Relatório Semanal de Política 14/04/2019: 100 dias de governo Bolsonaro

O Relatório Semanal de Política apresenta os principais destaques da semana e nossa perspectiva para a semana seguinte.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Congresso trabalha para demonstrar força diante do governo, que ainda procura um formato para a articulação política em busca da aprovação da Nova Previdência.


Os 100 dias do governo Bolsonaro

A ausência de alguma forma de fazer política para substituir o chamado velho modelo é a principal marca dos 100 primeiros dias do governo de Jair Bolsonaro. O presidente da República foi eleito com a bandeira de uma ruptura na relação estabelecida entre Executivo e Legislativo, mas não encontrou ainda as bases em que deve ancorar o próprio modo de fazer ponto. Um ponto, que no balanço geral, não exclui a importância dos acertos do governo na economia no período, por exemplo, enviando ao Congresso um texto de reforma da Previdência robusto.

O diagnóstico, no entanto, é de que o vácuo na política leva a um menor poder de tração do governo para empurrar a Nova Previdência no Congresso, projeto prioritário do governo e sem o qual ficará mais difícil cumprir outros compromissos de Bolsonaro com os eleitores.

Entre idas e vindas, permanece o clima de desconfiança sobre o governo e, como escrevemos desde o início do ano, sobre como serão tratados os deputados uma vez aprovada a reforma da previdência.

O que está em curso no Congresso é uma tentativa de enfraquecer o governo a ponto de que Bolsonaro não tenha mais tanto espaço para atropelar deputados e senadores na saída da Previdência, demonstrando que o governo não terá tudo o que quer tão fácil.

Nesta semana, recebemos na primeira conferência da XP Investimentos, em Nova York, entre outras autoridades, o ministro Paulo Guedes e o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia.

O compromisso pessoal de Rodrigo Maia com a Nova Previdência – evidenciado nas cobranças que ele faz ao governo – e o entrosamento com Paulo Guedes são os pontos positivos dessa equação. Maia articula para proteger a reforma da Previdência, enquanto tenta encaminhar os trabalhos sobre as mudanças tributárias e a autonomia do Banco Central.

Para Rodrigo Maia há ainda possibilidade de a reforma ser aprovada na Câmara antes do recesso, mas essa discussão de prazos pode ser negativa quando os atrasos se acumulam.


Pesquisa XP Mercado e Congresso

Nesta semana, a XP Investimentos divulgou as pesquisas do mês de abril com investidores institucionais, um público formado por gestores de recursos, economistas e consultores, e com os deputados.

Os números traduziram o cenário político conturbado do último mês, com a troca de provocações entre o presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e a falta de uma base de apoio parlamentar no Congresso.

O mercado financeiro passou a esperar que a Nova Previdência seja votada apenas no 2º semestre de 2019.

61% dos agentes de mercado ouvidos esperam que a reforma seja votada no plenário da Câmara apenas após o recesso, enquanto 38% esperam que o texto seja votado em junho ou julho. No levantamento anterior, 60% esperavam a votação ocorresse entre maio e julho.

A pesquisa com os indicou uma deterioração na percepção sobre o relacionamento da Câmara com a Presidência. Hoje, 55% dos deputados consultados afirmam que é ruim ou péssima a relação da Casa com o Planalto, contra 12% que tinham a mesma percepção em fevereiro.

Para acessar a Pesquisa XP Mercado na íntegra, clique aqui.

Para acessar a Pesquisa XP Congresso na íntegra, clique aqui.

XP Política

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.