XP Expert

Semana terá PIB em economias desenvolvidas e resultados do mercado de trabalho no Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 0,09% | 102.382 Pontos

CÂMBIO -0,35% | 5,23/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Após o Ibovespa fechar praticamente estável na sexta-feira, o clima para o fim de julho voltou a pesar por conta do aumento da tensão entre os Estados Unidos e a China, que deve permanecer como um dos principais focos de atenção do mercado nessa semana.

Nesta manhã, mercados internacionais abrem em território neutro para positivo com Europa (flat) e EUA (+0,5%), onde investidores aguardam nova proposta de estímulos do partido republicano, que deve sair ainda hoje. Ainda nos EUA, sinais de uma possível recuperação mais lenta levam o Banco Central norte-americano (FED) a discutir como providenciar mais ajuda.

No Brasil, a semana começa com a expectativa da retomada dos trabalhos da comissão mista de reforma tributária na próxima quinta-feira. O início do calendário de audiências públicas é previsto para a semana seguinte. A primeira delas deve ser dedicada a ouvir o ministro Paulo Guedes, na terça-feira, dia 4 de agosto. Enquanto isso, congressistas e governo tentam avançar em acordos sobre o conteúdo do texto.

Em economia, destaque para os números esperados para o mercado de trabalho, a serem divulgados essa semana. De acordo com o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, a alta nos índices de desemprego durante a pandemia não reflete a realidade do mercado de trabalho brasileiro, uma vez que os indivíduos desempregados não têm conseguido buscar por uma nova ocupação devido às medidas de isolamento social. Na visão de Sachsida, a taxa de desemprego deve atingir seu pico em setembro e, para evitar que os efeitos adversos se prolonguem ainda mais, será preciso fortalecer os programas sociais do governo remanejando os recursos dos programas já existentes.

Na agenda econômica doméstica, além da divulgação dos indicadores do mercado de trabalho brasileiro (Caged e PNAD) referentes a junho, conheceremos também a nota de crédito do Banco Central e o resultado primário do setor público consolidado de junho. No cenário internacional, os destaques serão a decisão de política monetária do banco central americano (Fed), a divulgação da primeira leitura do PIB do segundo trimestre dos Estados Unidos e da Zona do Euro, além do PMI composto de julho da China.

Na seara corporativa, publicamos ontem um relatório com nossa visão para a temporada de resultados do segundo trimestre. Dado os grandes impactos da pandemia sobre a economia durante o 2o trimestre, esse deve ser um trimestre para se esquecer para a grande maioria das empresas. No entanto, tratando-se de um período muito atípico, investidores devem manter-se menos atentos aos números do 2o TRI 2020 vs. trimestres passados, e mais atentos aos seguintes indicadores: (i) Comparação dos resultados em relação à expectativa do consenso, (ii) Expectativas ou guidance até o final do ano (iii) Alavancagem e liquidez, (iv) Planos de digitalização e (v) ESG.

Finalmente, ainda do lado das empresas, o Banco do Brasil anunciou na noite da última sexta-feira que Rubem Novaes, CEO do banco, renunciou ao cargo. O movimento não era esperado e o mercado deve reagir negativamente no pregão de hoje. Apesar disso, mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$ 43.00 devido a acreditarmos que o banco esteja bem defendido para a crise atual, possua boa competitividade digital e parte dos riscos políticos já precificados.

Tópicos do dia

Expert 2020

Acesse aqui nossa cobertura da Expert 2020
Confira os destaques do primeiro dia de evento
Confira os destaques do segundo dia de evento
Confira os destaques do terceiro dia de evento
Confira os destaques do quarto dia de evento
Confira os destaques do quinto dia de evento

Agenda de resultados

Atacadão (CRFB3): Após o fechamento
Temporada de resultados do 2º trimestre – o que esperar?
Calendário da temporada de resultados 2° tri 2020

Coronavírus

O caso para se comprar Brasil: Rumo aos 110 mil
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Brasil

  1. Mercado reduz projeção de IPCA e eleva projeção de PIB para 2020

Internacional

Empresas

  1. Prévia do 2T20: o pior trimestre em muito tempo, mas há razões para manter o otimismo
  2. Banco do Brasil (BBAS3): Presidente pede demissão
  3. Multiplan (MULT3): Conclusão da Venda do Diamond Tower (Morumbi Corporate) por R$ 810 mi
  4. AES Tietê (TIET11): AES Corp envia proposta para adquirir 18,5% do capital da AES Tietê por R$17,15/unit
  5. Copel (CPLE6): Copel Distribuição reduz venda de energia em -5,9% no 2T20

Fundos de Investimento

  1. Taxa de Juros Imobiliários na mínima sustenta demanda por financiamento imobiliário


Veja todos os detalhes

Brasil

Mercado reduz projeção de IPCA e eleva projeção de PIB para 2020

  • Depois do IPCA-15 de julho abaixo das expectativas, a projeção de inflação (IPCA) para 2020 passou de 1,72% para 1,67%. Para 2021, permaneceu em 3,00%;
  • Com as surpresas positivas vindas de alguns indicadores de atividade econômica de curto prazo, a projeção de PIB para 2020 passou de -5,95% para -5,77%. Para 2021, permaneceu em 3,50%;
  • A projeção da taxa de câmbio permaneceu em 5,20 para 2020 e em 5,00 para 2021. E a projeção de Selic permaneceu em 2,00% ao final de 2020 e 3,00% ao final de 2021. Clique aqui para acessar a análise completa.

Empresas

Prévia do 2T20: o pior trimestre em muito tempo, mas há razões para manter o otimismo 

  • Publicamos ontem um relatório com nossa visão para a temporada de resultados do segundo trimestre. Dado os grandes impactos da pandemia sobre a economia durante o 2o trimestre, para a grande maioria das empresas esse deve ser um trimestre para se esquecer. Mas a pergunta que os investidores devem se fazer é: Esse impacto já não é esperado, e portanto, já deva estar descontado nos preços das ações atual? 
  • O ano de 2020, e em especial o 2o trimestre, foram muito atípicos, e por isso, os investidores devem estar menos atentos nos números do 2o TRI 2020 vs. trimestres passados, e mais atentos aos seguintes indicadores: (i) Comparação dos resultados em relação à expectativa do consenso, (ii) Expectativas ou guidance até o final do ano (iii) Alavancagem e liquidez, (iv) Planos de digitalização e (v) ESG;
  • Clique aqui para ler o conteúdo completo. 

Banco do Brasil (BBAS3): Presidente pede demissão

  • O Banco do Brasil anunciou que Rubem Novaes, CEO do banco, renunciou ao cargo;
  • O movimento não era esperado e o mercado deve reagir negativamente no próximo pregão;
  • Apesar disso, mantemos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$ 43.00 devido a acreditarmos que o banco esteja bem defendido para a crise atual, possua boa competitividade digital e parte dos riscos políticos já precificados.

Multiplan (MULT3): Conclusão da Venda do Diamond Tower (Morumbi Corporate) por R$ 810 mi

  • A Multiplan anunciou na última sexta-feira que concluiu a venda do edifício Diamond Tower (36,9 mil m² de ABL), uma das duas torres do complexo Morumbi Corporate (total de 74,2 mil m²), localizado na cidade de São Paulo. O contrato foi assinado com o FII BTG Pactual Corporate Office Fund, por R$ 810 milhões (~7% do valor de mercado da Multiplan). Os recursos já foram recebidos pela companhia;
  • Com base nos dados de 2019 e assumindo (i) que a torre gerou receitas equivalentes à sua participação na área total do complexo (que equivaleria a R$ 46,5 milhões) e (ii) uma margem NOI de ~95%, estimamos que a venda resultaria em um cap rate próximo de ~6%. Vemos a transação como positiva para a Multiplan, tendo em vista (i) que se trata de um preço atrativo para a companhia, (ii) fornece liquidez adicional e de forma imediata (estimamos que reduza a alavancagem em ~0,8x DL/EBITDA) e (iii) permite à Multiplan voltar mais seu foco ao portfólio de shopping centers, que é o core da empresa. Temos recomendação de Compra para as ações, com preço-alvo de R$ 27,0;
  • De acordo com companhia, a negociação considera a renda mínima mensal garantida de R$ 4.893.750,00, durante o período de 24 meses posteriores a esta data, limitados ao complemento total de até R$22.000.000,00 pela Companhia ao longo deste período.

AES Tietê (TIET11): AES Corp envia proposta para adquirir 18,5% do capital da AES Tietê por R$17,15/unit

  • Segundo diversos veículos de notícias no final de semana (Valor Econômico, Agência Estado), a AES Corporation (controladora da AES Tietê) enviou proposta para o sócio BNDESPar para adquirir 18,5% do capital da AES Tietê a um preço de R$17,15/unit, inteiramente em dinheiro. Além disso, a AES Tietê estaria comprometida a migrar para o Novo Mercado como parte da transação;
  • A proposta está aproximadamente 10% abaixo do preço implícito proposto pela geradora Eneva S.A. ao banco de fomento de R$18,88/unit, a qual é composta de um pagamento de 90% em ações e 10% em caixa, aproximadamente. Fontes apontam que o pagamento inteiramente em caixa coloca a oferta da elétrica americana em posição mais favorável junto ao BNDES, uma vez que o banco busca executar desinvestimentos para obter caixa. Há expectativa que o banco se manifeste hoje (27) sobre qual será a proposta a ser escolhida;
  • Caso a proposta da AES Corp pela AES Tietê seja vencedora, seria um revés para a Eneva, uma vez que a elétrica americana teria uma maior participação no capital total da AES Tietê. Entretanto, notamos que restam incertezas acerca (1) se de fato a AES Corporation não submeteu oferta por toda a participação de 28,4% do BNDESPar na AES Tietê e (2) em quais condições seria a migração para o novo mercado da companhia. Na última sexta (24), publicamos relatório com todos os detalhes da nova proposta de fusão da Eneva com a AES Tietê. Acreditamos que as ações da AES Tietê deverão passar por volatilidade temporária relacionada às duas propostas pela participação do BNDESPar. No meio tempo, mantemos uma recomendação de Compra com preço-alvo de R$17/unit (recentemente revisto em nossa prévia de resultados do 2T20) com base nos fundamentos da companhia.

Copel (CPLE6): Copel Distribuição reduz venda de energia em -5,9% no 2T20 

  • Na última sexta, a Copel informou via comunicado ao mercado, uma redução de -5,9% no seu mercado a fio (TUSD) entre os meses de abril e junho de 2020. Segundo a companhia, o resultado observado decorre, principalmente, da redução da atividade econômica em diversas áreas em função dos efeitos da pandemia da Covid-19, impactando negativamente em 6,7% no consumo do mercado livre no 2T20, cujo reflexo pode ser verificado no recuo da produção industrial do Paraná (queda de 30,6% no mês de abril e de 18,1% no mês de maio). Esse resultado foi parcialmente compensado pelo aumento de 5,2% do consumo da classe residencial e 3,3% da classe rural. O mercado cativo como um todo apresentou queda de -5,8% no consumo; 
  • O fornecimento de energia elétrica da Copel, que representa o volume de energia vendido aos consumidores finais e é composto pelas vendas no mercado cativo da Copel Distribuição e pelas vendas no mercado livre da Copel Geração e Transmissão e da Copel Comercialização, registrou queda de -2,4% entre abril e junho de 2020; 
  • Vemos o resultado operacional da Copel como ligeiramente negativo, mas esperado por nós (e acreditamos que também pelo mercado) em vista dos impactos negativos advindos da pandemia do COVID-19 não só para a Copel, mas para todo o segmento de distribuição de energia, no qual a companhia tem exposição via Copel Dis. Mantemos nossa recomendação de Compra nas ações da Copel.

Fundos de Investimento

Taxa de Juros Imobiliários na mínima sustenta demanda por financiamento imobiliário

  • Recentemente foi veiculado no Valor Econômico uma reportagem sobre a queda da taxa de juros do crédito imobiliário, que atingiu o menor patamar dos últimos anos. Os juros médios dos financiamentos dentro do sistema financeiro de habitação (SFH) recuaram de 12% para 7% ao ano. Com isso, a linha de crédito imobiliário possui a menor taxa do mercado, sem considerar as linhas emergenciais criadas na atual crise do COVID-19;
  • Com a queda da taxa de juros nesses patamares, há uma redução drástica do custo efetivo do financiamento imobiliário e diminui a parcela mensal do financiamento, o que aumenta consideravelmente a quantidade de famílias elegíveis para o empréstimo;
  • Por esses motivos, o mês de junho apresentou forte recuperação do crédito imobiliário para aquisição e construções de imóveis, sustentada principalmente pelas pessoas físicas. Segundo a Abecip, o volume emitido pelos bancos alcançou o patamar de R$43,4 bilhões no primeiro semestre, alta de 29% em comparação com o mesmo período do ano passado.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.