XP Expert

Resumo Diário de Política 18/01/2022: Dia de mobilização por reajustes em Brasília

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Entidades de servidores protestam nesta terça-feira por reajustes de até 28% (bit.ly/3A8Mwss). A mobilização ocorrerá em frente às sedes do Banco Central (10h) e do Ministério da Economia (14h), e é tida como determinante para avaliar a resposta do Planalto e os próximos passos do movimento, que não descarta greves (bit.ly/3IkzFGF e bit.ly/3fwzewz). Jair Bolsonaro tem até sexta-feira (21) para sancionar o orçamento de 2022, que prevê R$ 1,7 bilhão para aumento do funcionalismo, inicialmente prometido a policiais que compõem sua base de apoio.

Por falar em lei orçamentária, o noticiário menciona que o governo avalia recompor apenas R$ 3,8 bilhões dos R$ 9 bilhões de despesas julgadas subestimadas pela equipe econômica, sendo R$ 3 bi para gastos com pessoal e R$ 800 milhões para o fundo de financiamento de campanhas (FEFC). O corte viria das emendas parlamentares setoriais de comissão, com indexador RP8, que não são impositivas (bit.ly/3AanGs9).

Passando à pauta dos combustíveis, Rodrigo Pacheco admitiu discutir em fevereiro projetos para segurar a alta nas bombas, preferindo o PL que cria um “programa de estabilização” ao que muda regras do ICMS – opção de Arthur Lira (bit.ly/3KgYIfz). E apesar das manchetes ventilarem investigações do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) quanto a possíveis abusos da Petrobras (bit.ly/3rvCv4L e bit.ly/3IfSXgk), é baixa a chance de qualquer interferência em sua política de preços (bit.ly/3tBOwYV).

No ambiente eleitoral, nova coluna de Ciro Nogueira, agora à Folha, critica a estratégia petista de “radicalizar no primeiro turno para moderar no segundo”, posta como análoga à do presidente eleito do Chile, Gabriel Boric: “o PT radicaliza e quer discutir tudo para não discutir nada do PT”, como “cicatrizes que não se resumiriam às condenações de Lula” (bit.ly/3fwADTR).

Sobre a ainda ruidosa aliança Lula–Alckmin, Guilherme Boulos (PSOL) relembra o marco de dez anos da desocupação do Pinherinho (22) para repudiá-la (bit.ly/3qD3QTg e bit.ly/3Fx8eYc), enquanto José Dirceu acredita que a união moderaria reações golpistas de Bolsonaro pós-derrota (bit.ly/33liqGp). Nessa linha, também, o governador Paulo Câmara (PSB-PE) – ao defender que questões locais não devem abalroar a chapa (bit.ly/3IfTWNy).

Já Bolsonaro voltou a cutucar, malgrado indiretamente, as decisões da Suprema Corte (STF) e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra seus aliados, mencionando a existência dum “poderio ditatorial” (bit.ly/3rpjNeV). O presidente também ressuscitou o debate da medida provisória enviada ao Congresso para limitar a remoção de conteúdo publicado nas redes sociais, “devolvida” pelo pré-candidato Rodrigo Pacheco (PSD). Na seara econômica, apoiou a reforma trabalhista (bit.ly/3Ij3p6L).

Finalmente, os jornais destacam que o presidenciável do Podemos, Sergio Moro, já teve 8 de suas 45 sentenças na Lava Jato anuladas (bit.ly/3A9fxEq), e trazem as diretrizes de Felipe d´Ávila – aposta do Novo – para a retomada do crescimento: “sustentabilidade, transparência, abertura e privatizações” (bit.ly/3fzsGx5).

Nas redes

Segundo o monitor XP-Conatus, ofensiva contra o passaporte sanitário e recuo da base governista na ofensiva contra a vacinação infantil se destacam em período marcado pelo aumento no número de novos casos, ameaças de escassez de imunizantes infantis e amplo apoio à exigência do passaporte em locais fechados.

Internacional

Nos EUA, o Senado tem na pauta desta terça-feira (18) dois projetos sobre direitos de voto. O debate deve continuar até quarta-feira e a expectativa é que republicanos utilizem o filibuster (obstrução que requer 60 votos para ser superada) para impedir a aprovação. Em seguida, os correligionários de Biden devem pautar mudanças nas regras do Senado, com intuito de impedir futuras obstruções. Apesar da segunda votação apenas requerer 50 votos, sem apoio dos senadores Joe Manchin e Krysten Sinema, a expectativa segue sendo negativa para a agenda democrata (bit.ly/3IdWITh).

Na China, o Partido Comunista identificou a inflação e a desaceleração do crescimento doméstico como os principais riscos políticos do momento. Segundo nota da Comissão de Assuntos Políticos e Legais, “se os riscos econômicos e financeiros não forem bem administrados, eles podem ser facilmente transmitidos para a esfera social e política.” (bloom.bg/3qDBRmD).

Hoje é o 1112° dia do governo Jair Bolsonaro.

Faltam 259 dias para as eleições presidenciais.

Hoje é o 676° dia da pandemia de Covid-19.

XP Política

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.