XP Expert

🌎 Mundo em 60s: Fed e seus próximos passos

Entenda o último comitê do Fed e a nossa perspectiva para a política econômica americana. Veja os destaques da semana.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bolsas: A semana se encaminha para um fechamento positivo dos mercados globais, com ativos devolvendo integral ou parcialmente as perdas da semana passada, que foram ocasionadas por um breve sentimento de aversão a risco após o comitê do Federal Reserve sugerir a antecipação do ciclo de subida de juros nos EUA. Os dados de inflação recentes dão suporte à tese de “transitoriedade” repetida pelo Fed, permitindo que ações de crescimento, muito ligadas ao setor de tech voltem a subir. Na China (+2,7% na semana), notícias de injeção de liquidez por parte do Banco Central (PBOC) sustentaram a alta na região, que está no zero a zero em 2021 por conta das ameaças regulatórias do Partido Comunista às Big-Tech chinesas.

Setores: Destaque para o setor financeiro (+4% na semana), devolvendo parte das perdas do período anterior; a notícia positiva envolve a liberação para que grandes bancos voltem a distribuir dividendos e realizar recompras de ações avaliados em ~US$ 130bi. As restrições haviam sido estabelecidas pela autoridade monetária em 2020 para proteger a economia de um possível rombo de US$ 700bi de perdas com empréstimos. Enquanto isso, petrolíferas (+6,2%) continuam se beneficiando das perspectivas positivas de reabertura global, bem como do recém-anunciado acordo bipartidário do pacote trilionário de infraestrutura nos EUA.


Fed e seus próximos passos

1. O Federal Reserve adotou um discurso mais contracionista, surpreendendo os investidores.

Na semana passada, o Federal Reserve surpreendeu os mercados para o lado contracionista em sua reunião do meio do ano. A surpresa veio do gráfico de pontos e não da discussão sobre o processo de tapering. O comentário trouxe mudanças relevantes. Entre as mais importantes, o FOMC alterou o texto anterior: “A pandemia da COVID-19 está causando uma tremenda dificuldade humana e econômica nos EUA e no mundo” para argumentar que: “O progresso da vacinação deve continuar reduzindo os efeitos da crise de saúde pública na economia, mas os riscos para o cenário econômico permanecem“. Finalmente, o comentário, que em abril argumentava “com uma inflação que corria persistentemente abaixo da meta de longo-prazo” mudou para uma postura mais contracionista “com a inflação correndo persistentemente abaixo da meta de longo-prazo“.

2. O gráfico de pontos passou a sugerir uma alta de juros nos EUA antes do que era esperado.

Na terça-feira da semana passada, nosso Estrategista Global, Alberto Bernal, argumentou em sua prévia:

Acreditamos, no entanto, que é provável que os diretores do Federal Reserve deverão decidir à favor de mudar as suas expectativas sobre a data precisa em que iniciarão o processo de subida na taxa de juros, ou seja, a média dos “pontos” pode, de fato, prever uma iniciação do ciclo de alta ainda em 2023. Se 3 membros mudarem a sua visão, a mediana dos pontos irá prever um aumento no início de 2023. O crescimento robusto e persistente, e dados de inflação significativamente superiores ao esperado podem incrementar a visão cautelosa de membros mais centristas do comitê. Mantemos nossa aposta de que menos de 3 membros mudarão sua visão nesta reunião, mas estamos cientes de que este é um posicionamento aproximado“.

Estávamos errados em nossa previsão. Os “pontos”, na verdade, entregaram mudanças materiais. Especificamente, os pontos em março de 2021 mostravam que 4 membros esperavam uma subida nos juros em 2022 enquanto 7 deles esperavam em 2023. Já em junho de 2021, os pontos mostraram que 7 membros agora esperam o início do ciclo de alta em 2022, e 13 membros em 2023. Agora, apenas 5 integrantes prevêem que a taxa de juros do Federal Reserve permanecerá inalterada até o final de 2023; antes, estes eram 11.

O gráfico de pontos: Cada ponto azul representa um oficial do Federal Reserve.

Fonte: Federal Reserve SEP

3. O Fed revisou para cima as expectativas de inflação e do PIB americano.

Também argumentamos, na noite anterior à publicação da decisão, que o Sumário de Projeções Econômicas (SEP) traria, necessariamente, ajustes materiais nas previsões de inflação do Fed: “… com a mediana do PCE Núcleo provavelmente aumentando de 2,2% a.a. para 3% a.a. e com a leitura de 2022 subindo de 2% a.a. para 2,5% a.a.. Nós não esperamos que a mediana do PCE Núcleo de 2023 aumente, pois um incremento desta previsão seria mutualmente excludente em relação às características ‘transitórias’ do atual pico inflacionário.

Nossa previsão foi próxima disso: O SEP de junho agora prevê que o PCE Núcleo termine 2021 em 3% a.a., e 2022 em 2,1% a.a. Novamente, nós esperávamos a mediana de 2022 subindo para 2,5% em 2022. No entanto, o aspecto-chave – que dá suporte à tese de “natureza transitória” da inflação atual – foi o fato de que a mediana do PCE Núcleo em 2023 permaneceu estável em 2,1% a.a. Não menos importante, o SEP mostrou um aumento da expectativa de crescimento do PIB americano de 6,5% para 7% em 2021.

4. O calendário da redução do processo de compra de ativos deve ser divulgado em agosto.

Sobre o debate do tapering, acreditamos que a mensagem implícita do presidente Jerome Powell sugere que o calendário será entregue em agosto, na reunião de Jackson Hole. Como argumentamos anteriormente, acreditamos que a estratégia de aguardar até o mês de agosto é certeira, pois até lá o Fed terá mais dois meses de dados de inflação e de emprego para avaliar a economia.

Acreditamos que o calendário do processo de tapering trará uma redução mensal de US$ 10 bilhões no programa de compra de ativos até que este chegue a zero. Em termos de datas, mantemos nossa visão de que o Dia D para o início do processo de tapering será durante o 1º trimestre de 2022, no entanto, o risco de um início no 4º trimestre de 2021 (mais provavelmente em dezembro), aumentou significativamente. Também ajustamos as nossas estimativas para o início do ciclo de alta de juros para o 3º trimestre de 2023 (antes 1º trimestre de 2024). Ainda acreditamos que a taxa final ficará em 2% e não nos 2,5% sugeridos pelo atual gráfico de pontos.

Para investir no mercado global, a XP disponibiliza 1) BDRs e ETFs, que podem ser negociados no homebroker, 2) COEs focados no mercado internacional e 3) Fundos de investimento internacional.


Gostou do conteúdo? Deixe sua nota abaixo:

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º da Instrução CVM nº 598/2018. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.