XP Expert

Reino Unido aprova primeira vacina contra a covid-19 e Congresso avança na aprovação da LDO no Brasil

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.

Compartilhar:

  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no Whatsapp
  • Compartilhar no LinkedIn
  • Compartilhar via E-mail
Clique para ouvir

IBOVESPA 2,30% | 111.400 Pontos

CÂMBIO -2,63% | 5,22/USD

O que pode impactar o mercado hoje

O Ibovespa fechou em alta nesta terça-feira, em meio a uma conjunção de fatores positivos. Estes incluíram dados fortes da economia chinesa e pedidos de autorização para uso das vacinas da Moderna e da Pfizer/BioNTech contra o coronavírus nos EUA e na Europa. Já as taxas futuras de juros fecharam o dia de ontem em queda, tanto por fatores externos quando internos, entre quais se destacaram a fala do presidente Jair Bolsonaro indicando que não deverá haver prorrogação do auxílio emergencial e maior confiança no andamento de reformas. O bem-sucedido leilão de NTN-Bs no dia seguinte da decisão da Aneel de aplicar bandeira vermelha ajudou o mercado a se proteger da consequente pressão inflacionária. DI jan/21 fechou em 1,99%; DI jan/23 encerrou em 3,57%; DI jan/25 foi para 6,51%; e DI jan/27 fechou em 7,31%.

Nessa manhã, mercados internacionais amanhecem em leve queda (EUA e Europa -0,2%), enquanto investidores respiram após recente rali de alta. No Reino Unido (+0,1%), a aprovação oficial da vacina da americana Pfizer com a alemã BioNTech torna o país o primeiro no mundo a aprovar o uso emergencial de uma vacina contra a covid-19.  De acordo com o ministro da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, cerca de 800 mil doses do imunizante devem chegar ao país na semana que vem, quando a imunização já deverá ser iniciada. Essa parece ser apenas a primeira de uma onda de notícias positivas nessa frente.

No cenário político internacional, com aumento de casos da Covid-19 nos EUA, negociações sobre um novo pacote de estímulos à economia foram retomadas. A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, apresentou uma proposta para o presidente do Senado, o republicano Mitch McConnell, e o Secretário do Tesouro Steven Mnuchin – o valor da proposta ainda não foi divulgado. Por sua vez, McConnell compartilhou uma versão revisada de uma proposta anterior de USD 500 bilhões, enquanto um grupo de parlamentares dos dois partidos divulgaram um projeto de USD 908 bilhões. 

Tanto Joe Biden quanto sua escolha para o Tesouro, Janet Yellen, se manifestaram sobre a importância de aprovar estímulos. O presidente do Fed, Jerome Powell, também alertou para o cenário incerto e voltou a pedir mais apoio fiscal.

Na Zona do Euro, Isabel Schnabel, membro do conselho-executivo do Banco Central Europeu (BCE), confirmou a probabilidade de que haja mais estímulo na próxima decisão de política monetária do BCE, mas enfatizou que o mais importante é que a instituição consiga sustentar as condições financeiras nos níveis atuais durante a crise. A expectativa do mercado é de que o BCE expanda seu programa de compra de títulos da pandemia de € 1,35 trilhão, em cerca de € 500 bilhões, estendendo-o até o final de 2021 e oferecendo mais empréstimos de longo prazo aos bancos. Ainda na Europa, dados melhores de taxa de desemprego na zona do euro e de vendas no varejo na Alemanha em outubro também trouxeram sinalizações positivas.

No Brasil, segundo cronograma apresentado ontem pelo Ministério da Saúde, idosos com 75 anos ou mais, profissionais da saúde e indígenas serão os primeiros a ser vacinados contra a covid-19. A expectativa é de que a vacinação comece em março de 2021 e que a campanha seja finalizada apenas em dezembro.

No noticiário econômico, os jornais locais chamam a atenção para a possibilidade de que mais pessoas caiam na pobreza após a redução do auxílio emergencial. Destaque também para a piora nas condições de abastecimento de energia no País, que levou o governo a pedir à Aneel que retomasse a cobrança das bandeiras tarifárias.

A agenda econômica de hoje traz como destaques a produção industrial do Brasil relativa a outubro e o segundo dia de audiência no Congresso americano do presidente do Fed, Jerome Powell, e do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin. O Fed também publica o Livro Bege e a ADP divulga o relatório de emprego privado de novembro dos EUA.

Na política, o presidente Davi Alcolumbre anunciou sessão do Congresso para o dia 16 de dezembro para votar diretamente em plenário a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), norma que permite ao governo iniciar o ano gastando os duodécimos do orçamento e evita uma paralisia da máquina pública. A Lei Orçamentária (LOA), propriamente dita, deve ficar para 2021.

O Senado divulgou também sua previsão de pauta para o restante do ano, sem a inclusão da PEC Emergencial. O calendário pode ser alterado para incluir a proposta, mas a divulgação ilustra a dificuldade para avanço na matéria, que ainda não tem relatório apresentado.

Por fim, cresce a pressão dos partidos do centrão contra a possibilidade de reeleição do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e, em menor escala, de Davi Alcolumbre, no Senado. O grupo produziu uma carta contrária à tese e tenta adiar a decisão do Supremo Tribunal Federal que pode respaldar a recondução. O início do julgamento está previsto para a sexta-feira.

Finalmente, do lado das empresas, o Nubank iniciou sua operação de seguros através do seguro de vida. O produto será fornecido pela CHUBB, maior seguradora patrimonial de capital aberto dos EUA, e distribuído pelo Nubank. Nossa opinião é negativa para o setor de seguros, principalmente para a SulAmérica e para o Bradesco. Em primeiro lugar, o seguro de vida é um segmento com elevado índice de custos de aquisição. Com tudo igual, acreditamos que o Nubank poderia entregar o produto por um custo de aquisição abaixo da média, pois o banco vai distribuí-lo digitalmente sem a necessidade de um corretor. Também pode significar que Nubank entrará em novos segmentos de seguros em um futuro próximo.

Tópicos do dia

Internacional

  1. Política internacional: EUA retoma negociações sobre novo pacote de estímulos
  2. Petróleo: Expectativas do mercado de uma redução de -2,358 milhões de barris nos estoques dos EUA
    Acesse aqui o relatório internacional

Empresas

  1. Proteínas (BRFS3, MRFG3, dentre outras): SECEX divulga dados preliminares de exportação para novembro
  2. Seguro: Nubank inicia operação de seguro de vida


Veja todos os detalhes

Internacional

Política internacional: EUA retoma negociações sobre novo pacote de estímulos

  • Com aumento de casos da Covid-19 nos EUA, negociações sobre um novo pacote de estímulos à economia foram retomadas nesta terça-feira (1). A presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, apresentou uma proposta para o presidente do Senado, o republicano Mitch McConnell, e o Secretário do Tesouro Steven Mnuchin – o valor da proposta ainda não foi divulgado. Por sua vez, McConnell compartilhou uma versão revisada de uma proposta anterior de USD 500 milhões com correligionários. E um grupo de parlamentares dos dois partidos divulgaram um projeto de USD 908 bilhões;
  • Tanto Joe Biden quanto sua escolha para o Tesouro, Janet Yellen, se manifestaram sobre a importância de aprovar estímulos;
  • No lado do imbróglio sobre as eleições no país, após investigação, procurador geral da nação, William Bar, aliado de Donald Trump, disse que o Departamento de Justiça não encontrou evidências de fraude;
  • No lado das tensões globais, a China colocou em vigor ontem uma lei de controle de exportação que permite bloquear embarques para empresas estrangeiras por motivos de segurança nacional.

Petróleo: Expectativas do mercado de uma redução de -2,358 milhões de barris nos estoques dos EUA

  • O relatório oficial de fornecimento da Agência de Informação de Energia dos EUA (EIA) deve ser publicado hoje às 11:30 da manhã (horário de Brasília), com expectativas do mercado de uma redução de -2,358 milhões de barris nos estoques dos EUA;
  • Os estoques de petróleo dos EUA caíram -0,754 milhões de barris na semana passada, resultado mais positivo que as expectativas de mercado de um aumento de +0,127 milhões de barris. Uma redução de estoques acima do esperado é vista como positiva por indicar uma menor oferta em relação à demanda. Adicionalmente, houve uma redução de -2,180 milhões de barris nos estoques de gasolina nos EUA, o que é visto como positivo por indicar um maior grau de movimentação de bens e pessoas;
  • Nessa manhã de quarta-feira, a commodity opera em território ligeiramente negativo em queda de -0,15% em US$47,35 barril (Brent).

Empresas

Proteínas (BRFS3, MRFG3, dentre outras): SECEX divulga dados preliminares de exportação para novembro

  • Os dados de exportação seguem fortes, sobretudo tendo em perspectiva a proximidade do fim do ano, quando o consumo no mercado doméstico se aquece e com isso a participação das exportações é menor. Por outro lado, ainda se observa o efeito do Ano Novo Chinês nos embarques de carne bovina e suína do Brasil; na nossa visão, o maior risco para o setor hoje é a taxa de câmbio – confira todos os detalhes no Expresso Alimentos & Bebidas;
  • Carne bovina: foram exportadas 168 mil toneladas em novembro (+8% A/A e +3% M/M) a um preço médio de US$ 4.403 por tonelada (-9% A/A mas +4M/M). Em reais, considerando o câmbio médio do período, o preço ficou estável na comparação mensal, permanecendo na casa dos R$ 24 mil por tonelada, além de ter registrado alta de 19% na comparação anual;
  • Carne suína: foram exportadas 76 mil toneladas no mês (+32% A/A e -2% M/M) a um preço médio de US$ 2.475 por tonelada (+3% tanto no ano quanto no mês). Em reais, o preço também ficou estável na comparação mensal (aproximadamente R$13,4 mil por tonelada) e registrou alta de 34% versus o mesmo período em 2019;
  • Frango: foram exportadas 324 mil toneladas no mês (+3% A/A e +9% M/M) a um preço médio de US$ 1.326 por tonelada (-17% A/A e -2% M/M). Em reais, o preço registrou alta de 9% na comparação anual, mas caiu 5% versus Outubro de 2020, ficando próximo dos R$ 7,2 mil por tonelada.

Seguro: Nubank inicia operação de seguro de vida

  • O Nubank, banco digital brasileiro, acaba de iniciar sua operação de seguros. Vida foi o segmento escolhido e o produto ainda está em fase de testes, com apenas parte dos seus mais de 30 milhões de clientes podendo contratar o seguro;
  • O produto será fornecido pela Chubb, a maior seguradora patrimonial de capital aberto dos Estados Unidos, e com operações em 54 países e territórios. Por outro lado, Nubank será responsável pela distribuição e manutenção do produto;
  • Nossa opinião é negativa para o setor de seguros, principalmente para a SulAmérica e para o Bradesco. Em primeiro lugar, o seguro de vida é um segmento com elevado índice de custos de aquisição (26-30% em 2018/19 para a SULA), visto que o seu índice de sinistralidade é baixo (43-46% em 2018/19 para SULA). Com tudo igual, acreditamos que o Nubank poderia entregar o produto por um custo de aquisição abaixo da média, pois o banco vai distribuí-lo digitalmente sem a necessidade de um corretor. Também pode significar que Nubank entrará em novos segmentos de seguros em um futuro próximo.
Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua aqui.
XP Expert

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Newsletter
Newsletter

Gostaria de receber nossos conteúdos por e-mail?

Cadastre-se e receba grátis nossos relatórios e recomendações de investimentos

Telegram
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências na Resolução CVM 20/2021, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

B3 Autorregulação Anbima - Gestão de patrimônio Autorregulação Anbima - Gestão de recursos Autorregulação Anbima - Private Autorregulação Anbima - Distribuição de Produtos de Investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM

Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Cookies (gerencie suas preferências de cookies) e a nossa Política de Privacidade.