XP Expert

Nubank (ROXO34): Levantando Dúvidas Sobre o Risco de Crédito do Portfólio

A qualidade parece deteriorar: 40% de ROE pode não ser sustentável

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

As coisas melhoram antes de piorar. No Brasil, os titulares de cartões geralmente pagam suas compras em dinheiro ou em parcelas sem juros, gerando receita de intercâmbio. Quando esses clientes encontram dificuldades para pagar suas faturas, recorrem a empréstimos, o que gera receita de juros para o banco. Em outras palavras, antes de entrar em inadimplência, esses clientes se tornam mais lucrativos para a instituição financeira. No final de 2022, cerca de 20% da carteira do NU estava exposta a juros (em comparação com 26% do SFN), hoje esse número subiu para cerca de 30% da carteira do NU, enquanto o SFN caiu para 23%. Portanto, temos dúvidas sobre a sustentabilidade do ROE de 40% para as operações no Brasil. A carteira é fortemente influenciada pelo crescimento, mas as provisões podem não refletir o perfil de risco mais elevado.

Práticas distintas tornam o Nu único. Desde junho de 2022, o Nu começou a baixar os empréstimos inadimplentes após 120 dias. Normalmente, os bancos tradicionais fazem isso após 360 dias. Embora isso esteja totalmente em conformidade com a regulamentação, leva a um índice de inadimplência mais baixo. Assim, essa prática torna a comparação entre eles injusta.

Indicadores a serem acompanhados de perto. Os seguintes indicadores chamaram nossa atenção e estaremos monitorando-os de perto: i) % do saldo devedor com juros dentro da carteira de cartões de crédito; ii) Baixas contábeis; e iii) Taxas de juros cobradas em diferentes linhas de crédito. O objetivo é nos permitir estimar como o resultado final seria caso os riscos mais elevados fossem compensados por maiores provisões.

A manutenção da atual precificação elevada exige lucros em crescimento acelerado. Desde seu IPO, o Nu tem sido negociado com prêmio nos múltiplos em comparação com seus pares. Normalmente, esse prêmio é atribuído a uma visão positiva para as perspectivas do banco. Portanto, vemos altas expectativas do mercado impulsionando a necessidade de lucros em crescimento para manter múltiplos elevados.

Figura 1: A diferença entre o Nu e o Mercado na carteira de ganhos de juros se ampliou.

Nos últimos anos, o Nubank tem observado um aumento significativo na parcela de sua carteira de cartões de crédito exposta a juros, ou seja, clientes que não estão pagando suas faturas em dia e, portanto, estão em algum tipo de modalidade com juros. Embora reconheçamos que o banco gerencia bem seus filtros de crédito e o tamanho apropriado do risco por cliente, entendemos que o perfil da carteira está começando a se destacar em relação à média de mercado. No final de 2022, cerca de 20% da carteira do NU estava exposta a juros (em comparação com 26% do SFN), hoje esse número subiu para cerca de 30% da carteira do NU, enquanto o SFN caiu para 23%, refletindo uma melhora na qualidade de crédito do mercado como um todo.

Essa trajetória inversa para o NU, apesar de gerar mais receita no curto prazo, também acende um sinal de alerta, refletindo maiores riscos de inadimplência no futuro. À medida que a carteira continua crescendo em altas taxas, talvez esses números não sejam tão claros ao olhar apenas os números atuais.

A administração do banco afirma que não está no negócio de minimizar inadimplências, mas de otimizar retornos. Até agora, tudo bem. O banco faz um ótimo trabalho ao fornecer empréstimos para segmentos que não tinham acesso a crédito, mas há alguns sinais de crescimento acelerado que chamam a atenção.

Figura 2: Os ganhos de juros em parcelas estão crescendo mais rapidamente.

A tabela acima mostra que a parcela de ganhos de juros em parcelas da carteira de cartões de crédito está crescendo mais rápido do que as outras. Isso sugere que os clientes do Nu podem estar enfrentando problemas para pagar suas faturas integralmente e estão optando por opções de parcelamento com juros. Inicialmente, isso aumenta a receita de juros, mas os atrasos nos pagamentos das parcelas são maiores, o que poderia levar a um aumento nas provisões no futuro.

Figura 3: Taxas de juros mais altas na carteira de empréstimos (%)

O Nu aumentou a taxa média de juros em sua carteira de empréstimos. O primeiro aumento, no meio de 2022, ocorreu em um contexto em que o banco estava reposicionando sua carteira. O segundo aumento (2023), no entanto, ocorreu de forma isolada. Como uma empresa em crescimento, a estratégia do Nu é manter as taxas de empréstimo baixas para manter um amplo mercado potencial. Assim, esse aumento na taxa média de juros do Nu decorre de uma composição diferente ou de taxas de juros mais altas cobradas.

Como resultado, acreditamos que esse aumento possa refletir um aumento no risco percebido dos empréstimos e um aumento nas taxas para ajustar o retorno ao risco associado.

Figura 4: Maiores cancelamentos como % da carteira (em milhões de dólares)

Para os cartões de crédito, também analisamos as baixas em comparação com a carteira de 12 meses anteriores para normalizar parcialmente o indicador devido ao crescimento significativo. No entanto, para empréstimos, não realizamos a mesma análise devido à mudança na política de cancelamento (de 360 para 120 dias) que ocorreu no meio de 2022.

Em ambas as carteiras, a porcentagem de cancelamentos tem aumentado. Isso significa que, para cada dólar originado, o valor cancelado após um certo período (120 ou 360 dias) tem aumentado. Embora a empresa tenha afirmado repetidamente que não está focada em reduzir os índices de inadimplência, vemos o aumento das provisões como uma abordagem prudente para lidar com a deterioração da qualidade de crédito. Sem tais medidas, os retornos mais altos no curto prazo poderiam ser completamente compensados pelo aumento dos inadimplentes.

Menos informações sobre inadimplência

Nos últimos anos, mais de uma vez, o Nu apresentou e deixou de apresentar algumas informações (como o ROE no Brasil). Neste trimestre, o Nu não forneceu os gráficos de inadimplência por faixas de renda.

Conclusão

Em geral, queremos esclarecer que não observamos o Nu adotando práticas que não estejam em conformidade com o arcabouço regulatório. No entanto, o risco percebido do caso parece estar aumentando sem um aumento correspondente no conservadorismo das provisões, uma prática comum no setor financeiro. Como resultado, os investidores devem exigir retornos mais altos para compensar o maior risco.

Além disso, reconhecemos que, para manter seus múltiplos premium em comparação com outros players do setor financeiro, o Nu deve manter um ritmo forte de crescimento dos lucros. Nesse sentido, a administração do Nu pode priorizar os ganhos de curto prazo em detrimento de iniciativas que impulsionariam a criação de valor sustentável.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.