XP Expert

Resumo Diário de Política 23/10/2019: O Senado aprovou em 2º turno o texto-base da reforma da Previdência

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

O Senado aprovou em 2º turno o texto-base da reforma da Previdência por 60 votos a 19 (http://bit.ly/2P70rKa, http://bit.ly/33V26GN e https://glo.bo/35Y8KxS). A votação, porém, foi encerrada em meio aos destaques. O que causava mais receio na equipe econômica do governo Bolsonaro era um do PT que tratava sobre regras para trabalhadores em situação de periculosidade, cujo impacto foi estimado pelo Ministério da Economia em R$ 23,2 bilhões (http://bit.ly/2oTvKNX). Foi justamente esse destaque que travou a sessão de ontem e fez com que Davi Alcolumbre adiasse o fim da votação para hoje (23).

Vamos aos fatos: a sessão de ontem foi interrompida após uma questão de ordem feita pelo líder do MDB, Eduardo Braga, questionando se já haveria ou não um dispositivo na Constituição que tratasse sobre o tema da emenda do PT. Só que, segundo integrantes do Senado, Braga já saberia a resposta: sim, há um dispositivo, mas essa regra não é cumprida, o que causa judicialização em alguns casos. Enquanto isso, senadores se manifestavam –nos microfones e fora deles– a favor do destaque do PT, e, portanto, para mudar o texto. O governo sentia que poderia ser derrotado. Braga deu, então, uma mostra de força e “ajudou” o governo. Graças a esse questionamento, Davi Alcolumbre ganhou um motivo para cancelar a votação em curso e adiá-la para hoje.

A sessão de hoje será retomada a partir das 9h com o destaque do PT e um da Rede (com impacto fiscal de R$ 53 bilhões, segundo a equipe econômica). Antes disso, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, se reúne com o senador Paulo Paim, autor da emenda destacada pelo PT. O governo concorda com a proposta de Paim de elaborar um projeto de lei complementar que regulamente esses casos, mas insiste em manter na PEC o dispostivo que o petista tenta retirar.

Enquanto isso, Eduardo Bolsonaro desistiu do cargo de embaixador do Brasil em Washington, depois de dias negando esse destino. Em pronunciamento na Câmara (assista aqui à íntegra: http://bit.ly/2ByPf0P _O que chama a atenção no vídeo publicado pelo deputado é o título “Eduardo Bolsonaro fica no Brasil”, ao melhor estilo “Dia do Fico”_), Eduardo disse que “fica no Brasil para defender os princípios conservadores, para fazer do tsunami que foi a eleição de 2018 uma onda permanente” (http://bit.ly/31Cdrds). No fim da noite de segunda (início da manhã no Japão), seu pai, Jair Bolsonaro, havia dito que seria mais estratégico que ele ficasse no Brasil do que que fosse a Washington (http://bit.ly/2BBu5PK).

A crise no PSL se arrefeceu, mas ainda rende reportagens na imprensa. Ontem, Bolsonaro disse que a ala do presidente do partido, Luciano Bivar, atropela o restante e que essas disputas públicas precisam ter um fim (http://bit.ly/2MEUa6M). Também ontem, *houve uma nova guerra de listas* (https://glo.bo/31HzyyR), mas Eduardo Bolsonaro foi mantido na liderança do partido.

Curtas: Câmara aprova acordo de uso comercial da base de Alcântara (http://bit.ly/32AvZMi). Centrais sindicais de petroleiros anunciam greve a partir de sábado (http://bit.ly/2ByOyoh). Presidente em exercício, o general Mourão disse que governo avaliará se decretar estado de emergência ambiental por causa do vazamento de óleo que afeta o litoral nordestino (http://bit.ly/31E3rjV). Haddad diz que como cidadão gostaria de ver Lula candidato novamente (http://bit.ly/2N47HDP);

Internacional: Presidente do Chile pede perdão e anuncia agenda de reformas, entre elas previdenciária, de saúde, do salário mínimo e de regras de energia (http://bit.ly/2o8X2PQ). Partido de Justin Trudeau perde assentos no Canadá e primeiro-ministro deve se aliar à esquerda (http://bit.ly/2BCvYeR). Polícia encontra 39 corpos em caminhão no Reino Unido (https://glo.bo/2Jg3POY).

Bastidores de Brasília

O PDT busca se aproximar do DEM cada vez mais. Na semana passada, Ciro Gomes fez um elogio direto ao DEM em entrevista (http://bit.ly/33MyRpF), atribuindo ao partido um papel “muito importante de obrigar Bolsonaro a atuar dentro do regime democrático”. O gesto é mais um elemento dessa tentativa. Na próxima quarta (30), há a expectativa de uma nova reunião dos partidos.

Eles já se reuniram há algumas semanas e discutiram alianças em Salvador e Rio de Janeiro. Outras cidades estão no radar. Na próxima semana, a ideia é reunir Rodrigo Maia, Carlos Lupi, Ciro Gomes e ACM Neto. O PDT quer ter o DEM ao seu lado para a candidatura de Ciro em 2022.

Hoje é o 296º dia do governo Jair Bolsonaro.
A reforma da Previdência está há 76 dias no Senado.
Faltam 348 dias para as eleições municipais.
Faltam 378 dias para as eleições nos EUA.

XP Macro & Política

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.