XP Expert

O termo Black Friday é racista?

Ultimamente, muita gente tem me escrito e perguntado a respeito do termo “Black Friday”. Querem saber, entre outras coisas, se a origem dele está nos descontos na venda de escravos que aconteciam no século 19 nos Estados Unidos. Embora muitos sites na internet afirmem isso, não há evidências. Também recebo mensagens que trazem explicações fundamentadas, […]

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Ultimamente, muita gente tem me escrito e perguntado a respeito do termo “Black Friday”. Querem saber, entre outras coisas, se a origem dele está nos descontos na venda de escravos que aconteciam no século 19 nos Estados Unidos. Embora muitos sites na internet afirmem isso, não há evidências.

Também recebo mensagens que trazem explicações fundamentadas, como: “Em 1869, houve uma sexta-feira com grande queda da Bolsa nos EUA, por causa do preço do ouro que tinha desabado e afetado profundamente a economia por lá”. Como resultado, esse dia ganhou o apelido de ‘Black Friday’. Mas não há nenhuma ligação entre a depressão financeira e o dia destinado às liquidações.

Se, no começo, a expressão Black Friday era usada principalmente para designar o caos nas ruas da Filadélfia (após o Dia de Ação de Graças, como muitas pessoas saíam de casa para fazer compras, o trânsito era gigantesco), houve um longo caminho até ela passar a significar um dia de megadescontos, como conhecemos hoje.

“Se sua empresa quer fazer parte da grande mudança de mindset que os novos consumidores e os novos tempos exigem, sugiro cautela com expressões que podem ter sentido racista, de diferenciação ou segregador”.

Há várias explicações para quando se começou a usar “Black Friday”. O registro mais antigo da expressão é de 1951, segundo a American Dialect Society, entidade dedicada ao estudo da língua inglesa nos EUA. Muita gente faltava no trabalho e inventava doenças para emendar o feriado de Ação de Graças com o fim de semana – e essa sexta-feira foi apelidada de “negra”.

Os varejistas não gostavam da expressão “sexta-feira negra” como sinônimo do dia em que mais vendiam. Tentaram mudar o nome para “Big Friday”, mas o negócio não pegou. E Black Friday permaneceu. O que eu acho disso tudo?

Independentemente das várias explicações para a origem da expressão, todas elas têm um fator em comum: “black” é usado para designar algo que não é bom. Para mim, o racismo reside no fato de o uso das palavras “negro” e “preto”, e suas variações, estarem ligados a coisas negativas. É assim com “lista negra”, “a coisa está preta”, “denegrir”. Ou “inveja branca” quando a inveja que se sente é boa, do bem. A conotação discriminatória está aí.

Meu conselho é: se sua empresa quer fazer parte da grande mudança de mindset que os novos consumidores e os novos tempos exigem, sugiro cautela com expressões que podem ter sentido racista, de diferenciação ou segregador.

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

O conteúdo publicado não deve ser considerado um relatório de análise para os fins do artigo 1º da Instrução CVM nº 598/18, tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como sendo material promocional, solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas nesta página foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP”) não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. O conteúdo também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados. As informações de terceiros disponibilizadas nesta página não refletem a opinião da XP, nem de nenhuma das empresas do Grupo XP Inc., de modo que ela não se responsabiliza pela veracidade, exatidão e correção das informações. Os instrumentos financeiros discutidos podem não ser adequados para todos os investidores. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Recomenda-se uma profunda análise das características, prazos e riscos dos investimentos antes da decisão de compra/venda/aplicação/resgate. É expressamente recomendada a leitura do Regulamento, prospecto, edital e demais materiais de divulgação antes da decisão de investimento, com especial atenção aos fatores de risco. A XP não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Esse material destinado a rede de relacionamento da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.