Geadas e aceleração nos preços de serviços podem elevar inflação acima de 7% no ano

Nossa projeção de IPCA do ano é de 6,7%, porém onda de frio ameaça plantações e pode aumentar preços de alimentos no curto prazo. Além disso, reabertura da economia vai permitir que serviços tenham seus preços reajustados e a demanda aquecida pode permitir que subam mais rápido que o projetado já esse ano.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

No início do mês de julho e no dia 20 desse mesmo mês, as geadas em várias cidades das regiões sul e sudeste tiveram consequências ruins no campo e os preços ficaram mais altos lá por isso. Dessa forma, elevamos nossas projeções de inflação de alimentação no domicílio para o mês. Mas essa semana uma nova onda de frio intenso está ameaçando de novo as plantações e o bolso dos consumidores.

As culturas mais impactadas com a queda na temperatura são o café, as hortaliças e as frutas. Com diminuição da oferta, os preços tendem a subir e esse repasse costuma ser rápido. Apesar de já ter incorporado parcialmente esse impacto, a geada dessa semana pode se traduzir em inflação ainda mais alta no curto prazo. Estimamos que isso pode significar alta de 0,10 ponto percentual (p.p.) na nossa projeção de inflação do ano, já em 6,7%.

O frio intenso só veio agravar um cenário já desafiador para o agricultor no ano. Esse ano, a estiagem severa impactou fortemente preços de grãos, como soja e milho, cana de açúcar, café e cítricos. Além disso, as proteínas animais também têm os preços altos. No caso da carne bovina, essa alta segue sustentada pelas exportações brasileiras de carne para China num cenário de escassez de animais prontos para abate. E a falta de chuvas fez com que o confinamento do gado aumentasse, gerando mais custos aos produtores.

E a carne de frango, substituto do boi, também subiu bastante nos últimos meses e deve continuar trajetória de alta no segundo semestre do ano, dado que os custos de produção tiveram alta de 52% e a demanda segue alta.

Diante disso, nosso cenário com alta de 7,3% nos preços de alimentos consumidos em casa medidos pelo IPCA tem risco de alta.

Mas a falta de chuvas não impacta só os preços à mesa não. A estiagem levou o nível dos reservatórios as suas mínimas históricas, muito próximo aos valores observados em 2001 (ano do apagão) e 2014/2015, período da crise hídrica em São Paulo. A consequência disso pode ser vista nas contas de luz, que devem ficar 15% mais caras esse ano.  Isso porque, além de acionar a bandeira tarifária vermelha patamar 2 (nível mais alto do sistema tarifário) para custear o uso de termelétricas, a Aneel precisou também reajustar em 52% a taxa extra cobra com a bandeira. Mas o reajuste não será suficiente e incorporamos no nosso cenário base reajuste adicional na bandeira, próximo a 20%, com impacto nas contas de setembro (+0,12 p.p.).

Energia elétrica mais cara, significa custos mais elevados na economia, especialmente no setor industrial, que usa a energia muitas vezes como um dos principais insumos. Projetamos elevação dos preços de bens industriais de 7,3%, sendo que até junho de 2021 o grupo já registrou alta de 4,9%. Grande parte da alta já observada até aqui foi efeito das altas de commodities metálicas, depreciação do cambio e normalização na cadeia de suprimentos, bastante afetada durante o início da pandemia.

Do lado da demanda, a reabertura da economia já pode ser vista na aceleração dos preços de serviços ligados à atividade, em linha com a expectativa de normalização na cesta de consumo do brasileiro, que durante o período mais agudo da pandemia ficou desbalanceada, com maior consumo de bens industriais e alimentos em detrimento dos serviços. Nosso cenário já considera essa aceleração do grupo no segundo semestre, mas um cenário de estresse indica risco de até 0,20 p.p. na projeção do IPCA.

Em 2021, projeção de IPCA em 6,7% tem riscos assimétricos para cima. Com geadas e reabertura da economia no radar, inflação pode ficar acima de 7% no ano.

Para 2022, algumas hipóteses são importantes para assegurar cenário de IPCA em 3,6%. Projetamos câmbio em 4,9 reais por dólar este ano e ano que vem, diante da melhora do cenário fiscal e da elevação adicional da taxa de juros (esta variável é endógena ao modelo). Esperamos também que as commodities (medida aqui pelo índice CRB) recuam 10% gradualmente até o final de 2022.

Com isso, nossa projeção para preços livres no próximo ano é de 3,5%, sendo elevação de 4,0% em alimentação no domicílio, 2,3% de bens industriais e 4,0% de serviços. O arrefecimento dos preços de alimentos e industrializados estão ancorados na expectativa de normalização das condições climáticas, câmbio em torno de R$ 4,90/US$ e queda no preço internacional das commodities agrícolas e metálicas. Já para grupo de serviços, cuja influência inercial é maior, a atividade econômica ainda ociosa deve limitar a alta de preços.

Para bens administrados, nossa projeção aponta variação de 4,0%, e considera bandeira tarifária amarela em dezembro de 2022. Em caso de bandeira vermelha patamar 1, projeção para IPCA do ano pode ficar 0,2 p.p. mais alta, ou seja, em torno de 3,8%.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.