XP Expert

XP Morning Call 28/02/2019: China e atividade no Brasil

Diariamente compilamos e analisamos diversas notícias e publicamos um relatório com comentários relativos às notícias relevantes para nossa cobertura, assim como eventos importantes para monitorar no cenário político e macroeconômico, tanto no Brasil quanto no mundo, e seus respectivos impactos para a bolsa brasileira.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Continua a montagem da base de apoio do governo no Congresso
  2.  Taxa de desemprego de 12% em janeiro sinaliza cautela
  3. Saldo de crédito apresenta leve desaceleração em janeiro

Internacional

  1. China: Medidor de atividade industrial recua em Fevereiro, impactado por sazonalidade
  2. Trump e Kim encerram cúpula abruptamente

Empresas

  1. Petrobras (PETR4): Resultados 4T18: Um trimestre positivo, e o melhor está por vir; Reiteramos COMPRA
  2. Ambev (ABEV3): resultados mistos no 4T18 com forte EBITDA, mas fraco lucro
  3. Vale (VALE3): STJ determina soltura de oito funcionários; Senado aprova regras mais rígidas para barragens

COE News

  1. Amazon transfere responsabilidade para marcas na luta contra produtos falsificados
  2. HSBC: Resultados do 4T18 impactados pela guerra comercial, mas não o suficiente para ofuscar o foco na Ásia

Resumo

China e atividade no Brasil

Os mercados globais operam em território levemente negativo, seguindo dados de atividade mais fracos na China e com o presidente americano abandonando rodada de negociações em relação à desnuclearização com a Coreia do Norte.
 
Na China, o índice de atividade industrial reportado em 49,2 foi abaixo dos 49,4 esperados pelo consenso, e abaixo de 50, o que indica contração. Apesar disso, a demanda doméstica já mostrou sinais de aceleração e o dado é distorcido pelo Ano Novo chinês. A nossa expectativa é que com uma série de políticas de estímulo em curso, o crescimento estabilize no 2T.
 
No Brasil, foco nos dados de atividade, com PIB saindo às 9hs da manhã de hoje. O desemprego reportado em 12,0% ontem ficou levemente acima das expectativas do mercado, enquanto que os dados de crédito para janeiro apresentaram leve desaceleração.
 
Em linhas gerais, esperamos uma aceleração da economia, com PIB estimado em 2% para 2019, mas destacamos que tudo indica que essa retomada deve ser mais suave do que o mercado antecipa, o que vem sendo confirmado pelos dados recentes.
 
Do lado das empresas, a Petrobras reportou EBITDA ajustado em linha com nossa estimativa no 4T18, mas acima do consenso, e destacamos a sólida geração de caixa no trimestre e a redução do endividamento. Reiteramos a recomendação de Compra, com preços-alvo de R$31 (PETR4) e R$30 (PETR3).
 
Por último, a Ambev reportou resultados mistos no 4T18, com EBITDA ajustado acima das nossas estimativas e lucro abaixo devido à maiores despesas financeiras. O volume de cerveja no Brasil caiu 2,1%, mas foi melhor que a média da indústria, segundo a Ambev. Essa queda se compara a nossa estimativa de -1,5% e é em linha com o consenso. 


Conteúdo na íntegra

Brasil

Política Brasil: Continua a montagem da base de apoio do governo no Congresso

  • Governo segue em busca da montagem de sua base de apoio no Congresso. Atenção se volta para as atividades pós-Carnaval, quando devem ser instaladas as comissões permanentes na Câmara, e o dia a dia passará a seu modo completo. Deputados ainda esperam ações práticas do governo para essa aproximação;
  • O Planalto passa a dizer publicamente que espera que a economia gerada com a aprovação da Previdência não seja menor do que R$ 1 trilhão em dez anos, com espaço para uma flexibilização na ordem de apenas R$ 150 bilhões nas negociações com o Congresso – o que diverge muito do que é esperado por deputados e senadores durante a tramitação.

Taxa de desemprego de 12% em janeiro sinaliza cautela

  • Medida pela PNAD Contínua, a taxa de desemprego no trimestre encerrado em janeiro fechou o período em 12%, 0,2 pontos percentuais abaixo da taxa registrada em janeiro de 2018, ficando levemente acima das expectativas dos economistas, que previam 11,9%. O aumento foi explicado, principalmente, pela estabilidade da população ocupada simultânea a um pequeno avanço da força de trabalho;
  • Mesmo com a normalidade de movimentos de elevação da desocupação em todo começo de ano, a taxa de 12% obtida em janeiro de 2019 veio pior do que a sazonalidade típica e sinalizou um alerta;
  • Para 2019, portanto, esperamos um cenário cauteloso e de recuperação gradual da economia, mas ainda com um grande excedente de pessoas a procura emprego.

Saldo de crédito apresenta leve desaceleração em janeiro

  • Totalizando R$3,2 trilhões em janeiro, o saldo de crédito do Sistema Financeiro Nacional (SFN) apresentou leve desaceleração (0,9%) em relação a dezembro de 2018. O maior responsável pelo recuo no mês foi o crédito com recursos livres às empresas, que apresentou queda de 3,4% em relação ao mês anterior;
  • Ainda na comparação mensal, o estoque das operações com pessoas jurídicas contraiu 2,7%, enquanto a carteira com pessoas físicas cresceu 0,6%. Além disso, a taxa média de juros dos empréstimos subiu 1,5 p.p no período, enquanto a taxa de inadimplência cresceu de maneira menos expressiva e o spread bancário registrou aumento de 1,6 p.p.;
  • Entretanto, na comparação anual, o saldo de crédito do SFN teve crescimento de 5%, com elevação tanto para empresas (1%), quanto para famílias (8,4%). Apesar do resultado mais fraco em janeiro, as expectativas são que de o mercado de crédito continue sendo expandido gradualmente no decorrer de 2019.

Internacional

China: Medidor de atividade industrial recua em Fevereiro, impactado por sazonalidade

  • O índice de atividade industrial em fevereiro veio em 49,2 (vs. 49,5 em janeiro), recuando mais do que o esperado (consenso em 49,4), e abaixo de 50, o que indica contração. Por outro lado, o número foi ligeiramente melhor do que a sazonalidade sugeria, impulsionado pela recuperação da demanda doméstica, com a queda mensal de 0,3ppt sendo ligeiramente menor do que a média de 0,4ppt em fevereiro dos anos anteriores;
  • O PMI do setor não manufatureiro da China diminuiu para 54,3 em fevereiro, contra 54,7 em janeiro e abaixo das expectativas de consenso em 54,5, impulsionado principalmente pela atividade de construção mais fraca devido ao feriado do Ano Novo chinês, enquanto a atividade de serviço permaneceu estável;
  • Com uma série de políticas de estímulo por parte do governo chinês em curso, esperamos que o crescimento estabilize no 2T19.

Trump e Kim encerram cúpula abruptamente

  • De acordo com o Financial Times, o presidente Trump e o líder da Coréia do Norte, Kim Jong Un, encerraram sua cúpula de Hanói de forma abrupta, depois de não chega a um acordo sobre a desnuclearização do país asiático;
  • A principal questão, de acordo com o presidente dos EUA em uma conferência de imprensa, é que a Coréia do Norte queria que suas sanções fossem suspensas, uma concessão que os EUA não poderiam fazer. No entanto, o presidente americano observou que houve progresso, embora não o suficiente para chegar a um acordo final;
  • Fontes indicam que a Coreia do Norte se ofereceu para fechar sua usina de enriquecimento de urânio e plutônio em seu principal complexo nucelar, mas o país teria outras instalações de acordo com as agências de inteligência dos EUA.

Empresas

Petrobras (PETR4): Resultados 4T18: Um trimestre positivo, e o melhor está por vir; Reiteramos COMPRA

  • A Petrobras registrou um lucro líquido de R$2,1 bilhões no 4T18, contra nossa estimativa R$6,4 bilhões e o consenso de R$7,3 bilhões. O EBITDA ajustado de R$30,5 bilhões veio praticamente em linha (+0,8%) com nossas estimativas de R$30,2 bilhões, e +6,6% acima do consenso de R$28,6 bilhões;
  • Durante o 4T18, a Petrobras registrou uma geração de caixa após investimentos e pagamentos de juros de R$11,3 bilhões, patamar que consideramos positivo para a empresa. Quanto ao endividamento, a relação Dívida Líquida / EBITDA ajustado caiu para 2,33x, ante o nível de 2,96x no 3T18, e notamos que a empresa conseguiu superar a sua meta de redução da relação Dívida Líquida / EBITDA de 2,5x ao final de 2018;
  • Nós temos uma avaliação levemente positiva dos resultados da Petrobras no 4T18, dado que o EBITDA ajustado da companhia veio em linha com nossa estimativa, mas acima do consenso de mercado. Destacamos também a sólida geração de caixa no trimestre e a redução do endividamento. Reiteramos a recomendação de Compra ações da Petrobras, com preços-alvo de R$31 (PETR4) e R$30 (PETR3). Relatório completo no link.
     

Ambev (ABEV3): resultados mistos no 4T18 com forte EBITDA, mas fraco lucro

  • A Ambev reportou resultados mistos do 4T18, com EBITDA ajustado de R$ 7,5 milhões, 3,5% acima das nossas estimativas e 7% acima do consenso (+2,5% A/A). A margem EBITDA de 46,7% se compara à nossa estimativa de 47% e 48,5% do 4T17; 
  • O principal destaque positivo foi a América Latina Sul devido a ajustes inflacionários e preços mais altos, enquanto Brasil e Canadá tiveram resultados fracos e América Central e Caribe sólidos. O volume de cerveja no Brasil caiu 2,1%, mas foi melhor que a indústria, segundo a Ambev. Essa queda se compara a nossa estimativa de -1,5 e foi em linha com o consenso;
  • O lucro líquido normalizado foi 19,5% abaixo de nossas estimativas em R$ 3.725 milhões devido a despesas financeiras mais altas que o esperado (10% abaixo do consenso e 17% abaixo do ano anterior). Mantemos recomendação neutra com preço-alvo de R$18/ação. Relatório completo no link.

Vale (VALE3): STJ determina soltura de oito funcionários; Senado aprova regras mais rígidas para barragens

  • O ministro Nefi Cordeiro, do STJ, determinou ontem a soltura de oito funcionários da Vale, que estavam presos desde o dia 15 deste mês, no curso de investigação sobre o evento em Brumadinho, alegando que a prisão temporária exige a indicação de riscos à investigação e que isso não ocorreu; 
  • Também na tarde de ontem, o Senado aprovou regras mais duras para barragens com proposta que aumenta as exigências contidas na Política Nacional de Segurança de Barragens (PNSB). O projeto foi aprovado em caráter terminativo, ou seja, segue diretamente para a Câmara, sem passar pelo plenário do Senado;
  • Dentre as regras, o projeto estipulou emenda que aumenta a multa máxima que pode ser aplicada às mineradoras, agora no montante de até R$10 bilhões.

Gol (GOLL4) 4T18: Em linha, Margem Operacional beneficiada pela venda de jatos

  • A Gol reportou hoje pela manhã os resultados do 4T18, com margens operacionais em linha com o que havia sido previamente guiado, mas beneficiadas pela venda de jatos no trimestre. A margem operacional fechou o trimestre em 21%, com um EBIT de R$ 672 mi. A venda de jatos no período teve um impacto positivo de ~R$ 635 milhões no indicador;
  • Expurgando o efeito da venda dos jatos, a performance da operação aérea foi pressionada por custos ainda altos de combustível, com aumento de +40% no preço do litro. Esperamos que o efeito positivo da queda do preço do combustível impacte positivamente a companhia no 1T19 apenas. Por outro lado, a receita de passageiro unitária cresceu ~8% A/A. O lucro líquido no trimestre ficou em R$ 502 milhões e a receita líquida atingiu R$ 3,20 bi (em linha com nossa estimativa de R$ 3,24 bi);
  • Por fim, a empresa revisou as projeções para 2019 e 2020, sem grandes destaques. Vale destacar a leve redução na expectativa de preço de litro do combustível para os dois anos, resultando em revisão positiva de 100 bps nas margens operacionais para os dois anos (para 18% em 2019 e 19% em 2020) e no lucro líquido.

Movida (MOVI3) 4T18: Melhora sequencial, Acima do Esperado

  • A Movida reportou números fortes e levemente acima das expectativas no 4T18, trazendo mais um trimestre de melhora sequencial nos volumes e nas margens. O EBITDA fechou o trimestre em R$ 142 milhões, +66% A/A, e impulsionado pelos segmentos de aluguel de carros (volumes +23% A/A) e de frotas (volumes +53% A/A) e também beneficiado por um crédito de R$ 10 mi nas provisões. O lucro líquido atingiu R$ 52 milhões, acima das nossas expectativas e do consenso de mercado;
  • ​Tanto o segmento de aluguel de veículos (RAC) como aluguel de frotas (GTF) nos surpreenderam positivamente. Em RAC, o número de diárias cresceu 23%, com crescimento sequencial de tarifas e de margens. Margem EBITDA fechou o 4T18 em 43% (+10 p.p. A/A), beneficiada pela alavancagem operacional e por uma redução na provisão para devedores duvidosos. Sem o efeito de R$ 10 milhões, a margem teria ficado em linha com nossos números. No segmento de gestão e terceirização de frotas, ou GTF, o crescimento de volumes surpreendeu positivamente (+53% A/A), resultando em margem EBITDA de ~66%, acima das nossas estimativas mas menor na comparação anual;
  • Por fim, no segmento de Seminovos, foram vendidos ~10 mil veículos, em linha com o esperado. Já a margem EBITDA no segmento ficou negativa em 5,7%, resultado pressionado mas levemente melhor na comparação trimestral. Apesar do resultado ainda fraco, a melhora sequencial pode indicar que o segmento tenha atingido um ponto de inflexão. Relatório compleo no link.

Eletrobras (ELET3): Ministro acredita em conclusão da proposta de capitalização até junho

  • Em evento com investidores, o Ministro de Minas e Energia Bento Albuquerque afirmou que a proposta do governo Bolsonaro de capitalizar a Eletrobras estará pronta até junho, e destacou que o Ministério já vem debatendo o tema junto a parlamentares;
  • O Ministro não deu resposta conclusiva sobre a perda ou não do controle do governo na estatal, mas destacou que em caso de uma privatização por diluição, o governo deverá manter uma Golden Share. O trabalho de elaboração da proposta transcende o MME, e envolve o Ministério da Economia, a AGU e o TCU;
  • Na visão do Ministro, o ideal seria que partisse do Congresso a iniciativa de elaborar um novo projeto de lei para viabilizar a operação, sem desarquivar o projeto elaborado na gestão Temer e realizar emenda. Finalmente, o almirante Albuquerque ressaltou que a migração da Eletrobras do regime de cotas para a produção independente da energia é fundamental para viabilizar o processo de capitalização.

Banrisul (BRSR6): Governador do RS descarta privatização

  • Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, mais uma vez classificou a privatização do Banrisul como desnecessária do ponto de vista estratégico. Apesar do grave problema fiscal do estado, Leite ponderou que não vender o banco não impacta à adesão do RS ao Regime de Recuperação Fiscal;
  • A venda de estatais que têm prejuízo, como a distribuidora de energia elétrica CEEE, a CRM (mineração) e a Sulgás, são avaliadas para reduzir o endividamento. Porém, o Estado precisaria retirar da Constituição a necessidade de plebiscito para privatizar as empresas, segundo o Estadão;
  • A venda de ações excedentes do banco, sem abrir mão do controle, é uma alternativa discutida mas que não seria tão relevante do ponto de vista fiscal. Além disso, pressionaria o preço das ações ao longo das sessões de venda.

COE News

Amazon transfere responsabilidade para marcas na luta contra produtos falsificados

  • Gigante de varejo cede às empresas acesso a nova ferramenta para remoção de listas suspeitas de produtos falsos na plataforma de vendas online (“marketplace”);
  • A empresa lançará nesta quinta-feira, um programa anti-falsificação, chamado “Project Zero”, para melhor proteger as marcas dos varejistas, ao permitir que eles designem listagens para remoção, em vez de passar por um complicado processo de denúncias junto a Amazon. A medida melhor viabiliza o processo de autenticidade das marcas, além de reduzir custos para a Amazon;
  • Como parte do Project Zero, há uma funcionalidade capaz de gerar códigos exclusivos para cada unidade de produto, podendo ser impresso e anexado fisicamente na embalagem para depois digitalizar e autenticar ao chegar nos centros de distribuição da Amazon.

HSBC: Resultados do 4T18 impactados pela guerra comercial, mas não o suficiente para ofuscar o foco na Ásia

  • Recentemente, o HSBC apresentou resultados abaixo do esperado no 4T18, com destaque negativo para (i) operações de tesouraria, (ii) câmbio desfavorável e (iii) desaceleração na divisão de gestão de fortunas. Tanto as receitas de US$ 12,6bi e lucro de US$ 1,5 bilhões no trimestre, foram abaixo do consenso de mercado. No campo positivo, os índices de solidez se mantiveram sólidos e o aumento de custos foi em linha com o esperado;
  • Os dirigentes do banco informaram que os resultados foram negativamente impactados pelo (i) aumento da volatilidade no mercado financeiro, (ii) guerra comercial entre EUA e China e desdobramentos do Brexit;
  • Segundo o presidente John Flint, a qualidade de crédito no Reino Unido ainda não foi impactada pelas incertezas com o Brexit. Além disso, a guerra comercial entre EUA e China aumentou a percepção de risco, sobretudo no seguimento de Mercados Globais para Empresas. Por outro lado, não gerou impacto relevante na qualidade de crédito de clientes na Ásia. Assim, o foco permanece na expansão no mercado varejista na China, gestão de fortunas em Hong Kong, serviços financeiros para empresas na Europa e investimentos em tecnológica das plataformas digitais para melhor atender o mercado asiático.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.


Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.