Navio encalhado em Suez prejudica comércio, e governo muda o tom sobre a pandemia no Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:


Clique para ouvir

IBOVESPA -1,49% | 113.262 Pontos

CÂMBIO 0,31% | 5,52/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em queda de 1,49% ontem em meio ao aumento global nas restrições à circulação de pessoas por conta do avanço da pandemia e aos discursos do presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, e da secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen. Ambos veem pouco risco de inflação e reforçam estímulo econômico contínuo à frente. A secretária destacou ainda a importância de um pacote de infraestrutura para combater o desemprego e reconheceu que as medidas terão que ser custeadas por aumentos tributários.

Já no mercado de juros, apesar da queda do dólar e dos juros dos Títulos soberanos dos EUA (as Treasuries), as taxas de juros futuros encerraram a sessão de ontem em alta por aqui, com maior intensidade nos vencimentos mais longos. A reação negativa foi influenciada pelo conteúdo da ata do Copom, que revelou aumento das preocupações com o cenário fiscal. DI jan/22 fechou em 4,70%; DI jan/24 terminou a sessão em 7,50%; DI jan/26 foi pra 8,30% e DI jan/28 encerrou em 8,69%.

Nessa manhã, bolsas internacionais sem direção definida (EUA +0,3% e Europa -0,1%). Empresas tech (Nasdaq +0,7%) sobem após discurso de Powell auxiliar na estabilização da taxa de juros. Também é destaque um navio de carga de 400 metros, que encalhou no canal de Suez, impedindo a passagem de outras embarcações. O evento pode provocar travas na cadeia global de energia. Preços do petróleo já estão subindo, após dois dias em  queda.

No Brasil, o governo discute novas medidas de apoio contra os efeitos da Covid-19, uma vez que as mortes já ultrapassam 3.000 por dia. O Ministério da Economia discute formas de restabelecer o programa BEm de proteção ao emprego, sem quebrar o marco fiscal. Enquanto isso, Bolsonaro se reúne com chefes de poderes depois de pronunciamento moderado na TV. Já no Congresso, o orçamento deve começar a ser votado pela Comissão Mista.

Ainda em política, a segunda turma do Supremo Tribunal Federal declarou, por 3 votos a 2, o ex-juiz Sergio Moro suspeito na condução do caso do triplex em que o ex-presidente Lula foi condenado.

Finalmente, na seara corporativa, o Carrefour Brasil anunciou a aquisição do Grupo BIG por um valor total de R$7,5 bilhões.

Tópicos do dia

Agenda de resultados

Equatorial Energia (EQTL3): após o fechamento
Locaweb (LWSA3): após o fechamento
JBS (JBSS3): após o fechamento

Temporada de Resultados do 4° Trimestre – O que esperar?
Calendário do 4T20
Resumo dos resultados do 4º tri de 2020: Superando nossas estimativas até o momento

Clique aqui para saber mais

Brasil

  1. Gráfico da Semana: Alta da Selic e Juros reais
  2. Bolsonaro se reúne com chefes de poderes depois de pronunciamento moderado na TV
  3. Governo discute como expandir as medidas de apoio relacionadas à Covid

Internacional

  1. Política internacional: em exposição no Senado, Powell e Yellen afirmaram esperar forte recuperação econômica em 2021
  2. Petróleo: Queda nos preços de petróleo é intensificada com aumento dos estoques americanos
    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Carrefour (CRFB3): anúncio da aquisição do Grupo BIG por R$7,5 bilhões
  2. Sanepar (SAPR11): Agepar marca audiência pública para 2ª revisão tarifária, com aumento preliminar de +5,79% das tarifas; Positivo
  3. Siderurgia: Mais fechamentos de montadoras, vendas de aço mais fortes e produção mundial em alta
  4. AES Brasil (TIET11): Conclusão da reorganização societária, com migração para o Novo Mercado
  5. Notícias Diárias do Setor Financeiro


Veja todos os detalhes

Brasil

Gráfico da Semana: Alta da Selic e Juros reais

  • Essa é uma publicação nova semanal. O gráfico da semana é sobre a recente alta da taxa Selic e o impacto nos juros reais.

Bolsonaro se reúne com chefes de poderes depois de pronunciamento moderado na TV

  • Na política, o presidente Jair Bolsonaro se reúne nesta manhã com os presidentes da Câmara, do Senado, do Supremo, ministros e governadores para tratar do enfrentamento ao coronavírus, no momento mais grave da crise e depois de um ano de pandemia. O encontro acontece na sequência de pronunciamento de Bolsonaro na TV em que ele fugiu do negacionismo anterior e focou sua fala no cronograma de vacinação;
  • A Comissão Mista de Orçamento do Congresso deve começar hoje a analisar o relatório final da proposta. A expectativa é que ele seja apreciado pelo plenário do Congresso a partir de amanhã;
  • A segunda turma do Supremo Tribunal Federal declarou, por 3 votos a 2, o ex-juiz Sergio Moro suspeito na condução do caso do triplex em que o ex-presidente Lula foi condenado

Governo discute como expandir as medidas de apoio relacionadas à Covid

  • Governo discute novas medidas de apoio contra os efeitos da Covid, uma vez que as mortes já ultrapassam 3.000 por dia. O Ministério da Economia discute formas de restabelecer o programa BEm de proteção ao emprego, sem quebrar o marco fiscal. Pode ser por meio de um “crédito extraordinário” (que pode ser pago acima do teto de gastos) ou adiando outras despesas para 2022 (quando se espera que o espaço dentro do teto de gastos seja menos apertado);
  • O BCB divulgou ontem a ata de sua última reunião do Copom, quando elevou a taxa Selic em 0,75 pp. No documento, o Copom argumentou que o mercado de trabalho está melhorando mais do que o esperado e os riscos fiscais aumentam com o agravamento da pandemia. Como havia feito no comunicado pós-reunião, reforçou a necessidade de mais um aumento de 0,75 pp na próxima reunião (maio).

Internacional

Política internacional: em exposição no Senado, Powell e Yellen afirmaram esperar forte recuperação econômica em 2021

  • A secretária do Tesouro dos Estados Unidos, Janet Yellen, e o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell participaram na tarde desta terça-feira (23) de uma sessão da comissão de Finanças da Câmara americana para avaliar políticas econômicas e o estado da economia. Tanto Powell quanto Yellen afirmaram esperar forte recuperação econômica em 2021;
  • Powel indicou ainda que preços devem aumentar com retorno de maior demanda no país, mas afirmou que o Fed tem as ferramentas necessárias para controlar a inflação a sua disposição. Já Yellen, cujo discurso foi mais centrado no sofrimento das famílias que sofrem pela pandemia, destacou a importância de um pacote de infraestrutura para combater o desemprego. A secretária reconheceu que as medidas terão que ser custeadas por aumentos tributários, como o aumento do imposto corporativo a 28%;
  • Os pedidos de bens duráveis ​​de fevereiro serão divulgados hoje. É um importante indicador antecedente da formação bruta de capital e da produção industrial. Os dados recentes sobre a atividade econômica dos EUA ficaram abaixo das expectativas, sugerindo que a forte recuperação econômica pode estar dando uma pausa;
  • Na seara diplomática, a China retaliou contra sanções dos EUA, UE e Reino Unido, consideradas mostra de união dos poderes. Beijing apresentou sanções reciprocas contra autoridades europeias e adotou firme discurso contra os poderes.  

Petróleo: Queda nos preços de petróleo é intensificada com aumento dos estoques americanos

  • Ontem o preço de petróleo (Brent) fechou em queda de -6,0% atingindo US$60,79/barril. A queda se intensificou após o relatório do American Petroleum Institute (API) informar que os estoques de petróleo dos EUA cresceram +3,7 milhões de barris/dia (mbpd) na semana passada;
  • Adicionalmente, o relatório oficial de fornecimento da Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA) deve ser publicado hoje às 11:30 da manhã (horário de Brasília), com expectativas do mercado de uma redução de -0,272 milhões de barris nos estoques dos EUA. Os estoques de petróleo dos EUA cresceram +2,396 milhões de barris na semana passada, resultado ligeiramente mais positivo que as expectativas de mercado de um aumento de +2,964 milhões de barris. Um aumento de estoques abaixo do esperado é visto como positivo por indicar uma menor oferta em relação à demanda. Por outro lado, notamos que houve um aumento de +0,472 milhões de barris nos estoques de gasolina nos EUA, o que foi visto como negativo por estar acima das expectativas do mercado;
  • Nessa manhã de quarta-feira, a commodity opera em território positivo em alta de +2,34% em US$62,21 barril (Brent). 

Empresas

Carrefour (CRFB3): anúncio da aquisição do Grupo BIG por R$7,5 bilhões

  • A companhia anunciou a aquisição do Grupo BIG por um valor total de R$7,5 bilhões, o que implica em um múltiplo de 7,8x EBITDA 2020, enquanto o Carrefour espera que esse múltiplo seja de 4,1x EBITDA após as sinergias a serem capturadas nos próximos três anos após a conclusão da operação. Isso se compara a 7,4x EV/EBITDA do Carrefour atualmente. À princípio, o pagamento será feito 70% em dinheiro e 30% através da emissão de novas ações do Carrefour (6% da base atual), mas ele pode eventualmente ser 100% em dinheiro caso algumas situações específicas ocorram. Ainda, a companhia concordou em realizar um adiantamento de R$900 milhões aos vendedores, que será deduzido do total quando a operação for concluída. Com a transação, a alavancagem do Carrefour vai para ~1,4x Dívida Líquida / EBITDA 2022e, de 0,8x anteriormente;
  • O Grupo possui 181 lojas e 38 propriedades adicionais, que foram avaliadas em R$7 bilhões em uma análise independente. O grupo opera em diversos formatos, sendo as BIG (Hipermercado), Bompreço e Nacional (supermercado), Maxxi (atacarejo), Todo Dia (soft discount) e Sam’s Club (licenciamento com Walmart). A aquisição busca trazer complementariedade geográfica, dada forte presença do BIG nas regiões Nordeste e Sul;
  • Vemos a transação como positiva pois ela acelera de forma relevante a expansão do Grupo Carrefour, enquanto há muita sinergia a ser capturada, principalmente através da melhora das margens do Grupo BIG (hoje em 4% vs. CRFB em 7-8%) e expansão do Banco Carrefour para os clientes BIG. A operação ainda está sujeita à aprovação do CADE e deve ser concluída em 2022. A companhia fará um call hoje às 10h para dar maiores informações sobre a transação.

Sanepar (SAPR11): Agepar marca audiência pública para 2ª revisão tarifária, com aumento preliminar de +5,79% das tarifas; Positivo

  • A Sanepar informou ontem, via fato relevante, que sua agência reguladora (Agepar) agendou a audiência pública do processo da 2ª Revisão Tarifária Periódica da companhia para 31 de março. Adicionalmente a Agepar publicou as notas técnicas decorrentes da consolidação das contribuições ocorridas durante o período da consulta pública;
  • De acordo com as notas técnicas, os resultados preliminares para a próxima revisão apontam para uma tarifa no valor de R$ 5,6689/m³, o que representa um aumento de +5,7963% em relação à tarifa base considerada de R$ 5,3583/m. Ressaltamos que o resultado preliminar anterior divulgado pela Agencia em janeiro apontava para uma redução de -2,5882% sobre as tarifas;
  • Por um lado, vamos como positivo: (i) a correção nos cálculos do WACC (custo de capital) que passou a ser de 11,4748% para o WACC bruto e 7,5734% para o WACC líquido comparado a 10,9351% / 7,2712% divulgados anteriormente e (ii) a adoção de uma proposta alternativa para definição dos custos operacionais eficientes mais alinhada com nossas estimativas de R$1,919 bilhão;
  • Por outro lado,  vemos como negativo os resultados preliminares do cálculo da RAB (Base de Ativos Regulatórios), que não levaram em consideração os investimentos realizados pela empresa entre 2017 e 2020. Segundo o regulador os itens que ainda precisam ser considerados ou reavaliados serão feitos posteriormente na segunda fase da 2ª revisão tarifária, a ser concluida em maio de 2022;
  • Acreditamos que o mercado deverá reagir positivamente aos novos cálculos da 2ª revisão tarifária da Sanepar, tendo em vista a melhora no índice de reajuste de -2,5882% para +5,7963%. Por outro lado, ainda recomendamos cautela a investidores com relação às ações tendo em vista a maior percepção de risco para o ambiente regulatório da companhia desde os anúncios dos termos preliminares para o recálculo das tarifas em janeiro. O motivo é que ainda há muitas incertezas para os resultados finais da 2ª revisão tarifária da companhia, principalmente no que diz respeito ao cálculo da Base de Ativos Regulatória, parâmetro essencial para se avaliar uma companhia de saneamento com tarifas calculadas sob um modelo de retorno sobre base de ativos. Ainda considerarmos o arcabouço regulatório muito precário para justificar uma tese de investimento de longo prazo nas ações. Mantemos nossa recomendação Neutra com preço-alvo de R$ 24,5/unit.

Siderurgia: Mais fechamentos de montadoras, vendas de aço mais fortes e produção mundial em alta

  • A AES Brasil anunciou ontem, via fato relevante, que concluiu sua proposta de reorganização societária juntamente com migração para o Novo Mercado. A proposta previa a criação de uma holding, AES Brasil Energia, para incorporar as ações da AES Tietê. Com isso, todos os atuais acionistas da AES Tietê passarão a ser acionistas da nova holding mantendo o percentual atual de participação na nova companhia;
  • A AES Brasil Energia, nova controladora, foi listada no Novo Mercado segmento de governança mais elevado da B3. Como o Novo Mercado permite apenas empresas com ações ordinárias, a troca ocorrerá na proporção de 5 ações ordinárias ou preferenciais da AES Tietê, para cada uma ação ordinária de emissão de AES Brasil Energia. Com isso, cada unit (4 PN + 1 ON) da AES Tietê poderá ser trocada por uma ação ordinária da AES Brasil Energia;
  • Desta forma, a partir de 29/03/2021, as ações de emissão da AES Tietê deixam de ser negociadas e iniciam os negócios com as ações de AES Brasil no Novo Mercado da B3. Notamos que o processo de reorganização societária não afetará de maneira direta o valor intrínseco das ações da AES Brasil, de modo que não haverá nenhuma mudança na posição financeira de investidores com o processo. Hoje, nosso preço-alvo de 12 meses para as units TIET11 é de R$18/unit, e este deverá ser o mesmo preço-alvo para as novas ações a serem emitidas (tendo em vista que 1 unit = 1 nova ação ordinária).

AES Brasil (TIET11): Conclusão da reorganização societária, com migração para o Novo Mercado

  • A semana vem sendo marcada por diversas atualizações no setor siderúrgico no Brasil e no mundo. No mercado doméstico, a suspensão e redução da produção de carros pelas montadoras seguem impactando a cadeia produtiva do aço, mesmo que o setor continue reportando bons números no ano. Já no exterior, volume de produção de aço no mundo segue em alta, puxado principalmente pelas siderúrgicas chinesas;
  • Clique aqui para acessar o nosso resumo das principais notícias.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.