Teses de Curto Prazo

Para cada ação de nossa cobertura há um termômetro de curto prazo em adição à recomendação já existente. Essa ferramenta visa trazer responder de forma sucinta e ágil a visões de acontecimentos e/ou expectativas a respeito de eventos que possam trazer alguma tendência de curto prazo para os papéis, sem necessariamente comprometer ou alterar nossa visão estrutural


Compartilhar:


Nova ferramenta: Termômetro de curto prazo

Para cada ação de nossa cobertura há um termômetro de curto prazo em adição à recomendação já existente. Essa ferramenta visa trazer responder de forma sucinta e ágil a visões de acontecimentos e/ou expectativas a respeito de eventos que possam trazer alguma tendência de curto prazo para os papéis, sem necessariamente comprometer ou alterar nossa visão estrutural. Cada cor representará uma determinada direção de curto prazo esperada, sendo que:

  • verde representa uma tendência positiva no curto prazo;
  • amarelo representa sem grandes eventos;
  • vermelho representa tendência negativa.

Assim, uma ação com recomendação de Compra, por exemplo, pode ter uma tendência de se manter estável no curto prazo, dado que não há grandes eventos para impulsioná-la, apesar de no longo prazo apresentar potencial de valorização.


Alimentos e Bebidas

  • Ticker: ABEV3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 21,0

Recomendamos posição Neutra nas ações da Ambev, com preço-alvo de R$21/ação. Em termos operacionais, reconhecemos que agora parecemos ter mais pontos positivos do que negativos, frente a menores custos no final do ano, com o Brasil acelerando (ainda que de forma gradual) e as iniciativas de inovação da Ambev. No entanto, a concorrência permanece acirrada, enquanto a Ambev negocia a um múltiplo de 22x Preço/Lucro 2020, patamar justo na nossa visão.


  • Ticker: BRFS3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 43,0

Mantemos nossa recomendação de Compra de BRF após incorporarmos o impacto da peste suína, resultados fortes no segundo trimestre e maior visibilidade sobre a geração de caixa para frente. A peste suína africana é o principal risco positivo para o caso, com as aves sendo um claro substituto da carne suína como alternativa mais barata, o que pode ser fundamental para a geração de caixa da BRF, uma vez que a empresa é a maior exportadora de aves do Brasil.


  • Ticker: JBSS3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 39,0

A JBS tem sido a estrela do Ibovespa neste ano, acumulando alta de 149% desde janeiro. Mesmo após a alta, reiteramos a JBS como nosso nome preferido dentre os frigoríficos, frente à entrega de fortes resultados, a incorporação do impacto da peste suína e o crescimento adiante. Continuamos a ver sólidos resultados nos EUA e tendências mais fortes no Brasil, enquanto vemos potencial para uma reclassificação dos múltiplos, com menores riscos de governança e a possível listagem nos EUA. A JBS negocia a 6,6x EV/EBITDA 2019 e 5,5x 2020, atrativo em nossa visão.


  • Ticker: MRFG3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 14,0

Depois de reformular seus negócios com o desinvestimento da Keystone e a aquisição de 51% da National Beef, acreditamos que a empresa está na direção certa para capturar um cenário positivo de proteínas à frente. As ações performaram menos do que os demais frigoríficos nos últimos meses e ainda são negociadas em 3,3x e 3,4x EV / EBITDA 2019 e 2020, respectivamente, muito atrativo em nossa visão. Além disso, a empresa pode se beneficiar com impacto da peste suína africana na China.


Bancos

  • Ticker: BRSR6
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 34,0

Temos recomendação de Compra para o Banrisul com base no alto potencial de crescimento de lucro, uma vez que o banco normalizou a qualidade de seus ativos e possui espaço para expandir a carteira de crédito e aproveitar as oportunidades de fidelização de clientes. O banco possui uma capacidade de captação diferenciada com acesso amplo e barato a depósitos de varejo. Por fim, uma recuperação da situação fiscal do RS deve aumentar a confiança dos investidores no foco em rentabilidade


  • Ticker: BBDC4
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 45,0

Recomendamos Compra e vemos o Bradesco como o banco melhor posicionado para se beneficiar das crescentes concessões de crédito para PMEs e pessoas físicas, devido à sua presença física em todo o país. Além disso, o banco está um passo atrás dos pares no processo de melhoria da qualidade de ativos, apresentando o maior potencial para queda nas despesas de provisão ao longo de 2019. Ainda vemos o valuation como atrativo em relação ao Itaú e ao Santander mesmo após o desempenho superior recente.


  • Ticker: SANB11
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 51,0

Apesar da nossa cautela com a entrega de altas expectativas, o banco encerrou 2018 com fortes resultados mais uma vez, registrando crescimento de 25% no lucro vs 2017. O ROE está no nível 20%, algo considerado improvável há alguns anos quando a operação brasileira não tinha tanta eficiência. Com sua divisão de varejo crescendo, o banco conseguiu engajar os clientes e aumentar significativamente a venda cruzada e satisfação de sua base. Mantemos a recomendação Neutra principalmente devido a seus múltiplos altos com relação aos pares.


Serviços Financeiros

  • Ticker: B3SA3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 37,0

Rebaixamos em abril a B3 para Neutro por valuation e devido à menor visibilidade da expansão de volumes no curto prazo, apesar dos números fortes do 1T19. Devido ao seu desempenho forte recente e ao atual desconto de P/L para pares globais, próximo ao menor nível desde a fusão, vemos uma oportunidade de realização. As perspectivas de longo prazo continuam promissoras, com sua alta alavancagem ao crescimento do Brasil e do mercado financeiro, e buscaremos pontos de entrada atraentes nos próximos meses.


  • Ticker: CIEL3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Vermelho
  • Preço-alvo: R$ 7,0

Mantemos desde o início de nossa cobertura a recomendação Neutra e uma visão cautelosa com as ações da Cielo. O cenário competitivo no setor de adquirência se mostra cada vez mais desafiador, com novos players e incumbentes sendo agressivos e lançando iniciativas para manter ou expandir market share. Além disso, evoluções tecnológicas representam um risco inerente ao setor, que pode ter sua dinâmica alterada de maneira disruptiva. Outros riscos são os efeitos dos pagamentos instantâneos e mudanças em antecipação de recebíveis, como menores taxas e pagamentos em D+2 como a Rede anunciou recentemente.


Seguradoras

  • Ticker: BBSE3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 39,0

Vemos a BBSE bem posicionada para se beneficiar de um cenário macro melhor, com o PIB finalmente ganhando força, o desemprego caindo gradualmente e o crédito acelerando no BB, com destaque para PMEs Pessoas Físicas.  Além disso, prêmios maiores de seguros e o crescimento dos recursos em previdência devem impulsionar as margens da BB Corretora e contribuir significativamente para o crescimento dos lucros. O rendimento de dividendos de 5.3% e 5.9% para 2019 e 2020 se mostra atrativo vs uma Selic de 5.5% para o final de 2019 (Boletim Focus).


  • Ticker: IRBR3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 40,0

Vemos o IRB em um cenário competitivo favorável nos próximos anos e com espaço para valorização devido a: (1) Expansão das operações internacionais como oportunidade de crescimento e diversificação; (2) Manutenção do alto crescimento no Brasil e alto retorno e (3) encerramento do follow-on da empresa, reduzindo a pressão sobre o valor da ação.


  • Ticker: PSSA3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 58,0

Embora reconheçamos as qualidades da empresa, a alavancagem à recuperação econômica e a um processo de renovação da frota no Brasil, assim como o notável trabalho feito na área de tecnologia/despesas, não vemos gatilhos nos próximos 12 meses que possam justificar uma projeção de lucro acima do consenso ou múltiplos mais altos.


  • Ticker: SULA11
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 43,0

Esperamos que o segmento de saúde/odonto supere o desempenho geral da indústria nos próximos anos e vemos a SulAmérica como uma boa opção para aproveitar esse ciclo. A empresa conseguiu aumentar a participação de mercado e controlar a sinistralidade durante a crise e agora está pronta para colher os benefícios de sua disciplina em anos mais saudáveis do ponto de vista macro.


Elétricas e Combustíveis

  • Ticker: TIET11
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 16,5

A Tietê é o nosso nome preferido entre as elétricas brasileiras por ser o único nome que provê investidores com dividendos de dois dígitos, mesmo assumindo um cenário de hidrologia mais adverso como em 2018. Notamos que uma eventual aprovação do projeto de lei que endereça o risco hidrológico (10985/2018) pode destravar muito valor para as ações devido a uma possível extensão das concessões da companhia. Entretanto, destacamos possíveis pressões no curto e médio prazo devido a uma possível oferta de ações (follow-on) para financiar a aquisição do complexo eólico Alto Sertão III.


  • Ticker: BRDT3
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 29,0

Embora reconheçamos que uma possível privatização poderia gerar valor em termos de redução de custos de operação (impacto de até R$9,2/ação sobre o nosso preço-alvo) e maior expansão da rede de lojas de conveniência (impacto de até R$2,9/ação), existem muitas dúvidas quanto ao momento e formato do processo. Quanto aos fundamentos de curto prazo, esperamos que a BR continue a perder participação de mercado para distribuidoras menores, levando a potenciais desapontamentos com resultados. Uma eventual oferta a mercado das ações da companhia será o principal fator a se monitorar para as ações, e o momento pode ser positivo dependendo da estrutura de uma oferta que leve a uma eventual privatização na empresa.


  • Ticker: CMIG4
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 16,0

Temos recomendação Neutra nas ações da Cemig, com preço alvo de R$16,0. Acreditamos que as expectativas de implementação de uma agenda positiva no governo Romeu Zema (Novo) estão precificadas, e o caminho para uma potencial privatização não é tão simples devido a necessidade de aprovação da privatização na assembleia legislativa e em referendo. Dito isso, ainda vemos oportunidades de geração de valor por redução de custos da companhia e potenciais vendas de ativos, o que pode levar a alta das ações no curto prazo.


  • Ticker: CSAN3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 68,0

Nossa recomendação baseia-se: (1) a consistente estratégia de marketing da Raízen Combustíveis, (2) a capacidade de geração de caixa da Raízen Energia em um ambiente ainda desafiador para preços de açúcar, (3) geração de valor na COMGAS com a conclusão da revisão tarifária da empresa e OPA para aquisição das ações preferenciais, (4) potencial de longo prazo com os ativos adquiridos na Argentina e (5) crescimento contínuo na divisão de lubrificantes Moove. Haja visto a complexidade de todas as linhas de negócio da empresa e alguns fatores negativos como as eleições argentinas e a maior competição no segmento de distribuição de combustíveis, acreditamos que as ações podem ficar sem direção definida no curto prazo.


  • Ticker: CPLE6
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 68,0

Temos cobertura da estatal Copel com recomendação de Compra e preço-alvo de R$68/ação. Como costuma acontecer com as estatais, as ações da empresa tradicionalmente negociam a desconto em relação ao setor devido a ineficiências de custo e alocação ineficiente de capital. Apesar dos problemas do passado, vemos um futuro mais promissor para a Copel devido a (1) iniciativas de redução de custos, que permitirão à distribuidora da companhia convergir para as referências de custos incorporadas nas contas de luz, (2) potenciais ganhos com a venda da Copel Telecom e (3) redução mais acelerada do endividamento com a maturidade dos investimentos realizados em geração.


  • Ticker: ENBR3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 26,0

Recomendamos Compra em EDP Energias do Brasil com um preço-alvo de R$26/ação. Acreditamos que a ação negocia a um desconto injustificado em relação a seus pares devido a: (1) maiores retornos com a construção de seus projetos de transmissão, (2) revisões tarifárias na EDP Espírito Santo (agosto 2019) e EDP São Paulo (outubro de 2019) que podem destravar valor pelo reconhecimento de investimentos do passado e (3) um portfólio de ativos de geração que apresentam elevado potencial de geração de caixa.


  • Ticker: EGIE3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 45,0

Temos recomendação Neutra nas ações da Engie Brasil com preço-alvo de R$45,0. Apesar de termos uma visão postiva da a estratégia de comercialização de energia otimizada da companhia e enxergarmos valor estratégico na aquisição de uma participação da rede de gasodutos TAG, vemos as ações como adequadamente precificadas, com potencial pagamento de dividendos em linha com a média do setor. No curto prazo, a ação deve se beneficiar de um cenário de queda das taxas de juros, que aumenta a atratividade de ações pagadoras de dividendos.


  • Ticker: EQTL3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$110,0

Recomendamos a compra das ações da Equatorial Energia, com preço-alvo de R$110,0. Nossa visão se ancora nos seguintes pontos: (1) potencial geração de valor com as recém-adquiridas distribuidoras Cepisa e Ceal por redução de custos e investimentos na rede, (2) eficiente gestão das distribuidoras Cemar e Celpa, (3) exposição ao resiliente segmento de transmissão, com chances de entrega antecipada de projetos. Dado o tempo que as iniciativas da empresa demoram para transparecer, acreditamos que as ações são mais adequadas a investidores de longo prazo.


  • Ticker: TRPL4
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 24,0

Apesar do segmento de transmissão de energia proporcionar a investidores um fluxo estável de dividendos em um momento de incertezas macroeconômicas, enxergamos dividend yields (dividendos divididos pelo preço da ação) mais atrativos em outras ações do setor elétrico. Quanto a oportunidades de crescimento, dada a maior competição em leilões de transmissão, necessitamos maior visibilidade sobre os retornos para os acionistas dos últimos ativos adquiridos, os quais podem se dar por economia de orçamento e / ou entrega antecipada dos projetos. No curto prazo, a ação deve se beneficiar de um cenário de queda das taxas de juros, que aumenta a atratividade de ações pagadoras de dividendos.


  • Ticker: TAEE11
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 33,0

Temos recomendação Neutra nas ações da TAESA, com preço-alvo de R$33,0. Apesar de termos uma visão positiva da estabilidade do segmento de transmissão de energia elétrica, baseado em uma estrutura de receitas fixas e do potencial de geração de valor com a maturação dos projetos em construção da companhia, vemos as ações como adequadamente precificadas e com potencial de pagamento de dividendos similar a pares no setor. No curto prazo, a ação deve se beneficiar de um cenário de queda das taxas de juros, que aumenta a atratividade de ações pagadoras de dividendos.

  • Ticker: PETR4
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 36,0

Vemos a Petrobras como excessivamente descontada em face de uma agenda positiva sem precedentes. As vendas de ativos são o grande destaque, com a venda das 8 refinarias podendo gerar R$52 a R$57 bi em recursos, e a venda de ativos de gás natural outros R$11 a R$13 bi. Finalmente, a conclusão da renegociação da Cessão Onerosa foi outro marco para a companhia.


  • Ticker: UGPA3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Vermelho
  • Preço-alvo: R$ 22,0

No curto prazo, há riscos de pressões de margens para a distribuidora Ipiranga em face da maior competição com distribuidoras menores, cujos efeitos foram apenas parcialmente compensados com o ganho de participação de mercado. Além disso, devido à lenta recuperação da economia brasileira em função das incertezas com a evolução das reformas necessárias, acreditamos que as demais linhas de negócios da Ultrapar como Oxiteno e Ultragaz, levarão mais tempo para apresentar melhorias nos resultados, implicando, portanto, uma abordagem mais cautelosa com as ações. Assim sendo, vemos o momento como negativo para as ações no curto prazo.


Mineração, Siderurgia, Papel e Celulose

  • Ticker: SUZB3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 40,0

Acreditamos que as ações da Suzano no patamar atual refletem preços de celulose a US$525/t, excessivamente baixo em nossa visão. Se assumirmos US$500/t (seria o preço mais baixo em 30 anos), as ações precisariam convergir para R$25/ação. No entanto, se assumirmos US$600/t, o que consideramos razoável, as ações convergiriam para R$50/ação. Vemos um maior risco de alta do que de baixa e uma relação risco/retorno positiva.


  • Ticker: CSNA3
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 17,0

As ações da CSN subiram ~90% no ano, devido aos fortes preços do minério de ferro e aos anúncios/notícias sobre as vendas de ativos. A ação superou o Ibovespa em ~78% e expressivamente seus pares. Após esse movimento, rebaixamos a CSN para Neutro de Compra, já que vemos as ações negociando a patamares justos em 6,5x EV/EBITDA 2019 – portanto, preferimos a Vale e a Gerdau para se posicionar nos setores minério de ferro e aço. Sobre os desinvestimentos, há outras vendas de ativos em andamento, mas podem levar algum tempo para se concretizarem.


  • Ticker: USIM5
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 8,5

Desde que mudamos nossa recomendação para Neutra em março, as ações caíram 15%, frente a um fraco ambiente doméstico e revisão de expectativas para baixo. Ainda vemos um ambiente bastante desafiador ao longo do próximo ano, com demanda fraca e dificuldade para aumento de preços, enquanto as ações negociam a 6,8x EV/EBITDA 2019, prêmio de 25% à Gerdau, que parece alto em nossa visão. Esperamos que os resultados recuperam apenas quando a atividade de fato acelerar e o poder para aumentar preços melhorar, o que vemos mais como uma história de 2020.

  • Ticker: GGBR4
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 19,0

Nosso nome favorito dentre as siderúrgicas. Assumindo EBITDA estável em 2019 vs. 2018, vemos as ações negociando em 5x EV/EBITDA em 2019, um desconto de 25% para Usiminas e CSN e 25% abaixo do que consideramos justo, com 11% de rendimento na geração de caixa em 2019-20. Embora mais uma história de 2020, esperamos que os resultados acelerem gradualmente, com um patamar das ações muito atrativo neste momento. Esperamos que a Gerdau atinja dívida líquida/EBITDA de 1,4x até o final de 2019. Assim, vemos potencial para um aumento significativo no pagamento de dividendos nos próximos anos, com um potencial de 10% de rendimento em 2020.


  • Ticker: GOAU4
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 9,0

O valor de mercado da GOAU encontra-se 26% abaixo do valor que representa sua participação na Gerdau e na nossa opinião, deve diminuir para 10% devido a (1) menor alavancagem e balanço mais enxuto e (2) potencial de aceleração de dividendos seguindo nossa visão positiva para a Gerdau. Atualmente, a única dívida remanescente da GOAU são as debêntures conversíveis emitidas em 2016, com vencimento em 9 de agosto – a GOAU ainda tem R$250mi em debêntures, que serão convertidas em ações, desalavancando completamente seu balanço.


  • Ticker: KLBN11
  • Recomendação : Neutro
  • Curto prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$19,0

Embora mais resistente aos preços de celulose do que a Suzano, acreditamos que um curto prazo desafiador para a celulose também deve manter as ações da Klabin pressionadas, enquanto a empresa está entrando em uma fase de investimentos, com o projeto Puma II, para expandir sua capacidade de papel, com produção somente em 2022 (ou seja, uma fase de maior endividamento). Além disso, os resultados do segmento de papel devem permanecer fracos até vermos a atividade econômica recuperando no Brasil.


  • Ticker: VALE3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 68,0

Na nossa visão, potenciais riscos estão sendo cada vez mais mitigados, o que deve gradualmente permitir que as ações sejam negociadas de volta com base nos fundamentos. Após provisionar a maior parte do passivo com a tragédia de Brumadinho (US$4,5bi), a Vale está focada em chegar a acordos com partes e autoridades afetadas até 2019 ou início de 2020. O acordo colocaria um fim às incertezas operacionais e legais remanescentes, permitindo que a empresa se concentre em seus negócios e que as ações sejam negociadas de volta aos fundamentos. As ações da Vale permanecem com desconto aos pares (20-25%), negociadas a 4,1x EV/EBITDA 2019, e esperamos uma convergência gradual para os 10-15% que consideramos justos, com uma rentabilidade de 10-15% de sua geração de caixa em 2019-20.


  • Ticker: BRAP4
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 48,0

Temos recomendação de Compra para as ações da Bradespar, preço-alvo de R$48/ação, seguindo nossa visão positiva sobre a Vale. O valor de mercado da BRAP encontra-se 28% abaixo do valor que representa sua participação na Vale e na nossa opinião, deve diminuir para níveis históricos de 10-15%, devido (1) ao fim do processo com a Elétron; (2) alavancagem significativamente baixa – a Bradespar vendeu 39mi de ações da Vale no ano passado, levantando R$2bi e diminuindo sua participação de 6,4% para 5,7% hoje; e (3) a potencial aceleração dos dividendos da Vale em 2020, com um balanço sólido e à medida que a empresa avança gradualmente após tragédia de Brumadinho.


Transportes, Shoppings, Bens de Capital e Rodovias

  • Ticker: AZUL4
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: 60,0

Ainda vemos potencial de valorização para as ações, baseado em valuation atrativo e expansão de margens sustentada para frente, por sua vez impulsionada por ganhos de eficiência com a entrada de jatos de nova geração e um cenário macro potencialmente mais benigno. A valorização sequencial do Real nas últimas semanas em conjunto com preços mais baixos de petróleo, têm se refletido positivamente nas ações. Essa tendência pode perdurar caso essas variáveis mantenham a trajetória positiva.


  • Ticker: BRML3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 17,0

Temos recomendação de compra para as ações da brMalls, baseada nos múltiplos atrativos e no portfólio de ativos beneficiado mais diretamente pela acentuação da recuperação econômica, tendo em vista a base de comparação mais fraca e a base de consumidores/locatários mais heterogênea e, portanto, mais sensível ao ciclo econômico. Não incorporamos nenhuma adição de área em nosso modelo e, portanto, fusões, aquisições, expansões e desenvolvimento de novos shoppings representam potencial adicional às nossas estimativas.


  • Ticker: GOLL4
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: 45,0

Temos recomendação neutra para as ações de Gol, que acreditamos negociar próximo ao patamar justo dado o potencial de crescimento embutido em nossas estimativas. No entanto, reconhecemos que a recente redução de capacidade por parte da Avianca tende a beneficiar o ambiente de precificação. Entretanto, ressaltamos que o desfecho em relação ao ambiente competitivo ainda segue incerto. A valorização sequencial do Real nas últimas semanas em conjunto com preços mais baixos de petróleo, têm se refletido positivamente nas ações. Essa tendência pode perdurar caso essas variáveis mantenham a trajetória positiva.


  • Ticker: IGTA3
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: 58,0

Temos recomendação de compra, visto que acreditamos que a empresa reúna (i) um portfólio de alta qualidade, com potencial maturação dos ativos mais novos do portfólio; (ii) múltiplos atrativos e (iii) melhora no ambiente econômico, resultando em descontos sequencialmente mais baixos, taxas de ocupação mais altas e contratos de aluguel firmados a condições melhores. Nossos números não consideram expansões de ABL (área bruta locável), o que poderia resultar em potencial adicional às estimativas.


  • Ticker: RENT3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: 49,5

Temos recomendação de compra para as ações de Localiza, com preço-alvo de R$ 49,50/ação. Apesar de negociar a múltiplos mais altos, acreditamos que fatores como (i) maior capacidade de crescimento em relação aos concorrentes, (ii) maior poder de precificação, (iii) momento macro/setorial favorável, com ênfase em taxas de juros estruturalmente mais baixas, e (iv) uma execução de primeira linha justifiquem o prêmio. Após resultados do 2T19 com desempenho saudável, continuamos observando sinais sequenciais de crescimento.


  • Ticker: MOVI3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: 19,0

Temos recomendação de compra para as ações de Movida, com preço-alvo de R$ 19,00/ação. Embora a execução no segmento de Seminovos continue sendo o principal risco para a nossa tese, vemos um caminho mais claro em direção ao turnaround do segmento após o legado positivo deixado nos últimos trimestres. Além disso, acreditamos que a companhia esteja bem posicionada para se beneficiar do momento positivo do setor e crescer com rentabilidade.


  • Ticker: MULT3
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: 31,0

Temos recomendação Neutra para as ações de Multiplan. Apesar de reconhecermos a alta qualidade do portfólio e o histórico sólido de gestão dos ativos e execução, acreditamos que o prêmio atual dos múltiplos em relação aos competidores e aos níveis históricos confiram assimetria menor em termos relativos. Vale relembrar que a maior exposição do portfólio da Multiplan ao segmento de alta renda serviu como proteção aos efeitos adversos da crise.


  • Ticker: LCAM3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: 60,0

Temos recomendação de compra para as ações de Unidas, que acreditamos negociar a múltiplos atrativos vis à vis o potencial de crescimento. A empresa conta hoje com uma estrutura de capital menos pesada em dívidas e segue entregando crescimento robusto de volumes. Esperamos que essa tendência continue nos próximos trimestres, suportada (i) pela retomada da economia, (ii) pelos juros mantidos a patamares mais baixos, e (iii) pelo fato de ainda haver espaço para consolidação no setor, com empresas maiores ampliando suas vantagens competitivas em relação aos players menores.


  • Ticker: WEGE3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: 19,7

Temos recomendação neutra para as ações de WEG, cujo valuation acreditamos já incorporar as perspectivas robustas de crescimento. Hoje as ações negociam a prêmio em relação à média histórica e aos principais competidores globais, apesar de perspectivas semelhantes de crescimento. No Brasil, projetos de energia deverão continuar contribuindo para o crescimento das receitas, enquanto o segmento industrial deve se recuperar mais forte conforme empresas locais e estrangeiras retomarem investimentos em aumento de capacidade.


  • Ticker: ECOR3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: 17,0

Recomendamos as ações da Ecorodovias com base em três principais pilares: (i) melhora sequencial nos indicadores financeiros, reflexo da aceleração no tráfego e na maturação de projetos mais novos; (ii) cronograma robusto de projetos nos próximos anos, aliado a ventos favoráveis na esfera macroeconômica; e (iii) nossa percepção de que o nível atual de preço ainda ofereça potencial interessante.


  • Ticker: CCRO3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: 18,8

Temos recomendação Neutra para as ações da CCR. Acreditamos que a empresa esteja bem posicionada para participar dos leilões de infraestrutura dos próximos anos, e que o estágio maduro da maior parte das concessões da companhia permita geração de caixa saudável. Porém, acreditamos que no nível atual de preço os investidores já estejam pagando por crescimento, e portanto enxergamos um potencial de valorização mais limitado.


Varejo

  • Ticker: BTOW3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 57,0

A B2W esteja bem posicionada para continuar entregando um forte crescimento daqui para frente. Esperamos que o valor total de mercadorias vendidas (GMV) apresente um crescimento anual médio de +22% até 2023, com a B2W atingindo uma participação de mercado de 23% (21% atualmente). Porém, acreditamos que as ações já estejam precificando uma perspectiva de crescimento robusta e por isso temos de recomendação de Neutro para as ações da B2W com preço-alvo de R$57/ação para final de 2020.


  • Ticker: CRFB3
  • Recomendação: Neutro
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 20,0

Temos recomendação de Neutro para as ações do Carrefour Brasil com preço-alvo de R$20/ação para final de 2020. Apesar de vermos espaço para consolidação do setor alimentar através da bandeira Atacadão (do formato Atacarejo), achamos que boa parte desse crescimento já esteja refletido nos múltiplos. Além disso, no curto prazo, a desaceleração da inflação de alimentos pode pressionar o crescimento de vendas, principalmente do Atacadão.


  • Ticker: LREN3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 64,0

Temos recomendação de Compra para a Renner com preço-alvo de R$64/ação para final de 2020. Observamos alguns fatores positivos que, na nossa opinião, devem impulsionar o crescimento de lucro da Lojas Renner em 2020, como (i) posição forte em um setor com exposição relativamente maior a melhora do ambiente de consumo, e (ii) maior potencial de aumento da rentabilidade, por meio de alavancagem operacional adicional (já que cerca de 70% das despesas da empresa são fixas). Dessa forma, acreditamos que a forte perspectiva de crescimento dos lucros sustentará múltiplos altos e, portanto, impulsionará o desempenho superior das ações no próximo ano.


  • Ticker: LAME4
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 20,0

Temos recomendação Neutra para as ações da Lojas Americanas com preço-alvo de R$ 20/ação para final de 2020. Vemos desafios que provavelmente limitarão o potencial de crescimento da empresa no futuro, como: (i) Potencial limitado de crescimento via abertura de lojas do formato atual, com muitos locais saturados após a conclusão do plano da empresa de abrir 800 lojas em 5 anos; (ii) Retornos decrescentes, à medida que os esforços de crescimento de área da empresa se deslocam para locais mais remotos, com menor produtividade; e (iii) Alta exposição das vendas a categorias com uma maior probabilidade de migração para o canal on-line (brinquedos, roupas básicas, eletrônicos).


  • Ticker: MGLU3
  • Recomendação: Neutra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 45,0

Acreditamos que a empresa esteja bem posicionada para se beneficiar do cenário de melhora econômica, não apenas devido a sua forte presença em subsetores que apresentam forte demanda reprimida (principalmente duráveis), mas também em função da sua presença cada vez mais relevante no mercado de e-commerce, principalmente após a aquisição da Netshoes. Porém, temos dificuldade em justificar um potencial de alta significativo nos níveis atuais e por isso temos recomendação de Neutro para Magazine Luiza com preço-alvo de R$45/ação para final de 2020.


  • Ticker: PCAR4
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$105,0

Temos recomendação de Compra para o GPA, com preço-alvo de R$105/ação para final de 2020. Dentro do varejo alimentar, nossa preferência pelo GPA é relacionada a seus múltiplos mais atrativos. Acreditamos que a empresa está bem posicionada no segmento de Atacarejo (através do Assai) para ganhar participação no mercado e de que as melhorias operacionais no Multivarejo não estão totalmente precificadas. Apesar disso, no curto prazo, a desaceleração da inflação de alimentos pode pressionar o crescimento de vendas, principalmente do Assaí.

  • Ticker: VVAR3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Amarelo
  • Preço-alvo: R$ 12,0

Temos recomendação de Compra para a Via Varejo (VVAR3) com preço-alvo de R$ 12,0/ação para final de 2020. Acreditamos que a nova gestão esteja fazendo um bom trabalho e tenha os incentivos certos para avançar na retomada do crescimento. Isso, combinado a uma melhora do ambiente de consumo de maneira geral, nos leva a esperar que a tendência dos resultados da companhia continue positiva, embora observemos que a recuperação deve ser gradual e o caminho árduo.

VIVARA
  • Ticker: VIVA3
  • Recomendação: Compra
  • Curto Prazo: Verde
  • Preço-alvo: R$ 30,0

Temos recomendação de Compra para a Vivara (VIVA3) com preço-alvo de R$30,0/ação para final de 2020. Após sua recente oferta pública inicial de ações (IPO), a Vivara está bem capitalizada e pronta para acelerar o crescimento por meio de um plano ambicioso de abrir 514 novas lojas nos próximos cinco anos. Esperamos que isso sustente um crescimento robusto por mais tempo. No geral, estimamos um crescimento médio anual para 2019-2022e de 23% em receita, 26% em EBITDA e 26% em lucro, com retornos sólidos (ROIC de ~ 30% em 2023E).

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM