XP Expert

O que é depreciação: entenda o cálculo e aplicação  

A depreciação é o antônimo de valorização. Por isso, fique atento a como você pode se proteger e evitar ao máximo que seus bens se depreciem.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
O que é depreciação: entenda o cálculo e aplicação  

Seja você do mundo dos investimentos ou não, já deve ter ouvido falar em depreciação. Neste momento, enquanto você lê este texto, é muito provável que algum bem seu esteja sofrendo com a depreciação. 

Mas afinal, o que é depreciação e como ela afeta o valor dos seus bens? Ou ainda, o que é muito mais importante: como proteger os seus bens da depreciação

Neste texto, vamos te ensinar tudo o que você precisa saber sobre o termo. Você verá como calcular a depreciação para diferentes bens, como ela afeta o seu patrimônio e o que você deve fazer para conseguir se proteger

Boa leitura! 

O que é depreciação?  

A depreciação é todo processo de desvalorização que afeta o valor de um bem com o passar do tempo, como o desgaste e a obsolescência. Ela afeta bens de qualquer tipo, desde o valor do seu carro. 

Por essa razão, a depreciação pode ocorrer de diversas formas

Por exemplo, a sua casa deprecia em função dos desgastes naturais do tempo, assim como o valor do seu carro deprecia em consequência do uso constante e dos reparos eventuais. 

Desta forma, a depreciação é um processo que afeta diretamente os investimentos. Todo investidor deve estar preparado para considerar a depreciação de um determinado ativo no momento de avaliar o seu potencial de lucro a longo e curto prazo.  

Como funciona a depreciação? 

A depreciação de um ativo ocorre em função dos diversos fatores que ocasionam a perda de valor do ativo, seja temporária ou definitiva.  

Assim, a depreciação de um ativo deve ser sempre considerada ao determinar o seu valor de mercado. Diversos indicadores fiscais e contábeis poderão fazer parte desse cálculo. 

Depreciação e os impostos 

A depreciação possui um impacto direto no cálculo de impostos de uma empresa. Isso ocorre porque a depreciação dos bens envolvidos na produção é contabilizada como uma forma de custo. 

O resultado é que a depreciação afetará o cálculo de lucro líquido de uma empresa. Por essa razão, é muito importante que o cálculo de depreciação dos bens de uma empresa seja sempre feito com atenção e por profissionais experientes na área. 

Depreciação contábil x depreciação fiscal 

Fotografia de família sentada na cozinha, os pais estão com as mãos formando uma espécie de telhado, sobre o neném
A depreciação está presente em praticamente todas as aquisições.

Há dois tipos básicos de depreciação capazes de afetar empresas e outras formas de patrimônio, são eles:  

  • Depreciação contábil e; 
  • Depreciação fiscal.  

Na depreciação contábil, leva-se em consideração diversos fatores com o objetivo de determinar o desgaste esperado daquele bem. Já na depreciação fiscal, leva-se em consideração as alíquotas totais dos impostos e o planejamento tributário do ativo

Importante: no cálculo de depreciação do seu negócio, é possível que você tenha que considerar tanto a sua depreciação contábil, quanto a fiscal.   

Mas, não se preocupe, para que você possa compreender um pouco mais sobre os diferentes tipos de depreciação, falaremos mais sobre cada um deles a seguir: 

Quais são os tipos de depreciação? 

Como já mencionamos, há diversos meios de estipular a depreciação de um bem. Tudo dependerá do tipo de produto a ser avaliado. Mas, em geral, você verá que todas as formas de cálculo servem para analisar as diferentes formas de desvalorização

Por isso, veja quais são os tipos de depreciação: 

1. Depreciação linear 

A depreciação linear considera que a perda de valor ocorre de forma linear ao longo do tempo. É a forma de depreciação mais básica e mais utilizada por empresas para o cálculo de valor do seu patrimônio. 

2. Depreciação acelerada 

Um dos principais fatores da depreciação são os custos envolvidos na manutenção de um determinado ativo. Esses custos podem ser de qualquer ordem, seja fiscal ou  operacional. 

Assim, enquanto a depreciação linear assume que esses custos ocorrerão de modo linear ao longo do tempo, a depreciação acelerada assume que os custos variam e possuem diferentes fases de alta e de estabilização

Como exemplo, pense em ativos que demandam maiores custos nos seus primeiros anos, mas que tendem a se estabilizar ao longo do tempo.  

3. Depreciação acumulada 

A depreciação acumulada consiste em realizar o somatório de todos os desgastes sofridos por um bem em um determinado período de tempo. Esses desgastes podem ter resultado dos mais diversos fatores, como causas naturais e má administração.  

Porém, todas as perdas de valor serão contabilizadas no cálculo e levantamento da depreciação acumulada. Assim, esse modelo de depreciação é essencial para se estipular a perda de valor total de um ativo

4. Depreciação gerencial 

A depreciação gerencial considera o modelo de gestão do bem e as taxas vinculadas ao seu funcionamento. O seu cálculo é frequentemente utilizado na revenda de bens

Como é contabilizada a depreciação? 

O cálculo de depreciação, para qualquer tipo de produto, tem como base três indicativos principais, são eles:  

  • Vida útil: O tempo que leva para um determinado produto, após sua compra ou aquisição, tornar-se um custo e não gerar caixa ou lucro; 
  • Método de depreciação: Há diversos métodos utilizados para o cálculo de depreciação de um bem ou produto. O método base é o chamado método linear, mas há outros, como o método da soma dos dígitos e o método das horas de trabalho. Falaremos de alguns deles ao longo do texto. 
  • Base de cálculo de depreciação: O cálculo da depreciação se baseia em alguns indicadores, como o valor residual (também chamado valor de sucata) e o valor de vida útil. Cada produto terá valores distintos para esses indicadores e servirá de base para o cálculo da depreciação anual.  

Bens depreciáveis e não depreciáveis? 

Confira abaixo nossa tabela de depreciação, com vários exemplos de bens depreciáveis e não depreciáveis: 

Bens depreciáveis Bens não depreciáveis 
Edifícios e imóveis Terrenos 
Máquinas e equipamentos Imóveis não-alugados e sem utilização 
Móveis Obras de arte 
Veículos Coleções de valor 
Computadores e eletrônicos Itens de antiguidade 

Regras para registrar a depreciação 

A legislação estabelece diversas regras para o registro da depreciação no balanço de empresas. Essas regras estabelecem diretrizes importantes para o cálculo de impostos e balanço patrimonial.  

Alguns dos indicadores determinados pela legislação, são: 

  • Estimativa de vida útil; 
  • Taxa de depreciação para cada bem; 
  • Regras de uso e manutenção do equipamento. 

Como calcular depreciação 

Fotografia de família segurando um papelão em formato de telhado.
A depreciação leva diferentes fatores em consideração na hora de ser calculada.

Como você já aprendeu, a depreciação linear é a forma mais básica de depreciação, portanto, a usaremos como base. 

A fórmula de base para o cálculo da depreciação linear de um bem é a seguinte: 

DA = (VIVR)/VU 

DA = Depreciação anual 

VI = Valor inicial ou de aquisição 

VR = Valor residual ou de sucata 

VU = Vida útil 

Para fazer o cálculo na prática, imagine que queremos calcular os custos de depreciação do equipamento de uma empresa com os seguintes valores: 
 
Valor de aquisição (VI) = R$ 200.000 

Valor residual (VR) = R$ 20.000 

Vida útil (VU) = 10 anos 

Assim:  

DA = (200.000 – 20.000)/10 = R$ 18.000 

Desta forma, anualmente o equipamento da empresa trará um custo adicional de R$18.000 às suas despesas. 

Cálculo da depreciação acelerada 

Já o cálculo da depreciação acelerada não possui uma fórmula única. Tudo dependerá da realidade e das especificidades da sua empresa. Porém, uma forma de cálculo comum é através do método da depreciação declinante

Neste método, considera-se a variação da depreciação anual ao longo dos anos. Para o primeiro ano, o método estabelece que a depreciação no primeiro ano de vida da empresa será o dobro da depreciação prevista pelo método linear.  

No mesmo cenário da empresa mencionada anteriormente, teríamos uma depreciação de R$36.000 para o primeiro ano. 

Como calcular a depreciação de móveis? 

O cálculo da depreciação de móveis e utensílios é feito através do método linear. Logo, a mesma fórmula para o cálculo de depreciação linear pode ser utilizada.  

Porém, se você fizer esse cálculo para balanço da sua empresa, é importante checar as taxas estipuladas pela legislação.  

Qual é a taxa de depreciação de bens estabelecida pela legislação? 

A tabela abaixo mostra a taxa anual de depreciação estabelecida pela Receita Federal para cada tipo de bem: 

Tipo de bem Taxa de depreciação anual 
Instalações 10% 
Edificações 4% 
Máquinas e equipamentos 10% 
Móveis e utensílios 10% 
Ferramentas 20% 
Tratores 25% 
Veículos de mercadoria 25% 

Dúvidas sobre depreciação 

Se você chegou até aqui, esperamos que tenha aprendido bastante sobre o que é depreciação, como funciona, e como ela afeta bens e produtos de todos os tipos.  

Mas, para te ajudar ainda mais, vamos esclarecer algumas dúvidas essenciais sobre a depreciação. 

1. Qual a diferença entre depreciação x amortização 

Na contabilidade, dizemos que a depreciação determina a perda de valor dos bens físicos de uma empresa. Já a amortização, por outro lado, diz respeito à desvalorização dos seus bens imateriais, como os direitos autorais, o conteúdo e a comunicação produzidos. 

2. O que é a depreciação de uma empresa? 

A depreciação de uma empresa ocorre em função da perda de valor dos seus bens ativos. O cálculo de impostos, ou até mesmo do valor de venda de uma empresa, deve considerar a taxa de depreciação de seus bens

3. Como proteger seus investimentos da depreciação? 

Para proteger seus investimentos da depreciação, o ideal é que exista a diversificação da carteira. Dessa forma, é possível inserir investimentos de bens não depreciáveis, conforme mostramos. 

Além disso, com a diversificação, outros malefícios, como a inflação, são protegidos.  

Realize o teste de perfil de investidor e entenda qual a melhor carteira de investimentos para você. Garanta que esteja de acordo com seus objetivos. 

Gostou de saber o que é depreciação e como ela pode afetar sua vida para além dos investimentos? Então, não deixe de compartilhar com seus amigos em suas redes sociais. 

Para saber como investir com mais qualidade, evitando depreciação e pouca rentabilidade, fique de olhos nos nossos conteúdos.

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.