Resumo Diário de Política 11/11/2020: Disputa política em torno da vacina segue em destaque

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.


Compartilhar:


A disputa política em torno da vacina contra o coronavírus segue em destaque no noticiário desta quarta. A Anvisa defendeu ontem a suspensão dos testes com a Coronavac, que será produzida pelo governo de São Paulo, de João Doria, depois da morte de um participante do estudo – Jair Bolsonaro, pela manhã, comemorou a decisão da agência (https://glo.bo/32zS0gb). O Instituto Butantan veio a público sustentar que a morte não teve relação com os testes – teria sido um suicídio – e o STF pediu explicações à reguladora (https://glo.bo/3ptcNfs).

Em meio ao imbróglio, no fim do dia, Bolsonaro fez um discurso inflamado no Planalto, em que, entre outros temas, disse que o Brasil precisa deixar de ser um “país de maricas” para enfrentar a pandemia “de peito aberto” (https://bit.ly/3nc8Sl9) e, sobre as pressões dos EUA para que altere sua agenda ambiental, afirmou que “quando acaba a saliva tem de ter pólvora” (https://bit.ly/3neMZl4) – a fala foi rebatida por Rodrigo Maia (https://bit.ly/35kmzsj).

A celeuma acontece a poucos dias da volta de Brasília às atividades pós-eleições municipais para discutir o orçamento de 2021, incluindo as PECs de revisão de despesas e o programa de transferência de renda – um desafio que não é trivial. Era recomendado que o governo concentrasse esforços nesses dias que antecedem o retorno para chegar na semana que vem com o tema encaminhado – o desconcerto de ontem mostra que estamos na direção contrária.

Ainda ontem, Paulo Guedes afirmou que o auxílio emergencial só continuará a ser pago no ano que vem caso haja uma segunda onda de coronavírus (https://bit.ly/3neN6gu). Admitiu frustração com a agenda de privatizações até aqui (https://bit.ly/36tbOTw), mas prometeu a venda de quatro estatais até o fim do ano que vem (https://glo.bo/36ovPee) — Correios, PPSA, Porto de Santos e Eletrobrás.

A última enfrenta dificuldades extras depois do apagão no Amapá (https://glo.bo/3ptd3eq). As dificuldades normais de se tocar uma privatização, aliada aos questionamentos sobre a possibilidade de uma alienação de bem da União vir de proposta do Congresso, já dificultavam o avanço. O episódio no Amapá, estado do presidente do Senado, vai na mesma direção, e exigirá dedicação do governo, o que só pode acontecer depois de tirar da frente temas mais urgentes.

E, em sua estreia no Supremo, o ministro Kassio Nunes Marques seguiu as expectativas e se alinhou a Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski em decisão da segunda turma que impôs derrota à Lava Jato (https://bit.ly/3nisOTz).

Nas redes

O monitor XP-Conatus registrou o pico da última semana em volume compartilhamento de notícias sobre Jair Bolsonaro. No Facebook, as reações mais utilizadas são ANGRY, utilizada 53% das vezes para reagir a matérias sobre Bolsonaro, bem à frente da HAHA, segunda mais utilizada com apenas 26%. A oposição a Bolsonaro está também em destaque no Twitter – o grupo corresponde ao menos a nove agrupamentos que, juntos, representam 68% dos usuários e 65% das interações. 

Internacional

Covid-19: Segundo a OMS, são 50.810.763 casos confirmados e 1.263.844  óbitos (https://bit.ly/3ge3REZ).

A resistência de Donald Trump a reconhecer a derrota na eleição americana continua em destaque. Ele recebeu nos últimos dias maior apoio entre membros de seu partido, e até de seu procurador-geral, William Barr, que autorizou investigações sobre supostas “irregularidades” nas eleições. As investigações fortalecem o discurso do republicano e devem gerar ruídos nos próximos dias. No entanto, não devem mudar o cenário eleitoral (https://bloom.bg/32xd0nL). 

Joe Biden classificou a postura de Trump como “vergonhosa” e disse que a transição já começou apesar dela (https://on.wsj.com/3nbPgxt). 

Segundo pesquisa Reuters-Ipsos realizada entre sábado (7) e terça-feira (10), 80% dos americanas acreditam que o democrata já venceu a eleição. Entre republicanos o número se reduz para 60% (https://bit.ly/2UsDNgV). 

Na Suprema Corte, dois ministros republicanos, John Roberts e Brett Kavanaugh, indicaram que não devem votar para derrubar o Affordable Care Act (Obamacare). Somados aos 3 democratas no colegiado, seriam suficientes para a manutenção do programa (https://bloom.bg/2JXgWYI).

Hoje é o 680° dia do governo Jair Bolsonaro.

Hoje é o 244° dia da pandemia de Covid-19.

Faltam 5 dias para as eleições municipais.

XP Política

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins da Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.