XP Expert

Resumo Diário de Política 08/02/2022: Guedes sinaliza para desoneração do diesel e redução do IPI

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Em dia com noticiário morno sobre os combustíveis, destaque é a entrevista do ministro Paulo Guedes ao Estadão (https://bit.ly/3HEgCa4). Ele reafirma ser favorável à ideia de zerar os tributos federais sobre o diesel, com impacto de “R$ 17 ou R$ 18 bilhões”, e sinaliza para a medida em conjunto com a redução do IPI. Chama de “bomba fiscal” e “insensatez” a proposta em discussão no Senado (https://bit.ly/3rIwpzr) e diz que a variação no câmbio que ela provoca anularia os benefícios esperados. Ele tem tentando também internamente evitar apoio do Planalto à outra PEC, em discussão na Câmara (https://glo.bo/33aLqR2).

Sobre o IPI, Guedes diz que a ideia para a redução “é fazer já” um corte de linear de 25% a 50%, a depender da disposição dos governadores de reduzir arrecadação com ICMS. E diz manter os planos de redução do IOF para ingresso na OCDE, começando com um corte de 1,5% daqui dois anos para zerar em oito anos.

Em relação à privatização da Eletrobras, que pode voltar à pauta do TCU até a próxima quarta, ele reconhece uma “travazinha”, mas diz acreditar “que vá destravar”. “Se a Câmara e o Senado aprovaram a privatização da Eletrobras, quero crer que o TCU está apenas dando uma ajuda para que a coisa corra de uma forma mais suave”. Privatização essa que volta ao noticiário também pela pressão de deputados de oposição (https://glo.bo/3HDbeE7), que agora pedem atualização dos valores das garantias físicas das usinas.

Para além da fala de Guedes, o noticiário registra pressão de Bolsonaro sobre governadores e o STF, por não ter julgado ação que pede ICMS único sobre combustíveis e nova polarização com governadores (https://bit.ly/3uxxbkp). Em sinal de como anda o ambiente entre Bolsonaro e o Judiciário, durou apenas 9 minutos o encontro do presidente com Edson Fachin e Alexandre de Moraes para entrega do convite de posse dos dois no TSE (https://glo.bo/3uv1s3n).

Na seara eleitoral, o TSE tem na pauta de hoje o julgamento do pedido de fusão entre PSL e DEM, o que marcará a criação do União Brasil (https://bit.ly/3ryFgU3). O novo partido ainda não tem destino certo na eleição – fala desde a candidatura própria, à negociação da vaga de vice com Moro até uma federação com MDB ou PSDB.

Em meio às indicações de Bolsonaro de que prefere ter um vice militar, volta a rondar o noticiário a pressão dos aliados do centrão para que ele escolha a ministra Tereza Cristina para a posição (https://bit.ly/3B3MnHc). E em meio às conversas do PSDB com o Cidadania, João Doria conversou ontem com a senadora Eliziane Gama, possível vice caso vingue o acordo (https://glo.bo/3Le4aAl).

Sérgio Moro continua focado no eleitorado conservador de Jair Bolsonaro: lançou ontem a “Carta de Princípios pra Cristãos” em que defende pontos caros à comunidade evangélica e se diz contra a ampliação da lei do aborto (https://glo.bo/3JbBfLb).

Em uma briga tradicional por recursos para a campanha, deputados dos partidos de candidatos que não decolaram nas pesquisas começam a questionar os valores do fundo eleitoral que serão aplicados nas disputas pelo Planalto. O alvo principal é Moro no Podemos (https://bit.ly/3ssrnWE), mas também estão na mira Doria no PSDB e Ciro Gomes no PDT (https://bit.ly/3gtEiST) – Simone Tebet é a próxima da lista.

Por fim, um dos responsáveis pela aproximação entre Lula e Alckmin, o ex-governador Márcio França disse ontem que o acordo está 99,9% certo (https://glo.bo/3otmziE).

Nas redes

Segundo o monitor XP-Conatus, negacionistas tentam explorar onda de atos contrários às medidas restritivas, enquanto atores ligados ao bolsonarismo responsabilizam essas mesmas medidas pelo crescimento desenfreado da inflação. Em menor volume e ainda sem destaque, matérias que enfatizam as limitações do Auxílio Brasil e apontam provável conflito entre Bolsonaro e prefeitos por reajuste de 33% para professores.

Internacional

Holofotes seguem na crise na fronteira entre Rússia e Ucrânia. O encontro entre Emmanuel Macron e Vladimir Putin produziu os primeiros sinais de redução de tensão, apesar de divergências permanecerem. Segundo o presidente francês, o russo teria concordado em reduzir número de tropas em Belarus após conclusão de exercícios se o diálogo com aliados da OTAN continuar na direção correta. No entanto, em declarações à imprensa, o Kremlin considerou muito cedo para fazer afirmações, apesar de mostrar disposição a continuar o diálogo (https://on.ft.com/3GAIbQc).

Em paralelo, Joe Biden afirmou que se a Rússia invadir a Ucrânia o gasoduto Nord stream 2 seria fechado. A medida não foi apoiada pelo chanceler alemão Olaf Scholz (https://glo.bo/3JbxnK9).

No lado da política doméstica dos EUA, sem avanço nas negociações bipartidárias sobre o Orçamento de 2022, os democratas apresentaram na segunda-feira uma medida provisória que evitaria um shutdown até 11 de março. A matéria deve ser votada na Câmara ainda nesta semana (https://politi.co/3Guqyl7).

Hoje é o 1135° dia do governo Jair Bolsonaro.

Faltam 236 dias para as eleições presidenciais.

Hoje é o 699° dia da pandemia de Covid-19.

XP Política

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.