Comércio internacional, combate ao desmatamento e eleições são destaques do evento Sob o Olhar Delas da XP

Segundo dia do evento com lideranças femininas da XP contou com a senadora Kátia Abreu, que disse que vai apresentar projeto para acabar com desatamento ilegal até 2025, e com ex-procuradora da República Raquel Dodge. Veja os principais destaques


Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

O segundo dia do evento Sob o Olhar Delas, primeira conferência da XP com lideranças femininas, foi marcado pela debate sobre a necessidade do Brasil em avançar na agenda para reduzir o desmatamento para aproveitar as oportunidades comerciais e a importância do papel das instituições para preservar o regime democrático. O evento contou com a participação da senadora federal Kátia Abreu (PP-TO), da secretária especial adjunta de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Yana Dumaresq, da ex-Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge e da secretária-geral da Presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Aline Osório. Veja as lives e confira abaixo os principais destaques.

Brasil pode eliminar desmatamento ilegal até 2025, diz senadora

A senadora Kátia Abreu (PP-TO) disse nesta quinta-feira que o Brasil tem condições de antecipar a meta estabelecida para redução de gases do efeito estufa de 2030 para 2025. A senadora ainda adiantou que vai apresentar projeto de lei para antecipar de 2030 para 2025 o objetivo de acabar com o desmatamento ilegal, o que permitiria o Brasil sair da lista dos 10 países maiores poluidores. Kátia Abreu participou do painel : O papel do Brasil na economia internacional e no comércio.

Na Cúpula de Líderes sobre o Clima, o presidente Jair Bolsonaro reiterou a meta de reduzir as emissões de gases de efeito estufa em 37% até 2025 e 43% até 2030.

O avanço da agenda ambiental, segunda a senadora, facilitaria o fechamento de novos acordos comerciais, por exemplo, com a União Europeia.

A secretária especial adjunta de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Yana Dumaresq, afirmou a importância do aparato governamental em identificar, acelerar, manter e aperfeiçoar as políticas de Estado na área de comércio e desenvolvimento sustentável. Já que acordos comerciais dependem das mudanças relacionadas à diminuição do desmatamento.

“Precisamos fazer nossa parte para ganharmos dinheiro com isso,” diz Katia.

De acordo com Yana, o Brasil deve ter postura independente, autônoma e fiel aos interesses nacionais. Atualmente o país tem demonstrado intenção em ingressar a OCDE, no entanto ainda não existe um processo de negociação.

Katia completa dizendo que faltam muitos itens a serem atendidos para que o Brasil faça parte da OCDE. Segundo ela, o item mais crítico é a questão política-ambiental, já que atualmente o Brasil possui indicador de abertura comercial de 24%, ficando atrás apenas da Somália, Coréia do Norte e Venezuela, enquanto a média mundial é de 45%.

Além da discussão da entrada em novos blocos econômicos, Yanna destaca a necessidade de o Mercosul passar por um processo de modernização. O bloco foi criado na década de 90 e sua realidade tarifária reflete isso. Em sua visão, é preciso fazer política para elaboração de uma agenda liberal, assim como um arcabouço institucional com governança complexa baseado numa agenda prioritária em negociação de acordos comerciais e modernização das tarifas externas comuns do Brasil e Mercosul.

Nesse sentido, a senadora Katia Abreu defende que o novo chanceler, Carlos Alberto Franco França, deve seguir uma política pragmática para servir os interesses do Brasil. Nesse sentido, é necessário entender que a questão ambiental hoje está no centro da geopolítica mundial, se tornando uma bandeira universal, de necessidade humanitária e de sobrevivência dos países.

Precisamos garantir a integridade das eleições, diz Aline Osório

A questão sobre o inegável ambiente de grande insegurança jurídica que vivemos hoje no Brasil foi discutida no painel: Segurança jurídica: o papel das instituições no Brasil.

Olhando para a pauta das próximas eleições, a secretária-geral do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Aline Osório, destaca os desafios e o que precisamos prestar atenção para 2022. Segundo ela, o mundo vive uma recessão democrática e o Brasil não está fora dessa tendência global. Já é possível enxergar os indícios de que o processo de retrocesso da democracia está em curso no país como: (i) a existência de uma campanha para desacreditar o sistema eleitoral do Brasil; (ii) o aumento do assédio ao jornalistas e liberdade de imprensa e a (iii) a ameaça de recusa de uma aceitação ao um resultado eleitoral adverso.

A ameaça ao papel da instituição eleitoral vem junto a desinformação. O grande desafio da Justiça Eleitoral é garantir a integridade da eleição e para isso combater a desinformação. Para atingir esse objetivo o TSE criou programa de enfrentamento a desinformação. Usando de parceria com as redes sociais, pra controlar os comportamentos inautênticos, checagem de fatos por meio de coalisões e até canais de denúncia de disparo em massa. Aline enfatiza que o programa está sendo ampliado, para aumentar o conhecimento da população sobre a segurança da eleição.

A ex-procuradora-geral da República, Raquel Dodge, reforça que o regime de leis depende de segurança jurídica e a democracia depende do regime de lei. Segundo ela, situações de insegurança jurídica colocam o Brasil em uma posição de perda de protagonismo em algumas agendas que anteriormente o país era destaque.

Dodge ressalta que as preocupações também estão em torno do atraso do orçamento público, que ainda não foi definido e aprovado para que as instituições e as políticas públicas funcionem.

No que tange ao discurso do presidente da república realizado hoje (22) na Cúpula do Clima, Raquel concorda que o tom veio em linha como esperado, que o rumo está correto, mas que é necessário prestar atenção no detalhamento. “Quais os compromissos o Brasil vai cumprir? em que prazo e com qual orçamento?”

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Leia também
Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

Corretora Home Broker Autorregulação Anbima - Ofertas Públicas Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Certificação B3

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.