menores despesas com juros de R$(10,9) bilhões ante nossa estimativa de R$(5,3) bilhões (devido a taxas relacionadas a recompra de títulos de dívida) e (2) ganhos com a oferta de ações da BR Distribuidora em julho, que implicou um ganho de R$13,9 bilhões antes dos impostos;
  • Por fim, a Petrobras anunciou uma distribuição de proventos na forma de Juros sobre Capital Próprio (JCP) de R$0,20/ação para as ações preferenciais (PETR3) e ordinárias (PETR4). A data de corte para os detentores de ações será no dia 11 de novembro de 2019 e o pagamento ocorrerá no dia 7 de fevereiro de 2020;
  • Temos uma visão positiva dos resultados da Petrobras. Em um trimestre em que preços de petróleo foram em média -9,5% em relação ao período anterior, a empresa demonstrou resiliência, com geração de caixa em patamares saudáveis e redução do endividamento. Reiteramos nossa recomendação de compra nas ações da Petrobras, com preços-alvo de R$ 36 / R$ 35 / US$ 18,5 / US$ 18 para PETR4 / PETR3 / PBR_A /PBR. Clique aqui para acessar o relatório completo.

Vale (VALE3): Fluxo de caixa surpreende; Foco está na retomada dos dividendos em 2020

  • A Vale reportou resultados em linha com nossas expectativas para o terceiro trimestre, com EBITDA ajustado de US$ 4,8 bilhões, alta de +4,2% vs. o trimestre anterior;
  • A forte geração de caixa de US$ 3 bilhões foi o principal destaque positivo, levando a um impressionante nível de alavancagem de 0,5x dívida líquida/EBITDA (US$ 5,3 bilhões), o mais baixo patamar desde o 4T08;
  • Com a normalização das operações, todos os olhos estão (ou deveriam estar) voltados para os dividendos de 2020, cujo reestabelecimento vemos como a principal alavanca de valor para a empresa. As ações da Vale negociam a 4,2x EV/EBITDA 2020, o que vemos como atrativo. Esperamos reação positiva das ações. Clique aqui para acessar nosso relatório completo.

Ambev (ABEV3): Resultados fracos; Volume de cerveja no Brasil cai -2,8% A/A 

  • Do lado negativo, a Ambev reportou resultados mais fracos do que o esperado, com uma queda de -2,8% A/A no volume de cerveja no Brasil (vs. nossa estimativa de +1,5%);
  • Os volumes da América Latina e da América Central superaram nossas estimativas, mas passaram longe de compensar os resultados do Brasil, tanto nos segmentos de cerveja quanto no de bebidas não alcoólicas (NAB);
  • Após a superação das expectativas do consenso no resultado do último trimestre (2T) e a subsequente alta das ações, todos os olhos estavam voltados para os volumes, com o mercado esperando algo próximo de um crescimento baixo – expectativa que não se materializou, nos levando a esperar uma reação negativa das ações da Ambev hoje. Clique aqui para ler o relatório completo.

Lojas Renner (LREN3): 3T19 com resultados sólidos, com os aspectos positivo superando os negativos

  • A Renner (LREN3) reportou um resultado sólido no 3T19, em linha com nossas estimativas. Comparado ao consenso de mercado compilado pela Bloomberg, os números ficaram levemente abaixo do esperado. Esperamos uma reação positiva do mercado, principalmente após a queda de -3,6% das ações na sessão de quarta-feira (24 de outubro);  
  • Pontos positivos: (i) Forte crescimento na receita (+13% em relação a 3T18), devido ao crescimento de vendas no conceito mesmas lojas de +8,3%, superando nossa projeção de +6,5%. Acreditamos que esse crescimento favorece futuros ganhos de participação de mercado e expansão de margem. Além disso, (ii) o resultado da operação de serviços financeiros cresceu +19% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior;  
  • Pontos negativos: A rentabilidade foi pressionada, com o EBITDA de varejo crescendo apenas +3% em relação ao ano anterior, enquanto o lucro líquido permaneceu estável. Entretanto, a pressão de 1,3 pontos percentuais na margem, que podem trazer preocupações,  foram causadas pelo maior provisionamento do programa de participação nos resultados e ganho não-recorrente de créditos fiscais que contribuíram para o 3T18. A margem EBITDA da operação de varejo teria expandido 0,2 pontos percentuais excluindo os efeitos mencionados acima;
  • Dessa forma, continuamos a ver um risco-retorno atrativo para as ações da companhia principalmente após a queda de -3,6% na sessão de quarta-feira (24 outubro). Por isso, mantemos nossa recomendação de Compra para Renner (LREN3) com preço-alvo de R$60/ação para final de 2020. Para mais detalhes sobre o resultado do 3T19, acesse aqui nosso relatório completo.

Iguatemi (IGTA3): Lançamento do Iguatemi 365

  • Ontem a Iguatemi lançou oficialmente o Iguatemi365, novo canal de vendas online que conta com marcas famosas e luxuosas da rede de shoppings. De acordo com a companhia, mais de 90 marcas já fazem parte da plataforma. No momento, as operações funcionarão somente no Estado de São Paulo, com previsão de expansão da operação a partir do segundo trimestre de 2020 para outros estados da Região Sudeste e Brasília;
  • Através da plataforma, o cliente poderá solicitar seu pedido online e retirá-lo pessoalmente na unidade Shopping Iguatemi São Paulo ou solicitar entrega em domicílio. Além disso, a Iguatemi também possui parceria com a empresa ifood para utilização dos shoppings como centros de distribuição dos pedidos online;
  • O lançamento da plataforma já era previsto. Apesar de não precificarmos potenciais efeitos em nossos números ainda, vemos a iniciativa como positiva tendo em vista a constante mudança nos hábitos de consumo da população aliada à força e credibilidade da marca Iguatemi. Mantemos recomendação de Compra e preço-alvo de R$ 58,00/ação para a Iguatemi.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.