XP Expert

Zeina Latif: Erros de medição atrapalham

Poucas vezes a atividade econômica no curto prazo foi tão relevante. O setor produtivo anseia pela volta da normalidade e o governo e seus aliados estão ansiosos para colher os frutos do ajuste na política econômica.Enquanto isso, o Banco Central avalia a calibragem da política monetária. O PIB mensal calculado pelo BC a partir de […]

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Poucas vezes a atividade econômica no curto prazo foi tão relevante. O setor produtivo anseia pela volta da normalidade e o governo e seus aliados estão ansiosos para colher os frutos do ajuste na política econômica.Enquanto isso, o Banco Central avalia a calibragem da política monetária.

O PIB mensal calculado pelo BC a partir de pesquisas do IBGE mostra uma inflexão da atividade no primeiro trimestre. No entanto, o resultado não reflete adequadamente a realidade da economia. Do crescimento de 1,1% em relação ao quarto trimestre de 2016 (descontada a sazonalidade), não é possível discriminar entre o efetivo comportamento da economia e o impacto das mudanças nas pesquisas de faturamento de serviços e comércio decorrentes do aumento do número de empresas consultadas. O IBGE acerta na iniciativa, mas erra ao não ajustar a série histórica. Os dados de 2017 e 2016 não são satisfatoriamente comparáveis.

As novas séries foram iniciadas em janeiro de 2017, produzindo uma elevação de patamar naquele mês. Na divulgação inicial, o comércio varejista e os serviços haviam recuado 0,2% e 2,2% em janeiro em relação a dezembro. Nas séries revisadas os valores saltaram para crescimento de 3,1% e 0,2%, respectivamente.

Caso mantivéssemos os valores originais de janeiro, mês da transição, encadeando em seguida as variações de fevereiro e março pela nova pesquisa, teríamos uma variação de +0,1% e -2,2% no trimestre, e não os +3,4% e +0,2% reportados para comércio e serviços, respectivamente. Assim, a variação do PIB mensal do BC teria ficado no campo negativo no período, o que pode ser mais compatível com outros indicadores da economia.

A indústria, primeiro setor a sentir a crise e a dar sinais de estabilização (desde o final de 2015), ainda não aponta para uma retomada. O crescimento de 0,7% no primeiro trimestre refere-se provavelmente a oscilações de curto prazo e não a uma retomada. As sondagens no setor sugerem que o resultado foi influenciado por aumento de estoques, gerando um descompasso entre a produção e o fraco consumo. Em linha com essa leitura, o investimento seguiu fraco, com tendência de contração.

Outro dado é que os consumidores continuam reduzindo seu endividamento, em um contexto de crédito restrito e níveis recordes do medo de perder emprego, o que não condiz com o aumento expressivo nas vendas do varejo apontado.

Não havia no primeiro trimestre motor para a retomada, exceto pela contribuição da safra agrícola recorde, que deverá contribuir para uma leitura positiva do PIB oficial calculado pelo IBGE. O quadro econômico no primeiro trimestre ainda refletiu as condições monetárias bastante apertadas do segundo semestre do ano passado, tendo em vista o efeito defasado da política monetária. Além disso, um importante canal da política monetária, o mercado de crédito, ainda não estabilizou, com inadimplência em alta e concessões de crédito com tendência de queda.

Assim, pelos modelos de projeção, a demanda do setor privado no primeiro trimestre teria recuado, ainda que em ritmo mais moderado por conta da melhora da confiança de consumidores e empresários.

O aumento da confiança pode ser reflexo de elementos concretos, como a queda da inflação e da taxa de juros. Assim, enquanto no ano passado a recuperação dos indicadores de confiança era muito concentrada na sua componente de Expectativas, hoje a componente de Situação Atual ganha tração. O quadro agora é mais sólido. Uma possível consequência da recuperação da confiança são os sinais crescentes na direção da estabilização no mercado de trabalho. Empresários mais confiantes seguram demissões, a despeito de condições econômicas ainda frágeis.

O paciente saiu do coma. Como não há instrumentos precisos para verificar seus sinais vitais, não é possível avaliar se o quadro está estável ou se já há recuperação. Pela aparência geral, a medicação está correta e conseguiu estabilizar o paciente. Uma melhora efetiva provavelmente ainda não veio.

18 de Maio de 2017

Fonte: Artigo replicado do Estadão

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.