XP Expert

Ata do Copom: início do ciclo depende da evolução do cenário

Copom deve iniciar ciclo gradual de alta da Selic em maio.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Resumo

  • O Banco Central divulgou nesta manhã a ata de sua última reunião do Copom. No documento, o Copom discute se é o momento adequado para iniciar a redução dos estímulos monetários extraordinários. Mas conclui que, diante das incertezas particularmente elevadas, é adequado esperar a evolução do cenário neste início de ano.  
  • Entendemos que o documento é consistente com nosso cenário de início de ciclo de alta de juros em maio, em particular pela desaceleração econômica esperada para o primeiro trimestre e perspectiva do quadro fiscal inalterado.
  • Se houver uma sinalização política na direção de mais gastos fiscais neste ano ou se os resultados da economia surpreenderem positivamente no curto prazo, o Copom pode optar por iniciar o ciclo já em março.
  • Não obstante ao tema, ainda nesta manhã o IBGE também divulgou o IPCA-15 de janeiro, que apresentou alta de 0,78%, levemente abaixo tanto das nossas expectativas quanto do consenso de mercado. Os núcleos, no entanto, continuam acelerando e reforçando o cenário que projetamos para as próximas decisões de política monetária.

Conjuntura econômica e balanço de riscos

No cenário externo, o Copom menciona os “novos estímulos fiscais em alguns países desenvolvidos” e a “implementação dos programas de imunização contra a Covid-19” como fatores para reduzir o efeito da segunda onda de contaminação sobre a economia. E reforça que a política monetária global deve seguir expansionista. Assim, conclui que o ambiente externo segue favorável para economias emergentes.

No Brasil, apesar de mencionar que os dados do final do ano passado surpreenderam positivamente, lembra que estes “não contemplam os possíveis efeitos do recente aumento no número de casos de Covid-19” neste início de ano. Desta forma, o cenário segue com elevado grau de incerteza, especialmente para o primeiro trimestre.

Sobre a inflação corrente, mantém o diagnóstico de que o choque atual é temporário, embora reconheça a pressão adicional da alta recente dos preços das commodities internacionais.

Em suma, mantém inalterado (frente à ata passada) seu balanço de riscos para a inflação, com alta ociosidade por um lado e riscos fiscais por outro.

Fim do Forward Guidance e próximos passos da Política Monetária

A ata trouxe mais detalhes sobre a decisão de retirada do Forward Guidance. Segundo o documento, o Copom considerou que uma das condições da ferramenta deixou de ser satisfeita, qual seja, as expectativas de inflação estão suficientemente próximas da meta de inflação para o horizonte relevante de política monetária.

Sobre os próximos passos, o documento revela que alguns membros do Copom já questionam se a melhora recente da economia já não justificaria o início de um processo de ajuste. Para estes, o mercado de trabalho aponta para uma recuperação mais rápida que a previamente estimada. Ao nosso ver, isso não significa necessariamente que já queriam subir juros na reunião referida de janeiro, mas sinaliza claramente que eles entendem que o início do ciclo de alta de juros pode estar próximo.

Entendemos que o cenário fiscal e a possibilidade de extensão dos auxílios emergenciais são variáveis chave para as próximas decisões do Copom, por conta da elevação dos prêmios de risco sobre a economia brasileira. De fato, ao falar de suas projeções de inflação, o Copom pondera que “os riscos fiscais geram um viés de alta nessas projeções, potencialmente justificando trajetória com elevação dos juros”.

Como as incertezas acerca do quadro fiscal – e sobre o ritmo da atividade econômica – seguem elevadas, a ata conclui que “os benefícios de se aguardar essas divulgações para decidir os próximos passos da política monetária se sobrepõem aos custos.

Entendemos que a ata de hoje é consistente com nosso cenário de que o Copom quer ganhar tempo para ter mais certeza sobre o momento e o ritmo de redução dos estímulos monetários, condicionada às expectativas de inflação ainda ancoradas. Em nosso cenário base, o quadro fiscal não se altera nos próximos meses e a economia desacelera neste início de ano. Além disso, a ociosidade no mercado de trabalho seguirá elevada ao longo de todo o ano de 2021.

Neste cenário, as projeções de inflação para 2022 devem seguir alinhadas com as metas, de forma que o Copom aguardará até maio para iniciar o ciclo de ata de juros.

Contudo, se houver uma sinalização política na direção de uma pressão de gastos neste ano ou se os resultados da atividade econômica surpreenderem positivamente no curto prazo, o Copom pode optar por iniciar o ciclo já em março.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º na Resolução CVM 20/2021. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.