Como funciona um Fundo de Private Equity

Neste conteúdo, explicamos como funciona um fundo de Private Equity


Compartilhar:


Os fundos de Private Equity ganharam bastante visibilidade no Brasil diante do atual cenário de baixa taxa de juros. Por este motivo é natural que os investidores brasileiros busquem investimentos com retornos mais atrativos e consequentemente mais risco. Neste sentido, para ampliar o alcance dos investimentos alternativos a XP criou diversas iniciativas em especial a Alternative Week. O evento reuniu grandes nomes do mercado para debater sobre investimentos alternativos e como eles podem compor a carteira dos investidores.

Abra sua conta na XP Investimentos

Nesta mesma linha, a publicação Fundos de Private Equity: Conheça o mercado de investimento direto em empresas mostrou que esses fundos investem majoritariamente em ações de empresas de capital fechado, que não são listadas em nenhuma bolsa. Esta modalidade de investimento tem como objetivo comprar participações em empresas com grande potencial de crescimento. Para tanto, os gestores desses fundos adotam práticas ativas em cada empresa investida, agregando expertise para alavancar seus resultados financeiros, e, com isso, valorizar os investimentos feitos através do fundo.

O que é um FIP?

Os fundos de Private Equity são geralmente estruturados como fundos de investimento em participações (FIP), uma modalidade regulamentada pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no Brasil. O FIP é um veículo de investimento constituído sob a forma de condomínio fechado, ou seja, após o período de captação de recursos do fundo, não são admitidos novos cotistas.

Uma vez que um investidor decide investir em um FIP e tornar-se cotista do fundo, ele assina um documento chamado Boletim de Subscrição. Este documento estabelece o valor que o cotista se compromete a investir no fundo ao longo dos anos, o preço da cota e o total de cotas que ele poderá receber quando todo o capital comprometido for investido.

Normalmente, quando um investidor subscreve cotas de um FIP, o fundo ainda não tem investimentos. As empresas que formarão o portfólio são desconhecidas. Na indústria de Private Equity isso é conhecido como blind pool risk. Na prática isso significa que o investidor está comprando uma tese de investimento que o gestor do fundo se compromete a desempenhar. Por este motivo é importante fazer um processo de diligência bem feito e conhecer bem o gestor e a sua capacidade de executar a tese de investimento dentro do prazo de duração do fundo.

Diferente de um fundo aberto, o FIP tem um prazo de duração pré determinado. O regulamento do fundo além de estabelecer o prazo de duração do fundo, também estabelece o período de investimento do fundo e as regras para extensão desses prazos, caso necessário, assim como outros aspectos importantes do fundo. Frequentemente, um FIP tem 10 anos de duração, que pode ser estendido por mais dois anos mediante a aprovação da maioria dos cotistas, e cinco anos de período de investimento.

Chamada de Capital e Amortização de Cotas

É durante o período de investimento que o gestor constrói o portfólio do fundo conforme a estratégia e política de investimento acordada no regulamento no fundo. Apenas no decorrer do período de investimento que o gestor pode fazer compromisso de investimento em ativos que constituirão a carteira do fundo, no entanto, o aporte financeiro nas empresas pode acontecer a logo da vida do fundo. À medida que o gestor identifica ativos alinhados com a estratégia de investimento do fundo são feitas chamadas de capital aos cotistas para capitalizar o veículo e executar os investimentos. Quando o cotista executa o aporte de capital ele recebe em troca cotas do fundo. A quantidade de cotas recebida pela cotista será uma função do valor aportado e o preço das cota estabelecido no Boletim de Subscrição.

Com o fim do período de investimento, o fundo entra no período de desinvestimento. Nesta fase as empresas do portfólio devem demostrar sinais de que as práticas aplicadas pelo gestor já estão gerando valor. Durante a fase de desinvestimento é esperado que as investidas estejam pagando dividendos ou que iniciem as amortizações. Como o nome já diz, é durante este período que ocorre a venda dos ativos investidos e o capital é distribuído aos cotistas na proporção das cotas detidas por cada um deles. Nos fundos fechados não é permitido o resgate de cotas por decisão do cotista. A amortização de cotas ocorre apenas em um evento de liquidez, quando o gestor distribui aos cotistas recursos do fundo.

Como medir a performance?

Conforme já mencionado anteriormente, as companhias investidas pelos fundos de Private Equity não são listadas em bolsas de valores. Consequentemente, esses ativos não são negociados diariamente e não estão sujeitos as oscilações de preço com a movimentação dos mercados de ações. De acordo com a CVM, os ativos ilíquidos da carteira de um FIP devem ser avaliados pelo menos uma vez ao ano a fim de refletir o valor justo dos investimentos. Outra situação prevista para remarcação de um ativo é no caso de um evento que possa influenciar materialmente o valor da empresa. Dessa forma, a melhor maneira de acompanhar a performace de um fundo de Private Equity é calculando a taxa interna de retorno (TIR) do fundo. Outra medida de performance também bastante utilizada na indústria de Private Equity é o indicador por múltiplo, e os principais são:

MOIC (Multiple on Invested Capital): Mede quanto valor foi gerado em relação ao capital investido. Este é um indicador bruto, isto é,  não considera os custos do fundo como taxa de administração e performance.

TVPI (Total Value to Paid In): Semelhante ao MOIC, este indicador também mede quanto valor foi gerado em relação ao capital investido, mas neste caso são descontados todos os custos do fundo.

DPI (Distributions to Paid-in-Capital): Mede quanto capital foi devolvidos aos cotistas em relação ao capital total aportado no fundo.

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este conteúdo tem propósito exclusivamente informativo e se baseia em dados estatísticos, metodologias probabilísticas, fatos concretos do mercado financeiro e em resultados financeiros apurados. Em nenhum momento, o conteúdo desta mensagem representa opiniões pessoais ou recomendações de investimento financeiro de qualquer natureza. Não se configuram, portanto, como ideias, opiniões, pensamentos ou qualquer forma de posicionamento por parte da XP Investimentos CCTVM S/A. É terminantemente proibida a utilização, acesso, cópia ou divulgação não autorizada das informações presentes neste conteúdo. O investimento em ações é um investimento de risco. Na realização de operações com derivativos existe a possibilidade de perdas superiores aos valores investidos, podendo resultar em significativas perdas patrimoniais. Para avaliação da performance de um fundo de investimentos é recomendável a análise de, no mínimo, 12 (doze) meses. Leia o prospecto e o regulamento antes de investir. Todas as informações sobre os produtos, bem como o regulamento e o prospecto e regulamento aqui listados, podem ser obtidas com seu agente de investimentos, em nosso site na internet ou no site do referido gestor. Fundos de investimento não contam com garantia do administrador, do gestor, de qualquer mecanismo de seguro ou fundo garantidor – FGC. A taxa de administração máxima compreende a taxa de administração mínima e o percentual máximo que a política do FUNDO admite despender em razão das taxas de administração dos fundos de investimento investidos. Os fundos de ações e multimercados com renda variável /sem renda variável podem estar expostos a significativa concentração em ativos de poucos emissores, com os riscos daí decorrentes. Os fundos de crédito privado estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Os fundos de cotas aplicam em fundos de investimento que utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento. Tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em perdas patrimoniais para seus cotistas. Os fundos de renda fixa estão sujeitos a risco de perda substancial de seu patrimônio líquido em caso de eventos que acarretem o não pagamento dos ativos integrantes de sua carteira, inclusive por força de intervenção, liquidação, regime de administração temporária, falência, recuperação judicial ou extrajudicial dos emissores responsáveis pelos ativos do fundo. Para informações e dúvidas, favor contatar seu agente de investimentos. Rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. As rentabilidades divulgadas não são líquidas de impostos e taxas de saída e performance. As informações publicadas não levam em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Caso os ativos, operações, fundos e/ou instrumentos financeiros sejam expressos em uma moeda que não a do investidor, qualquer alteração na taxa de câmbio pode impactar adversamente o preço, valor ou rentabilidade. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização dessa plataforma. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Investimentos nos mercados financeiros e de capitais estão sujeitos a riscos de perda superior ao valor total do capital investido.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.