XP Expert

A busca por novas soluções contra a alta dos combustíveis – Resumo Diário de Política 02/06/2022

Leitura crítica das principais notícias do dia sobre política, com resultados de apurações em Brasília e pesquisas do time de Análise Política

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail

Em meio às discussões sobre medidas para mitigar os efeitos da alta dos combustíveis, o noticiário de quinta-feira dá destaque à defesa feita por uma ala do governo de que seja decretado estado de calamidade dando segurança jurídica à edição de crédito extraordinário para subsidiar o diesel. A pressão cresce diante do cenário eleitoral e Arthur Lira é um dos defensores do subsídio — por meio da calamidade se preciso –, mas a proposta ainda enfrenta resistências na Economia e, mesmo entre aliados do governo no Legislativo, não é a aposta principal por trazer flexibilizações e “consequências indesejáveis”. O decreto de calamidade é encarado no governo como “último passo” se outras medidas não surtirem efeito e não faz parte de nosso cenário base.

Outra discussão presente no noticiário é sobre a possibilidade de quebra do controle estatal sobre dutos para baratear os combustíveis. O caminho seria um projeto para abrir a Transpetro à concorrência.

E, nas negociações com o Senado sobre o PLP 18, estados insistem em um fundo de compensação para perdas com o ICMS, que seria composto por dividendos da Petrobras e royalties e participação especial do petróleo – segundo os estados, governo poderia compensar os gastos com elevação da CSLL. A proposta, que será apresentada amanhã ao relator Fernando Bezerra, terá dificuldades para avançar no Senado, diante da resistência à alta de tributos. Senadores cobram que os governadores “coloquem a cara” na discussão, se quiserem mesmo barrar propostas que reduzem tributos.

XPInc CTA

Abra a sua conta na XP Investimentos!

XPInc CTA

Assine conteúdos exclusivos aqui!

XPInc CTA

Receba conteúdos da Expert pelo Telegram!

Na temática da energia elétrica, o Senado aprovou ontem o projeto que prevê devolução de cobrança indevida de tributos ao consumidor por meio da conta de luz. O texto segue à Câmara, onde deve ser votado na semana que vem. 

Na seara eleitoral, as redes de TV começam hoje a exibir as 40 inserções do PL com Jair Bolsonaro na propaganda partidária. Na primeira, o presidente fala para jovens sobre a importância da família. Todas terminam com o bordão “Sem pandemia, sem corrupção e com Deus no coração, ninguém segura esse novo Brasil“. Outras peças, que vão ser exibidas até o dia 11, devem tentar também aproximação do presidente com o eleitorado feminino, com a participação de Michelle

E, depois das reações no PSDB pelas críticas ao tucanato, Lula recuou um tom e disse que a polarização era civilizada – as derrapadas têm complicado a pretensão de Lula de se aproximar do centro e ampliar o leque de alianças ainda no primeiro turno.

Na terceira via, o PSDB ainda aguarda os acordos regionais com o MDB para dar apoio à Simone Tebet – ela desembarca hoje no Rio Grande do Sul para tentar assegurar o apoio regional aos tucanos. Ontem, para pressionar os emedebistas e satrisfazer alas internas, soltou nota em que recoloca à mesa a possibilidade de uma candidatura própria. No caso de aliança, Tasso Jereissati é o nome escolhido para vice. As articulação não mudam o cenário de espeço reduzido para a terceira via na disputa.

E, em São Paulo, Tarcísio de Freitas, o nome de Bolsonaro para a disputa, disse que não teria problemas em se relacionar com Lula. O “bolsonarismo light” é tendência entre candidatos a governador que apoiam o presidente para não afugentar eleitores que o rejeitam

Nas redes

Combustíveis e Eletrobras aparecem com picos de menções durante o período analisado. O primeiro tem presença orgânica, com manifestações de insatisfação sobre o aumento do custo de vida no país, enquanto o segundo está atrelado a um movimento organizado entre atores da esquerda partidária.  

Internacional

A guerra na Ucrânia se aproxima do centésimo dia sem sinais de desaceleração. A União Europeia e os Estados Unidos continuam dando sinais de apoio a Kiev por meio de pacotes emergenciais e de novas sanções contra a Rússia, mas Moscou continua se beneficiando da alta de preço de grãos e da sólida relação com aliados como China e Índia

Vale notar que Beijing reafirmou ontem a importância de sua aliança com a Rússia.

Hoje é o 1246º dia do governo Jair Bolsonaro.

Faltam 122 dias para as eleições presidenciais.

Hoje é o 811º dia da pandemia de Covid-19.

XPInc CTA

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este material foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S/A (“XP Investimentos” ou “Companhia”) e não deve ser considerado um relatório de análise para os fins na Resolução CVM 20/2021. As opiniões, projeções e estimativas aqui contidas são meramente indicativas da opinião do autor na data da divulgação do documento sendo obtidas de fontes públicas consideradas confiáveis e estando sujeitas a mudanças a qualquer momento sem necessidade de aviso ou comunicado prévio. A Companhia não apoia ou se opõe contra qualquer partido político, campanha política, candidatos ou funcionários públicos. Sendo assim, XP Investimentos não está autorizada a doar fundos, propriedades ou quaisquer recursos para partidos ou candidatos políticos e tampouco fará reembolsos para acionistas, diretores, executivos e empregados com relação a contribuições ou gastos neste sentido. XP Investimentos e suas afiliadas, controladoras, acionistas, diretores, executivos e empregados não serão responsáveis (individualmente e/ou conjuntamente) por decisões de investimentos que venham a ser tomadas com base nas informações divulgadas e se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste material ou seu conteúdo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. Este material não leva em consideração os objetivos de investimento, situação financeira ou necessidades específicas de qualquer investidor. Os investidores devem obter orientação financeira independente, com base em suas características pessoais, antes de tomar uma decisão de investimento. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos.

Para os casos em que se usa o IPESPE:

Por fim mas não menos importante, a XP Investimentos não tem nenhuma conexão ou preferência com nenhum dos candidatos ou partidos políticos apresentados no presente documento e se limita a apresentar a análise independente coletada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, políticas e econômicas (IPESPE) que se encontra devidamente registrado conforme a legislação brasileira.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.