As ações que pagam dividendos acima da Selic

Selic a 2,25% ao ano. Conheça as ações que pagam dividendos acima da taxa de juros.


Compartilhar:


Pela primeira vez na história, o rendimento dos dividendos das empresas do Ibovespa supera a taxa básica de juros brasileira – a Selic. Apesar da redução das estimativas dos lucros das empresas neste ano e, consequentemente, do pagamento dos dividendos (em -17% até o momento), os juros continuam em queda, com mais um corte de 75 pontos-base da Selic, levando-a para 2,25% ao ano. Portanto, essa comparação do rendimento dos dividendos com os juros continua positiva, o que mostra a atratividade tanto da Bolsa quanto dos bons pagadores de dividendos.

Além da própria alocação dos investimentos na bolsa, em busca de maior rentabilidade, as taxas de juros mais baixas também têm efeitos diretos para as companhias, como a redução no custo de suas dívidas e incentivo para os investimentos (importante para atividades de capital intensivo).

Ainda não tem conta na XP? Abra a sua agora. É rápido, fácil e gratuito.

Veja abaixo a correlação das ações do Ibovespa nos últimos 5 anos contra o CDI curto (proxy pra Selic), da menor para maior. Ou seja, quanto mais negativa a correlação com os juros, a ação é mais impactada positivamente com a queda da Selic.

Nesse sentido, os setores da nossa cobertura mais beneficiados pela queda dos juros são locação de veículos, shoppings, elétrico e varejo. Adicionalmente, com os rendimentos de dividendos acima da taxa de juros para algumas empresas, os investidores ainda possuem uma “garantia” de retorno, além de seus ganhos com a performance da ação.

Porém, vale observar que o foco dos investidores está muito voltado aos rendimentos de 2021, com um cenário de lucros mais normalizado para as empresas, enquanto neste momento desafiador do curto prazo, algumas empresas podem segurar caixa ou terem seus dividendos reduzidos por questões regulatórias (como o caso dos bancos).

Apesar disso, em um mundo de juros baixos (que agora também faz parte da realidade do Brasil) e sem rendimento, o rendimento médio dos dividendos da bolsa acima dos juros apresenta muitas oportunidades aos investidores.

Dessa forma, listamos as ações na nossa cobertura com o maior dividend yield  (rendimento dos dividendos), no próximo ano e apresentamos o racional por trás das nossas estimativas.

Os bons pagadores de dividendos

Elétricas e bancos são setores que se destacam como bons pagadores de dividendos. O setor elétrico é dividido entre o segmento de transmissão, geração, distribuição e as empresas integradas. Destavamos o segmento de transmissão de energia como um dos principais pagadores de dividendo por definição, tendo em vista que possuem receitas fixas corrigidas pela inflação e margens elevadas. Em seguida, destacamos o segmento de geração de energia que possuí margens elevadas e um certo grau de previsibilidade, dado que parte da receita já é contratada e as margens também são elevadas.

Ainda não tem conta na XP? Abra a sua agora. É rápido, fácil e gratuito.

Temos um maior grau de confiança que alguns papéis do setor elétrico mantenham sua prática de elevados pagamentos de dividendos ainda em 2020, devido a sua posição robusta de caixa. Além disso, nossas estimativas são de que o setor deve conseguir entregar um dividend yield médio de 5,4% entre 2021 e 2023.

Os grandes bancos apresentam altos lucros e uma política que proporciona o pagamento de proventos. Apesar do ano de 2020 ser desafiador, o Dividend yield dos bancos deve ajudar no longo prazo. Como uma indústria madura, não acreditamos que bancos serão capazes de reinvestir um volume alto de capital a retornos atrativos, e isso prejudica os nossos valuations. Por outro lado, nossas estimativas são de que o setor deve conseguir entregar um dividend yield de 8.2-12.6% entre 2021 e 2023 (se incluirmos JCP), o que consideramos atrativo principalmente se levarmos em conta a baixa taxa SELIC.

Lembramos que o dividend yield de 2020 é prejudicado pela Resolução 4.797, que veda o pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio acima do mínimo requerido de 25% ou do requerido pelo estatuto do banco (30% para Bradesco) em 2020.

Por fim, há tambem empresas de diferentes setores possuem elevada distribuição de dividendos devido à política de dividendos de cada companhia.

Conheça a nossa carteira Top Dividendos XP

Entenda por que as empresas abaixo pagam elevados dividendos

AES Tietê (TIET11) – Compra

Setor de atuação: geração de energia elétrica
A AES Tietê apresenta lucros consistentes, embora possa haver um certo grau de volatilidade dependendo da incidência de chuvas. A companhia tem a prática de distribuir 100% do lucro líquido a acionistas com periodicidade trimestral. Destacamos que no curto prazo, não descartamos a possibilidade de uma mudança temporária na prática de pagamentos de dividendos em níveis máximos devido aos investimentos programados no curto e médio prazo nos ativos do complexo eólico de Tucano. Apesar da companhia ter mantido a distribuição máxima de proventos no 1T20, acreditarmos que uma pausa nessa prática seria perfeitamente compreensível no contexto atual de incertezas. Estimamos um dividend yield de 10,8% em 2020-22. Mantemos nossa recomendação de Compra na AES Tietê, com um preço-alvo de R$ 16/unit.

Engie (EGIE3) – Neutro

Setor de atuação: geração de energia elétrica
A Engie ainda se destaca pela capacidade diferenciada de se proteger dos efeitos de baixa incidência de chuvas, além de ter expandido sua atuação para os setores de transmissão de energia e transporte de gás. Apesar disso, acreditamos que, assim como no exercício de 2019, no qual a empresa reduziu a distribuição de proventos de inicialmente 100% para 56%,  o mesmo pode ocorrer novamente ao longo de 2020, dadas as previsões de desembolso de caixa de (1) R$ 2,7 bilhões em vencimentos de dívidas em 2020, (2) R$ 2,46 bilhões em investimentos previstos para o 2020, em comparação com nossa estimativa de EBITDA para 2020 de R$ 5,76 bilhões. Por outro lado, acreditamos que após a superação deste período de incertezas, a empresa deverá retomar sua prática de distribuição de 100% do Lucro Líquido a acionistas. Estimamos um dividend yield de 8,0% em 2021.

Cyrela (CYRE3) – Compra

Setor de Atuação: Construção Civil

A robusta geração de caixa da companhia alinhado com o processo em andamento de redimensionamento do seu balanço (redução do seu patrimônio líquido) deve continuar levando a Cyrela a distribuir robustos dividendos nos próximos anos, processo que pode ser temporariamente interrompido em 2020, visando preservar liquidez devido à baixa visibilidade do cenário econômico. De acordo com nossas estimativas, a companhia deve distribuir um dividend yield de 7,5% em 2021

Taesa (TAEE11) – Neutro

Setor de atuação: transmissão de energia elétrica
Temos um maior grau de confiança de que a TAESA seja um dos poucos nomes a manter a distribuição de 100% de lucros em 2020, pois sua posição de caixa de R$ 2,4 bilhões e nossa estimativa de EBITDA para 2020 de R$ 1,3 bilhão são suficientes para fazerem frente aos investimentos em 2020 de R$ 1,0-1,1 bilhão e vencimentos de dívida de R$ 734 milhões. Dito isso, assumimos o pagamento mínimo de 50% previsto no estatuto por conservadorismo e, caso a empresa faça um anúncio nesse sentido, consideraríamos perfeitamente razoável. Estimamos um dividend yield de 6,8% em 2020-22. Temosa recomendação neutra em TAESA, com preço-alvo de R$ 30/ação.

CCR (CCRO3) – Neutro

Setor de atuação: concessão de rodovias

O principal segmento da companhia é o de concessões rodoviárias, cujo volume é historicamente atrelado ao PIB. A companhia possui diversos projetos maduros em seu portfólio, o que em conjunto com as margens elevadas desse modal permite certo grau de visibilidade sobre resultados futuros. A CCR também atua nos segmentos de Mobilidade Urbana e Aeroportos, segmentos, segmentos que foram mais diretamente impactados pela queda de volumes associada à pandemia da COVID-19.

A companhia possui uma política de distribuir dividendos semestralmente, e estimamos um dividend yield para 2021 de ~7,3%.

Sanepar (SAPR11) – Compra

Setor de atuação: saneamento básico
A elevada distribuição de dividendos da Sanepar se deve à política de dividendos da companhia. A política prevê a distribuição do dividendo mínimo de 25% do lucro, além de 25% adicionais caso a situação financeira da empresa o permita (o que acontece desde 2012, com uma pausa em 2019, quando foram distribuídos 30% do lucro líquido). Por conservadorismo, estimamos que a Sanepar distribua menores dividendos em 2020 novamente no mesmo patamar de 2019, e retome a distribuição de 50% a partir de 2021, e estimamos um dividend yield de 7,9% entre 2020 e 2022. Mantemos nossa recomendação de Compra na Sanepar, com um preço alvo de R$32/unit.

Itaú (ITUB4) – Neutro

Setor de atuação: financeiro
O banco combina: i) um investimento de qualidade, com boa gestão e governança que se traduzem em menor beta; e ii) um payout historicamente acima da média do setor.

Lembrando que o dividend yield de 2020 é prejudicado pela Resolução 4.797, que veda o pagamento de dividendos e juros sobre capital próprio acima do mínimo requerido de 25% ou do requerido pelo estatuto do banco em 2020. Por outro lado, para 2021 estimamos um div. yield de 6,4%.

ISA CTEEP (TRPL4) – Neutro

Setor de atuação: transmissão de energia elétrica
No curto prazo, não vemos grandes riscos para a prática de dividendos da CTEEP de pagamento de 75% do lucro líquido regulatório, dada a sua posição de caixa de R$ 2,66 bilhões e nossa projeção de EBITDA para 2020 de R$ 2,24 bilhões, que são mais do que suficientes para fazer frente aos vencimentos de dívidas de R$ 1,07 bilhão e nossa estimativa de investimento de R$ 1,5 bi em 2020. Estimamos um dividend yield de 6,5% em 2020-22. Temos recomendação Neutra na CTEEP, com preço-alvo de R$ 23/ação.

Cesp (CESP6) – Compra

Setor de atuação: geração de energia elétrica
Apesar do Lucro Líquido da CESP ser impactado de maneira significativa pelos efeitos da correção monetária dos seus contingentes passivos (sem efeito caixa), notamos que a companhia tem elevado potencial de distribuição de proventos. O estatuto da companhia prevê a distribuição de dividendos na opção mais benéfica entre as seguintes: (1) 10% do capital social integralizado destas ações (ou R$1,85/ação) ou (2) direito de participar em igualdade de condições com as ações ordinárias na distribuição de 25% do lucro líquido.

Tendo em vista a situação confortável de alavancagem da CESP (1,0x Dívida Líquida / EBITDA, o menor endividamento do setor elétrico), a situação confortável de caixa de R$950 milhões e a existência de reserva de lucros, acreditamos que a companhia deve continuar a distribuir pelo menos o dividendo mínimo de R$1,85/ação, o que implica um dividend yield de 6,6%. Temos recomendação de Compra nas ações da CESP, com preço-alvo de R$34/ação.

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM