XP Expert

Ibovespa de lado com indefinição no cenário fiscal e ruídos políticos

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA -0,10% | 95.526 Pontos

CÂMBIO 0,32% | 5,61/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa encerrou o pregão de ontem em leve queda de 0,10%, fechando em 95.526 pontos, em um dia marcado por bastante instabilidade diante das incertezas sobre o cenário fiscal. Do lado negativo, as maiores quedas do índice no dia foram as de CIEL3 (-5,13%), CVCB3 (-5,12%) e EMBR3 (-3,93%), enquanto as maiores altas foram as de GOAU4 (+3,40%), VALE3 (+3,04%) e PRIO3 (+2,77%). Por outro lado, o dólar avançou 0,32%, cotado aos R$ 5,61. As taxas futuras de juros encerraram o dia de ontem praticamente estáveis, após certa volatilidade ao longo da sessão. A agenda fiscal e o programa Renda Cidadã continuam sendo o principal motor dos movimentos. DI jan/21 fechou em 2,0%; DI jan/23 encerrou em 4,76%; DI jan/25 ficou em 6,67%; e DI jan/27 fechou em 7,6%.

Nessa quinta-feira, os mercados globais operam sem direção definida, com futuros do S&P em alta (+0,44%) e bolsas asiáticas fechando sem rumo, enquanto a bolsa achinesa segue fechada devido ao feriado nacional estendido.

Ainda no cenário político internacional, os candidatos a vice-presidente dos Estados Unidos Mike Pence e Kamala Harris se enfrentaram na noite desta quarta-feira (7), em um debate marcado por tom mais moderado que o debate presidencial. Os principais temas abordados foram a pandemia, a economia, o racismo e a China. Numa discussão relativamente equilibrada, Harris fez duras críticas à administração da pandemia pelo governo Trump e política econômicas que “favorecem apenas os ricos”, enquanto Pence resistiu ataques com críticas ao histórico de Joe Biden. Não foram discutidos novos temas ou apresentadas novas narrativas. A vista disso, não esperamos que o evento altere o cenário eleitoral.

Vale destacar que tanto a democrata quanto o republicano evitaram abordar tópicos de relevância para o eleitorado. Harris não respondeu se sua chapa tem planos de reformar a Suprema Corte americana. Já Pence não respondeu diretamente quando questionado se sua chapa respeitará os resultados da eleição e sobre seus planos para a Saúde. Portanto, esses temas devem aparecer nos próximos debates presidenciais.

No lado das discussões sobre estímulos à economia, a democrata Nancy Pelosi e o secretário do Tesouro retomaram conversas e avaliaram auxílio para companhias aéreas. No entanto, segundo a Bloomberg, Pelosi se opôs a nova rodada de cheques de USD 1.200, uma medida que considera ser insuficiente.

No Brasil, seguem as discussões sobre o financiamento do novo programa de transferência de renda — para evitar contaminação pelo ambiente das eleições municipais, o debate deve mesmo ficar para novembro. O tempo exíguo para a aprovação no final do ano aumenta a atenção sobre a possibilidade de uma solução emergencial, caso seja frustrada a tentativa de aprová-lo. Ontem, o ministro Paulo Guedes disse que não há possibilidade de extensão do estado de calamidade e do auxílio para além de dezembro.

No Congresso, segue o impasse sobre a instalação da comissão de Orçamento. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, deu mais uma semana para buscar um acordo entre os grupos de Rodrigo Maia e Arthur Lira. A instalação da comissão é o passo inicial para as discussões da lei de diretrizes orçamentárias e da lei orçamentária.

No noticiário econômico, o ministro Paulo Guedes enfatizou que o pagamento só acontecerá até dezembro desse ano, após ter sido ventilada a possibilidade de o auxílio emergencial ser pago até junho de 2021. Em um evento do Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro elogiou a equipe de ministros, mas afirmou que a palavra final da Economia compete a ele e ao ministro Paulo Guedes. No noticiário econômico, os destaques foram a sinalização de que o corte de salários acima do teto do funcionalismo seria insuficiente para financiar uma ampliação significativa do Bolsa Família e o alerta de que a disputa pelo comando da Câmara dos Deputados a partir de 2021 pode atrasar o Orçamento e ameaçar os gastos do governo no ano que vem.

Na agenda econômica de hoje, os destaques são a divulgação das vendas no varejo brasileiro e a ata da última reunião de política monetária do Banco Central Europeu, além do discurso de dirigentes do Fed.

Tópicos do dia

Coronavírus

Revisamos em agosto o target do Ibovespa para 115.000 pontos
Medidas econômicas para combater o coronavirus no Brasil

Para ler mais conteúdos, clique aqui.

Internacional

  1. Política internacional: Debate de vices nos EUA não deve alterar a disputa
  2. Parlamento Europeu rejeita simbolicamente acordo UE-Mercosul
  3. FMI recomenda investimento verde para estimular recuperação global
  4. Petróleo: Aumento no estoque dos EUA acima do esperado pelo mercado
    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Copel (CPLE6): Lançamento de novo Programa de Demissão Incentivada (“PDI”)  


Veja todos os detalhes

Internacional

Política internacional: Debate de vices nos EUA não deve alterar a disputa

  • Em um debate marcado por tom mais moderado que o debate presidencial, os candidatos a vice-presidente dos Estados Unidos Mike Pence e Kamala Harris se enfrentaram na noite desta quarta-feira (7). Os principais temas abordados foram a pandemia, a economia, o racismo e a China. Numa discussão relativamente equilibrada, Harris fez duras críticas à administração da pandemia pelo governo Trump e política econômicas que “favorecem apenas os ricos”, enquanto Pence resistiu ataques com críticas ao histórico de Joe Biden. Não foram discutidos novos temas ou apresentadas novas narrativas. A vista disso, não esperamos que o evento altere o cenário eleitoral;
  • Vale destacar que tanto a democrata quanto o republicano evitaram abordar tópicos de relevância para o eleitorado. Harris não respondeu se sua chapa tem planos de reformar a Suprema Corte americana. Já Pence não respondeu diretamente quando questionado se sua chapa respeitará os resultados da eleição e sobre seus planos para a Saúde. Portanto, esses temas devem aparecer nos próximos debates presidenciais;
  • No lado das discussões sobre estímulos à economia, a democrata Nancy Pelosi e o secretário do Tesouro retomaram conversas e avaliaram auxílio para companhias aéreas. No entanto, segundo a Bloomberg, Pelosi se opôs a nova rodada de cheques de USD 1.200, uma medida que considera ser insuficiente.

Parlamento Europeu rejeita simbolicamente acordo UE-Mercosul

  • De acordo com o Valor Econômico, o Parlamento Europeu rejeitou simbolicamente ontem o acordo de livre comércio União Europeia-Mercosul, em um cenário no qual vários parlamentares manifestam “profunda preocupação com a política ambiental de Jair Bolsonaro”;
  • Numa atitude inédita, o plenário do Parlamento aprovou uma emenda em relatório sobre aplicação da política comercial europeia, enfatizando que o “acordo UE-Mercosul não pode ser ratificado na sua forma atual”. Essa emenda obteve 345 votos a favor, 295 contra e 56 abstenções;
  • Vale ressaltar que o feito é altamente simbólico e não obrigatório, mas reflete o cenário difícil para a implementação do acordo birregional negociado ao longo de 20 anos. Na prática, a necessidade de garantias adicionais pelo governo brasileiro na área ambiental será essencial para que os europeus decidam se movimentar para ratificar ou não o acordo birregional. Vemos a evolução da agenda ambiental como imprescindível, ao mesmo tempo que a aprovação oficial do acordo EU-Mercosul poderia trazer benefícios consideráveis para as exportações do Brasil.

FMI recomenda investimento verde para estimular recuperação global

  • O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou ontem o relatório Panorama Econômico Mundial (WEO, na sigla em inglês), declarando que políticas para mudar a forma como produzimos e usamos a energia são essenciais para evitar o pior cenário da mudança climática e ainda contribuiriam para a recuperação da economia global da recessão provocada pela pandemia de COVID-19;
  • Uma estratégia para mitigar o aquecimento global poderia, nos primeiros 15 anos de recuperação, acrescentar, em média, 0,7% ao PIB global, ao passo que os investimentos verdes gerariam mais 12 milhões de empregos mundialmente, estima o FMI. Ao mesmo tempo, a instituição alertou que a transição para uma economia de baixa emissão de carbono também implica em custos. Entre 2037 e 2050, o FMI calcula que as políticas de mitigação possam reduzir, em média, o PIB global em 0,7% ao ano – o Fundo vê os custos como administráveis, mencionando que as projeções atuais indicam um crescimento de 120% do PIB global entre agora e 2050;
  • Para o FMI ainda há tempo para impedir o aquecimento global e sugere que os países promovam investimentos em energia verde, reduzindo paralelamente as emissões de carbono, como estratégia para reverter os efeitos da devastação econômica da pandemia. A instituição sugere que os países comecem investindo em transportes públicos que não gerem emissões, em redes elétricas inteligentes e na reforma de edifícios para torná-los mais eficientes do ponto de vista energético. Esse investimento em infraestrutura verde estimulará o PIB global e o emprego, ao mesmo tempo que aumentará a produtividade nos setores de baixo carbono.

Petróleo: Aumento no estoque dos EUA acima do esperado pelo mercado

  • Ontem a Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA) divulgou, em seu relatório oficial de fornecimento, um aumento no estoque de +0,501 milhões de barris contra expectativa do mercado de +0,294 milhões de barris. O aumento do estoque é visto como negativo e pode ilustrar uma maior lentidão da recuperação de demanda pela commodity do que o esperado;
  • Em contrapartida, petroleiras do Golfo do México estão evacuando algumas plataformas por conta do Furacão Delta que atinge a costa, o que pode acarretar uma redução de produção;
  • Nessa manhã de sexta-feira, o petróleo tipo Brent opera em território positivo em alta de +1,52% em US$42,63/barril.

Empresas

Copel (CPLE6): Lançamento de novo Programa de Demissão Incentivada (“PDI”)  

  • Ontem a Copel anunciou, via comunicado ao mercado, o lançamento de um novo Programa de Demissão Incentivada (“PDI”). Segundo a companhia, atualmente 930 empregados se enquadram nos requisitos do novo programa, os quais representam uma potencial redução de R$ 168,7 milhões em custos anuais a partir de 2021;
  • O Programa está aberto em duas fases. A primeira é destinada a todo empregado em função de área técnica ou operacional e a segunda para os empregados das demais áreas. Ambas as fases requerem que o empregado tenha benefício de aposentadoria concedido ou solicitação de benefício protocolado junto ao INSS ou estar com, no mínimo, 25 anos de Copel e 55 anos de idade. As indenizações, referentes aos desligamentos dos empregados que aderirem ao PDI, são estimadas em uma soma de R$ 74,8 milhões, segundo a própria companhia;
  • Vemos a notícia como positiva para a Copel, dado que a iniciativa vai de encontro com o compromisso da empresa de reduzir seus custos e tornar-se mais eficiente. Mantemos recomendação de compra nas ações da Copel, com preço alvo de R$ 67/ação. Notamos que nossas estimativas e preço-alvo não incorporam a potencial redução de custos gerada pelo novo programa de demissão incentivada.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.