XP Expert

Morning Call XP (17.set): Petróleo, negociações comerciais e decisões de taxas de juros em foco

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA +0,17% | 103.680 Pontos

CÂMBIO -0,2% | 4,08/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O ataque contra a petroleira Saudi Aramco, na Arábia Saudita, foi o grande acontecimento do fim de semana e agitou o mercado na segunda-feira, com as cotações do petróleo saltando cerca de 15%. O Ibovespa fechou em alta de 0,17% em 103.680 pontos.

Nesta manhã, futuros dos EUA negociam em leve queda em meio a sessões mistas na Europa e Ásia durante a noite. Após o ataque às instalações petrolíferas sauditas, relatórios sugerem que pode levar semanas ou meses até que a maior parte da produção seja restaurada.

As tensões geopolíticas aumentaram, embora o presidente Trump e autoridades da Arábia Saudita tenham parado de culpar diretamente o Irã pelo ataque. Hoje, os preços do petróleo permanecem bem acima das máximas de sexta-feira, apesar da retração modesta de -1,7% para US$67,9/barril.

Os preços de celulose, por sua vez, tiveram leve recuo de US$2,7/t nesta semana, para US$475,5/t. Como temos mencionado, os preços parecem estar próximos de um piso e temos uma visão positiva para a dinâmica de oferta/demanda no médio-longo prazo.

Na frente comercial EUA-China, negociadores de segundo escalão dos Estados Unidos e da China vão se reunir em Washington a partir de quinta-feira. O Representante de Comércio, Robert Lighthizer, e o Secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, devem se reunir com o principal negociador da China, o vice-premiê chinês, Liu He, no início de outubro.

Por fim, dados de produção industrial nos EUA referentes ao mês de agosto serão divulgados às 10h15 (horário de Brasília) e a expectativa de mercado é que apresente alta de 0,2% em relação ao mês passado. Além disso, o Banco Central americano (Fed) inicia sua reunião de política monetária hoje.

A decisão de juros será divulgada amanhã e nosso estrategista global, Alberto Bernal, acredita que o Fed deva cortar 0,25%, em virtude da leve trégua recente na tensão comercial entre EUA e China.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Reforma Tributária: Com o fim das discussões sobre desoneração da folha salarial, Appy propõe contribuição previdenciária progressiva
  2. Fiscal: Possível fim de isenção fiscal a entidades filantrópicas e reabertura do Refis no Funrural

Empresas

  1. Frigoríficos: Rebanho suíno da China recua 38% em agosto; Coreia do Sul confirma foco de peste suína africana

Renda Fixa

  1. Alta do petróleo puxa preços de açúcar e milho
  2. Debêntures incentivadas serão emitidas também por usinas


Veja todos os detalhes

Brasil

Reforma Tributária: Com o fim das discussões sobre desoneração da folha salarial, Appy propõe contribuição previdenciária progressiva

  • De acordo com a mídia local, a desoneração da folha de pagamentos saiu das discussões técnicas conduzidas pelo Ministério da Economia. Originalmente, a medida seria financiada pela CPMF, que acabou sendo descartado na semana passada pelo presidente Jair Bolsonaro;
  • A desoneração da folha salarial é um dos três pilares da proposta de reforma tributária em estudo no Ministério da Economia, que prevê ainda uma reforma do Imposto de Renda e a adoção de um tributo único federal sobre bens e serviços. Com o fim da discussão da desoneração, a equipe econômica pode levar mais tempo até que se chegue a um novo formato que possa ser encaminhado ao Congresso Nacional;
  • Com o fim das discussões relacionadas à desoneração da folha de pagamentos, o economista Bernard Appy trabalha agora em uma proposta de contribuição previdenciária progressiva, em que quanto maior a remuneração, maior a alíquota final. Em termos gerais, a ideia é não cobrar contribuição previdenciária nem de valores equivalentes ao salário mínimo nem da parcela que exceder o teto do INSS (R$ 5.839,45 em 2019).

Fiscal: Possível fim de isenção fiscal a entidades filantrópicas e reabertura do Refis no Funrural

  • De acordo com jornais locais, o governo considera duas possibilidades que envolveriam um possível aumento de arrecadação federal;
  • A primeira seria deixar de isentar as atividades de entidades filantrópicas, como universidades e hospitais. A isenção tributária faz com que o governo deixe de arrecadar aproximadamente R$ 14 bilhões em contribuições previdenciárias. A segunda seria a possibilidade de reabrir o Refis do Funrural (programas de renegociação de dívidas contraídas pelo setor de agronegócio), estimado em R$11bi, a fim de evitar a renúncia fiscal com o perdão das dívidas;
  • As duas medidas devem encontrar bastante resistência tanto dentro quanto fora do governo.

Empresas

Frigoríficos: Rebanho suíno da China recua 38% em agosto; Coreia do Sul confirma foco de peste suína africana

  • De acordo com dados do Ministério da Agricultura e Relações Rurais da China, frente à peste suína africana, o plantel suíno no país asiático diminuiu 38,7% A/A em agosto, com o rebanho de matrizes suínas (indicador da produção futura de carne de porco) recuando 37,2% A/A;
  • A redução do rebanho chinês e, consequentemente, a oferta mais restrita de carne suína na China vem se refletindo nas cotações do produto no país asiático. De acordo com dados do Ministério da Agricultura chinês, os preços no varejo subiram +78% nos últimos 12 meses;
  • Além disso, novos casos da peste suína estão sendo continuamente relatados. A Coreia do Sul acabou de confirmar um foco de peste suína africana em uma fazenda próxima da fronteira com a Coreia do Norte, que foi afetada pela doença em maio. Frente ao relato, cerca de quatro mil animais de três fazendas da região afetada serão abatidos ainda nesta terça-feira – A indústria sul-coreana conta com cerca de seis mil fazendas, que abrigam 11 milhões de porcos;
  • Reconhecemos que o real impacto na redução do rebanho suíno da China ainda não está claro, com análises apontando para um impacto de 30% a 50% em 2019 e mais 15-20% em 2020, o que levaria a um desequilíbrio significativo de oferta e demanda. Continuamos positivos com o setor e vemos os frigoríficos brasileiros como claros beneficiários desse cenário, ganhando tanto com a alta dos preços das proteínas em geral, como com o aumento das exportações para a China.

Renda Fixa

Alta do petróleo puxa preços de açúcar e milho

  • Com o aumento brusco dos preços do petróleo após os ataques na Arábia Saudita, cortando metade da produção do país, as cotações de açúcar e milho (ambos matéria prima para etanol) subiram nas bolsas dos Estados Unidos. As informações são do Valor Econômico;
  • Como consequência do aumento de preços do petróleo, o etanol e a cana do Brasil podem se valorizar, o que faria com que as usinas continuassem privilegiando a produção do biocombustível, preterindo o açúcar. O efeito seria, no limite, redução da oferta de açúcar, aumentando sua cotação;
  • O efeito desse possível movimento seria positivo para as usinas, principalmente aquelas com maior flexibilidade de produção de biocombustível, uma vez que venderiam o etanol a preços mais elevados.

Debêntures incentivadas serão emitidas também por usinas

  • De acordo com o Valor Econômico, em breve sairão as primeiras emissões de debêntures incentivadas do setor sucroalcooleiro. Até o momento, só eram elegíveis a essas emissões empresas de infraestrutura (energia, transporte, telecomunicações e saneamento);
  • Com a nova possibilidade de captação, é esperado que entrem R$9 bilhões ao ano de financiamento para renovação de canaviais e R$4 bilhões para ampliação da oferta de cana-de-açúcar. Assim, garante-se o atendimento das metas do programa RenovaBio para os biocombustíveis;
  • Essa nova possibilidade é positiva para as empresas que atuam no setor, sendo mais uma alternativa de financiamento que ainda conta com isenção fiscal para os investidores, impulsionando o interesse pelo setor;
  • Tomando como exemplo as debêntures incentivadas já existentes, pode-se esperar crescimento dessa modalidade nos próximos anos – em 2018, foram emitidos cerca de R$20 bilhões e, até julho de 2019, cerca de R$13 bilhões já haviam sido captados com esses instrumentos.
XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.