XP Expert

XP Morning Call 03/04/2019: Sinais de estabilização nos mercados globais

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Potencial PEC para reforma tributária, Paulo Guedes na CCJ
  2. Produção industrial cresce 2% em fevereiro, mas cautela ainda é necessária

Internacional

  1. Disputa comercial China & EUA: Acordo comercial está 90% pronto, de acordo com o FT
  2. Minério de ferro: Restrição na oferta continua impulsionando preços
  3. Brexit: May deve pedir nova extensão de prazo à EU

Empresas

  1. Petrobras (PETR4 – 1 de 2): Governo e empresa chegam a um acordo sobre Cessão Onerosa
  2. Petrobras (PETR4 – 2 de 2): TAG recebe três ofertas finais
  3. Stone (STNE): Preço do follow-on anunciado

Resumo

Sinais de estabilização nos mercados globais

Mercados globais operam em tom positivo nesta manhã, seguindo sinais de aceleração de atividade na China e avanço nas negociações comerciais entre os EUA e a China.
 
Após a divulgação de dados de atividade industrial (PMI) na China melhores que o esperado no último final de semana, dados de atividade do setor serviços também mostraram melhora sequencial com maior aumento desde janeiro 2018. O número de 54,4 em março subiu de 51,1 em fevereiro e ficou acima da estimativa de 52,3.
 
Conforme temos destacado, com uma série de medidas de estímulo em curso, esperamos que a atividade chinesa continue a ganhar força nos próximos meses, dando suporte a mercados emergentes.
 
Na Zona do Euro, o PMI de serviços também subiu, de 52,8 em fevereiro para 53,3 em março, contra preliminar de 52,7.
 
Em relação às negociações comerciais, o Financial Times destaca que os negociadores teriam resolvido a maioria dos empasses, e se encontram em fase final de negociação. Entretanto, essa é a parte mais complexa.
 
O principal embate é que a China ainda quer que os Estados Unidos removam as tarifas existentes sobre produtos chineses, enquanto os americanos querem que os chineses aceitem um mecanismo que garanta a aplicação do acordo.
 
Se as negociações em Washington forem bem sucedidas nesta semana, Trump e Xi Jinping poderiam assinar um acordo final ainda neste mês, o que seria bem recebido e daria suporte ao apetite a risco, mas um atraso nas negociações ainda é possível.
 
No Brasil, parlamentares e governo negociam o envio de uma nova PEC em maio contendo reforma tributária. Apesar da necessidade da reforma, a preocupação é que seja uma distração para a reforma da previdência. Paulo Guedes comparecerá às 14hs de hoje à CCJ para debater a reforma da previdência.
 
Vale destacar também anúncio do governo ontem de que lançará pacote para acelerar a economia. Apesar de positivas, as medidas focadas em produtividade não parecem que teriam impacto relevante no curto prazo.
 
Do lado das empresas, os jornais apontam que a União e a Petrobras chegaram a um entendimento sobre a revisão do contrato da Cessão Onerosa, e deve apresentar os termos acordados para o Tribunal de Contas da União essa semana, incluindo um ressarcimento de US$10 bilhões para a estatal.
 
Por último, em relação à Vale, a redução da oferta de minério de ferro após tragédia de Brumadinho, somado às perdas da Rio Tinto (14mt) e da BHP (6-8mt) frente aos ciclones na Austrália, continua impulsionando o preço do minério de ferro, que subiu +1,4% ontem, atingindo US$89,9/t na China. Os futuros seguiram o movimento, subindo +3,9% e atingindo o limite de alta em Dalian, com o contrato para maio em US$101,4/t.


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Potencial PEC para reforma tributária, Paulo Guedes na CCJ

  • Parlamentares e governo negociam o envio de uma nova PEC em maio que conterá uma reforma tributária. Apesar do consenso que o arcabouço tributário precisa ser melhorado, se essa nova reforma tramitar paralelamente à da Previdência, há o risco que a soma das resistências possa atrasar ou inviabilizar ambas. Ainda não há detalhes do texto;
  • Paulo Guedes comparecerá à CCJ da Câmara hoje às 14 horas para debater a reforma da Previdência;
  • O Governo lança um pacote para acelerar a economia. As medidas são positivas e tem como objetivo aprimorar programas existentes e aumentar a produtividade, embora não devam produzir efeitos no curto prazo.
     

Produção industrial cresce 2% em fevereiro, mas cautela ainda é necessária

  • De acordo com o IBGE, a produção industrial brasileira registrou em fevereiro crescimento de 2% em relação ao mesmo mês do ano passado, mas apontou queda de 0,2% no acumulado nos dois primeiros meses de 2019;
  • Apesar do resultado positivo em fevereiro, é necessário ter cautela pois os números ficaram abaixo das expectativas de mercado (2,4%), sendo o segmento extrativo o principal responsável pela surpresa negativa; 
  • A perspectiva ainda é de avanço da produção industrial em 2019, mas de forma lenta, como consequência da continuação das incertezas no cenário internacional e do ritmo fraco da economia brasileira.

Internacional

Disputa comercial China & EUA: Acordo comercial está 90% pronto, de acordo com o FT

  • As negociações entre a China e os EUA estão entrando no estágio final, de acordo com o que Myron Brilliant disse ao Financial Times. Myron é o vice-presidente executivo de assuntos internacionais da Câmara de Comércio dos EUA e, segundo ele, 90% do acordo já está pronto. No entanto, os últimos 10% são a parte mais difícil e exigirão trocas entre os dois lados;
  • De acordo com a reportagem do Financial Times, a China ainda quer que os Estados Unidos removam as tarifas existentes sobre produtos chineses, enquanto os americanos querem que os chineses aceitem um mecanismo que garanta a aplicação do acordo, seja qual for;
  • A última rodada de discussões segue as conversas da semana passada que aconteceram em Pequim, onde Liu se reuniu com o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, e com o representante de Comércio Robert Lighthizer. Questões pendentes incluem proteção à propriedade intelectual e como fazer cumprir qualquer acordo comercial mais amplo.


Minério de ferro: Restrição na oferta continua impulsionando preços

  • A redução da oferta por parte do Brasil pós tragédia de Brumadinho, somado às perdas da Rio Tinto (14mt) e da BHP (6-8mt) frente aos ciclones na Austrália, impulsionou o preço do minério de ferro ontem, que atingiu US$89,9/t, maior nível desde 11 de fevereiro, primeiro dia após o feriado prolongado do Ano Novo Lunar, na China, quando o preço chegou a US$91,49/t;
  • Ontem o minério avançou +1,4%, acumulando valorização de +23,6% em 2019 e +5,3% em abril. Os futuros seguiram o movimento, subindo +3,9% e atingindo o limite de alta em Dalian, com o contrato para maio em US$101,4/t; 
  • A incerteza em relação à oferta vinda do Brasil após Brumadinho, em conjunto com o impacto diante dos ciclones na Austrália, devem manter o preço de minério de ferro sustentado no longo prazo, o que deve dar sustentação às ações da Vale. Reiteramos recomendação de Compra, preço alvo de R$68/ação (US$18/ADR).

​Brexit: May deve pedir nova extensão de prazo à EU

  • A primeira-ministra britânica, Theresa May, pedirá à UE uma nova extensão no prazo do Brexit, que atualmente se encerra 12 de abril. Em comunicado, May disse que o novo prazo deve ser antes de 22 de maio, uma vez que o Reino Unido não pretende participar das eleições parlamentares da União Europeia;
  • Segundo a BBC, ela também afirmou que gostaria de se reunir com Jeremy Corbin, líder do Partido Trabalhista, para ver se há um caminho comum para quebrar o impasse do Brexit;
  • Sua intenção de discutir o assunto com a oposição não foi bem recebida pelos defensores do Brexit do Partido Conservador. O desfecho da questão permanece incerto e todos os olhos estão agora na extensão do prazo.

Empresas

Petrobras (PETR4 – 1 de 2): Governo e empresa chegam a um acordo sobre Cessão Onerosa

  • Segundo o Valor Econômico, a União e a Petrobras chegaram a um entendimento sobre a revisão do contrato da Cessão Onerosa, e deve apresentar os termos acordados para o Tribunal de Contas da União essa semana. Segundo o jornal, o governo deverá ressarcir a empresa em cerca de US$10 bilhões, uma redução frente aos US$14 bilhões mencionados anteriormente;
  • O acompanhamento da questão deverá ser feito pelo ministro Raimundo Carreiro, que em um primeiro processo avaliará a revisão do contrato e em um segundo processo o andamento do leilão dos barris excedentes das áreas da Cessão Onerosa;
  • Embora o anúncio de um reembolso seja positivo, o CEO da Petrobras já afirmou que a empresa não levará em consideração esse valor em seu plano de redução do endividamento, e deverá usar os recursos obtidos na renegociação para participar do leilão dos barris excedentes e aumentar suas reservas de petróleo. Como já escrevemos diversas vezes, o recebimento de qualquer valor apenas contribui para melhorar o risco-retorno das ações, e por isso reiteramos a recomendação de Compra.
     

Petrobras (PETR4 – 2 de 2): TAG recebe três ofertas finais

  • Segundo notícias, três grupos apresentaram ontem novas propostas à Petrobras para adquirir a Transportadora Associada de Gás (TAG, subsidiária que reúne redes de gasodutos na região Nordeste). Além da Engie, o fundo Mubadala e um consórcio liderado pela Itaúsa retornaram para a disputa. O resultado final deve sair entre quinta e sexta feira;
  • Por ter apresentado a melhor proposta na primeira etapa, a francesa Engie pôde negociar termos do contrato com a Petrobras.  Na segunda fase, a estatal tem que abrir o processo para outros interessados que fizeram propostas menores, de forma a obedecer as regras definidas pelo TCU;
  • Vemos uma competição na fase final de venda da TAG como positiva para a Petrobras, potencialmente implicando ganhos adicionais sobre nossa estimativa de R$1,51/ação com base nos termos veiculados até o momento (US$8 bilhões) para a maior transação realizada pela empresa.
     

Stone (STNE): Preço do follow-on anunciado

  • A Stone (não coberta pela XP) anunciou nesta manhã o preço da sua oferta de follow-on, que veio a público na segunda-feira. Um total de 19,5 milhões de ações ordinárias classe A será vendido por US$40,50 (US$789,8 milhões);
  • A oferta deverá ser encerrada em 5 de abril e os subscritores receberam uma opção de 30 dias para comprar até 2,9 milhões de ações adicionais pelo preço da oferta pública menos o desconto de subscrição. A oferta é secundária e, assim, Stone não receberá nenhum recurso em seu caixa;
  • A empresa anunciou fortes resultados preliminares do 1T19 juntamente com o anúncio da oferta. Clientes ativos, volume transacionado e receita total cresceram ~ 90%, ~ 60% e ~ 85% no ano, respectivamente. O sucesso da Stone, especialmente no mercado de pequenas e médias empresas através de um ótimo atendimento e proximidade com os clientes, é um dos principais fatores de nossa postura cautelosa com a Cielo (Neutral, R$ 12,00 Preço-Alvo), que vem perdendo mercado e sendo forçada a baixar os preços no segmento, entre outras conseqüências, como maiores gastos com marketing e pessoal.

Rumo (RAIL3): Parecer do TCU dá aval à renovação antecipada da Malha Paulista

  • De acordo com o Valor, o Tribunal de Contas da União (TCU) concluiu sua análise técnica sobre a renovação antecipada do contrato da Malha Paulista e não colocou nenhum grande obstáculo à assinatura de um termo aditivo;
  • Com isso, pode destravar investimentos de ~R$ 7 bilhões em troca de 30 anos adicionais de concessão. O contrato atual da Malha Paulista, que cruza todo o interior de São Paulo e chega ao Porto de Santos, expira em 2028, e está no processo de renovação antecipada há mais de anos;
  • ​O processo agora foi encaminhado para manifestação do procurador Júlio Marcelo de Oliveira, do Ministério Público junto ao TCU, e precisará ser apreciado pelos ministros do tribunal em plenário.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.