Global Brands e Global Opportunity: por que você deveria investir nesses fundos do Morgan Stanley

Há mais de um ano começamos a adicionar fundos internacionais em nossas carteiras recomendadas e consequentemente na família DNA. Nossa principal recomendação para a alocação em renda variável são os fundos que geraram um retorno excedente ao seu índice de referência e possuem equipes altamente qualificadas e experientes. Confira abaixo.


Compartilhar:


Há mais de um ano começamos a adicionar fundos internacionais em nossas carteiras recomendadas. Hoje essas posições oscilam entre 5% no perfil de menor risco, o cauteloso, até 37% dentro do destemido, perfil de maior risco. Se formos considerar apenas renda variável global, foco deste artigo, os percentuais recomendados atualmente vão desde 3% para a carteira defensiva a 27% (equivalente a 37% considerando que temos 10% alocado no Trend Bolsa Americana Alavancado, o que corresponde, aproximadamente, a uma exposição de 20% no Trend Bolsa Americana). Mas por que incluímos renda variável global nas carteiras?

Exposição a setores que estão pouco representados no Brasil

Quando comparamos o principal índice da bolsa brasileira, o Ibovespa, ao principal índice das bolsa globais, o MSCI All Countries World Index (MSCI ACWI), fica clara a desproporção entre o setores em ambos os índices.

Enquanto os setores mais associados à economia “antiga” estão no último quartil do MSCI AWI, Consumo Não Discricionário, Materiais Básicos e Energia, no Ibovespa estão no primeiro.

O setor cujo peso é maior no MSCI é o de Tecnologia da Informação (21,73%), enquanto esse mesmo setor é o penúltimo colocado (1,02%) no Ibovespa. Importante ressaltar que este foi o maior responsável pela alta do índice global no ano, dado que as empresas que se fortaleceram durante a pandemia estão exatamente nesse conjunto.

As dez principais ações do MSCI, por exemplo, são empresas cuja concorrência no Brasil é praticamente inexistente ou são concorrentes pouco significativos. Logo, se queremos ser sócios das maiores empresas do mundo, necessariamente precisamos investir fora do Brasil.

Pouca correlação entre os retornos

Um dos princípios fundamentais para entender se investindo em dois ou mais ativos diferentes realmente estamos diversificando, é analisar a correlação entre os mesmos. No caso, há uma excelente diversificação – baixa correlação – não só entre o Ibovespa o MSCI em reais ou em dólares, mas também entre as duas versões do MSCI, com e sem exposição cambial. Isto demonstra o peso da oscilação da moeda.

Ao analisarmos um período um pouco acima de 10 anos, podemos visualizar as dispersões dos retornos não só entre os três índices mas entre nossas carteiras recomendadas para a parcela de renda variável (considerando que desde o início de 2010 as carteiras fossem apenas de renda variável, com as proporções atuais entre renda variável brasileira, global e global com exposição à oscilações do dólar estivessem com os mesmos percentuais atuais).

Um dado interessante ao observarmos os anos com retornos negativos: no Ibovespa tivemos 5 casos, no MSCI ACWI são 3 enquanto no MSCI ACWI Dólar apenas um caso. Já nas carteiras cuja exposição à bolsa brasileira é maior que americana, no caso do perfil estrategista e energético, dada a diversificação, apenas em 2011 a performance foi negativa. No caso da carteira destemida esse número sobe para três vezes, o que ainda é bastante interessante uma vez que que esse perfil tem como objetivo ter retornos superiores ao Ibovespa.

Retornos esperados atrativos

Como bem sabemos, rentabilidade passada não representa garantia de retornos futuros, logo para incluirmos, aumentarmos ou diminuirmos qualquer posição dentro de nossas carteiras recomendadas e consequentemente dentro dos fundos da família DNA, estimamos o retorno esperado de cada uma das classes de ativos para os próximos 5 anos.

Pela primeira vez publicamos separadamente em nosso relatório mensal 5 anos em 5 minutos os retornos projetados para renda variável global tanto em dólar – ou seja considerando a oscilação do preço do MSCI All Countries World Index (MSCI ACWI) e também a oscilação do real frente ao dólar – quanto hedgeado, ou seja considerando a

valorização do MSCI ACWI sem influência do comportamento do câmbio. No caso do primeiro, o retorno esperado no cenário base é 2,8% ao ano e no segundo 8,3% ao ano.

Conheça todas as recomendações no Onde Investir

À primeira vista, pode parecer que deveríamos ter apenas posições com hedge, no entanto no cenário pessimista o retorno de renda variável em dólar sobe para 8,8% ao ano, uma vez que nesse contexto haveria uma deterioração elevada do real dada uma piora de questões isoladas do Brasil, como as questões fiscais. Como para nós não só é importante uma boa performance das classes isoladas e sim da carteira como um todo a posição em dólar seria uma importante defesa.

Mas qual a melhor forma de investir em Renda Variável Global atualmente?

Mas qual a melhor forma de investir em Renda Variável Global atualmente? Nossa recomendação é uma combinação dos fundos Morgan Stanley Global Opportunity Dolar Advisory FIC FIA IE e Morgan Stanley Global Brands Advisory FIC FIA IE (que pode ser com exposição cambial ou não, dado o percentual da carteira recomendada para a moeda). Ao selecionar ambos fundos você não precisará se preocupar não só em selecionar as melhores ações, mas também em selecionar quais os países investir. As principias razões específicas para ambos os fundos estão listadas abaixo:

Qualidade da asset e dos gestores

A gestora faz parte do conglomerado Morgan Stanley, uma das maiores instituições financeiras do mundo, criada em 1932 e presente em 41 países. Atualmente possui 665 bilhões de dólares sob gestão, sendo 168 bilhões de dólares em gestão ativa de renda variável. Apesar de ambos fundos serem de renda variável, eles possuem equipes de gestão diferentes e com objetivos diferentes.

Os dois gestores possuem mais de 20 anos de mercado e contam com equipes também muito experientes e robustas.

Retornos consistentes acima dos índices de referência

O MSCI World possui exposição a 23 países desenvolvidos¹, enquanto o MSCI ACWI possui essa mesma relação de países desenvolvidos somada a exposição de 26 países emergentes². Abaixo o retorno de cada um dos fundos em relação ao seu respectivo índice de referência:

Apesar dos fundos no Brasil terem pouco tempo, eles replicam exatamente a mesma estratégia – compram cotas – dos fundos negociados no exterior, cujo retorno está ilustrados no gráfico. Desta forma conseguimos demostrar o retorno mais longo e a geração de alpha dos fundos, ou seja o retorno acima do benchmark (índice de referência).

No caso do Global Opportunity se destaca não só a diferença muito significativa em relação ao retorno, mas também apresenta uma relação risco x retorno, também conhecida como information ratio, muito elevada (1,10 desde o início até 31/08). Já o Global Brands, tem uma geração de alpha menor, mas também apresenta uma volatilidade anualizada, desde seu início, inferior ao MSCI World (14,0% x 15,5%).

Carteira atual dos fundos

Ambos os gestores tem como base a análise fundamentalista, o foco do Morgan Stanley Global Opportunity Dolar Advisory FIC FIA IE são empresas de alta qualidade com vantagens competitivas sustentáveis, enquanto o Morgan Stanley Global Brands Advisory FIC FIA IE busca empresas com ativos intangíveis valiosos, com poder de precificação e que possuam eficiência de capital.

Enquanto os índices são pulverizados – o MSCI World é composto por 1.061 ações e o MSCI ACWI por 2,984 – os fundos são bem concentrados, normalmente possuindo entre 20 e 40 papeis, sendo suas top 10 posições mais da metade do patrimônio de cada um:

Assim como seus respectivos índices de referência, o fundo Morgan Stanley Global Brands Advisory FIC FIA IE possui ações de empresas listadas em países desenvolvidos enquanto o Morgan Stanley Global Opportunity Dolar Advisory FIC FIA IE também possui exposições à países em desenvolvimento, com destaque para China (14,60%), resultando em uma diversificação geográfica importante para as carteiras recomendadas.

Abra sua conta na XP Investimentos e conte com o nosso time especializado de assessores.

1 Austrália, Áustria, Bélgica, Canadá, Dinamarca, Finlândia, França, Alemanha, Hong Kong, Irlanda, Israel, Itália, Japão, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Portugal, Cingapura, Espanha, Suécia, Suíça, Reino Unido e Estados Unidos. ²Argentina, Brasil, Chile, China, Colômbia, República Tcheca, Egito, Grécia, Hungria, Índia, Indonésia, Coreia, Malásia, México, Paquistão, Peru, Filipinas, Polônia, Catar, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Taiwan, Tailândia, Turquia e Emirados Árabes Unidos.

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com os nossos Termos de Uso e Política de Privacidade.