XP Expert

Investindo na Omicron? Conheça a criptomoeda que leva o nome da nova variante da Covid-19

Ativo valorizou-se 900% após a nova variante da Covid ser o mesmo da Criptomoeda

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Se a notícia do surgimento da nova variante Ômicron do coronavírus fez com que os mercados despencassem no final da última semana, nesta segunda-feira (29) o destaque foi para a valorização de 900% de um desconhecida criptomoeda. E o motivo da valorização se deve simplesmente ao nome do ativo: Omicron, o mesmo da variante do vírus SARS-CoV-2 que ameaça o mundo atualmente (e da décima quinta letra do alfabeto grego).

Fonte: crypto.com

A Omicron disparou de US$ 64 na última quinta-feira (25), chegando a bater quase US$ 711 na madrugada deste domingo, reagindo à escolha do nome da variante pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Obviamente, a alta histórica não se manteve, caindo oscilando bastante e posteriormente caindo até se estabilizar na casa dos US$ 370. Ainda assim, isso representa uma valorização de cerca de 450% em comparação à média histórica de negociação.

De onde veio a Omicron?

Apesar de ter se beneficiado do aumento da procura pelo termo, a criptomoeda parece ter surgido antes da descoberta da variante que a levou a um volume de negociação de mais de US$ 900 mil em 24 horas. Embora seja incerto cravar quando a Omicron nasceu, o site crypto.com tem registros de mais de 90 dias para o ativo.

Negociada com o ticker OMIC, ela é construída em Ethereum, oferecendo títulos de yield farming, conceito praticado em protocolos de Finanças Descentralizadas semelhante ao de aluguel de ações. A diferença é que no yield farming, o provedor é recompensado por gerar liquidez ao ativo e não pela rentabilidade como nos investimentos tradicionais.

Negociada pela blockchain SushiSwap, tem oferta máxima de 1.000.000 OMIC, ou seja, a mineração é limitada, de forma similar ao Bitcoin.

Impacto da nova variante nas criptomoedas

Junto com as bolsas globais, as criptomoedas também sofreram com o anúncio da circulação da nova variante identificada na África do Sul. O Bitcoin (BTC) acumulou queda de 8,83, na sexta-feira (26), chegando a US$ 54.765. Até as 13h desta segunda-feira (29) voltou a casa dos US$ 57 mil, negociando em alta de 5%.

O Ethereum (ETH) também sentiu os impactos, caindo quase 11%. No entanto, também recuperou-se voltando para os US$ 4.300, operando em alta de quase 7%.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.