Vacina da Johnson & Johnson é pausada nos EUA, e foco na inflação americana e seu impacto nos juros de longo prazo

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Clique para ouvir

IBOVESPA 1,0% | 118.812 Pontos

CÂMBIO 0,9% | 5,73/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O índice Ibovespa abriu a semana em alta de +1,0%, a 118.812 pontos, renovando sua máxima desde fevereiro, e o dólar subiu +0,9% a R$5,73. No mercado de juros, as taxas futuras fecharam o dia praticamente estáveis, após queda no período da manhã. DI jan/22 fechou em 4,74%; DI jan/24 encerrou em 7,72%; DI jan/26 foi para 8,64%; e DI jan/28 fechou em 9,06%.

Bolsas internacionais amanhecem em queda após notícias de que os EUA irá pausar a vacina da Johnson & Johnson depois de identificarem casos severos de coágulos sanguineos. Ontem, ações de Wall Street fecharam próximos à estabilidade com os investidores aguardando a divulgação a inflação de preços ao consumidor (IPC) dos EUA. Uma surpresa para cima pode levar a um novo aumento nos juros de longo prazo. Os juros dos títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos têm oscilado em torno de 1,7% recentemente. Além disso, investidores aguardam a temporada de resultados do primeiro trimestre de 2021, que começa na quarta-feira.

Ainda nos EUA, as negociações pelo pacote de infraestrutura de USD 2.25 trilhões se aceleraram nesta segunda-feira (12) com a retomada de atividades em Washington. O presidente Joe Biden realizou uma reunião com um grupo bipartidário de parlamentares na qual sinalizou certa flexibilidade, indicando que poderia apoiar o fatiamento do pacote e diferentes formas de compensar o gasto. No entanto, republicanos reiteraram oposição a um aumento de imposto para empresas.

E na Alemanha, a disputa pela sucessão de Angela Merkel esquentou ainda mais devido a divergências entre os partidos da sua aliança, o CDU e CSU, sobre quem será o candidato endossado para a eleição.

No Brasil,  o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, deve fazer na sessão desta tarde a leitura do requerimento para a criação da CPI do Coronavírus, que vai apurar a responsabilidade do governo federal no combate à pandemia. Temendo desgaste político, o Palácio do Planalto tem trabalhado para retardar sua criação e para que governadores e prefeitos também sejam investigados, diluindo assim o foco das apurações. A partir da leitura, é aberto prazo para a indicação dos 11 membros e 7 suplentes da comissão e, então, convocada a sessão para sua criação. Há expectativa sobre decisão do Supremo em sessão marcada para amanhã que pode sinalizar ao Senado que só deve instalar a comissão depois de superadas restrições para seu funcionamento presencial.

Além disso, o governo discute alternativas (arriscadas) para aumentar os gastos acima do teto. O Ministério da Economia avalia uma nova PEC para autorizar gastos fora do teto, da meta fiscal e da regra de ouro com programas emergenciais, como BEm (R$ 10 bilhões) e Pronampe (R$ 7 bilhões), e até R$ 18 bilhões em iniciativas para mitigar os efeitos da pandemia, o que pode abrir espaço a emendas parlamentares no orçamento. A proposta, no entanto, ainda carece de articulação política para avançar.

Na agenda econômica, os dados de comércio da China vieram fortes, com o aumento de exportações em 30,6% a/a, enquanto importações aumentaram 38,1% em março revelando uma demanda doméstica sólida. Hoje, além da divulgação da inflação dos EUA, destacam-se as vendas no varejo de fevereiro do Brasil.

Tópicos do dia

Acesse aqui o relatório internacional

Economia

  1. Foco na inflação do consumidor nos EUA e seu impacto nos juros de longo prazo. Os dados de comércio da China permanecem fortes. No Brasil, o governo discute alternativas (arriscadas) para aumentar os gastos acima do teto, enquanto os mercados monitoram as vendas no varejo de fevereiro

Política

  1. Política internacional: Biden sinaliza flexibilidade sobre pacote de infraestrutura de USD 2.25 trilhões

Empresas

  1. Petrobras (PETR4): Joaquim Silva e Luna e mais sete membros são eleitos para Conselho de Administração da Companhia
  2. Grupo Pão de Açucar (PCAR3): Anúncio de potencial aumento de capital da Cnova pelo Casino; rebaixando para Neutro
  3. Cyrela (CYRE3) – 1T21 Prévia Operacional: Lançamentos amenos, mas performance de vendas sólida
  4. Papel & Celulose: Mercado de papelão segue forte e bate novos recordes em março
  5. Ânima (ANIM3): emissão de debêntures para financiar a aquisição da Laureate
  6. Notícias Diárias do Setor Financeiro
  7. Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

ESG

  1. Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 13/04

Veja todos os detalhes

Economia

Foco na inflação do consumidor nos EUA e seu impacto nos juros de longo prazo. Os dados de comércio da China permanecem fortes. No Brasil, o governo discute alternativas (arriscadas) para aumentar os gastos acima do teto, enquanto os mercados monitoram as vendas no varejo de fevereiro

  • O destaque hoje nos mercados globais é a inflação de preços ao consumidor (IPC) de março nos EUA. Apesar das pressões advindas dos altos preços das commodities e estímulos fiscais e monetários agressivos, a inflação ao consumidor vem baixa até agora. Uma surpresa para cima hoje pode levar a um novo aumento nos juros de longo prazo. Os juros dos títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos estão oscilando em torno de 1,7% recentemente;
  • As exportações da China aumentaram 30,6% ano-a-ano em março, desacelerando de 154,9% em fevereiro. Apesar de abaixo do consenso (38,0%), a tendência segue robusta, principalmente após resultados muito fortes em fevereiro. As importações aumentaram 38,1% em março (24,4% esperado), acima dos 17,3% em fevereiro, revelando uma demanda doméstica sólida. Tanto as exportações quanto as importações foram provavelmente infladas por preços mais altos (considerando que a inflação dos preços ao produtor de março, proxy para os preços de importação e exportação, ficou acima das expectativas na semana passada);
  • De acordo com a Bloomberg News, a secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, não deve classificar a China como manipuladora da moeda. Se confirmada, a medida permitiria aos EUA evitar um novo confronto com o país asiático;
  • Na Europa, a pesquisa Zew na Alemanha ficou em 70,7 em abril de 76,9 em março. O indicador, no entanto, permanece próximo aos máximos históricos, sugerindo que a maior economia da zona do euro continua se recuperando do impacto da segunda onda da Covid;
  • No Brasil, a imprensa reporta que o Poder Executivo estaria discutindo uma nova Emenda Constitucional para permitir gastos extra-teto, e assim resolver o emaranhado do Orçamento que dura mais de três semanas. A saída não seria bem-vinda pelos mercados não apenas porque amplia o déficit atual, mas também porque pode abrir espaço para deterioração estrutural adicional durante a tramitação no Congresso;
  • As vendas no varejo de fevereiro serão divulgadas esta manhã (XP 1,3% mês / mês; BBG 0,7%).

Política

Política internacional: Biden sinaliza flexibilidade sobre pacote de infraestrutura de USD 2.25 trilhões

  • As negociações pelo pacote de infraestrutura de USD 2.25 trilhões se aceleraram nesta segunda-feira (12) com a retomada de atividades em Washington. O presidente dos EUA, Joe Biden, realizou realizou uma reunião com um grupo bipartidário de parlamentares na qual sinalizou certa flexibilidade, indicando que poderia apoiar o fatiamento do pacote e diferentes formas de compensar o gasto. No entanto, republicanos reiteraram oposição a um aumento de imposto para empresas;
  • No lado das relações entre as maiores economias do mundo, a secretária do Tesouro americano, Janet Yellen, deve evitar inflamar tensões em seu próximo relatório de câmbio. Segundo autoridades, a China não será apontada como manipulador de manipulador de moeda no relatório, tema que gerou tensões entre os países no passado;
  • Na Alemanha, a disputa pela sucessão de Angela Merkel esquentou ainda mais devido a divergências entre os partidos da sua aliança, o CDU e CSU, sobre quem será o candidato endossado para a eleição. O CDU apoia Armin Laschet, enquanto o CSU, partido-irmão dos democratas cristãos, defende candidatura de Markus Soder. Apesar da influência do CDU ser maior, o declínio de Laschet nas pesquisas e maior popularidade de Soder dão argumentos ao partido menor.    E o secretário-geral das Nações Unidas, Antonio Guterres, fez pedido a nações para a instituição de imposto sobre a riqueza para ajudar a reduzir a desigualdade global exacerbada pela pandemia da Covid-19.

Empresas

Petrobras (PETR4): Joaquim Silva e Luna e mais sete membros são eleitos para Conselho de Administração da Companhia

  • Ontem a Petrobras informou, via fato relevante, que foi aprovado em sua Assembleia Geral Extraordinária: (i) a destituição do Sr. Roberto Castello Branco da presidência da companhia; (ii) a eleição de 8 membros do Conselho de Administração da Petrobras, pelo processo de voto múltiplo e (iii) a eleição do presidente do conselho de administração;
  • Foram eleitos, pelo sistema de voto múltiplo, sete nomes indicados pela União: (1) Joaquim Silva e Luna, (2) Eduardo Bacellar Leal Ferreira (também eleito presidente do colegiado), (3) Ruy Flaks Schneider, (4) Márcio Andrade Weber, (5) Murilo Marroquim de Souza, (6) Sonia Julia Sulzbeck Villalobos e (7) Cynthia Santana Silveira. A disputa pela oitava vaga foi vencida por Marcelo Gasparino, indicado por acionistas minoritários;
  • O General Joaquim Silva e Luna vai precisar ainda da aprovação do novo colegiado para assumir o comando executivo da companhia. A data em que isso vai acontecer ainda não está definida. Enquanto isso, a Petrobras informou que foi nomeado como diretor interino o diretor-executivo de Exploração e Produção, Carlos Alberto Oliveira;
  • Mantemos recomendação de Venda nas ações da Petrobras, com preço-alvo de 12 meses de R$24/ação para PETR4 e PETR3.

Grupo Pão de Açucar (PCAR3): Anúncio de potencial aumento de capital da Cnova pelo Casino; rebaixando para Neutro

  • O Grupo Pão de Açucar publicou um comunicado ao mercado na noite de terça-feira anunciando que seu Conselho de Administração foi informado que o Grupo Casino, seu controlador, está analisando um potencial aumento de capital da Cdiscount, subsidiária direta da Cnova, na qual o GPA detém 34,17% do capital social;
  • Apesar de acreditarmos que a transação pode destravar um valor adicional para o GPA, os preços atuais já refletem uma probabilidade de 40% que a transação irá ocorrer enquanto vemos desafios para que ela seja concretizada no curto prazo;
  • Dessa forma, estamos rebaixando nossa recomendação para Neutro e ajustando nosso preço alvo para R$39,0 por ação, de R$28,0 antes. Veja mais em nosso relatório aqui.

Cyrela (CYRE3) – 1T21 Prévia Operacional: Lançamentos amenos, mas performance de vendas sólida

  • A Cyrela (CYRE3) publicou resultados operacionais mistos com nível de lançamentos mais ameno, mas performance de vendas sólida. Por um lado, os lançamentos foram significativamente abaixo, provavelmente impactados pelas restrições às atividades comerciais devido à pandemia. Por outro lado, o volume de vendas cresceu 22% ano contra ano, beneficiado pelas vendas robusta de estoque. Embora as restrições atuais devam impactar as operações no curto prazo, mantemos a nossa perspectiva positiva para a companhia no médio prazo e reiteramos nossa recomendação de compra e preço-alvo de R$33,0/ação;
  • Os lançamentos da Cyrela foram provavelmente impactados pela restrição da Covid-19, que levou a um volume de R$421 milhões no primeiro trimestre (queda de 60,4% ano contra ano e 85,3% trimestre contra trimestre), dos quais R$52 milhões foram no média renda, R$307 milhões na alta renda e R$63 milhões sob o programa habitacional Casa Verde e Amarela (CVA);
  • As vendas líquidas totalizaram R$1.031 milhões (alta de 21,8% ano contra ano e queda de 44,6% trimestre contra trimestre), dos quais R$201 milhões foram de estoque pronto, R$659 milhões foram de unidades em construção e R$172 milhões de lançamentos recentes. Isso levou a uma velocidade de vendas de 17,5% no trimestre (40,7% para os lançamentos recentes), que vemos como sólido considerando as restrições impostas pela pandemia durante o trimestre.

Papel & Celulose: Mercado de papelão segue forte e bate novos recordes em março

  • Segundo dados preliminares divulgados pela Empapel, a expedição de caixas, acessórios e chapas de papelão ondulado foi de 351.119 toneladas em março, alta de 9,6% em relação à março de 2020. O mercado de papelão ondulado segue batendo consecutivos recordes. Novamente, esse foi o maior volume expedido entre os meses de março desde 2005, além de ser a nona vez consecutiva em que o crescimento interanual do volume expedido é recorde. Ademais, o volume trimestral também foi recorde, considerando o primeiro trimestre desde o início da série, encerrando o período em 1.004.339 toneladas, alta de 9,2% em relação ao primeiro trimestre de 2020;
  • Com relação à produção por dia útil, a Empapel registrou uma alta de 5,6%, na comparação anual, para 13.004t/du, sendo a maior expedição diária entre os meses de março;
  • Quando consideramos os dados ajustados sazonalmente, a expedição de papelão ondulado apresentou queda de 3,2%, para 338.316 toneladas;
  • Mantemos nossa recomendação de Compra para Irani e Klabin, com preço-alvo de R$ 8,50/ação para RANI3 e R$ 32/ação para KLBN11. Clique aqui para ler o relatório completo.

Ânima (ANIM3): emissão de debêntures para financiar a aquisição da Laureate

  • Como esperado, Ânima anunciou a aprovação de uma emissão de debêntures para financiar a aquisição da Laureate;
  • O valor total a ser emitido será de R$2,5 bilhões em duas séries: 1ª série no valor de R$500 milhões e 2ª série no valor de R$2,0 bilhões;
  • A 1ª série tem prazo de 2 anos com vencimento em abril de 2023, com juros “DI” (Taxa de Depósitos Interbancários) mais spread de 3,75% ao ano e amortização no vencimento;
  • A 2ª série tem prazo de 6 anos com vencimento em abril de 2027, com juros “DI” (Taxa de Depósitos Interbancários) mais spread de 4,75% ao ano e amortização em parcelas semestrais a partir de outubro de 2023;
  • As debêntures terão distribuição pública com esforços restritos de distribuição, nos termos da Instrução CVM nº 476;
  • Considerando o valor a ser pago pela Laureate (incluindo sua posição de dívida líquida) e o endividamento atual da Ânima, estimamos uma alavancagem atual de 4,0x Dívida Líquida/EBITDA’20, ou 3,3x considerando o EBITDA combinado estimado para 2021, excluindo quaisquer sinergias potenciais de o acordo;
  • Em suma, isso já era esperado e vemos como positivo os 2 anos de carência para amortização da nova dívida e o prazo de 6 anos da 2ª série (80% da emissão) que permitirão à Companhia começar a capturar sinergias de o negócio antes do vencimento de qualquer compromisso relevante. Continuamos otimistas com as perspectivas de longo prazo para a empresa, principalmente com a aquisição da Laureate e reiteramos nossa recomendação de Compra e preço alvo R$15,0/ação.

Notícias Diárias do Setor Financeiro

  • Acesse este relatório com notícias do setor financeiro que complementam nossos comentários publicados no Morning Call, mas que não consideramos relevantes o suficiente para serem analisadas. Aqui você encontra o título com o link para a fonte original da notícia, além de uma breve descrição do conteúdo;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

Entrega XP: Notícias diárias do setor de varejo nacional e internacional

  • Nesta publicação diária, trazemos as principais notícias do setor de varejo (e-commerce, supermercados, lojas de roupa, farmácias, etc.) nacional e internacional, complementando nossa visão sobre as tendências e acontecimentos mais importantes do dia. Além disso, o relatório contém um resumo dos múltiplos e recomendações para as empresas de nossa cobertura;
  • Clique aqui para acessar o relatório.

ESG

Café com ESG: Conteúdos diários que transformam | 13/04

  • Neste relatório diário publicado todas as manhãs pelo time ESG do Research da XP, buscamos trazer as últimas notícias para que você comece o dia bem informado e fique por dentro do que o Brasil e o mundo fala sobre um tema que tem ficado cada vez mais relevante: ESG – do termo em inglês Environmental, Social and Governance ou, em português, ASG – Ambiental, Social e Governança;
  • Quais tópicos abordamos ao longo do conteúdo? (i) Notícias no Brasil e no mundo acerca do tema ESG; (ii) Performance dos principais índices ESG em diferentes países; (iii) Comparativo da performance histórica do Ibovespa vs. ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial, da B3); e (iv) Lista com os últimos relatórios publicados pelo Research ESG da XP;
  • Por que essas informações são importantes? Porque elas indicam os temas dentro da agenda ESG que estão sendo cada vez mais monitoradas por parte dos investidores e das empresas, e podem impactar os preços das ações de diferentes companhias. Clique aqui para acessar o relatório e começar o dia bem informado com as principais notícias ao redor do Brasil e do mundo quando o tema é ESG.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.