Resumo Diário de Política 21/05/2019

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política, antes da abertura do mercado.


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

As manifestações pró-governo continuam como motivo de discórdia na base de apoio político e popular de Jair Bolsonaro. Depois da troca de farpas entre Joice Hasselmann e Bia Kicis, o MBL e a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP), que se posicionaram publicamente contra os atos do próximo domingo, estão sendo alvo dos demais apoiadores do presidente (http://bit.ly/2LWEZHN; http://bit.ly/2M8EkDo e https://glo.bo/2LWS3gl). O que era para ser uma demonstração de potencial de mobilização popular está se transformando em um teste no qual o presidente pode falhar.

Bolsonaro ontem voltou a criticar os políticos. “O Brasil é um país maravilhoso, que tem tudo para dar certo. Mas o grande problema é a nossa classe política”, disse (https://glo.bo/2M05oEL). Mas fez um aceno no tema previdência. “Se a Câmara e o Senado têm propostas melhores que a nossa [reforma da Previdência], que coloquem em votação. Não há briga entre os Poderes. O que há é uma grande fofoca e, lamentavelmente, parte considerável da nossa mídia se preocupa muito mais com isso do que com a realidade”, disse. “O que eu mais quero é conversar” (http://bit.ly/2M8GbIm).

O encontro entre Paulo Guedes e Samuel Moreira, relator da reforma da previdência, rendeu declarações positivas. O ministro da Economia se disse confiante no trabalho do relator, do Congresso e de que a economia gerada pela reforma ficará em torno de R$ 1 trilhão. O relatório deve ser apresentado até dia 15 (https://glo.bo/2LVgjzf). A campanha de mídia a favor da reforma foi lançada ontem em evento no Planalto e custará R$ 37 milhões (http://bit.ly/2M8GbIm).

Curtas: Receita Federal vai criar equipe para caso Flávio Bolsonaro (https://glo.bo/2LZJdOY); governo busca maneiras de evitar novo contingenciamento (http://bit.ly/2LZq1AZ); Representantes de dez partidos, entre eles PSDB, PDT, PT e Cidadania, se reuniram para lançar o movimento “Direitos Já, Fórum pela Democracia”, de oposição (http://bit.ly/2LYbmWt). Não é algo que deve prosperar.

Bastidores de Brasília

Até agora, apenas 15 emendas foram protocoladas à PEC da reforma da Previdência (aqui está a lista de todas elas: http://bit.ly/2VCyWYg). O Patriota e o PSD têm o maior número de deputados que apresentaram sugestões (três cada partido). O PSL, partido do presidente, apresentou duas alterações.

Um deputado do PSL pretende manter o pagamento de bagagem extra em viagens aéreas. Parlamentares incluíram na medida provisória que permite 100% de capital estrangeiro em empresas aéreas um dispositivo que traz de volta a gratuidade no despacho de bagagens. Coronel Tadeu (PSL-SP) apresentará uma emenda no plenário, apoiada por correligionários, para que a norma se mantenha como é hoje: bagagens despachadas têm um custo extra.

Um encontro da agenda do presidente Jair Bolsonaro de hoje vale nota. Bolsonaro recebe o vice-presidente Institucional do Grupo Globo, Paulo Tonet. No início do ano, no caso que culminou na demissão de Gustavo Bebbiano, um dos episódios que irritou o presidente foi justamente uma audiência do então ministro com Tonet (https://glo.bo/2HLgxDJ). “Trazer o inimigo [Tonet] para dentro de casa é outra história. (…) Fica complicado a gente ter um relacionamento legal dessa forma porque cê tá trazendo o maior cara que me ferrou – antes, durante, agora e após a campanha – para dentro de casa”, disse, à época, Bolsonaro em um áudio vazado.

A agenda deste 20 de maio

O presidente Jair Bolsonaro reúne seus ministros no Palácio da Alvorada às 8h15. Às 16h, reúne-se com Onyx Lorenzoni, ministro da Casa Civil, e o vice-presidente Institucional do Grupo Globo, Paulo Tonet, acompanhado do empresário Vicente Jorge Rodrigues. Depois, às 16h30, também com Onyx, recebe o ministro do Tribunal de Contas da União, Augusto Nardes.

Líderes da Câmara discutem qual será a pauta desta semana. Há expectativa sobre se algumas das medidas provisórias que trancam a pauta serão votadas nesta semana — como a MP 870, da reforma administrativa de Bolsonaro.

A comissão especial da reforma da Previdência realiza, às 14h30, audiência pública com tema “Benefício de Prestação Continuada (BPC) e Abono Salarial”. O assessor especial da Presidência Arthur Weintraub, irmão do ministro Abraham Weintraub (Educação), é um dos confirmados.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participa da reunião com o presidente Bolsonaro pela manhã. À tarde, às 12h, recebe o senador Major Olimpio (PSL-SP)

O secretário da Previdência, Rogério Marinho, cumpre agenda em seu gabinete em Brasília. Às 14h30, deve ir à Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa, na Câmara.

  • Hoje é o 141º dia do governo de Jair Bolsonaro.
  • Faz 90 dias que Jair Bolsonaro entregou projeto da previdência à Câmara.
  • A Câmara teve sete sessões que contam como prazo para comissão especial da Reforma da Previdência.
  • Placar Valor/Atlas – Favor (100); Apoio parcial (114); Indefinidos (155); Contra (144).
  • Placar Estadão – Favor (72); Apoio parcial (123); Indefinidos (201); Contra (117).

XP Política

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

BM&F Bovespa Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

B3 Certifica B3 Agro Broker B3 Execution Broker B3 Retail Broker B3 Nonresident Investor Broker

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.