XP Expert

Prévia da temporada de resultados do 1º trimestre de 2024 nos EUA: Boa, mas sem grandes surpresas

Confira nossa análise sobre as expectativas para os resultados das empresas dos Estados Unidos

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

A partir do dia 12 de abril, a temporada de resultados do primeiro trimestre de 2024 nos Estados Unidos começa a ganhar força. O período, como de costume, iniciará com os grandes bancos como J.P. Morgan, Citigroup e Wells Fargo divulgando os seus balanços. Em termos de projeções, o consenso espera que o S&P 500 apresente alta de 3,5% A/A. A temporada ganha tração na semana do dia 22/04, quando cerca de 38% da capitalização de mercado do S&P 500 reportará seus resultados.

S&P 500 – O que esperar da temporada? Sinais da Economia

As previsões econômicas têm se mostrado incrivelmente ineficazes nos últimos trimestres. Em nossa última prévia de temporada, por exemplo, mostramos que os economistas esperavam um crescimento de PIB da economia americana de 1,2% no 4º trimestre de 2023 (máxima de 2,5% e mínima de -0,1%). Porém a realidade mostrou-se muito mais benigna e os dados oficiais indicaram um crescimento de +3,2% e, não coincidentemente, o resultado das empresas também vieram significativamente acima do estimado.

Para este 1º trimestre, as expectativas giram em torno de um crescimento de +2,0% do PIB norte-americano (com previsão mínima de +0,8% e máxima de +3,2%) marcando o segundo trimestre de desaceleração econômica nos EUA (+4,9% no 3T2023, +3,2% no 4T2023). Uma nova surpresa positiva na mesma magnitude do trimestre anterior, que venha acima do mais otimista dos economistas, nos parece menos provável dado:

i) O ajuste já feito nas estimativas do mercado, que saíram de +0,5% no início do ano para os +2,0% esperados hoje;

ii) As previsões do mercado estão mais em linha com o nowcast do Fed de Atlanta (atualmente em +2,4%), ao contrário dos trimestres anteriores, nos quais víamos uma distorção significativa entre as estimativas;

Fonte: Atlanta Fed

iii) O índice de surpresas dos dados econômicos dos EUA, medidas pelo Bloomberg ECO Surprise Index tem caído consistentemente desde o início do ano.

Quer receber os relatórios do Research Internacional por e-mail? Se inscreva aqui.

S&P 500 – O que esperar da temporada? Sinais do Mercado

Desde o início do ano, as expectativas de lucros das empresas do S&P 500 para o 1º trimestre têm sido revisadas para baixo. Como sempre pontuamos aqui, é bastante comum que haja esse “ajuste” baixista antes da temporada de resultados conforme as próprias empresas se mostram mais conservadoras em suas previsões, contendo o “animo” do mercado e aumentando as chances de surpreender positivamente (underpromise, overdeliver!).

Porém, neste trimestre, a magnitude das revisões não foi suficiente para deixar a “barra” baixa para as empresas. Se, na temporada anterior, o número foi revisado em cerca de 6,5% para baixo nos 3 meses que antecederam o início das divulgações, neste, o lucro por ação do S&P 500 para este trimestre caiu apenas 2,8% (de US$ 56,03 para US$ 54,48).

Além disso, as expectativas para os trimestres restantes de 2024 estão bastante elevadas, levando a previsão do lucro por ação do S&P 500 de 2024 para US$ 242,47 o que representaria um crescimento de 11,2% em relação a 2023. Já as previsões para 2025 são ainda mais otimistas, mostrando um crescimento de +13,5%.

O que esperar da temporada? Nossa expectativa

Julgamos que a ainda forte economia dos EUA, com crescimento real previsto de 2% (ou mais), baixo desemprego e consumo das famílias ainda elevado seguirá sustentando os lucros das empresas nestes primeiros três meses de 2024. Portanto, deveremos ver o terceiro trimestre consecutivo de crescimento de lucros interanuais. As estimativas do mercado, hoje, mostram um crescimento de +3,5% ante o primeiro trimestre de 2023.

Entretanto, não vemos espaço para grandes surpresas positivas, na mesma magnitude dos trimestres anteriores, dado:
i) a estimativa de desaceleração no crescimento econômico dos EUA;
ii) o ajuste baixista numa magnitude menor que a média história nas estimativas de consenso para os lucros das empresas nos últimos meses;
iii) a estagnação do processo desinflacionário da economia, e a alta nos preços do petróleo e seus derivados, elevando os custos e pressionando as margens das empresas e;
iv) o efeito negativo do dólar, que apreciou frente as principais moedas no primeiro trimestre, nos lucros das empresas dos EUA, em especial no setor de tecnologia, que tem grande parte das receitas oriundas de outros países.

Além disso, vemos espaço para decepção nos guidances. Dadas as elevadas estimativas do mercado para os trimestres à frente (+9,8% +8,5% e +17,9% para o 2º, 3º e 4º trimestres, respectivamente) aliadas às dificuldades macroeconômicas de 2024 (desaceralação do PIB, persistência da inflação, aumento nos custos com commodities/energia e dólar fortalecido), esperamos que as empresas forneçam projeções mais conservadoras para o restante do ano.

S&P 500 – Detalhamento Setorial

Em termos setoriais, 6 dos 11 setores do índice têm projeções de crescimento de lucros e 8 dos 11 têm projeções de crescimento de receitas.

Os grandes destaques positivos são:
Tecnologia: Receita +6,8% | Lucro +19,6%. As expectativas de altas nos lucros refletem o bom momento dos subsetores de software, com Microsoft (+15%) e Semicondutores, com Nvidia (+404%).
Comunicações: Receita +7,4% | Lucro +19,3%. Impulsionado pelo alto crescimento dos lucros da Meta Platforms (+94%), Alphabet (+30%) e Netflix (+56%).
Consumo Discricionário: Receita +5,8% | Lucro +15,3%. Boa parte desse crescimento de lucros se deve à Amazon (+169%) que compensa quedas significativas no setor automotivo como Tesla (-33%%), Ford (-33%) e GM (-23%).

Já do lado negativo, temos:
Materiais Básicos: Receita -5,5% | Lucro -24,8%. Queda generalizada de lucros nas empresas de commodities devido a preços realizados mais baixos. Exceção feita à Newmont, mineradora de ouro, cujos lucros espera-se que cresçam 34% após o metal precioso atingir novas máximas.
Energia: Receita -3,6% | Lucro -25,9%. Apesar da alta recente, os preços realizados de petróleo e derivados no 1º trimestre ficaram abaixo do ano anterior e impacta negativamente as previsões do setor.

Temos, também dois setores com comportamentos interessantes:
Saúde: Receita +5,5% | Lucro -7,7%. Apesar do crescimento de receitas, o setor ainda sofre com impactos nos lucros referentes à marcação negativa investimentos feitos na época da pandemia por empresas como Pfizer (-56%) e Moderna (virando de lucro para prejuízo).
Utilidades Públicas: Receita -2,0% | Lucro +24,2%. Apesar da perspectiva de queda nas receitas, o setor se beneficia de um custo mais baixo, dado o menor preço médio do gás natural em relação ao 1º trimestre de 2023.

Principais empresas por setor

Tecnologia

Comunicação

Consumo Discricionário

Bens de Consumo

Saúde

Financeiro

Materiais Básicos

Utilidades Públicas

Industrial

Energia

Imobiliário

Calendário de resultados

Confira aqui o calendário completo da temporada de resultados do quarto trimestre de 2023. Iremos fazer o acompanhamento semanal no nosso Top 5 Temas Globais da Semana.

XPInc CTA

Ações internacionais: confira todos os resultados do 1º tri de 2024

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º da Instrução CVM nº 598/2018. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.