Orçamento e CPI da Covid-19 foram temas do 1º dia da Conferência XP com líderes femininas

Primeiro dia do evento contou com grandes líderes da política e da economia, como a ministra Flávia Arruda, a senadora Simone Tebet e as economistas Cassiana Fernandez e Elena Landau


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

O primeiro dia da Conferência de Política e Economia organizada pela XP, Sob o Olhar Delas, trouxe o debate de temas importantes como a negociação em torno do Orçamento de 2021,  a CPI da Covid-19 e suas implicações, bem como as medidas econômicas tomadas para combater os efeitos da pandemia e o efeito nas contas públicas.

O evento contou com a participação da ministra da Secretaria de Governo da Presidência da República, a deputada federal Flávia Arruda (PL-DF), da senadora federal , Simone Nassar Tebet (MDB-MS) e das economistas Elena Landau, ex-diretora de desestatização do BNDES, e Cassiana Fernandez, economista-chefe para o Brasil do J.P. Morgan. Confira os destaques e acompanhe o evento, que vai de 19 a 27 de abril.

Negociação sobre Orçamento está avançada, diz Flávia Arruda

A ministra da Secretaria de Governo da Presidência da República, Flávia Arruda, afirmou durante o evento, que estão “bem avançadas” as negociações sobre o Orçamento para 2021, que caminham para um veto parcial do presidente Jair Bolsonaro na ordem de R$ 10,5 bilhões em emendas de relator do Orçamento de 2021, permitindo que as despesas não rompam as regras fiscais vigentes.

A negociação entre Executivo e Congresso em torno da peça orçamentária para esse ano (PLOA 2021), aprovada pelo Congresso e que aguarda sanção presidencial, é vista como positiva pela ministra, que destaca a necessidade de se construir uma interlocução, de modo que as discordâncias sejam colocadas da maneira mais suave e colaborativa entre as partes envolvidas.

A ministra, que assumiu recentemente a Secretaria de Governo da Presidência da República, sendo a primeira mulher a ocupar o cargo, disse que construir uma ponte entre o Executivo e o Congresso é seu principal foco. “Venho com essa missão, e é o que construo todos os dias”.

A ministra também destacou a importância das medidas de combate aos efeitos da pandemia da Covid-19 como a extensão dos programas de manutenção do emprego formal (BEM) e de crédito a micro, pequenas e médias empresas (Pronampe e Maquininhas).

Pandemia aumenta necessidade de reformas, diz Simone Tebet

A pandemia da Covid-19 exacerbou as desigualdades socioeconômicas do Brasil, o que aumenta a necessidade de aprovação de reformas estruturais. No entanto, as reformas tributária e administrativa são complexas, e ainda não há consenso nem sobre o conteúdo nem em relação à forma para avançar com esses temas, o que depende da negociação entre Executivo e Congresso, afirma a senadora federal Simone Tebet (MDB-MS).

Nesse cenário, a reforma tributária, talvez, tem chance de avançar em fases. A unificação de tributos federais em um primeiro estágio, por exemplo, aparece como estratégia viável, segundo a senadora. Já no que diz respeito à reforma administrativa, existe a possibilidade de aprovação de uma versão reduzida até o final do ano, com o respaldo necessário de um conjunto de leis ordinárias e complementares.

A senadora destacou que o governo precisa agir com cautela e responsabilidade em relação às  despesas governamentais para enfrentamento da crise sanitárias e que os gastos adicionais devem ser focados em grupos vulneráveis, com limites e monitoramento bem definidos.

A instauração da “CPI da Covid-19”, segundo Simone Tebet, não atrapalhará quaisquer iniciativas (e votações) legislativas referentes a questões econômicas e terá como foco avaliar a gestão da crise sanitária, tais como omissão e responsabilização de atores políticos.   

Entre as medidas discutidas pelo Congresso para o enfretamento da pandemia, o projeto de lei que permite (sob caráter excepcional) a quebra temporária de patentes de vacinas e medicamentos enquanto vigorar o estado de emergência de saúde (PL 12/2021) e  a votação do projeto que permite a compra de vacinas contra a Covid-19 por empresas privadas (PL 948/21). “Precisamos pensar na possibilidade de compra de vacinas pela iniciativa privada, com as empresas doando metade dos lotes para o governo e desde que se cumpra o Programa Nacional de Imunização,” diz a senadora.

Por fim, sobre o cenário eleitoral de 2022, a senadora vê espaço para partidos políticos de centro e destaca que seu partido, o MDB, terá um papel importante na construção dessas alianças. “E quero estar nesse caminho do meio, ajudando o meu partido a se reencontrar,” diz a senadora.

Com ajuste fiscal atual as contas não fecham, dizem economistas

Sem as reformas estruturais necessárias e um ajuste fiscal factível, o reequilíbrio das contas públicas não será alcançado, mesmo com o cumprimento do teto de gastos, segundo as economistas Elena Landau, ex-diretora de desestatização do BNDES, e Cassiana Fernandez, economista-chefe para o Brasil do J.P. Morgan, que participaram da Conferência da XP.

“Mesmo que se respeite o teto de gastos até 2026, não vejo estabilidade das contas públicas sem reformas,” diz a economista do J.P. Morgan.

Diante da incerteza fiscal e dos impactos da Covid-19 na economia, a economista do J.P prevê um crescimento de 2,9% para a economia brasileira neste ano. “Vamos demorar para voltar níveis anteriores a pandemia,” diz Cassiana.

Para a economista do J.P. Morgan,  no atual cenário, se o governo conseguir preservar o teto dos gastos públicos e a equipe técnica do Ministério da Economia já será um fator positivo. “O que não pode é , em 19 de abril de 2021, não saber como vai fechar as contas,” diz Cassiana.

Se o ajuste do lado das despesas não caminhar, será necessário fazer um ajuste do lado da receita, o que implicaria em aumento de impostos, elevando a já alta carga tributária, destaca a economista do J.P. Morgan.

A economista Elena Landau destacou que o ajuste fiscal passa pela redução de subsídio e também pela privatização de empresas estatais. “Tem dezenas de empresas estatais que não precisa de autorização do Congresso para fechar ou vender,” diz.

Confira a agenda completa do evento e acompanhe as próximas lives no link.

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.