Ruídos políticos no Brasil e pronunciamento do presidente do Fed nos EUA em destaque

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:


Clique para ouvir

IBOVESPA -1,51% | 77.872 Pontos

CÂMBIO -1,15% | 5,89/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em queda de 1,5% ontem aos 77.871 pontos, seguindo as bolsas internacionais e aumento na tensão política no Brasil. Nesta manhã, mercados internacionais operam sem direção definida à medida que investidores ponderam a velocidade da recuperação econômica pós-reabertura das atividades, riscos do novo pacote de estímulos proposto nos EUA e o anúncio do Fed de compra de dívida corporativa. Futuros nos EUA sobem 0,6% enquanto bolsas na Europa caem 1,3%, após fechamento misto na Ásia.

A produção industrial da Zona do Euro apresentou sua maior queda histórica ao recuar 11,3% na passagem de fevereiro para março, enquanto, no Reino Unido, o PIB apresentou contração de 2% entre o 4T19 e o 1T20, surpreendendo positivamente a expectativa de mercado coletada pelo Wall Street Journal, que previa queda de 2,6% do indicador.

Na agenda do dia no exterior, destaque para fala do presidente do Fed, Jerome Powell, sobre perspectivas econômicas e divulgação do relatório mensal sobre o mercado de petróleo da OPEP.

No Brasil, o foco é a repercussão da reunião ministerial de 22 de abril, que foi exibida ontem, sob sigilo, como parte do inquérito que investiga se houve tentativa de interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal. Segundo o relato de pessoas que viram a gravação, na reunião o presidente vinculou a possibilidade de troca na Superintendência da PF no Rio à proteção de sua família, o que reforçaria as afirmação de Sergio Moro, ex-ministro da Justiça. 

Bolsonaro e dois ministros que prestaram depoimento ontem, Augusto Heleno e Braga Netto, negam a versão e dizem que o episódio se referia à segurança da família do presidente, e não à Polícia Federal. Os desdobramentos da reunião e a possibilidade de que o Supremo retire o sigilo da gravação devem continuar pautando o noticiário no dia.

No campo econômico, o setor de serviços apresentou contração de 6,9% em março com relação a fevereiro e de 2,7% com relação ao mesmo mês do ano passado, registrando a pior queda histórica do setor desde o início da série, em 2011. O resultado ficou levemente acima das nossas expectativas, mas surpreendeu negativamente as expectativas de mercado coletadas pela Bloomberg, que previam contração de 2,2% com relação a março de 2019.

O governo do estado de São Paulo selecionou oito setores da economia que serão considerados prioritários na flexibilização do isolamento imposto para conter o avanço do novo coronavírus. São eles: bares e restaurantes, salões de beleza, academias, shoppings, lojas de rua, concessionárias, escritórios em geral e atividades imobiliárias. Ainda não há, no entanto, protocolos definidos para a reabertura de cada setor.

Do lado corporativo, o Banrisul divulgou ontem um resultado fraco, implicando queda no ROE de 5,1 p.p. na comparação anual para 13,6%. Além disso, o banco gaúcho decidiu interromper seu guidance para 2020, considerando as mudanças ocorridas no cenário macroeconômico, bem como os riscos e incertezas relacionados ao COVID-19. Independente do fraco resultado, reiteramos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$ 19,00, pois acreditamos que o banco está defendido estrategicamente durante esta crise, com 44% de sua carteira de crédito em empréstimos consignados e também devido aos seus múltiplos atrativos, como evidenciado pelo 0,6x P/PL (preço por patrimônio líquido).

Tópicos do dia

Coronavírus

Tempos de guerra – revisando o target da Bolsa
IPCA de março esboça os primeiros efeitos do coronavírus sobre a economia brasileira
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Agenda de resultados

Movida (MOVI3): após o fechamento
Ultrapar (UGPA3): após o fechamento
Via Varejo (VVAR3): após o fechamento
SulAmerica (SULA11): após o fechamento
Pão de Açúcar (PCAR3): após o fechamento
Locaweb (LWSA3): após o fechamento
Temporada de resultados 1° tri 2020: o que esperar?
Clique aqui para acessar nossa visão sobre a temporada de resultados
Clique aqui para acessar o calendário de resultados do 1T20

Brasil

  1. Política Brasil: repercussões das acusações de Sérgio Moro seguem em destaque

Internacional

  1. Política Internacional: democratas apresentaram pacote de USD 3 trilhões
  2. Petróleo: Expectativas do mercado de um aumento de 4,147 milhões de barris nos estoques dos EUA
  3. Petróleo: OPEP+ poderia manter atual nível de corte de produção para além de junho de 2020

    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Banrisul (BRSR6): trimestre fraco, posição defensiva | revisão do 1T20

Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: repercussões das acusações de Sérgio Moro seguem em destaque

  • Na política, o foco é a repercussão da reunião ministerial de 22 de abril, que foi exibida ontem, sob sigilo, como parte do inquérito que investiga se houve tentativa de interferência de Jair Bolsonaro na Polícia Federal. Segundo o relato de pessoas que viram a gravação, na reunião o presidente vinculou a possibilidade de troca na Superintendência da PF no Rio à proteção de sua família, o que reforçaria as afirmações de Sergio Moro, ex-ministro da Justiça. Bolsonaro e dois ministros que prestaram depoimento ontem, Augusto Heleno e Braga Netto, negam a versão e dizem que o episódio se referia à segurança da família do presidente, e não à Polícia Federal. Os desdobramentos da reunião e a possibilidade de que o Supremo retire o sigilo da gravação devem continuar pautando o noticiário no dia.

Internacional

Política Internacional: democratas apresentaram pacote de USD 3 trilhões

  • Nos EUA, os democratas apresentaram pacote de estímulo de USD 3 trilhões, que inclui transferência de recursos aos estados, proteção para pequenas empresas, pagamentos de até USD 6,000 para famílias, entre outras medidas. Se aprovado, seria o maior pacote aprovado até o momento, se espera resistência dos republicanos, que controlam o Senado.

Petróleo: Expectativas do mercado de um aumento de 4,147 milhões de barris nos estoques dos EUA

  • O relatório oficial de fornecimento da Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA) deve ser publicado hoje às 11:30 da manhã (horário de Brasília), com expectativas do mercado de um aumento de 4,147 milhões de barris nos estoques dos EUA;
  • Os estoques de petróleo dos EUA cresceram 4,5 milhões de barris na semana passada abaixo da expectativa de mercado de 7,7 milhões de barris. O aumento de estoques abaixo da expectativa do mercado foi visto como positivo por sinalizar uma potencial retomada da demanda de derivados de petróleo no país;
  • Nessa manhã de quarta-feira, a commodity opera em território negativo, em queda de -1,0% em US$29,7/barril.

Petróleo: OPEP+ poderia manter atual nível de corte de produção para além de junho de 2020

  • Segundo a Reuters, a OPEP e países aliados como a Rússia (que compõem o grupo mais amplo denominado OPEP+) estariam estudando a manutenção do atual nível de cortes de produção de petróleo para além de junho, prazo no qual as nações devem se reunir novamente para avaliar a situação de oferta e demanda pela commodity;
  • Lembramos que em Abril e OPEP+ acordou em realizar cortes de produção de 9,7 milhões de barris ao dia (mbpd) até junho, posteriormente flexibilizado para 7,6 mbpd até dezembro de 2020 e 5,6 mbpd dali em diante, até o final de 2022 (veja mais no link);
  • Fontes consultadas pela Reuters apontam que a decisão dependerá do patamar de demanda por petróleo daqui em diante, o que por outro lado dependerá da manutenção ou não de quarentena devido à pandemia do COVID-19. A Arábia Saudita recentemente informou que iria reduzir voluntariamente sua produção em um adicional de 1 mbpd (cerca de 1% da produção global), trazendo sua produção para o nível de 7,5 mbpd, -40% abaixo dos níveis de abril de 2020. O reino conclamou outros países a contribuir para o reequilíbrio do balanço de oferta e demanda da commodity.

Empresas

Banrisul (BRSR6): trimestre fraco, posição defensiva | revisão do 1T20

  • O Banrisul divulgou um lucro abaixo do esperado neste primeiro trimestre de 2020 (1T20) de R$ 276 milhões (vs. R$ 320 mi no 1T19), implicando queda no ROE de 5,1 p.p. na comparação anual para 13,6%. A queda foi impulsionada principalmente pela margem financeira bruta, que caiu 9% anualmente para R$ 1,3 bilhão;
  • Por outro lado, o banco registrou uma notável redução de 4,5% anualmente em despesas administrativas para R$ 920 milhões, além de também ter sido beneficiado por uma menor alíquota efetiva de impostos. Por fim, o banco gaúcho decidiu interromper seu guidance para 2020, considerando as mudanças ocorridas no cenário macroeconômico, bem como os riscos e incertezas relacionados ao COVID-19;
  • Independente do fraco resultado, reiteramos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$ 19,00, pois acreditamos que o banco está defendido estrategicamente durante esta crise, com 44% de sua carteira de crédito em empréstimos consignados e também devido aos seus múltiplos atrativos, como evidenciado pelo 0,6x P/PL (preço por patrimônio líquido). Clique aqui para ver nosso relatório completo.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM