Sinais recentes do mercado de trabalho

O agravamento da pandemia pesou sobre os dados do mercado de trabalho em março e abril, mas há expectativa de recuperação nos próximos meses.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

As duas principais pesquisas sobre o mercado de trabalho brasileiro – PNAD Contínua e CAGED – foram destaques da agenda econômica nesta semana.

Publicada na última quinta-feira (27/05), a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do IBGE apresentou taxa de desemprego de 14,7% no 1º trimestre de 2021, resultado em linha com nossa expectativa. Excluídas as influências da sazonalidade, entretanto, calculamos ligeiro recuo da taxa de desocupação, de 14,1% no trimestre móvel encerrado em fevereiro para 14,0% no trimestre findo em março. As estatísticas oficiais da PNAD são divulgadas com base em médias trimestrais.

Por isso, adotamos técnicas para “mensalizar” as séries de dados da PNAD, o que geralmente traz informações mais apuradas sobre a variabilidade de curto prazo dos indicadores de emprego e renda. Com base em nossas estimativas mensais, a taxa de desemprego brasileira subiu de 14,1% em fevereiro para 14,4% em março, após ajuste sazonal. Conforme esperado, as categorias de emprego informal acompanhadas pela PNAD registraram perdas adicionais em março, como reflexo do aperto das medidas de distanciamento social adotadas para enfrentamento à pandemia – segundo nossas contas, o total de ocupações sem carteira assinada contraiu cerca de 2% entre fevereiro e março. Em linhas gerais, a população ocupada brasileira segue em patamares muito aquém dos registrados no período anterior à pandemia (8% abaixo, segundo nossos cálculos).

Em relação aos dados de população empregada por setor, observamos desempenhos heterogêneos em março. Pelo lado positivo, destacamos o aumento da mão de obra na Agropecuária, como reflexo de safras agrícolas recordes e maior demanda internacional por commodities. Por outro lado, o setor de Alojamento e Alimentação mostrou redução do número de empregados, pois depende bastante da circulação de pessoas e foi impactado pelas restrições mais rígidas de mobilidade em março.   

Dado o grande contingente de pessoas desocupadas, os salários médios da economia permanecem em níveis deprimidos (de acordo com nossas estimativas, os rendimentos estão, em média, 1,5% abaixo dos patamares vistos no começo de 2020). Já a massa agregada de salários, que combina salário médio com população empregada, encontra-se cerca de 9% abaixo dos números observados antes da deflagração da crise sanitária. Vale mencionar, contudo, que os rendimentos médios cresceram entre fevereiro e março.

Apesar dos resultados fracos da última PNAD, acreditamos que os principais indicadores do mercado de trabalho irão melhorar (de forma gradual) nos próximos meses. Tal expectativa parte da premissa básica de que o processo de reabertura econômica não sofrerá revezes significativos no curto prazo. E isso tem relação direta com os necessários avanços na campanha nacional de imunização contra a Covid-19.

Além da reabertura da economia, que impacta sobretudo os serviços prestados às famílias (intensivos em mão de obra), a reedição do programa governamental BEm – Benefício Emergencial para Preservação do Emprego e da Renda – também deverá contribuir para a melhoria das variáveis de emprego. De acordo com o Ministério da Economia, a nova rodada do BEm atingirá mais de 4 milhões de trabalhadores em 2021.

A propósito, o programa BEm parece ter sido importante para a resiliência do mercado de trabalho formal indicada pelos dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregos e Desempregados). Embora tal pesquisa tenha apresentado, na última quarta-feira (26/05), uma desaceleração no ritmo de criação líquida de vagas com carteira assinada (de 185 mil em março para 100 mil em abril), o quadro geral continuou relativamente favorável. No acumulado entre janeiro e abril, e já considerando os efeitos de sazonalidade, o saldo de empregos formais chegou a 750 mil. Com base nos dados desagregados, todos os principais setores produtivos exibiram, pelo décimo mês consecutivo, geração líquida de postos com carteira assinada, ainda que a um ritmo mais moderado.

Projetamos criação líquida de 1,75 milhão de ocupações com carteira assinada em 2021. Os empregos informais também devem exibir recuperação no segundo semestre, em linha com o aumento da mobilidade, mas a “normalização completa” tende a ocorrer em 2022.

Portanto, acreditamos que a taxa de desemprego encerrará 2021 em 13,4% (de 14,7% em 2020), após ajuste sazonal. Para o final de 2022, vemos a taxa de desocupação atingindo 11,8%.  

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.