XP Expert

Resumo Diário de Política 29/10/2021: A PEC dos Precatórios como aposta principal

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Com as negociações ainda sem um desfecho que tivesse permitido a votação da PEC dos Precatórios, a classe política aumenta a pressão pela prorrogação do auxílio emergencial (https://bit.ly/2ZyoI3y), que se encerra neste mês de outubro (https://bit.ly/3BqbF0O). Segundo o noticiário, a possibilidade foi colocada na mesa pelo ministro Ciro Nogueira diante do impasse nas articulações da última quarta (https://glo.bo/3pSiPbZ). O governo, no entanto, segue trabalhando com a aprovação da PEC como plano principal (https://bit.ly/3msdkih) e descarta inclusive a decretação de estado de calamidade para permitir a eventual edição dos créditos extraordinários (https://bit.ly/3pNXwIL).

O calendário principal do Planalto e do time econômico prevê a edição de um decreto permitindo a correção do valor do Bolsa Família em 20% para viabilizar o pagamento do Auxílio Brasil já em novembro. Com a aprovação da PEC dos Precatórios, o pagamento da primeira parcela complementar aconteceria em dezembro, para que o benefício totalizasse os R$ 400. Para isso, precisa aprovar o texto na Câmara e, na sequência, empreender esforço extra no Senado (https://bit.ly/3nHC5pN), que não tem dado vida fácil ao Planalto nas discussões de matérias econômicas.

As discussões seguirão sem a presença de Jair Bolsonaro, que embarcou para a Itália e só retorna em 2 de novembro (https://bit.ly/3EmgtpG).

Também no radar está a possibilidade de paralisação de caminhoneiros no dia 1º de novembro. O vídeo que circulou no início da semana em que o ministro diz que a chance de greve é “zero” (https://glo.bo/3jPhQ8B) estimula parte da categoria a se dizer desprestigiada e a manter o movimento (https://bit.ly/3mp50j0).

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu ontem rejeitar a cassação de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão pela acusação de participação em esquema de disparo de fake news em 2018, mas mandou recados sobre 2022 (https://bit.ly/3BrynFU): no principal deles, Alexandre de Moares desse que, se a prática se repetir, os responsáveis irão para a cadeia (https://bit.ly/3vTZ2Km). A mensagem foi reforçada por outra decisão do TSE, a de cassar o deputado estadual Fernando Francischini por publicar vídeo no dia da eleição afirmando que urnas foram fraudadas para impedir o voto em Bolsonaro.

Ainda na temática eleitoral, a disputa acirrada no PSDB, a filiação de Rodrigo Pacheco ao PSD e o ressurgimento de Sergio Moro levaram desconfiança à terceira via sobre a possibilidade de o bloco caminhar unido em 2022 (https://bit.ly/3CsAivc). O PSDB manteve a decisão de suspender a participação de 92 prefeitos e vice em São Paulo que têm a data de filiação questionada, mas cada caso será analisado pela comissão especial das prévias (https://bit.ly/3jPzg5c).

Nas redes

Segundo o monitor XP-Conatus, sem uma narrativa clara para se contrapor às incertezas associadas ao Auxílio Brasil, bolsonaristas se concentram em defender a PEC dos Precatórios. Por sua vez, atores antibolsonaristas criticam o fim do Bolsa Família e as dúvidas sobre o novo benefício.

Destaque também para o engajamento bolsonarista com a CPI da Pandemia. Apoiadores do governo empreendem esforço para desacreditar os trabalhos e o relatório final da comissão.

Internacional

Na expectativa de unir as diferentes alas do partido democrata e destravar sua agenda econômica, Joe Biden apresentou um novo esboço do Plano das Famílias Americanas/Build Back Better Act com valor de USD 1,75 trilhão. Apesar de ter sido recebido com tom positivo pelos parlamentares, o projeto ainda terá que ser negociado (https://bloom.bg/3jOafah).

Nesse contexto, a ala mais à esquerda do partido democrata bloqueou ontem uma nova tentativa de votar o projeto de infraestrutura de USD 1,2 trilhão, que já foi aprovado no Senado, vinculando mais uma vez o andamento da matéria a garantias de avanço do Build Back Better Act.

Vale destacar que parte da preocupação do grupo parlamentar é que os senadores Krysten Sinema e Joe Manchin, os mais centristas na Casa e cujo voto é essencial para aprovação da medida, ainda não deixam claro se devem apoiar o projeto – apesar de tom positivo (https://bit.ly/3mnX15N).

Ainda no lado da política americana, o Congresso aprovou uma extensão do orçamento para estradas públicas até dezembro, abrindo um pouco de espaço na agenda do Congresso na semana que vem (https://bit.ly/3jMTixg).

Hoje é o 1033° dia do governo Jair Bolsonaro.

Faltam 338 dias para as eleições presidenciais.

Hoje é o 597° dia da pandemia de Covid-19

XP Política

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.