XP Expert

Conflito entre Paulo Guedes e Jair Bolsonaro

No ano passado, escrevemos que, passada a reforma da Previdência, Jair Bolsonaro teria suas convicções liberais testadas novamente e precisaria provar que continuava preferindo abastecer no Posto Ipiranga, sem recorrer aos atalhos da gasolina batizada. A tentação pelo combustível mais barato não é de agora: os militares terem recebido tratamento especial na reforma da Previdência talvez […]

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

No ano passado, escrevemos que, passada a reforma da Previdência, Jair Bolsonaro teria suas convicções liberais testadas novamente e precisaria provar que continuava preferindo abastecer no Posto Ipiranga, sem recorrer aos atalhos da gasolina batizada.

A tentação pelo combustível mais barato não é de agora: os militares terem recebido tratamento especial na reforma da Previdência talvez tenha sido a mais vistosa delas no primeiro ano do mandato. Houve também o bloqueio à discussão sobre a CPMF, defendida por Guedes em algum momento, na reforma tributária.

Recentemente se juntaram ao grupo as indefinições sobre o timing da reforma administrativa, o desafio aos governadores para zerar o ICMS em combustíveis, a proibição de “taxar o sol”, a discussão sobre benefício ao consumo de energia de templos religiosos e, a mais nova delas, o espanto com o preço dos pedágios. A lista só crescerá até o final dos quatro anos de governo – é parte do perfil de Bolsonaro.

Quem trabalha com Paulo Guedes diz que ele já tinha isso em conta quando embarcou na empreitada – e que, apesar do jeito explosivo, ele sempre foi maleável para contornar essas restrições.

Esse mesmo grupo, no entanto, reconhece que isso cansa – e que o cansaço se acumula.

Ainda há na conta um horizonte menos favorável ao ministro no Congresso a partir do ano que vem, já que (em tese) Rodrigo Maia deixa o posto de presidente da Câmara e, com isso, Guedes perde o principal motor da agenda econômica.

Outro ponto importante: os números menos favoráveis do que o previsto em termos de crescimento também não ajudam. Quanto maiores forem as boas notícias que Guedes puder entregar a Bolsonaro, mais peso tem o ministro nas decisões do presidente. O contrário é verdadeiro: quanto menos notícias boas, mais fácil é para Bolsonaro ouvir outros interlocutores com agendas distintas.

Hoje, o grupo do ministério avalia que Bolsonaro não pode prescindir do ministro – e que ele sabe disso. A esperada reação do mercado à possibilidade de saída de Guedes é vista pelo time da Economia como mais um elemento que deve fortalecer essa percepção no presidente.

Bolsonaro e Guedes nunca esconderam que se juntaram mais por conveniência do que por amor. E por isso, o casamento permanece enquanto for conveniente para os dois. Perceber o custo que lhe cairia no colo caso Guedes fosse embora pode servir para que o ministro recupere espaço que hoje vê limitado e continue com liberdade para encaminhar sua agenda.

Mas, caso isso não aconteça e as divergências se acentuem no lugar de se suavizar, o relógio para a saída de Guedes passará a girar ainda mais rápido. Este é um risco real.

Por ora, segue o casamento – como gosta de dizer o Presidente Bolsonaro. Porém, nossas incursões nos bastidores de Brasília, dão conta de que é fato: a paixão acabou.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.