Resumo Semanal de FIIs – 22/05

Saiba todos os acontecimentos da semana no universo de FIIs


Compartilhar:


Panorama da Semana

O IFIX fechou a semana em linha com a semana passada, com pequena alta de 0,2%, contra a alta de 2,4% do Ibovespa, o que mostra a menor volatilidade dos fundos imobiliários frente às ações.

No Brasil, o foco seguiu no âmbito político com a investigação sobre a possível tentativa de interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal e o clima conciliatório da reunião entre Jair Bolsonaro, Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e governadores, pedindo apoio ao veto dos reajustes salarias solicitado por Paulo Guedes.

No mercado imobiliário, essa semana foi marcada pela primeira grande transação do mercado imobiliário do Brasil após o início da pandemia. O fundo imobiliário BC Fund (BRCR11) assinou um acordo para a aquisição do Diamond Tower, localizado na capital paulista, pelo montante de R$810 milhões. Em nossa opinião, a aquisição foi positiva para o fundo dada a localização e qualidade do ativo. Para mais detalhes, acesse nosso relatório.

Radar de Mercado

MALL11 (link; link): O fundo anunciou, via fato relevante do dia 18/05, que o Shopping Park Sul reativou suas atividades, possibilitando o funcionamento de todas as lojas, exceto operações de lazer e entretenimento, com horário reduzido, das 12 horas às 20 horas. No entanto, um fato relevante divulgado no dia 20/05, anunciou que o Shopping voltou ao seu estado anterior dado o decreto da prefeitura municipal que determinou a suspensão da flexibilização das medidas de contingência

TRNT11 (link): O fundo recebeu uma notificação da Sky Serviços de Banda Larga (“locatária”) a intenção de rescindir todos os contratos de locação mantidos entre o fundo e a locatária, relativos aos 14º, 15º e 26º. A saída está prevista para o dia 08/09/2020. Com isso, a vacância projetada do imóvel passará a ser de 31,82% e impactará negativamente a receita do fundo em aproximadamente 11,6%, provocando um impacto negativo na distribuição de dividendos de R$0,11/cota.

FIIP11B (link): O fundo anunciou, via fato relevante, o inadimplemento de pagamento de aluguel referente ao mês de abril de uma locatária que representa 9% da receita imobiliária do fundo na janela de 12 meses e 11,9% da receita imobiliária do fundo na janela de um mês. O inadimplemento representa aproximadamente um impacto negativo de R$0,13/cota na distribuição de dividendos.

XPML11 (link): O fundo anunciou, via fato relevante, que não realizará distribuição mensal de dividendos referente ao mês de abril em razão da suspensão temporária das atividades dos shoppings em seu portfólio.

BPML11 (link): O fundo anunciou, via fato relevante, que não realizará distribuição mensal de dividendos referente ao mês de abril em razão da suspensão temporária das atividades dos shoppings em seu portfólio.

RBRD11 (link): O fundo anunciou, via fato relevante, que o fundo recebeu o valor de R$13 milhões em razão da execução das Cartas Fiança emitidas pelo Banco Bradesco referente ao imóvel localizado no município de Natal.

FIIP11B (link): O fundo anunciou, via fato relevante, que em razão da execução da Carta Fiança emitida pelo Banco Bradesco, o fundo recebeu o valor de R$11 milhões referente ao locatário Lojas Leader S.A

SPTW11 (link): Por meio do fato relevante, o fundo divulgou a formalização da negociação do imóvel “Belenzinho” em moldes similares àqueles utilizados para o imóvel “Badaró”. A locatária Atento pagará as parcelas dos aluguéis devidos nos meses de abril e maio de 2020 em valor equivalente à 50% do valor originalmente devido e para os 50% restantes, a Atento pagará nos meses de janeiro e fevereiro de 2021.

BBFI11B (link): O fundo foi citado para apresentar defesa em “Ação Renovatória de Locação Comercial” movida pelo Banco do Brasil, por meio do qual o locatário pleiteia a renovação parcial do contrato de locação com vencimento previsto para outubro de 2020.

MGFF11 (link): O fundo anunciou, via fato relevante, a alteração do cronograma de oferta pública em razão da antecipação dos feriados na cidade de São Paulo. Agora, o cotista possui o prazo de até 27 de maio para manifestar seu interesse do exercício do direito de subscrição. Para mais detalhes sobre o cronograma, acesse o fato relevante.

BRCR11 (link): O fundo anunciou o potencial aquisição do Diamond Tower pelo montante de R$810 milhões. Ainda, foi informado a convocação da assembleia para deliberar sobre sua 7ª emissão de cotas no montante de R$262 milhões. Para mais detalhes sobre a aquisição, acesse nosso relatório sobre a aquisição

XPPR11 (link): O fundo comunicou, via fato relevante, que recebeu da WeWork, ex-locatária do Ed. Corporate Evolution, os valores devido no âmbito dos instrumentos particulares de rescisão de contrato.

XPLG11 (link): O fundo anunciou que foi realizado ato do Administrador, aprovando, a 4ª emissão de cotas do fundo, no montante de R$500 milhões, correspondente a 4.573.311 novas cotas com preço unitário de R$109,33/cota (sem considerar a taxa de distribuição). A oferta será restrita e destinada a investidores profissionais nos termos CVM 476. Ainda, os recursos serão destinados para aquisição dos seguintes ativos imobiliários: 1) Imóvel Cajamar (4ª tranche); 2) Frações Ideiais Cajamar II (3ª tranche); 3) expansão do imóvel São José; 4) “Ativos Sudeste”

HGRU11 (link): O fundo anunciou, via fato relevante, a assinatura do compromisso de aquisição de um imóvel com destinação educacional localizado na cidade de São Paulo, no bairro da Vila Leopoldina, de área de 8.000m² de área de terreno e 23 mil m² de ABL pelo montante de R$81,4 milhões. O cap rate estimado da aquisição foi de 10,3%.

GGRC11 (link): O fundo comunicou, via fato relevante, o inadimplemento do valor do aluguel da locatária Covolan Indústria Têxtil referente ao mês de abril de 2020. O valor do aluguel mensal devido pela locatária representa aproximadamente 13% da receita imobiliária do fundo. Assim, é esperado uma queda de R$0,11/cota nos rendimentos a serem distribuídos pelo fundo.

FCFL11 (link): O fundo anunciou, a data limite para exercer o direito de preferência (10/06/2020) referente à 2ª emissão de cotas. O valor total da oferta é de R$13 milhões pelo valor unitário de R$98,5/cota (sem incluir os custos de distribuição).

Carteira Recomendada

Desempenho Semanal

Fonte: XP Investimentos, Economatica e Bloomberg
* Os fundos imobiliários em destaque se encontram restritos por recomendação do Compliance

Últimos Materiais Publicados

Quais são as perspectivas dos gestores de Fundos Imobiliários?| Maio 2020
Após a forte correção dos preços no primeiro trimestre de 2020, os gestores apresentaram expectativas mais cautelosas para os fundos imobiliários em comparação às respostas do começo do ano, mas ligeiramente mais otimistas comparado à pesquisa de fevereiro. Atualmente, 32% dos gestores acreditam em uma alta do IFIX em relação aos patamares de 2019 (vs. 20% no mês passado).

Diante das incertezas dos impactos econômicos do COVID-19, não há um consenso claro entre os gestores quanto ao tempo de recuperação dos preços das cotas, assim que a crise seja superada. 41% dos gestores acreditam em uma recuperação rápida de menos 1 ano, enquanto outros 55% acreditam que a recuperação virá entre 1 à 2 anos.

Em relação a maior tendência de adoção do home office pelas empresas, a maioria dos gestores acredita que não haverá grandes impactos na locação de lajes corporativas devido ao maior uso do trabalho remoto pelas companhias, principalmente para os empreendimentos localizados nas principais áreas comerciais.

Carteira Recomendada de FIIs | Maio de 2020
Enquanto março foi um mês de grandes perdas no mercado de fundos imobiliários com o IFIX acumulando perdas de -16%, o mês de abril ensaiou uma pequena recuperação (+4% em abril). Para o próximos meses, não descartamos a possibilidade do mercado continuar volátil, dependendo das discussões sobre o controle do contágio e das discussões acerca da retomada das atividades consideradas não-essenciais.

Em razão das incertezas e aversão ao risco no curto prazo, continuamos com baixa exposição ao segmento de shopping centers e alta alocação em papéis mais defensivos. Desse modo, a distribuição segue recebíveis (37,5%), Logística (30,0%), Híbridos (10,0%), Shoppings (10,0%), Lajes Corporativas (7,5%) e Fundo de Fundos (5,0%).

Sobre as mudanças da carteira, retiramos o fundo CSHG Logística (HGLG11) substituindo-o pelo fundo CSHG Renda Urbana (HGRU11). Para mais detalhes sobre a carteira recomendada, acesse o link

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM