Panorama Mensal de Fundos – Maio 2021

Confira o panorama mensal de performance das diferentes classes da indústria de fundos


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

O mês de abril foi marcado pelo movimento de valorização generalizada dos ativos de risco ao redor do mundo, em que a economia americana segue sólida recuperação e apresenta campanha de vacinação acelerada.

No mercado de ações globais, as bolsas tiveram mais um mês positivo, com destaque para o índice de ações americanas (S&P 500), que teve alta mensal de 5,24% (em dólar), atingindo nova máxima histórica ao longo do mês. Também tiveram altas expressivas o índice de ações globais (MSCI ACWI), com alta de 4,24% em dólar, e o índice de ações europeias (MSCI Europe), com ganho de 4,10% em dólar.

No Brasil, houve avanços positivos no pano de fundo macroeconômico, não só devido ao ambiente externo favorável, mas também por redução marginal dos riscos fiscais no país, após aprovação de proposta orçamentária para 2021, além de pequeno avanço na situação da pandemia no país. No mês, a bolsa brasileira fechou no positivo, com alta de 1,94% para o Ibovespa, assim como os títulos públicos prefixados e atrelados à inflação, com altas de 0,84% e 0,65% para os índices IRF-M e IMA-B, respectivamente. Nesse ambiente, o dólar teve queda de -5,16% contra o real.

Principais indicadores

Fundos de Crédito

No mês, o Idex-CDI (índice de debêntures atreladas ao CDI) subiu 0,49%, e o IDA-IPCA Infraestrutura (índice de debêntures incentivadas), teve alta de 1,44%.

O carrego médio das debêntures (retorno esperado com os juros) se manteve em patamares de estabilidade, com um prêmio de crédito médio em torno de CDI + 1,90%.

No mês de abril, o mercado de crédito brasileiro contou com duas situações favoráveis: a aprovação do orçamento de 2021, ainda que com emendas e com gastos fora do orçamento, o que trouxe estabilidade ao mercado de renda fixa no que diz respeito ao risco fiscal brasileiro.

Somado a isso, o volume de emissões de crédito aumentou no último mês, fato positivo, dado que uma oferta de novos títulos ajuda a não pressionar o preços de ativos de crédito no mercado secundário.

A captação líquida do segmento de Renda Fixa no Brasil segue positiva, com captação de R$ 4,4 bilhões no mês de abril, que totalizam R$ 64 bilhões no ano.

Os segmentos mais impactados positivamente dentro dos fundos de crédito foram os fundos de Crédito High Yield, enquanto os mais impactados negativamente foram os Renda Fixa Internacional Não Hedgeado, em virtude da desvalorização cambial do mês de abril.

Confira abaixo a rentabilidade dos segmentos:

Fundos Multimercados

O mês de abril foi positivo para a classe dos multimercados, em linha com a valorização generalizada dos ativos de risco no Brasil e no mundo. O IHFA – índice de multimercados da Anbima – teve a terceira alta mensal consecutiva, fechando o mês com retorno de 1,28%.

Entre os multimercados monitorados pela equipe de fundos da XP, o destaque ficou por conta dos fundos de estratégia internacional com hedge e long short, com retornos mensais médios de 2,03% e 1,14% respectivamente. O desempenho foi positivo para os diferentes grupos de estratégia, com exceção dos internacionais sem hedge, devido à desvalorização do dólar contra o real no mês.

Para os fundos de estratégia macro – a classe mais representativa entre os multimercados – o posicionamento geral dos produtos segue com apostas a favor da bolsa brasileira. Segundo levantamento feito pela equipe de fundos da XP com gestores da plataforma às vésperas da última reunião do Copom, cerca de 87% dos gestores apresentavam posições direcionais compradas na bolsa brasileira, enquanto mais da metade (57%) não possuía posições no mercado de juros (confira o levantamento na íntegra aqui).

Fundos de Ações

Os fundos de renda variável, em geral, tiveram um mês de altas expressivas, acima da valorização do Ibovespa. Na média, os fundos de estratégia long only, long biased e internacionais com hedge monitorados pela equipe de fundos da XP tiveram alta de 3,73%, 4,13% e 3,15%, respectivamente, contra 1,94% do Ibovespa.

No mês, vale destacar que a equipe de Análise da XP revisou a projeção do preço-alvo do Ibovespa para o fim de 2021 de 135 mil pontos para 145 mil pontos. A revisão é baseada sobretudo no forte aumento das expectativas de lucro das empresas do Ibovespa, assim como leve acomodação recente nas taxas de juros reais de longo prazo no Brasil.

Segundo levantamento feito pela equipe de fundos da XP no início de abril, as perspectivas dos gestores para a bolsa brasileira seguem otimistas, o que reflete em alocações historicamente elevadas entre os portfólios, com predominância de alocações em ações acima de 90% (confira levantamento na íntegra aqui).

Fundos Internacionais

O mês também foi positivo para os mercados internacionais, com manutenção dos pacotes de estímulos fiscais e crescentes campanhas de vacinação em diversos países. Quando analisamos os Estados Unidos, vemos que a economia norte-americana vem se recuperando intensamente, com estímulos anunciados em março de 2021, somados à manutenção da taxa de juros americana em abril. Além disso, a retomada da economia norte-americana em conjunto com uma liquidez abundante tem sido tema de diversas discussões de gestores de fundos de investimento.

O processo de retomada acelerada pode causar inflação, e fazer com que as autoridades monetárias retomem eventualmente, o processo de retomada das taxas de juros, mesmo que, no curto prazo, sinalizem que a economia ainda precisa ser estimulada. Estes dois grandes temas foram foco do mês de abril, com desvalorização da moeda em -5,16% e performance positiva dos ativos de risco.

Com a sinalização de que as taxas de juros permanecerão em patamares baixos, o cenário é de inflação de ativos de risco de maneira generalizada, com alta na renda variável, commodities, entre outros. O S&P teve rentabilidade de 5,24% no mês.

No que diz respeito ao comportamento do segmento de renda fixa, tivemos retorno negativo para o índice S&P 500 Investment Grade Corporate Bond Index, com retorno de 1,20% e S&P U.S. High Yield Corporate Bond Index, de 1,17%.

Segue abaixo a rentabilidade dos fundos internacionais por estratégia:

Fundos Alternativos

De acordo com dados divulgados no mês de abril em parceria da KPMG e ABVCAP, a captação em fundos de private equity/venture capital referente ao primeiro trimestre de 2021 foi de R$ 1,3 bilhões, majoritariamente investidos em fundos de private equity.

Fonte: KPMG/ABVCAP

No ano de 2021, tanto os investimentos nos fundos como os desinvestimentos também cresceram; o volume de investimentos nos fundos cresceu R$ 5 bilhões, enquanto os desinvestimentos cresceram R$ 5,10 bilhões.

Fonte: KPMG/ABVCAP

No mês de abril, foi realizado call de atualização do fundo EB Fibra FIP Multiestrategia, gerido pela EB Capital. A gestora compartilhou dados sobre uma das suas investidas, chamada Sumicity. A empresa é provedora de internet no Brasil e foi eleita o melhor fornecedor de banda larga do Rio de Janeiro.

Além de ter feto a aquisição da Sumicity no ano de 2018, a EB Fibra pretende adquirir mais 7 provedores e finalizar o ano de 2021 com mais de R$ 1 milhão de assinante

Fundos Imobiliários

No mês de abril vimos uma melhora gradativa da flexibilização das restrições em relação à circulação de pessoas e funcionamento das atividades de comércio e serviços. Com isso, esperamos que nos próximos meses haja uma gradativa melhora na economia e sucessiva recuperação do varejo. De acordo com o último relatório Focus do Banco Central, os economistas apresentam projeções levemente mais positivas quanto ao PIB em 2021 (3,09%) e 2022 (2,34%).

O destaque econômico do mês permanece sendo a inflação, onde fomos surpreendidos pelo resultado do IPCA-15 de abril ter registrado alta de 0,60% enquanto a expectativa era ligeiramente acima, 0,66% no consenso de mercado, acumulando 6,17% nos últimos 12 meses. O IGP-M também apresentou arrefecimento, com alta de 1,51% em abril contra 2,94% em março, acumulando 32,02% em 12 meses.

No mês, o boletim de fundos imobiliários da B3 confirmou aumento no número de investidores pessoa física em fundos imobiliários, alcançando 1,3 milhão de investidores em março/2021, demonstrando que esses ativos se mantêm atrativos.

Sobre os fundos imobiliários, o IFIX apresentou performance positiva de 0,51% em março, após queda de -1,38% em março. O índice XPFI, índice geral de fundos imobiliários da XP, apresentou a performance positiva de 0,55%, enquanto o XPFT, índice de fundos imobiliários de tijolos da XP, apresentou alta de 0,28% e o XPFP, índice de fundos imobiliários de papel da XP, também apresentou performance positiva de 1,17%.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.