AmBev (ABEV3): resultados sólidos no 4º trimestre favorecidos por R$ 4,3bi de créditos tributários

Cerveja Brasil cresceu 12% A/A em volume, acima das expectativas; reiteramos Compra com preço-alvo de R$ 17,15


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

A AmBev divulgou resultados sólidos no 4o trimestre de 2020 com EBITDA ajustado de R$ 8.937 milhões, aumento em parte devido ao aumento no volume vendido (+7,6% A/A) e aos preços mais altos (+5,3% A/A), mas também pelo reconhecimento de um crédito tributário de R$ 4,3 bilhões decorrentes da decisão do Supremo Tribunal Federal pela inconstitucionalidade da inclusão do ICMS na base de cálculo do PIS e da COFINS. O valor de R$ 4,3bi foi dividido entre outras receitas operacionais (R$ 2,5bi) e resultados financeiros (R$ 1,8bi); analisando apenas o crescimento orgânico, portanto removendo créditos/débitos tributários dessa natureza, o EBITDA normalizado teria sido de aproximadamente R$ 6,3bi, 3% abaixo das nossas estimativas.

Do lado operacional, Cerveja Brasil nos surpreendeu com crescimento de 12% A/A no volume, somado a uma boa performance na operação NAB (+7% A/A) e na América Latina Sul (LAS) com +6% A/A. Por outro lado, dados mais fracos na América Central e Caribe (CAC), com volume recuando 7% A/A, e resultado estável no Canadá (-1% A/A). O processo de reabertura de bares e restaurantes, que tem ocorrido em ritmos diferentes em cada país, somado à falta de clareza na velocidade do processo de vacinação contra Covid19 ajudam a explicar esse cenário heterogêneo. Além disso, inúmeras cidades decidiram cancelar as comemorações de Ano Novo e restrições de circulação ou de funcionamento de estabelecimentos comerciais continua até hoje.

Acreditamos que a AmBev mais uma vez conseguiu mostrar sua resiliência em meio a um trimestre desafiador, superando seus pares ao conseguir aumentar a penetração de seu portfólio e potencialmente aumentar sua participação de mercado, enquanto suas marcas principais e sua notória excelência operacional continuam como pilares da empresa. Gostaríamos também de destacar o fato de que as plataformas digitais da AmBev, como o Zé Delivery e o BEES, parecem ter cimentado sua trajetória de sucesso e estão cada vez mais presentes em todo o País, mais uma vez reforçando nosso apelo de que a empresa está de fato se tornando cada vez mais centrada no cliente.

Por fim, acolhemos com grande satisfação a iniciativa da AmBev de relatar seus KPIs ESG. Como já escrevemos várias vezes, acreditamos que a AmBev é uma das melhores empresas em fatores ESG em nosso universo de cobertura, especialmente no que se refere aos critérios Ambientais e Sociais, e acreditamos que isso ainda não foi totalmente precificado pelo mercado. Gostaríamos de destacar as seguintes iniciativas:

  • Gestão da água: nas últimas duas décadas, no Brasil, a AmBev já reduziu 54% do seu consumo de água
  • Embalagem circular: até o final de 2020, a AmBev já havia reduzido 35% do plástico usado em suas embalagens
  • Ação Climática: a empresa espera ter 100% de seus 84 CDs no Brasil abastecidos por energia solar até junho de 2021
  • Empreendedorismo: 18 novas startups foram selecionadas na classe Accelerator 100+ de 2020

Para conferir nossa análise completa da empresa, elaborada pela analista ESG Marcella Ungaretti, clique aqui.

Quaisquer críticas, dúvidas ou sugestões são bem vindas: basta deixar um comentário no final do post. Gostaria de receber nossos relatórios de Agro, Alimentos & Bebidas por email? Clique aqui.


Cerveja Brasil: acima do esperado em função de volumes em alta (+12% A/A)

Cerveja Brasil apresentou resultados melhores do que o esperado, conseguindo crescer 12% em volume A/A apesar de um aumento de 8% nos preços. O mix de canais continuou a melhorar, enquanto o mix de embalagens ainda segue afetando custos, mas ele teria sido compensado por preços mais altos nas marcas principais e um aumento de volume das marcas core plus.

A receita líquida de R$ 8,7 bilhões veio acima do esperado pelo mercado, principalmente em função de um crédito tributário não recorrente. Esperávamos uma margem EBITDA de 41% no 4T, melhorando em relação ao 3T20, mas ainda -626bps menor do que no 4T19; já a empresa registrou uma margem EBITDA apenas 200bps menor no comparativo anual em uma base orgânica, superando assim nossa projeção mesmo se excluirmos o efeito fiscal não recorrente.


NAB Brasil: ligeiramente mais fraco do que o esperado, mas com melhora versus o trimestre anterior

Os resultados normalizados do segmento de bebidas não alcoólicas (NAB) no Brasil foram um pouco mais fracos do que o esperado. A receita líquida de R$ 1,4 bilhão ficou 3% acima de nossas expectativas, principalmente devido a um crescimento de volume 4% acima do esperado (+26% T/T e + 7% A/A), o qual mais do que compensou preços mais fracos do que o esperado (-1 % vs XPe).

De acordo com a AmBev, os volumes continuaram acelerando no trimestre, impactado positivamente pela recuperação das ocasiões de consumo, uma vez que as restrições continuaram a ser gradualmente suspensas. Por outro lado, o volume segue impactado por um mix desfavorável de marcas e embalagens. O EBITDA reportado do segmento foi de R$ 798 milhões (+32% A/A), incluindo 297 milhões em benefícios de crédito fiscal; se excluíssemos esse efeito, a margem EBITDA normalizada teria caído 820 bps em relação ao ano anterior, enquanto esperávamos uma redução menor (~600 bps), ou seja, o resultado ficou ligeiramente abaixo das nossas expectativas.


Internacional: em geral, em linha com o esperado; destaque positivo para CAC e negativo para LAS

A região da América Central e Caribe (CAC) postou resultados mais fortes do que o esperado; seu EBITDA atingiu quase 1,1 bilhão (+ 21% T/T e + 23% A/A), principalmente devido a preços muito mais fortes do que o esperado (+5% T/T e +35% A/A), enquanto os volumes caíram 7% em uma base anual – ainda impactados pelas restrições adotadas para mitigar a pandemia Covid-19. Ainda assim, a região conseguiu entregar uma margem EBITDA saudável de 45%, 396 pontos-base acima do que antecipávamos; de acordo com a AmBev, os preços aumentaram devido a uma contribuição positiva do mix e à implementação bem-sucedida de iniciativas de gestão de receitas

O Canadá apresentou resultados um pouco mais fracos do que o esperado, com um EBITDA de R$ 629 milhões que cresceu 22% A/A, mas caiu 25% T/T. No geral, tanto a receita líquida quanto o lucro bruto vieram em linha com nossas expectativas – a margem bruta ficou em 60,3%, 173 pontos-base abaixo do XPe. Por outro lado, o SG&A cresceu mais do que o esperado, levando a uma compressão sequencial da margem EBITDA, que ficou em 343 pontos base abaixo do XPe em 26,7%. Em sua divulgação de resultados, a empresa destacou um momento negativo para a indústria, já que os casos da Covid-19 atingiram o pico mais uma vez durante o 4T no país, e os momentos de consumo diminuíram devido ao início do inverno se comparados aos trimestres anteriores.

Já a América Latina do Sul (LAS) apresentou resultados mais fracos do que o esperado, com um EBITDA de cerca de R$ 1,1 bilhão, 12% abaixo das nossas expectativas e 29% menor em relação ao ano anterior. Enquanto a receita líquida de R$ 3,6 bilhões veio amplamente em linha com nossas projeções (+22% T/T e + 11% A/A), os custos aumentaram mais do que o previsto devido à desvalorização cambial na região juntamente com um mix mais fraco de embalagens, levando a um lucro bruto 9% mais fraco do que o esperado (+ 28% T/T, mas -10% A/A).

A empresa destacou que seu volume na região cresceu devido à uma combinação positiva de: (i) Chile, cujo crescimento de volume foi impulsionado pela parceria de distribuição com a Coca-Cola Andina e Embonor iniciada em novembro; (ii) Paraguai, onde a estratégia de garrafas de vidro retornáveis de 1 litro continuou contribuindo positivamente para o crescimento do volume; (iii) Argentina, onde o volume cresceu devido aos esforços contínuos no segmento premium bem como aos controles de preços impostos pelo governo do País.


Visão para 2021: margens devem seguir pressionadas, mas o ano teria começado bem para Cerveja Brasil

Em 2020, o volume da AmBev de Cerveja Brasil cresceu 5,6% A/A, bem acima do crescimento da indústria de 0,2% no ano, de acordo com dados de produção de bebidas alcoólicas do IBGE. Isso reforça nossa percepção de que a cervejeira continua sendo a melhor empresa do setor de bebidas brasileiro, dentre outros motivos.

Ainda assim, como a empresa afirmou em seu comentário sobre 2021, a maioria dos desafios enfrentados no ano passado ainda está em vigor, incluindo o aumento de custos devido ao mix de embalagens e a lenta recuperação do canal on-trade, apenas parcialmente compensados ​​pela excelência operacional e comercial da empresa .

Reconhecemos que, no curto prazo, a taxa de câmbio e os custos mais elevados da matéria-prima deverão manter margens sob pressão, mas acreditamos que a AmBev está bem ciente desse fato: a empresa declarou que sua taxa média de hedge entre real e dólar para 2021 é de 5,29; consequentemente, ela espera que seu CPV por hectolitro, excluindo depreciação e amortização, aumente entre 20% e 23% em Cerveja Brasil.

Pelo lado positivo, em nossa visão, em 2021, a AmBev deve ser beneficiada por uma combinação de: (i) um portfólio em expansão com mais marcas core plus; (ii) uma participação de mercado potencialmente crescente; (iii) o desenvolvimento bem-sucedido de suas plataformas digitais e (iv) ainda mais clareza nas estratégias ESG.

Também enxergamos com bons olhos o fato de que, conforme mencionado pela empresa, o ano parece ter começado bem em termos de receita, impulsionado por um crescimento do volume de cerveja acima de 10% até agora este ano no Brasil, mesmo sem as festividades habituais de Carnaval.

Em suma, acreditamos que crises são excelentes momentos para testar o desempenho de uma empresa. Nesse sentido, continuamos otimistas em relação à resiliência da AmBev e reiteramos nossa classificação de Compra com um preço-alvo de R$ 17,15 por ação.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.