Grupo Soma (SOMA3): Grupo Soma discute estratégia em canais digitais e crescimento inorgânico via M&A para completar portfólio

Tivemos um bate papo com Roberto Jatahy, CEO do Grupo Soma, sobre: a estratégia da companhia, quem é o próximo alvo de aquisição, o boom de consumo e tendências de moda no pós pandemia, iniciativas ESG e muito mais. Veja os principais destaques em nosso relatório.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

“A criação é uma extensão de alma e criação das criadoras”; M&A como a saída para preencher lacunas

Grande parte da nossa conversa focou na perspectiva de crescimento da companhia, a qual pode ser tanto através de crescimento orgânico como inorgânico. Na parte do orgânico, Roberto destacou que ainda há muito crescimento a ser extraído do portfolio atual da companhia, com destaque para a Farm, a Fábula (marca infantil derivada da Farm), a Maria Filó (ainda muito concentrada regionalmente) e a aquisição recente ByNV (nativa digital).

No entanto, uma outra avenida importante na estratégia de crescimento da companhia é a de fusões e aquisições (M&A). Nesse sentido, Roberto comentou que enxerga o portfolio de marcas através de uma visão matricial que combina posicionamento de preço e segmento dentro do universo de moda. Hoje, ele vê algumas lacunas que ainda podem ser preenchidas, como o segmento fitness e uma marca feminina com um posicionamento de preço entre Farm e Maria Filó – aqui se encaixaria a Shoulder. Em relação às notícias, Roberto comentou que admira muito a marca e que vem conversando com a companhia há tempos (desde 2015), mas que não houve nenhuma evolução até o momento.

Ele acredita ser um desafio construir marcas “do zero”, pois “a criação é uma extensão de alma e criação das criadoras”, e isso é crucial para garantir a perenidade das marcas. Nesse sentido, um diferencial da estratégia de M&A da companhia é a atração e retenção dos sócios criativos das marcas adquiridas, uma vez que ele é o pilar central da identidade da marca. Além disso, há um foco muito grande na trilha de sucessão desses profissionais, a qual demora em torno de 3 a 5 anos por se tratar de praticamente uma “contaminação da essência da marca” de uma pessoa para outra. O Grupo já concluiu duas transições criativas bem sucedidas dentro do seu portfolio: Animale e Farm.

“A loja que está no seu bolso”; digital não como um canal mas como uma alavanca

Um ponto que o Roberto buscou reforçar durante nossa conversa foi o fato de que ele não enxerga mais o físico, o digital e o multimarcas como diferentes canais, e sim como um canal só: o multicanal. A ideia do Grupo é integrar todos os estoques e, com isso, endereçar um problema do setor: a perda da venda por não ter um tamanho ou cor. Com os estoques integrados, o consumidor terá acesso ao portfolio do Grupo através do ponto de contato de sua maior conveniência, ao mesmo tempo em que a companhia consegue reter essa venda. Além da integração do estoque, um ponto muito importante da estratégia da companhia é o alinhamento de interesses entre vendedoras e o digital, através do pagamento de comissões independente de onde a venda foi feita.

A companhia foi uma das pioneiras do setor a atuar na frente digital, e continua sendo muito ativa nessa frente, com diversas iniciativas sendo criadas no Soma Labs. Inclusive o Roberto adiantou que eles estão trabalhando em uma experiência de loja 3D a ser oferecida aos clientes para tentar humanizar o processo de compra digital. Ainda nessa frente, a companhia lançou a Lojix, onde são realizadas lives para divulgação dos seus produtos e marcas.

Boom de consumo no pós pandemia; Busca por se expressar através da moda

Outro tópico que buscamos abordar é o que esperar do futuro, ou seja, as principais tendências de moda no pós-pandemia. Roberto acredita que, diferente das tendências mais “sóbrias” vistas em períodos pós guerra (veja nosso relatório discutindo isso aqui), dessa vez veremos um forte interesse de consumo por “Marcas Solares”, que sejam fashion, estampadas, com cores vibrantes e que remetem à alegria. Dado o contexto de reclusão da sociedade com a pandemia, o Roberto acredita que nós “temos uma alegria presa dentro de nós” e que, assim que o mundo se sentir mais seguro, devemos ver um “boom de consumo” entre o 4T21 e 1T22, que se estabiliza em algum momento após isso. Além disso, outra tendência que ficou em destaque durante a nossa conversa é a busca por uma moda mais “Glamourizada”, dado que na visão dele o excesso de comunicações digitais tirou isso um pouco das marcas.

Risco de coleção é maior dor de cabeça do setor, mas o Grupo Soma tem o remédio

Um risco sempre muito discutido no setor de moda é o risco de coleções, que é ainda maior no caso da moda feminina. Mesmo possuindo marcas com identidades de estilo bastante fortes, o Grupo Soma tem sido muito bem sucedido em lidar com esse risco e o Roberto nos explicou qual é o segredo: uso de dados e pequenos desfiles “teste”. A companhia conta com algoritmos e pesquisas, além de promover pequenos desfiles com um grupo de profissionais/multimarcas que pontuam os diferentes produtos apresentados. Com base nessa pontuação, a companhia define qual será a grade a ser produzida e conduzem eventuais correções na coleção que são necessárias. Um ponto interessante é que a seleção desses profissionais é retroalimentada pelos resultados de cada coleção, ao mostrar quais profissionais tem a maior aderência/índice de acerto e, portanto, o melhor senso comercial.

“ESG não é só uma agenda importante para a companhia, como também é bom para o coração”

Para encerrar nossa conversa, pedimos para o Roberto comentar algumas das iniciativas da companhia na frente ESG. Na sua visão, esse tema é muito importante e, portanto, ele acredita que “a empresa que não tem, está fadada a acabar”. Trazendo o tema para o contexto da moda, o executivo ressalta que a moda exerce uma influência muito grande nas pessoas, e que o choque de conscientização que tem acontecido na sociedade acerca do tema vem para ressaltar o quão atrasados nós (como sociedade) estamos nesse sentido. A indústria de confecção é uma grande poluidora do meio ambiente e, portanto, o executivo ressalta a busca do Grupo em contribuir para o tema através de diversas iniciativas, como a contratação da Rachel Maia para fazer parte do Conselho de administração do grupo, a plantação de milhares de árvores para compensar a emissão de carbono, a parceria com a Enjoei buscando endereçar a moda circular, além de estarem fazendo um trabalho de sobra de cortes de roupas. Finalmente, o Grupo conta com três executivas ativamente engajadas nessa frente: a Katia Barros, uma das principais sócias do grupo; a própria Rachel Maia, atuando no conselho; e a Taciana Abreu, liderando a frente de sustentabilidade. Veja a visão do nosso time de ESG sobre o setor e a companhia aqui.

O que é o Grupo Soma? Uma breve descrição

No começo do nosso bate papo, o Roberto falou um pouco mais sobre a trajetória da companhia, que começa em 1991 quando ele criou a Animale em conjunto com sua irmã. O Grupo Soma, que começou em 2009 através de uma aquisição parcial e posterior troca de ações entre Animale, Farm e Fábula, tem seu modelo de negócios e cultura apoiados e construídos no trabalho em conjunto do Roberto com o Marcelo Bastos (sócio-fundador da Farm). Hoje a companhia possui 9 marcas, sendo elas a (i) Animale, (ii) Farm e (iii) Farm Internacional, (iv) Fábula, (v) Foxton, (vi) Cris Barros, (vii) Maria Filó, (viii) Off Premium e (ix) By NV. Todas as marcas do Grupo, segundo o executivo possuem uma agenda de crescimento bem definidas, pensando em escala e retenção de talentos, além de diversas avenidas de crescimento que o executivo trouxe em nossa conversa. Se quiser saber mais sobre o Grupo Soma, leia nosso relatório de início de cobertura aqui, ou acesse o site de relações com investidores da companhia aqui.

Quer ver a conversa completa?

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.