Selic em alta: Qual cenário para os Fundos Imobiliários?

Como fica os fundos imobiliários nesse cenário?


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Semana passada o Copom anunciou a alta da taxa Selic em 1,50% p.p., atingindo 7,75% a.a. e sinalizou possíveis novos aumentos nas próximas reuniões. Com isso, os economistas da XP esperam a taxa Selic em 11,0% no final do ciclo de ajuste monetário, em março de 2022.

Adicionalmente, as últimas semanas foram dominadas pelo noticiário econômico e político. Nesse sentindo o cenário atual demonstra: (i) Inflação persistente; (ii) Instabilidade política; (iii) Aumento do risco fiscal.

Como fica os fundos imobiliários nesse cenário?

Nossa visão

  • Cenário demanda cautela, seletividade e diversificação;
  • Em momentos de incerteza no mercado, os fundos imobiliários demonstraram menor volatilidade;
  • Atualmente os fundos imobiliários precificam cenário conturbado;
  • Nossa preferência continua em fundos de recebíveis dado seu caráter defensivo;
  • Para investidores com perfil moderado/agressivo os fundos de tijolo são boas oportunidades de investimento no longo prazo.

1. Cenário demanda cautela. Seletividade é o nome do jogo

O cenário atual demanda cautela e cuidado por parte dos investidores. Não podemos negar que os acontecimentos recentes tornaram o cenário mais nebuloso para ativos de risco e se a taxa de juros permanecer elevada por um período estendido, isso trará efeitos negativos para economia e, por consequência, para o setor imobiliário.

Em momentos, onde os ânimos dos investidores estão mais elevados o investidor de longo prazo pode explorar boas oportunidades, investindo em ativos sólidos e resilientes cujo preços encontram-se em patamares deprimidos. Isso acontece pois em momentos de “newsflow” negativo, podem ocorrer exageros na precificação, por excesso de pessimismo.

O segredo nesse ambiente é a seletividade dos investimentos, priorizando fundos que detém ativos com elevado padrão construtivo e bem localizados e com equipe de gestão experiente com track-record sólido no setor imobiliário.

2. Em momentos de incerteza no mercado, os fundos imobiliários demonstraram menor volatilidade

Vale lembrar que apesar de classificados como renda variável, o nível de risco desses ativos é significativamente menor que o experimentado no mercado de ações.

Isso fica claro se olharmos a volatilidade do Índice Ibovespa em comparação com IFIX – Índice dos fundos imobiliários. Nos últimos 10 anos (Out/2011 até Out/2021) a volatilidade do IFIX foi em média o equivalente a 25% da volatilidade do Ibovespa.

Volatilidade: IFIX x IBOV

Do ponto de vista de performance, em momentos de maior incerteza no mercado, a classe apresentou queda menos acentuada se comparado com as ações.

Performance: IFIX x IBOV

3. Atualmente os fundos imobiliários precificam cenário conturbado

Ao comparar o dividend yield médio do IFIX, que está hoje em aproximadamente 9,85%, com juros reais de longo prazo (NTN-B com vencimentos longos, nesse caso NTNB 2035), o prêmio de risco ainda permanece em patamares saudáveis, em aproximadamente 4,6 p.p. (vs. média histórica de 2,8 p.p.).

Dividend Yield do IFIX vs. NTN-B 2035

Apesar do cenário macro desafiador, os Fundos Imobiliários continuam uma alternativa interessante para investidores que se interessam pelo mercado imobiliário e que buscam renda e valorização do seu patrimônio.

Dividend Yield do IFIX vs. Média Histórica

4. Nossa preferência continua em fundos de recebíveis dado seu caráter defensivo

Os fundos imobiliários de papel, assim como os demais, são ativos de renda variável, porém que investem, majoritariamente, em recebíveis imobiliários. Essa classe de fundos deve se beneficiar com a alta da Selic em cenário de inflação persistente. Isso acontece, pois esses fundos acompanham os indicadores macroeconômicos (CDI, IPCA, IGP-M).

Consideramos os fundos de papel uma excelente opção de investimento para quem deseja se proteger ou até mesmo se beneficiar de um cenário com inflação alta, uma vez que a maioria dos CRIs e das LCIs são emitidos com indexação à inflação. Com isso,  oferecem uma boa rentabilidade, diversificação e ainda desfrutam de isenção de Imposto de Renda para seus rendimentos, que são distribuídos mensalmente

Acesse nossa carteira recomenda

5. Para investidores com perfil moderado/agressivo alguns fundos de tijolo são boas alternativas de investimento no longo prazo

De fato, com a elevação na taxa de juros real de longo prazo, o ambiente de negócios, a demanda por imóveis, a busca por crédito e as transações do setor são prejudicadas. Adicionalmente, quanto maior for o nível de incerteza e instabilidade maior será o “prêmio de risco” dos ativos, incluindo os fundos imobiliários. O prêmio de risco é a remuneração “exigida” por parte dos investidores e está inversamente correlacionada com o preço, ou seja, quando os prêmios sobem os preços caem.

Nossa visão é que muito desse cenário está no “preço” e diversos ativos estão negociando substancialmente abaixo do preço do seu custo de reposição. O custo de reposição é o montante investido para se desenvolver um ativo, “do zero”. É a soma do custo de terreno, obra, licenças para adicional construtivo (ex. CEPAC).

Para investidores com perfil de risco moderado/agressivo orientados ao longo prazo, enxergamos algumas boas oportunidades no setor de logística e escritórios, com descontos significativos.

Assine o Expert Pass e tenha acesso à Carteira de Fundos Imobiliários na íntegra e saiba como ter uma renda recorrente com investimentos em imóveis e com liquidez.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.