XP Expert

Primeiras impressões sobre a política de saque do FGTS e PIS/Pasep

De forma resumida, vemos o anúncio como uma boa notícia para o crescimento de curto prazo, mas não esperamos que a medida promova mudanças drásticas no quadro econômico. Ainda vemos uma recuperação lenta à frente. Para as empresas, vemos o setor de varejo como um dos mais beneficiados e nossas principais recomendações são Renner e B2W.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Colaboração: Mariana Vergueiro e Luis Gandolfi (setor varejo)

Sumário Executivo

  • O governo anunciará nesta semana uma regra que permite a retirada de recursos das contas do FGTS e do PIS/Pasep.
  • Maiores detalhes serão divulgados em breve, mas os valores liberados podem chegar a 0,9% do PIB.
  • A notícia é positiva uma vez que este choque de liquidez sustentará o consumo de curto prazo.
  • O endividamento das famílias deverá diminuir, mas não está claro se a medida será suficiente para reverter a tendência de alta recente.
  • Cálculos preliminares mostram que o crescimento real do PIB pode aumentar em cerca de 0,3 pontos percentuais entre 2019 e 2020.
  • Vemos o setor de varejo como um dos mais beneficiados. Nossas principais recomendações são Renner e B2W.
  • De forma resumida, vemos o anúncio como uma boa notícia para o crescimento de curto prazo, mas não esperamos que a medida promova mudanças drásticas no quadro econômico. Ainda vemos uma recuperação lenta à frente.

O que se sabe por enquanto

Os principais jornais do Brasil informaram hoje que o governo anunciará nesta semana uma regra que permite a retirada dos recursos das contas do FGTS e do PIS/Pasep.

Essa medida tem como objetivo principal recuperar a convalescida atividade econômica e, segundo o governo, o montante máximo de recursos disponível será de R$ 63 bilhões, embora alguns jornais tenham levantado algumas incertezas sobre esse valor (entre R$ 42 e 63 bilhões). Além disso, espera-se que os recursos sejam liberados de forma escalonada: quem ganhar até R$ 5,000 pode sacar 35% dos recursos, quem ganhar até R$ 10,000 poderá sacar 30% e quem ganhar R$ 50,000 e acima pode retirar 10%. Outras faixas de renda e seus percentuais ainda estão sendo analisados.

Essa medida é similar em natureza e tamanho à anunciada em dezembro de 2016 e colocada em prática em março de 2017 pela administração do presidente Temer. O cronograma de retirada baseou-se na data de nascimento dos indivíduos e um total de R$ 44,3 bilhões das contas inativas do FGTS foi totalmente liberado entre março e agosto de 2017.

Como o anúncio oficial ainda não foi feito, não está claro quando os fundos ficarão disponíveis para os indivíduos e qual será o cronograma de retirada. Se seguir o padrão de retirada observado em 2017, a maior parte dos fundos (aprox. 87%) poderá ser retirada nos quatro meses (T4) após o primeiro mês (T1) dos saques. O gráfico abaixo ilustra isso:

Principais diferenças entre as políticas de 2017 e 2019

Nós vemos três diferenças principais entre as duas medidas.

Em primeiro lugar, o montante esperado de recursos que podem ser liberados agora é maior que o de 2017. Naquele ano, as retiradas atingiram 0,7% do PIB, enquanto agora espera-se que chegue a um valor máximo de 0,9%. Existem incertezas em relação ao valor total, mas o menor valor considerado até o momento é comparável ao de 2017.

Em segundo lugar, as condições financeiras são ligeiramente mais apertadas porque o endividamento das famílias é um pouco maior do que era em 2017. Atualmente, o nível de endividamento das famílias atingiu 43,6% da massa salarial, enquanto em dezembro de 2016 (quando a primeira medida foi anunciada) o endividamento era de 42,4% (1,2 pontos percentuais abaixo) – conforme tabela abaixo.

A dívida de outros créditos (exceto financiamento imobiliário) tem impulsionado a dívida total e é provável que os atrasos verificados nas dívidas de financiamento imobiliário estejam de alguma forma relacionados a esse aumento. Por essa razão, combinada ao desempenho fraco do mercado de trabalho do Brasil, acreditamos que os agentes estarão menos propensos a alocar os fundos do FGTS e do PIS/Pasep em entradas para novos empréstimos (imobiliário e automóvel). Em outras palavras, é mais provável que a maior parte dos fundos seja alocada em pagamentos de redução da dívida (cartão de crédito, cheque especial e outros). Assim, acreditamos que essa nova alocação de recursos pode ser mais favorável ao crescimento do crédito no curto prazo, uma vez que abrirá mais margem de crédito relacionadas ao consumo.

Por fim, enquanto a medida de 2017 focou nas contas inativas do FGTS, a nova medida considera também as contas ativas. Assim, não está claro o potencial desse efeito, já que parte desses recursos pode ser revertida em poupança privada.

O que esperar nos níveis macro e micro?

O desafio em estimar o impacto dessa medida é duplo: i) falta de detalhes e ii) falta de informação quanto à composição da remuneração dos trabalhadores e a composição das contas do FGTS. Cálculos preliminares sugerem que a taxa de crescimento do PIB real entre 2019 e 2020 pode aumentar em torno de 0,30 ponto percentual com a medida. A lógica por trás dos exercícios é que parte dos fundos é diretamente traduzida em consumo privado, enquanto a parte restante se transforma em maior margem de crédito (que se traduz, por sua vez, em consumo futuro). Há também efeitos positivos defasados que são ​​difíceis de serem medidos.

Para as empresas, vemos o setor de varejo como um dos mais beneficiados por este anúncio. Conforme destacado no gráfico abaixo, o crescimento de vendas para o setor acelerou ao longo de 2017 e atingiu +7,0% (contra +0,8% no ano anterior). Embora a melhora no ambiente macroeconômico e a base de comparação mais fácil também tenham contribuído para esse desempenho, acreditamos que essa aceleração esteja de certa forma relacionada ao saque das contas do FGTS durante o governo de Temer.

Além disso, destacamos que a maioria das ações de varejo da nossa cobertura tiveram desempenho acima do Índice Ibovespa naquele ano, especialmente as relacionados a consumo discricionário, como o Magazine Luiza, a Via Varejo e a B2W.

Nossa preferência no setor é pelas ações da Renner (LREN3) e B2W (BTOW3) ambas com recomendação de Compra e preços-alvo de R$53/ação e R$41/ação, respectivamente, para final de 2019. Para mais detalhes acesse nosso relatório.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.