XP Expert

Aneel adia habilitação do Consórcio Gênesis no leilão de LT; veja o Radar Energia XP | Julho

Criamos este relatório com notícias do setor de energia que complementam nossos comentários publicados no Morning Call.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Bom dia! Neste relatório diário publicado todas as manhãs, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo falam sobre os principais assuntos, tendências e companhias que formam o setor. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo.

Segunda-Feira, 31 de Julho

Destaques: (i) PLD Mínimo pode cair 9,3% em 2024, aponta estudo da Ampere (MegaWhat); (ii) Aneel adia habilitação do Consórcio Gênesis no leilão de LT (Canal Energia); (iii) Aliados de Zema podem estar preparando terreno para privatização da Cemig (O Tempo).

PLD Mínimo pode cair 9,3% em 2024, aponta estudo da Ampere

A redução da inflação nos Estados Unidos e a valorização do Real em relação ao dólar devem impactar o valor do Preço de Liquidação das Diferenças Mínimo (PLDMin) de 2024. Simulação realizada pela Ampere Consultoria mostra que, nas atuais condições, o valor poderia diminuir dos R$ 69,04/MWh estabelecidos para este ano para R$ 62,63/MWh no ano que vem. (MegaWhat)

Aneel adia habilitação do Consórcio Gênesis no leilão de LT

Data para a divulgação da análise ficou para 4 de agosto, todas as demais vencedoras tiveram a habilitação confirmada pela autarquia. (Canal Energia)

Aliados de Zema podem estar preparando terreno para privatização da Cemig

Vice-governador Mateus Simões e deputados da base governista tecem críticas ao desempenho da Companhia. (O Tempo)

Reservatórios terminarão agosto com volume acima dos 70%, diz ONS

Os níveis dos reservatórios das hidrelétricas devem ficar todos acima da casa dos 70% no fim de agosto. Dados do Sumário do Programa Mensal da Operação divulgados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico nesta sexta-feira, 28 de julho, mostram que o volume no Sudeste/Centro-Oeste deve chegar a 79%.

Equinor cresce em renováveis no Brasil com M&A de R$ 3,5 bi

Depois da francesa TotalEnergies comprar parques eólicos da Casa dos Ventos no ano passado, a Equinor (a gigante norueguesa anteriormente conhecida como Statoil) fechou este mês a compra da Rio Energy, uma geradora de energia eólica e solar. (Brazil Journal)

Leia mais em https://braziljournal.com/equinor-cresce-em-renovaveis-no-brasil-com-ma-de-r-35-bi/ .

Proposta de novo projeto de modernização é bem vista por especialistas

Demora na aprovação do PL 414 levou ao surgimento de novos problemas que não são abarcados, mas a avaliação é de que o projeto que está parado na Câmara é um bom começo e não pode ser desperdiçado. (Canal Energia)

GD solar brasileira ultrapassa capacidade instalada da maior usina hidrelétrica do mundo

A geração solar distribuída ultrapassou a marca de 22,5 GW de potência instalada no Brasil, superando a capacidade instalada da maior usina hidrelétrica do mundo, a UHE Três Garganta (22,5 GW), localizada na China. Dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) apontam que o estado de São Paulo é o líder em geração na modalidade, respondendo por 3GW. (MegaWhat)

Celso Cunha escreve – Angra 3: sua conclusão é urgente para o setor energético brasileiro

No âmbito do setor elétrico brasileiro, a conclusão da Usina Termonuclear Angra 3 (UTN Angra 3) tornou-se uma questão urgente. O Operador Nacional do Sistema (ONS), órgão responsável pela coordenação e controle do sistema elétrico nacional, já manifestou formalmente ao Ministério de Minas e Energia (MME) a importância estratégica da UTN Angra 3 nos estudos de planejamento da operação do Sistema Elétrico Brasileiro (SEB).

Cesp vai receber ressarcimento de R$ 380,7 milhões por unidade geradora danificada da UHE Três Irmãos

A CESP vai receber 380,7 milhões pelo ressarcimento dos custos desembolsados pela empresa após danos em uma unidade geradora da hidrelétrica Três Irmãos, em fevereiro de 2014. O montante também engloba os reparos realizados pela empresa no sistema anti-incêndio. (MegaWhat)

Sexta-Feira, 28 de Julho

Destaques: (i) Distribuição: MME espera entregar relatório para renovação em até 20 dias (Canal Energia); (ii) Privatização da Sabesp avança, e SP flerta com modelo de “golden share” e acionistas de referência (CNN Brasil); (iii) Governo pode desistir do PL 414 (Canal Energia).

Distribuição: MME espera entregar relatório para renovação em até 20 dias

Ministro Alexandre Silveira afirmou que deverá visitar TCU na semana que vem para tratar do assunto. (Canal Energia)

Privatização da Sabesp avança, e SP flerta com modelo de “golden share” e acionistas de referência

Governo Tarcísio de Freitas teria preferência por formato que mantenha poder de veto e acionistas de referência após venda da empresa, segundo fontes ouvidas pela CNN. (CNN Brasil)

Governo pode desistir do PL 414

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, afirmou nesta quinta-feira, 27 de julho, em São Paulo, que a alternativa mais rápida é que deverá ser tomada, se com adições ao PL que está na Câmara dos Deputados desde o início de 2022, ou por meio de outro projeto a ser apresentado. (Canal Energia)

Leilão de reserva de capacidade está previsto para 2024, após consulta pública de novo modelo

Com apenas mais um leilão previsto para este ano, o de transmissão que ficou para dezembro, o governo estuda uma nova formatação para o leilão de reserva de capacidade, com mais produtos, ampliação de competição e do escopo tecnológico. (MegaWhat)

MME quer aprimoramentos para próximo leilão de transmissão

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse que o governo trabalha com a possibilidade de que haja aprimoramentos na metodologia para leilões de transmissão para assegurar que haja mais concorrência entre empresas do setor. (Canal Energia)

Abradee defende regulação por incentivo e redução de subsídios

O presidente da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), Marcos Madureira, defendeu o modelo de regulação por incentivo, pelo qual as distribuidoras compartilham os ganhos de eficiência com os consumidores. (MegaWhat)

Silveira: Brasil apresentará proposta sobre Itaipu ao Paraguai até início de setembro

Ideia é de que proposta seja de equilíbrio para atender interesse dos sócios na usina. O Brasil deverá apresentar até o início de setembro uma proposta para a revisão do Anexo C, que estabelece as bases comerciais do Tratado de Itaipu. (Canal Energia)

PCHS da Cemig vão a leilão I

A Cemig colocou a venda, através de leilão, quinze Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), sendo treze instaladas em Minas Gerais e duas localizadas em Santa Catarina. (O Tempo)

El Niño eleva previsão da carga para os próximos meses

O Operador Nacional do Sistema (ONS) estima que a carga do Sistema Interligado Nacional (SIN) encerre o mês de julho em 69.120 MW médios, o que representa uma redução de 0,2% em relação ao mesmo mês de 2022. (MegaWhat)

Quinta-Feira, 27 de Julho

Destaques: (i) Preços baixos da energia geram corrida por contratos de longo prazo (Valor Econômico); (ii) CP da prorrogação de distribuidoras recebe 44 contribuições (Canal Energia); (iii) Copel lança oferta de R$ 5 bi e se aproxima da privatização (Brazil Journal).

Preços baixos da energia geram corrida por contratos de longo prazo

Insumo elétrico barato é bom para consumidores, porém é considerado danoso ao ambiente de investimentos das geradoras. (Valor Econômico)

CP da prorrogação de distribuidoras recebe 44 contribuições

Governo recebeu opiniões apontando que captura de excedente econômico não faz sentido para a situação de rentabilidade das concessionárias, além de sugestões de preparar o setor para a abertura do mercado. (Canal Energia)

Copel lança oferta de R$ 5 bi e se aproxima da privatização

A Copel acaba de lançar uma oferta de ações que vai culminar na privatização da companhia elétrica controlada hoje pelo Estado do Paraná. (Brazil Journal)

Conta de luz do brasileiro deve continuar alta

Migração de consumidores para o ambiente livre tem deixado uma parcela de custos para a CDE [fundo criado para bancar políticas públicas] ao mercado cativo. (Valor Econômico)

Neoenergia: Inadimplência deve estabilizar no segundo semestre

Companhia espera retomar nível de arrecadação de R$ 45 milhões mensais com perspectiva da queda de juros em agosto e programa de negociação de dívidas do governo. (Canal Energia)

Copasa em Nova Lima, Tiradentes

Muito do lucro da Copasa que será distribuído vem de uma operação meia-boca, especialmente na rubrica “esgoto”. (O Tempo)

EDP Brasil tem menos de 5% de ações em circulação

Ação ocorreu no âmbito da OPA. Controladora quer assembleia para definir resgate compulsório. (Canal Energia)

Contrapartidas fiscais são ‘contrassenso’ em processo de renovação das distribuidoras, diz Capelastegui

A proposta colocada em consulta pública sobre a renovação da concessão das distribuidoras chegou muito próxima da discussão entre as concessionárias e o Ministério de Minas e Energia (MME), no entanto, dois pontos ficaram fora desse entendimento, segundo o CEO da Neoenergia, Eduardo Capelastegui. (MegaWhat)

ANA terá R$ 13,5 milhões para Política de Recursos Hídricos e fiscalização

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva aprovou R$ 497,9 milhões em reforços no orçamento fiscal e de seguridade social para diversos órgãos públicos. (MegaWhat)

Quarta-Feira, 26 de Julho

Destaques: (i) Copel lança oferta de ações no processo de privatização (Valor Econômico); (ii) Neoenergia tem lucro de R$ 728 mi no segundo trimestre de 2023 (Canal Energia); (iii) Equatorial, EDP e Neoenergia registram alta na energia distribuída no 2º tri, apesar do crescimento da GD (MegaWhat).

Copel lança oferta de ações no processo de privatização

Operação poderá levantar até R$ 5 bilhões; precificação dos papéis, que culminará no final com na privatização, deverá ocorrer no dia 8 de agosto. (Valor Econômico)

Neoenergia tem lucro de R$ 728 mi no segundo trimestre de 2023

Resultado representa queda de 32,28% ante 2022 e no acumulado do ano o resultado positivo é de R$ 1,9 bilhão, retração de 17,4% na mesma base de comparação. (Canal Energia)

Equatorial, EDP e Neoenergia registram alta na energia distribuída no 2º tri, apesar do crescimento da GD

Equatorial, EDP e Neoenergia registram crescimento em quase todas as suas concessionárias de distribuição no 2T23 na comparação com o mesmo período do ano passado. A GD por sua vez representou um percentual relevante da energia consumida no período. (MegaWhat)

Operadoras de resíduos sólidos se reúnem em nova entidade

A Abrema será presidida por Pedro Maranhão, ex-secretário nacional de saneamento. (Valor Econômico)

Setor de saneamento terá 29 leilões até 2026, com ao menos R$ 54 bi em investimentos

Concessões vão beneficiar mais de 46 milhões de brasileiros. Para assegurar metas de universalização até 2033, atual ritmo de aportes deve dobrar. (O Globo)

Copasa em Fechos

Denúncia feita pela coluna sobre a grave poluição do ribeirão dos Fechos ajudou a apurar que a responsabilidade está em ETE da Copasa ETE próxima à unidade de preservação (O Tempo)

Descomissionamento deverá entrar na pauta do setor eólico

Transmissão de energia continua a ser gargalo para segmento. (Canal Energia)

Acordo político pode destravar concessões e PPPs

Companhias estaduais ganharam prazo até dezembro de 2023 para comprovar capacidade econômico-financeira de cumprir as metas de universalização. (Valor Econômico)

Eletrobras vai investir R$ 2, 9 bi em energia com baixa emissão de gases de efeito estufa na região da Amazônia

Companhia terá dez anos para implementar soluções de sustentabilidade em comunidades isoladas. (Valor Econômico)

Isa Cteep obtém licença de instalação para linhas de transmissão do projeto Minuano (RS)

Minuano é o empreendimento do lote 01 do leilão realizado pela Aneel em dezembro de 2019. (Valor Econômico)

Terça-Feira, 25 de Julho

Destaques: (i) Eletrobras detalha investimentos previstos até 2027, que devem chegar a R$ 80 bi (Valor Econômico); (ii) Aneel sorteia processo que pode cassar concessão da Light (Valor Econômico); (iii) Falhas nas pás em Oitis foram corrigidas, apontam Neoenergia e LM (Canal Energia).

Eletrobras detalha investimentos previstos até 2027, que devem chegar a R$ 80 bi

A Eletrobras detalhou nesta segunda-feira as estimativas de investimentos para o período de 2023-2027, que devem ficar entre R$ 70 bilhões e R$ 80 bilhões, segundo a elétrica. (Valor Econômico)

Aneel sorteia processo que pode cassar concessão da Light

O responsável pelo caso será Hélvio Guerra, considerado um dos diretores mais independentes do órgão regulador de energia no país. (Valor Econômico)

Falhas nas pás em Oitis foram corrigidas, apontam Neoenergia e LM

Foram duas ocorrências, uma em dezembro de 2022 e outra no final de junho que afetaram o complexo localizado no Nordeste e que terá 566,5 MW de potência instalada. (Canal Energia)

Receitas anuais de geração da Emae chegam a R$ 396,9 milhões após 2ª revisão da Aneel

A Emae informou que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) homologou as receitas anuais de geração para o ciclo 2023-2024, resultantes da 2ª revisão das Receitas Anuais de Geração (RAG) das usinas enquadradas no regime de cotas de garantia física e de potência. Os valores são resultado da aplicação de nova metodologia de cálculo. (Valor Econômico)

Energia barata e pressões travam a Eletrobras

O desempenho das ações da Eletrobras aquém do esperado desde a privatização da companhia, em junho do ano passado, não tem relação apenas com as críticas do atual governo, que vem atuando para aumentar poder de voto na empresa. O baixo preço da energia elétrica é visto como um dos fatores para que a cotação dos papéis da elétrica não decolem. (Valor Econômico)

CCC deve ficar em R$ 11 bi mesmo com interligação de RR ao SIN, aponta TR

Redução do gasto com diesel para Roraima será compensada pela evolução dos custos de operação e manutenção dos sistemas de energia solar no Norte do país. (Canal Energia)

Rio de Janeiro anuncia projeto-piloto para testar viabilidade de eólicas offshore

O estado do Rio de Janeiro anunciou, no dia 21 de julho, um projeto-piloto para testar a viabilidade da implantação de usinas eólicas offshore. Um dos objetivos do grupo de trabalho é contribuir com a regulação da atividade, oferecendo acompanhamento e suporte aos projetos que hoje tramitam no Congresso Nacional. (MegaWhat)

Segunda-Feira, 24 de Julho

Destaques: (i) Mercado aguarda os IPOs de Iguá e Aegea (Valor Econômico); (ii) O que está em jogo com a crise dos projetos de energia eólica (Bloomberg); (iii) Equinor acerta compra da Rio Energy (Canal Energia).

Mercado aguarda os IPOs de Iguá e Aegea

Após dois anos sem ofertas públicas iniciais de ações, companhias são apostas para reabrir o mercado no início de 2024. (Valor Econômico)

O que está em jogo com a crise dos projetos de energia eólica

Bilhões de dólares de investimentos na energia renovável foram cancelados nesta semana em meio a um cenário de custos mais altos. (Bloomberg)

Equinor acerta compra da Rio Energy

Operação é mais uma aquisição da petroleira na área de renováveis no mundo, envolvendo ativos selecionados e pipeline de projetos eólicos e solares. (Canal Energia)

Relação com cliente será essencial para o futuro das distribuidoras

Empresas terão o desafio de conhecer bem o perfil de consumo para suprir eventuais necessidades, alertam especialistas. (Valor Econômico)

Eólica da Neoenergia também tem operação de aerogeradores suspensa após queda de pás da LM Wind

A eólica Oitis 8, operada pela Neoenergia no município de Dom Inocêncio, no Piauí, teve suspensas as operações das unidades UG1 e UG5, de 5,5 MW cada, pelo mesmo motivo: rupturas das pás, ambas fabricadas pela LM Wind Power, subsidiária da GE. (MegaWhat)

Grandes consumidores optam pela autoprodução

Estratégia reduz custos e assegura acesso a energia limpa com foco na descarbonização. (Valor Econômico)

Distribuidoras apostam em unidades de comercialização

Empresas atuam para que consumidores sigam conectados aos conglomerados econômicos. (Valor Econômico)

Abertura deve estimular novas migrações no setor industrial

Estima-se que mais de 25 mil indústrias deixem o mercado cativo para o ambiente livre. (Valor Econômico)

Solar tem custos em declínio

A potência instalada no país cresceu quatro vezes de 2020 para cá, de 8,4 GW para 32 GW. (Valor Econômico)

Abegás apresenta medidas para desenvolver mercado de gás a governador da Bahia

Entidade sugeriu a viabilidade da exploração e produção da Margem Equatorial, em linha com o programa Gás para Empregar. (Valor Econômico)

Alupar obtém autorização para operação comercial de parque eólico em Jandaíra (RN)

Fase de testes do parque eólico teve início em 6 de junho de 2023. (Valor Econômico)

Crescem os serviços de assinatura, sem necessidade de instalação de placas

Empresas oferecem planos digitais de créditos de energia limpa para clientes residenciais e pequenas e médias empresas. (Valor Econômico)

Concessionária de Belo Monte tem compensação de CO2 equivalente a 826 mil residências

Número de residências equivale à soma dos domicílios registrados em municípios paraenses como Belém, Altamira e Vitória do Xingu, segundo a concessionária. (Valor Econômico)

Sexta-Feira, 21 de Julho

Destaques: (i) Julho começa com 12 recordes de geração eólica e solar (Canal Energia); (ii) Subsidiária da Cemig conclui compra dos 51% restantes de participação em SPEs, por R$ 47,4 milhões (Valor Econômico); (iii) Emae lança programa de desligamento incentivado para seus funcionários (Valor Econômico).

Julho começa com 12 recordes de geração eólica e solar

Ambas as fontes tiveram seus recordes médios no SIN registrados em 4 de julho. (Canal Energia)

Subsidiária da Cemig conclui compra dos 51% restantes de participação em SPEs, por R$ 47,4 milhões

As quatro Sociedades de Propósito Específico são detentoras de quatro usinas fotovoltaicas em operação na cidade de Lavras, Estado de Minas Gerais. (Valor Econômico)

Emae lança programa de desligamento incentivado para seus funcionários

Companhia diz que funcionários interessados em aderir ao programa podem se inscrever a partir desta quinta-feira (20) até o dia 10 de agosto e os desligamentos vão acontecer até o fim de agosto de 2024. (Valor Econômico)

Pan American investe R$ 3 bi em parques eólicos na Bahia

Do total de recursos, R$ 900 milhões deverão vir de empréstimos do BNDES, R$ 300 milhões com o BNB e R$ 1,8 bilhão de recursos próprios. (Valor Econômico)

Ministro discute na Índia descarbonização da Amazônia e energia limpa

Iniciativa foi discutida em compromissos no encontro do G20. Com os EUA, ele tratou ainda da cooperação na captura de carbono. (Canal Energia)

Governo prepara evento para investidores e mercado de energia em São Paulo

O Ministério de Minas e Energia (MME) vai realizar, em 27 de julho, o evento Conexão MME Investidores, quando o ministro Alexandre Silveira e os secretários da pasta irão fazer apresentações sobre o setor a investidores convidados. (MegaWhat)

Quinta-Feira, 20 de Julho

Destaques: (i) TCU tira da pauta análise de outorgas e atrasa oferta da Copel em uma semana (Valor Econômico); (ii) Reforma Tributária: setor de energia teme conta de luz mais cara com brecha para imposto seletivo (O Globo) (iii) Petrobras analisa entrar em dois projetos de eólica offshore no exterior (MegaWhat).

TCU tira da pauta análise de outorgas e atrasa oferta da Copel em uma semana

Órgão analisa o valor de R$ 3,71 bilhões definido pelos ministérios de Minas e Energia e da Fazenda pelos novos contratos de três hidrelétricas que somam 4,17 GW. (Valor Econômico)

Reforma Tributária: setor de energia teme conta de luz mais cara com brecha para imposto seletivo

Técnicos do Ministério da Fazenda afirmam que não existe intenção de criar tributo para o setor em lei complementar. Artigo também permite taxar telecomunicações, derivados de petróleo, combustíveis e minerais. (O Globo)

Petrobras analisa entrar em dois projetos de eólica offshore no exterior

Enquanto o marco regulatório para geração de energia eólica offshore não sai no Brasil, a Petrobras analisa entrar em dois projetos no exterior, em participação minoritária, para ganhar experiência e conhecimento, disse o diretor de Transição Energética e Energias Renováveis, Maurício Tolmasquim. (MegaWhat)

Aneel define metodologia para revisão da receita anual das UHEs do regime de cotas

O resultado da consulta pública nº 13/2023, que discutiu metodologia de Revisão da Receita Anual de Geração (RAG) e do Fator X das hidrelétricas enquadradas no regime de cotas de garantia física e de potência, foi aprovado nesta terça-feira, 18 de julho, pela diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). (MegaWhat)

Aneel recomenda caducidade de concessão por atraso em LT no Nordeste

Empreendimento de 95 km entre PI e MA deveria ter sido implantando pela Ribalsas até setembro de 2022. (Canal Energia)

Omega e EDF Renewables assinam memorando para permuta de participações em ativos

Negociação envolve compra e venda de 50% que companhias possuem no Complexo Solar Pirapora e no Complexo Eólico Ventos da Bahia. (Canal Energia)

Comercializadores pedem abertura da sociedade da BBCE ao mercado

Um grupo de comercializadoras de grande representatividade no mercado, insatisfeito com aumentos no custo mínimo cobrado pela BBCE para uso de seus serviços, está se movimentando para negociar com a plataforma a abertura da sua sociedade ao mercado, com a criação da figura do associado, o que envolveria a alteração da sua governança e a instauração de um modelo de custeio semelhante ao da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). (MegaWhat)

Quarta-Feira, 19 de Julho

Destaques: (i) Tanure fala em “negociar para compor” e diz que Light pode valer “dezenas de bilhões” (Brazil Journal); (ii) Sobrevivência de termelétrica a carvão, no sul do país, expõe o dilema ESG (Valor Econômico); (iii) Receita de UHEs cotistas cai, mas tarifa aumenta para R$168,71/MWh (Canal Energia).

Tanure fala em “negociar para compor” e diz que Light pode valer “dezenas de bilhões”

No dia em que a Light elegeu seu novo conselho de administração, Nelson Tanure falou com o Brazil Journal sobre seus planos para a companhia, as negociações com os credores e a expectativa de que a Light possa valer “dezenas de bilhões de reais,” assim como outras distribuidoras. (Brazil Journal)

Sobrevivência de termelétrica a carvão, no sul do país, expõe o dilema ESG

Além de um comprador para usina operada pela Eletrobras, agentes querem convencer o governo sobre a importância de um contrato de energia de longo prazo. (Valor Econômico)

Receita de UHEs cotistas cai, mas tarifa aumenta para R$168,71/MWh

Processo tarifário foi influenciado pela saída de usinas da CEEE-G e da descotização da Eletrobras. (Canal Energia)

Tanure entra no conselho de administração da Light

A chapa indicada pela WNT Gestora de Recursos, ligada ao empresário, teve 89,4% dos votos dos acionistas que participaram da AGE. (Valor Econômico).

Reforma do IR só virá após reforma do consumo, diz Haddad

Segundo o ministro da Fazenda, ainda não há definição sobre a alíquota que poderá ser cobrada ao taxar de lucros e dividendos, nem quanto poderia baixar o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica. (Valor Econômico).

Aneel mantém repactuação de UHEs, mesmo com descontratação no ACR

Agência justificou a decisão alegando que é seu papel garantir a segurança regulatória e a previsibilidade dos contratos. (Canal Energia)

Aneel aprova metodologia de Revisão da RAG

No processo foi definida a variação do custo de gestão de ativos (GAG) e o Fator X. (Canal Energia)

Edital dos leilões A-1 e A-2 entra em consulta pública

Os Leilões de Energia Existente A-1 e A-2, os únicos de geração confirmados pela Agência Nacional de Energia Elétrica para 2023 até o momento, já têm data marcada: 1º de dezembro. A Agência abre nesta quarta-feira (19/7) a Consulta Pública nº 24/2023. (Canal Energia)

Transição energética é a real independência do Brasil, avalia Lula

País poderá atrair investimentos elevados por conta de seu potencial energético renovável e de recursos minerais voltados ao combate às mudanças climáticas. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou em sua live semanal que o processo de transição energética pode representar a real independência do Brasil. (Canal Energia)

Com voto divergente e contrário às áreas técnicas, Aneel mantém repactuação do GSF por Teles Pires

A diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu, com voto contrário da diretoria Agnes da Costa, pela manutenção da repactuação do risco hidrológico de contratos de venda de energia no ambiente regulado feita pela hidrelétrica de Teles Pires, em 2017, mesmo depois que a usina rescindiu parte desses contratos por meio do Mecanismo de Compensação de Sobras e Déficits (MCSD) naquele mesmo ano, e passou a negociar a energia originalmente repactuada no mercado livre de energia. (MegaWhat)

Terça-Feira, 18 de Julho

Destaques: (i) Fux analisará ação do PT contra lei que autoriza desestatização da Copel (Canal Energia); (ii) Plano de recuperação da Light traz seis opções aos credores (Canal Energia); (iii) Associação de empregados vai à justiça contra nomeação de ex-procurador da AGU na Eletrobras (Valor Econômico).

Fux analisará ação do PT contra lei que autoriza desestatização da Copel

Presidente em exercício do STF não verificou urgência em pleito. ADI vê tentativa de interferência do estado em direito de propriedade da União com ações do BNDEsPar. (Canal Energia)

Plano de recuperação da Light traz seis opções aos credores

Documento foi apresentado na última sexta-feira, 14, e traz opções de pagamento que pulverizam dívida da companhia e as várias classes de credores. (Canal Energia)

Associação de empregados vai à justiça contra nomeação de ex-procurador da AGU na Eletrobras

A ação diz haver conflito de interesses e violação das regras de compliance na eleição do vice-presidente jurídico da companhia, Marcelo de Siqueira Freitas. (Valor Econômico)

El Niño tem 90% de chance ocorrer até o final de 2023, estima ONS

Com a consolidação do El Niño no mês de junho, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) estima que o fenômeno meteorológico tem 90% de chance de durar até o final de 2023. (MegaWhat)

PL propõe reaproveitamento de trabalhadores demitidos pela Eletrobras

Proposta de Rede, PSB, Psol e PT altera a lei da privatização da companhia, prevendo a absorção de empregados pela Enbpar e outras empresas públicas. (Canal Energia)

Haddad e Silveira se reúnem para discutir gás, combustíveis e mobilidade sustentável

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, teve reunião na tarde desta segunda-feira, 17 de julho, com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para discutir os programas Gás Para Empregar e Combustível do Futuro. (MegaWhat)

Demanda por energia para eletrificação e expansão do H2V deve movimentar R$2,2 tri até 2050

Estudo desenvolvido pelo Portal Solar mostra fonte solar como protagonista desse programa. (Canal Energia)

Segunda-Feira, 17 de Julho

Destaques: (i) Plano de RJ da Light prevê haircut de até 60%; credores ainda serão ouvidos (Brazil Journal); (ii) Aegea chega a R$ 46 bilhões de investimentos contratados desde 2020 (Valor Econômico); (iii) Defesa da Light sustenta que plano de recuperação judicial da empresa respeita legislação (Valor Econômico).

Plano de RJ da Light prevê haircut de até 60%; credores ainda serão ouvidos

A Light está prestes a apresentar seu plano de recuperação judicial, propondo seis alternativas aos credores que, potencialmente, poderiam reduzir a dívida da empresa em cerca de R$ 6 bilhões. (Brazil Journal)

Aegea chega a R$ 46 bilhões de investimentos contratados desde 2020

Grupo conquistou, em parceria com Perfin e Kinea, a PPP da Sanepar, licitada na última sexta-feira (14). (Valor Econômico)

Defesa da Light sustenta que plano de recuperação judicial da empresa respeita legislação

Após um grupo de credores divulgar críticas ao plano de recuperação judicial da Light, representantes da empresa também vêm a público para defender a proposta. (Valor Econômico)

Senador apresenta relatório favorável a projeto que revoga resoluções da Aneel

PDL 365, que suspende regras sobre tarifa de transmissão, foi aprovado na Câmara em novembro do ano passado. (Canal Energia)

ONS: Carga no SIN deve crescer 0,9% ao final de julho

Último boletim do PMO projeta afluência de 86% da MLT na região Sudeste/Centro-Oeste, que deve atingir 84,3% de energia armazenada ao fim do período. (Canal Energia)

PBG compra participação em eólica da Enel Green Power

A PBG, empresa da área revestimentos e porcelanatos, fechou contrato de compra e venda de energia com a Enel Green Power, em um negócio que envolve a compra de 55% das ações ordinárias da planta eólica Ventos de Santa Esperança 21, no regime de autoprodução. Localizada na Bahia, a usina conta com 46,2 MW de potência instalada. (MegaWhat)

Shell, Eneva, PIE e Prime Energy poderão importar e exportar energia

O Ministério de Minas e Energia (MME) autorizou a Shell Energy do Brasil, a Eneva Comercializadora de Energia, a PIE-RP Comercializadora de Energia e a Prime Energy Comercializadora de Energia a importarem e exportarem energia elétrica interruptível com a Argentina e o Uruguai. (MegaWhat)

MME aprova incentivos fiscais de 300 MW de projetos solares e novas linhas de transmissão

O Ministério de Minas e Energia (MME) aprovou o enquadramento de 331,9 MW em projetos hidrelétricos, solares e de transmissão no Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura (Reidi) e no regime prioritário. (MegaWhat)


Sexta-Feira, 07 de Julho

Destaques: (i) Aneel intima Light a apresentar novo plano de recuperação (Valor Econômico); (ii) Absolar preocupada com os encaminhamentos da reforma tributária (Canal Energia); (iii) Privatização da Corsan recebe sinal verde do presidente do TCE-RS (Valor Econômico).

Aneel intima Light a apresentar novo plano de recuperação

A empresa disse que encaminhará os esclarecimentos à Aneel dentro do prazo de 15 dias, em nota. (Valor Econômico)

Absolar preocupada com os encaminhamentos da reforma tributária

Associação pretende convergir documentos com outras associações e apresentar ao deputado relator. (Canal Energia)

Privatização da Corsan recebe sinal verde do presidente do TCE-RS

Embora a decisão ainda vá ao plenário do TCE, na prática, o Estado já pode assinar o contrato com o grupo vencedor. No entanto, o Sindiágua-RS afirma que vai judicializar a medida. (Valor Econômico)

Reservatórios atingem em junho melhor nível em 20 anos

ONS prevê que no pior cenário o armazenamento em dezembro deve ficar em pelo menos 59,7%. (Canal Energia)

WEG faz parcerias de R$ 1,4 bi em autogeração eólica

A WEG fechou duas parcerias para a autoprodução de energia eólica — um movimento que deve ajudar a gigante industrial a reduzir seus custos com eletricidade ao mesmo tempo em que endereça suas metas de sustentabilidade. A primeira parceria foi feita com a Alupar. (Brazil Journal)

Quinta-Feira, 06 de Julho

Destaques: (i) AES anuncia Rogério Jorge como CEO e José Simão como diretor financeiro (Valor Econômico); (ii) Aneel intima a Light a apresentar Plano de Recuperação ou de Transferência de Controle (Canal Energia); (iii) Conta de energia pode ficar mais cara se texto atual da reforma tributária for aprovado, diz especialista (Agência Infra).

AES anuncia Rogério Jorge como CEO e José Simão como diretor financeiro

Jorge chega para comandar a empresa no lugar de Clarissa Sadock, que renunciou ao cargo recentemente e vai para a Vibra para assumir a recém-criada vice-presidência de Energia Renovável e ESG na Vibra. Já Simão entra no lugar de Alessandro Gregori, que renunciou por motivos pessoais. (Valor Econômico)

Aneel intima a Light a apresentar Plano de Recuperação ou de Transferência de Controle

Segundo a agência, o plano de resultados proposto pela distribuidora não incluiu ações que assegurassem a retomada da sustentabilidade econômico-financeira. (Canal Energia)

Conta de energia pode ficar mais cara se texto atual da reforma tributária for aprovado, diz especialista

Segundo advogado especialista, caso o atual texto seja aprovado os custos ao longo de toda a cadeia de energia elétrica tendem a subir, além de acabar com subsídios para fontes renováveis, encarecendo a conta para o consumidor final. (Agência Infra)

Alupar e WEG firmam contrato para geração de energia em complexo eólico em Jandaíra

A Alupar comunicou ter celebrado contrato com duas controladas da WEG para a formação de uma parceria que busca a geração de energia por meio da Central Geradora Eólica AW Santa Régia de titularidade da Eólica do Agreste Potiguar II, controlada pela companhia, para o consumo pelas unidades produtivas da WEG. (Valor Econômico)

Feitosa pode ser convidado a explicar presença de transportadora em leilão de LTs

O Senador Otto Alencar defendeu investigação sobre participação do Consórcio Genesis no certame. (Canal Energia)

Setor defende no Senado rejeição do PDL 365

Proposta que já passou pela Câmara suspende normas de Aneel sobre tarifa de transmissão e sinal locacional. (Canal Energia)

Neoenergia contrata financiamento verde no valor de US$100 milhões

Contrato foi assinado com o Instituto de Crédito Oficial e será vinculado a metas de ESG. (Canal Energia)

Clima de divergência impede avanços no setor, avalia EPE

Diretor de Estudos Econômico-Energéticos e Ambientais da entidade, falou com o Canal Energia sobre suas visões acerta da transição energética brasileira. (Canal Energia)

Quarta-Feira, 05 de Julho

Destaques: (i) CP da renovação das concessões atrai atenções (Canal Energia); (ii) Energisa conclui aquisição da distribuidora de gás do ES por R$ 1,4bi (Canal Energia); (iii) Tust alcança alta de dois dígitos com reajuste da RAP de transmissão (Canal Energia).

CP da renovação das concessões atrai atenções

Governo avalia arcabouço amplo e PL 414 pode ser vetor, segundo secretário de Energia Elétrica do MME. (Canal Energia)

Energisa conclui aquisição da distribuidora de gás do ES por R$ 1,4bi

Aquisição da ES Gás. até então controlada pela Vibra Energia e o governo do estado, aconteceu em leilão no final de março. (Canal Energia)

Tust alcança alta de dois dígitos com reajuste da RAP de transmissão

Receita aprovada pela Aneel para o ciclo 2023/2024 cresceu 14,4%, com aumento médio de 12,91% na Tust Rede Básica. (Canal Energia)

Com Bioo, gestora EB aposta em biogás de lixo industrial

Nova empresa vai usar resíduo de proteína animal para biometano e fertilizantes. (Valor Econômico)

Ferreira Jr. assume VP de comercialização da Eletrobras temporariamente

Após demitir seu VP de Comercialização por estar envolvido em supostas irregularidades quando trabalhava na Delta Energia, a Eletrobras decidiu colocar seu presidente Wilson Ferreira de forma interina no cargo até que aconteça nova eleição. (Canal Energia)

Comerc pretende chegar em 2050 com 150 usinas de GD

Companhia já conta com 47 usinas operacionais. (Canal Energia)

Terça-Feira, 04 de Julho

Destaques: (i) Exportar energia hidrelétrica seria irresponsável, diz ministro (Valor Econômico); (ii) Ex-Light será diretor-presidente da Coelba (Valor Econômico); (iii) Eletrobras anuncia 369 vagas de O&M em todo o país (Canal Energia).

Exportar energia hidrelétrica seria irresponsável, diz ministro

Depois da pressão feita pelas geradoras hidrelétricas para que o Brasil mantivesse a exportação para os países vizinhos, o ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, disse que não vai admitir colocar em risco a segurança energética do Brasil em favor de outros países. (Valor Econômico)

Ex-Light será diretor-presidente da Coelba

A Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) anunciou a renúncia de Luiz Antônio Ciarlini de Souza ao cargo de diretor-presidente da companhia e aprovou Thiago Freire Guth para o cargo. (Valor Econômico)

Eletrobras anuncia 369 vagas de O&M em todo o país

Eletrobras abriu novas vagas para a contratação de 369 profissionais nas subsidiárias CTG Eletrosul, Furnas e Chesf. Os postos fazem parte do primeiro processo seletivo realizado pela companhia após sua privatização. (Canal Energia)

Eletrobras destitui vice-presidente por atuação prévia

A denúncia de suposta fraude em fundos administrados pela gestora de ativos do Grupo Delta Energia respingou na Eletrobras. A antiga estatal elétrica informou na segunda-feira (3) que o conselho de administração destituiu João Carlos de Abreu Guimarães da vice-presidência de comercialização, poucos meses após ele ter sido contratado. O CEO, Wilson. (Valor Econômico)

Consumo de energia tem crescimento de 2,7% em maio

Dados da EPE mostram que o consumo residencial continuou puxando a alta, com 6,4%. (Canal Energia)

Elera Renováveis inaugura complexo de energia solar de R$ 4 bilhões, em MG

A Elera Renováveis, empresa do grupo canadense Brookfield Asset Management, inaugurou nessa segunda-feira (3) seu parque de geração de energia solar em Janaúba, no norte de Minas Gerais, a 550 quilômetros de Belo Horizonte (MG). O complexo demandou investimento total de R$ 4 bilhões. (Valor Econômico)

Análise: surpresas do leilão de transmissão reacendem debate sobre aperfeiçoamento da licitação

A surpreendente conquista pelo consórcio Gênesis de dois lotes no leilão de transmissão dessa sexta-feira fez com que ressurgissem nos bastidores debates sobre eventuais aperfeiçoamentos no formato das licitações, que estão mudando de patamar, com números recordes. (Agência Infra)

Segunda-Feira, 03 de Julho

Destaques: (i) Deságios no leilão de transmissão chocam o mercado. (Brazil Journal); (ii) Conselho da Eletrobras destitui vice-presidente de comercialização. (Valor Econômico); (iii) Setor vê com desconfiança consórcio Gênesis. (Canal Energia)

Deságios no leilão de transmissão chocam o mercado

O leilão de transmissão de hoje cedo na B3 surpreendeu o mercado com os maiores lotes ficando nas mãos de construtoras privadas, que ofereceram deságios exorbitantes. (Brazil Journal)

Conselho da Eletrobras destitui vice-presidente de comercialização

O conselho de administração da Eletrobras destituiu o vice-presidente de comercialização da companhia, João Carlos de Abreu Guimarães. A empresa não informou seu substituto. Guimarães é investigado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) em esquemas envolvendo venda de energia. (Valor Econômico)

Setor vê com desconfiança consórcio Gênesis

Representante não explicou origem dos recursos nem quem são os controladores da empresa que apresentou os dois maiores deságios do leilão. (Canal Energia)

Leilão de LTs mostra Eletrobras com novo fôlego e sinaliza forte disputa para o próximo

Um ano após capitalização, empresa entrou na disputa em todos os lotes. (Canal Energia)

Leilão de transmissão pode esclarecer estratégias de Eletrobras, Auren e Cemig

O leilão poderá responder a dúvidas de investidores em relação a estratégia futura de três empresas: Eletrobras, Auren e Cemig. (Agência Infra)

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.