Investindo em Abril 2021: Renda Fixa

Conheça nossa visão para os investimentos em renda fixa para abril de 2021.

Compartilhar:


Este relatório foi editado em 06/04/2021 às 21:47 para inclusão de ativos prefixados.

Cenário econômico

Passada a marca do primeiro trimestre do ano, chegamos ao novo mês com antigos receios, particularmente o risco fiscal, a pandemia e suas consequências para a economia.

No início do mês, o texto da PEC Emergencial foi aprovado, com impactos diluídos mas de teor relativamente positivo, após sustos em sua tramitação. Em política monetária, na segunda reunião do Copom do ano, o colegiado decidiu por elevar a taxa Selic para 2,75%, ante os 2,0% vigentes anteriormente. Isso levou a ajustes de expectativas dos agentes para os juros de curto e longo prazos.

No cenário internacional, após aprovação do pacote de estímulos de US$ 1,9 trilhão pelo governo Joe Biden, foi anunciado na última semana um novo pacote fiscal, com ênfase em investimentos em infraestrutura de até US$ 2,2 trilhões. Segundo mencionado em relatório, Congressistas republicanos e democratas questionam o plano, o que indica que ele terá dificuldades na tramitação no Congresso. Em um contexto de recuperação econômica e estímulos, as taxas de juros longas seguem pressionadas nos EUA.

No Brasil, os olhos se voltam agora para a aprovação do Orçamento 2021 pelo governo. Após a aprovação pelo Congresso de peça orçamentária classificada como “inexequível” pelo próprio Ministério da Economia, o governo avalia alternativas para evitar a abertura de espaço para crime de responsabilidade fiscal. O Ministério da Economia defende uma solução que seja, ao mesmo tempo, politica e juridicamente viável, e sinaliza para potencial veto parcial às emendas parlamentares incluídas no orçamento aprovado. Esperamos que haja volatilidade no mercado de juros até que uma decisão seja tomada.

Diante do cenário atual, esperamos Selic em 5,0% em 2021 e 6,5% em 2022 e IPCA de 4,9% em 2021 e de 3,5% em 2022.

Leia o relatório Brasil Macro Mensal: Percepção de risco maior, cenário se ajusta

Resumo de indicadores

Durante o mês de março, houve, mais uma vez, forte abertura na curva futura de juros no Brasil em relação ao mês anterior, em todos os vértices. No caso do juros real, o que pode ser observado na curva das NTN-Bs, houve aumento nas expectativas nos vencimentos intermediários.

Continuamos enxergando como principal vetor de risco no Brasil o risco fiscal, agora representado principalmente pelas discussões em torno do Orçamento 2021. Além disso, a evolução da vacinação no país, em contraste com o avanço das contaminações, continuam sendo fator relevante para entendimento da retomada na economia, o que, indiretamente, também impacta a percepção de risco fiscal (auxílio emergencial, por exemplo). Por fim, a contínua elevação das taxas dos títulos soberanos norte-americanos (Treasuries) também impactam no cenário local, uma vez que atraem investidores para o país de baixo risco.

Como agir

Acreditamos que a melhor forma de se proteger de riscos é através de uma carteira diversificada, o que inclui ativos de renda fixa. Renda fixa não se limita a ativos conservadores e/ou que acompanhem a taxa Selic. Sendo assim, há diversas opções de prazos, indexadores e emissores diferentes que permitem encontrar maiores rentabilidades.

Para o mês de abril e com a elevação da inflação implícita (esperada pelo mercado), voltamos a ter posição em prefixados nas carteiras de perfil mais moderado, mantivemos os percentuais de inflação e rebalanceamos as posições pós-fixadas.

Veja aqui as recomendações de carteira por perfil.

Seleção de ativos de renda fixa

As rentabilidades abaixo são indicativas do dia 05/04/21 e podem sofrer variações ao longo do mês.
Para verificar disponibilidade e taxas, acesse sua conta da XP Investimentos.
A plataforma está disponível para compra das 10h às 15h, em dias úteis.
Invista de acordo com o seu perfil de investidor

Pós-fixados

Classe representada por ativos atrelados à variação de um dia das taxas de juros básicas (Selic ou CDI). A remuneração acompanha, portanto, altas e baixas nas taxas de juros.

Nosso cenário base é de que, após primeiro movimento em março e tendo em vista os desafios à frente, a taxa Selic continue a ser elevada nas próximas reuniões do Copom, encerrando 2021 em 5,0% e 6,5% em 2022.

Indicamos o Tesouro Selic para a reserva de emergência e/ou gestão de caixa.

Inflação

Aqui estão os ativos cujo valor a ser recebido no vencimento, ou nos pagamentos de juros, é predeterminado em forma de uma taxa de juros, mas também corrigido por um índice de inflação, normalmente o IPCA. Como o valor a ser recebido no futuro é corrigido, o valor atual do produto flutua conforme mudam as expectativas de taxas de juros de hoje até o vencimento, mas menos do que um produto prefixado de mesmo prazo. Essa variação só é colocada em prática (valorização ou desvalorização) em caso de resgate antes do vencimento.

Em nosso cenário base, esperamos que a inflação feche o ano de 2021 em 4,9%, após revisão de acordo com últimos dados divulgados. Enxergamos ser importante manter parcela de ativos atrelados à inflação para proteção contra seu efeito ao longo do tempo.

Apresentamos aqui ativos que acreditamos ter boa combinação entre qualidade de crédito e rentabilidade, buscando diversificação em relação setores de atuação e prazo de exposição ao investimento. Note que as taxas podem variar ao longo dos dias, sendo estas aqui apresentadas apenas uma referência.

Duration é o prazo médio ponderado dos recebimentos de fluxos referentes ao ativo. Quando o ativo paga juros e/ou amortização periodicamente (por exemplo, todo semestre), sua duration será mais curta do que o prazo. Caso não haja fluxos de pagamento durante a duração do ativo, a duration será igual ao prazo. Quando maior a duration, mais sensível a taxa do ativo será às movimentações do mercado (em caso de venda antes do vencimento).

Entenda tudo sobre crédito privado em nosso artigo Quem tem medo do crédito privado?

Prefixados

Ativos prefixados são aqueles sobre os quais conhecemos, desde o início, exatamente quanto será pago ao final do prazo de investimento (ou seja, no vencimento). Por ser uma taxa fixa, que não é atrelada a nenhum indexador, é benéfica em cenários de expectativa de baixa de juros. Além disso, estes ativos são recomendados para quem busca previsibilidade, independentemente da expectativa para os juros no futuro.

As taxas dos ativos do Tesouro Direto variam diariamente. Portanto, é necessário checar a taxa e valor unitário do título no momento da compra, o que pode ser feito através da conta na corretora.

Na categoria de prefixados, optamos por títulos mais curtos, diante do cenário econômico e político particularmente incertos para além de 2022. Títulos prefixados mais longos pagam juros ainda maiores, mas continuamos a enxergar que a incerteza do cenário parece não justificar o alongamento deste tipo de ativo neste momento.

Como a Selic hoje está em 2,75%, para que o título seja menos vantajoso que uma aplicação pós-fixada (caixa), a taxa Selic precisaria superar cerca de 8,99% no final de 2022 e 9,68% ao final de 2023 e 9,75% ao final de 2024 (segundo expectativas do mercado no momento da publicação deste relatório).

Apesar dos desafios recentes, ainda nos parece um cenário pouco provável. Assim, ainda que estejamos errados e o Banco Central tenha que subir a Selic além do esperado, aos preços atuais o prefixado curto parece uma alternativa bem defendida, a depender da estratégia de cada investidor.

Gostou? Tem alguma sugestão? Não deixe de avaliar e deixar seus comentários!

Veja mais

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “XP”) tem caráter meramente informativo, não constitui e nem deve ser interpretado como sendo material promocional, solicitação de compra ou venda, oferta ou recomendação de qualquer ativo financeiro, investimento, sugestão de alocação ou adoção de estratégias por parte dos destinatários. Os prazos, taxas e condições aqui contidas são meramente indicativas. As informações contidas neste relatório foram consideradas razoáveis na data em que ele foi divulgado e foram obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis. A XP Investimentos não dá nenhuma segurança ou garantia, seja de forma expressa ou implícita, sobre a integridade, confiabilidade ou exatidão dessas informações. Este relatório também não tem a intenção de ser uma relação completa ou resumida dos mercados ou desdobramentos nele abordados.
Os instrumentos financeiros discutidos neste material podem não ser adequados para todos os investidores. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. A XP Investimentos não se responsabiliza por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710.

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.