XP Expert

Alibaba bate recorde no Dia dos Solteiros, maior evento de compras do planeta: Radar Global

Alibaba bate recorde, relançamento da Didi e vendas (de ações) da Tesla

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

MACRO

Mercados globais amanhecem sem movimentos expressivos (EUA +0,2% e Europa +0,1%) após leve recuperação das ações de tecnologia (Nasdaq 100 +0,2%) no pregão de ontem, enquanto nos aproximamos do enceramento de semana com maior volatilidade causada pelos altos dados de inflação. Na China, o índice de Hang Seng (+0,3%) encerra em alta, impulsionado pelo dia de descontos Single’s Day (Dia dos Solteiros, a Black Friday chinesa), que registrou novos recordes de vendas. O Bitcoin (-1,7%) segue com seu preço lateralizado após queda de sua máxima histórica, registrada na última quarta-feira, ao passo que investidores aguardam o lançamento do Taproot, programado para este domingo (14), que promete aprimorar a segurança e eficiência da criptomoeda.

Coronavírus:  A pandemia voltou a ganhar força no continente europeu e, nesta quinta-feira, a Alemanha teve cerca de 50 mil novos casos nas últimas 24 horas, a maior pico desde o começo da pandemia, contudo, as fatalidades cresceram em proporções menores devido à vacinação. O mercado teme que as possíveis novas medidas para conter um a nova onda de contaminações afetem a atividade do consumidor e agravem os problemas da cadeia de produção. Apesar disso, o governo ainda não tem planos de ampliar as medidas restritivas.

Inscreva-se aqui para receber o nosso conteúdo diário.

EMPRESAS

O maior evento de compras do planeta: Os consumidores chineses aproveitaram os descontos do “Dia dos Solteiros” ou Single’s Day, evento que ocorre anualmente no 11 de novembro. Para se ter uma ideia, desde 2018 esta data é marcada por altos volumes de mercadorias transacionadas, que superam a Black Friday, Cyber Monday, Thanksgiving e Prime Day nos EUA somados. Neste ano, o volume de vendas parece sofrer uma desaceleração marginal devido ao forte resultado do ano passado, porém as companhias seguem batendo recordes. O Alibaba (BABA34) registrou cerca de US$ 84 bilhões em volume transacionado em sua plataforma, marcando cerca de 14% de aumento em relação ao ano anterior, enquanto a JD.com cresceu +26% para US$ 54,6 bilhões.

O Alibaba foi responsável por transformar o “Dia dos Solteiros” em um evento de compras em 2009, o que resultou no maior festival de vendas online do mundo e afirmou que quase 400 marcas, incluindo a Apple (AAPL34) e L’Oreal, arrecadaram mais de US$ 15 milhões em vendas cada até o meio-dia de quinta-feira.

O retorno da Didi: A Didi, principal empresa de transporte por aplicativo na China está se preparando para relançar sua plataforma na principal potência asiática até o final do ano. Segundo a Reuters, o governo chinês deverá encerrar sua investigação de segurança cibernética até dezembro deste ano, permitindo que a empresa retome suas operações. A companhia já provisionou cerca de US$ 1,6 bilhão para uma potencial multa.

Em julho desse ano, autoridades chinesas removeram os 25 aplicativos da gigante de tecnologia poucos dias depois de sua oferta pública de ações na Bolsa de Nova Iorque, alegando preocupações com o excesso de coleta de dados pessoais e privacidade dos usuários. Com isso, as ações despencaram e acumulam queda de -37%, com valor de mercado de US$ 39 bilhões desde o IPO no final de junho.

Elon Musk derruba ações da Tesla: Foi divulgada, na última quarta-feira, a venda de quase US$ 5 bilhões em ações da Tesla (TSLA34), pelo CEO da companhia, Elon Musk. Segundo documentos, estas vendas não foram agendadas como quando a maioria dos executivos planejam vender ações por motivos pessoais. Além disso, o CEO possui um plano adicional desde 14 de setembro para vender outro bloco equivalente a cerca de US$ 1,1bi.

Especula-se que o principal motivo do posicionamento do empresário seria para cumprir com suas obrigações fiscais, no entanto, Musk afirmou que seguiria o resultado de sua enquete no Twitter (TWTR34) na segunda-feira, que perguntava se deveria ou não vender 10% de sua participação na companhia. Depois deste tweet, as ações da empresa chegaram a cair mais de 15% nos próximos dias, com uma breve recuperação na quarta-feira. Mesmo com a venda, Musk permanece sendo o maior acionista da companhia, contendo 17% das ações da Tesla.

ANÁLISE

Source: Goldman Sachs

Europa ainda mais atrativa após a temporada de resultados: O lucro por ação de empresas europeias que compõem o índice Euro Stoxx 600 deverá crescer mais de 60% em 2021, segundo o Goldman Sachs. O forte resultado nos lucros é resultado de uma política fiscal e monetária mais acomodotativa durante a pandemia, que deverá continuar trazendo resultados em 2022 e 2023. Até o final do ano, espera-se que o lucro das empresas e a economia do bloco tenha uma recuperação acelerada, com projeções de lucro 16% acima dos níveis pré-pandêmicos de 2019. Além disso, ano foi marcado por forte inflação nos custos dos insumos e bloqueios na cadeia de suprimentos. Porém, as companhias europeias conseguiram repassar os preços, com margens sendo beneficiadas.

Tendo em vista todo este cenário, o múltiplo de preço sobre lucro da Europa seria de 16x, que somado aos 3% de dividend yield que suas ações oferecem, sugere que as empresas do continente encontram-se em uma posição atrativa vs. ações americanas, com um P/L em torno de 22x.

Gostou do conteúdo? Compartilhe nosso link de cadastro e nos avalie abaixo:

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório foi preparado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º da Instrução CVM nº 598/2018. Este relatório tem como objetivo único fornecer informações macroeconômicas e análises políticas, e não constitui e nem deve ser interpretado como sendo uma oferta de compra/venda ou como uma solicitação de uma oferta de compra/venda de qualquer instrumento financeiro, ou de participação em uma determinada estratégia de negócios em qualquer jurisdição. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As opiniões, estimativas e projeções expressas neste relatório refletem a opinião atual do responsável pelo conteúdo deste relatório na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. A XP Investimentos não tem obrigação de atualizar, modificar ou alterar este relatório e de informar o leitor. O responsável pela elaboração deste relatório certifica que as opiniões expressas nele refletem, de forma precisa, única e exclusiva, suas visões e opiniões pessoais, e foram produzidas de forma independente e autônoma, inclusive em relação a XP Investimentos. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida a sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. Para maiores informações sobre produtos, tabelas de custos operacionais e política de cobrança, favor acessar o nosso site: www.xpi.com.br.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.