Morning Call XP (11.set): Reforma Tributária no Brasil e potenciais medidas de estímulo na China

Tudo o que você precisa saber sobre os mercados nacional e internacional, com análises econômicas e políticas sobre fatos que podem impactar seus investimentos.


Compartilhar:


Clique para ouvir

IBOVESPA -0,14% | 103.031 Pontos

CÂMBIO -0,4% | 4,08/USD

O que pode impactar o mercado hoje

Ontem o Ibovespa fechou em leve queda de -0,14% para 103.131 pontos, com bancos devolvendo ganhos do recente rali e as varejistas pressionadas devido à chegada do Amazon Prime ao Brasil.

Destaque hoje para reforma tributária, cuja proposta deve ser enviada pelo governo em partes. Já na próxima semana pode ser apresentado projeto de lei para a criação da Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) para substituir PIS e Cofins. A alíquota seria de 11%, sem cumulatividade, ou seja, que permitiria abatimentos ao longo da cadeia produtiva. Na prática, se extingue o regime não cumulativo. Os detalhes foram apresentados pelo o secretário especial adjunto da Receita Federal, Marcelo de Sousa e Silva, em palestra ontem.

Em uma segunda etapa, que exigiria uma PEC, deve ser proposta a criação da nova CPMF, com alíquota de 0,2% a quem paga e quem recebe em transações com débito e crédito e 0,4% para saques. Nessa etapa o IPI e a CIDE seriam incorporados ao CBS após negociação da distribuição dos recursos com os estados.

No internacional, futuros dos EUA negociam em leve alta, em meio a ganhos generalizados na Europa e na Ásia durante a noite. O jornal chinês Global Times publicou hoje que a China deve “introduzir importantes medidas de estímulo para aliviar o impacto negativo da guerra comercial”. Enquanto isso, o presidente norte-americano, Donald Trump, demitiu o conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, o que pode acalmar as preocupações sobre quaisquer inclinações na Casa Branca em usar o poder militar em meio às crescentes tensões geopolíticas no Oriente Médio e na Ásia.

Por outro lado, as últimas notícias comerciais EUA-China destacam a entrevista de Peter Navarro, diretor do Conselho Nacional de Comércio da Casa Branca, à CNBC, diminuindo as perspectivas de um acordo no curto prazo, ao dizer que investidores, empresas e o público devem ser “pacientes” no que diz respeito à resolução do atual conflito entre as duas maiores economias do mundo.

Do lado das commodities, o petróleo opera em leve alta de +0,8% nessa manhã de quarta-feira, em US$62,9/barril. O minério de ferro, por sua vez, continuou operando em território positivo, com leve alta de +0,3% ontem, para US$93,2/tonelada.

Tópicos do dia

Brasil

  1. Política Brasil: Governo deve enviar proposta de reforma tributárias em partes
  2. Cessão Onerosa: Maia afirma que PEC deve ser votada até 5 de novembro; Guedes e Albuquerque vão ao TCU
  3. FGTS poderá ser utilizado para financiar todo o subsídio do Minha Casa Minha Vida

Internacional

  1. China exclui produtos americanos antes de negociações comerciais

Renda Fixa

  1. Vendas de etanol hidratado permaneceram estáveis em agosto no Brasil

Fundos de Investimento

  1. Relatório mensal: Fundos e Previdência
  2. Destaque mensal: Fundos da XP Asset


Veja todos os detalhes

Brasil

Política Brasil: Governo deve enviar proposta de reforma tributárias em partes

  • Governo deve enviar proposta de reforma tributárias em partes. Já na próxima semana pode ser apresentado projeto de lei para a criação da Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) para substituir PIS e Cofins. A alíquota seria de 11%, sem cumulatividade, ou seja, que permitirá abatimentos ao longo da cadeia produtiva. Na prática, se extingue o regime não cumulativo. Os detalhes foram apresentados pelo o secretário especial adjunto da Receita Federal, Marcelo de Sousa e Silva, em palestra ontem;
  • Em uma segunda etapa, que exigiria uma PEC, deve ser proposta a criação da nova CPMF, com alíquota de 0,2% a quem paga e quem recebe em transações com débito e crédito e 0,4% para saques. Nessa etapa o IPI e a CIDE seriam incorporados ao CBS após negociação da distribuição dos recursos com os estados;
  • Mudanças apresentadas pelo relator da reforma da previdência do Senado e aprovadas na CCJ causaram polêmica por, na visão de alguns, ensejar a volta do texto para apreciação da Câmara dos Deputados. O imbróglio ainda não tem resultado claro, mas o senado Tasso Jeirassati afirmou ontem que se for necessário, pode recuar. Nossa apuração é de que apesar da grita, não há disposição para uma nova apreciação da PEC pela Câmara e que, em uma situação adversa, a parte inalterada do texto seguiria para promulgação e apenas os dois trechos alterados seriam reavaliados pela Câmara. É baixo, portanto, o risco de atraso ou desidrataçãp;
  • Diante da repercussão negativa do tweet no dia anterior, Carlos Bolsonaro, o filho 02, desdisse o que havia escrito. Explicou: “O que falei: por vias democráticas as coisas não mudam rapidamente. É um fato. Uma justificativa aos que cobram mudanças urgentes.”

Cessão Onerosa: Maia afirma que PEC deve ser votada até 5 de novembro; Guedes e Albuquerque vão ao TCU

  • Segundo o Valor Econômico, o presidente da Câmara Rodrigo Maia afirmou que espera que a PEC que trata da divisão dos recursos do leilão da Cessão Onerosa esteja pronta para votação até 5 de novembro. O presidente da Câmara acredita que o apoio de Estados e Municípios  permitirá que a votação em dois turnos na casa ocorra com rapidez;
  • Além disso, o jornal também destaca que os Ministros Paulo Guedes e Bento Albuquerque (Economia e Minas e Energia, respectivamente) realizaram visita ao Tribunal de Contas da União para apresentar ao órgão os ajustes feitos pelo governo no leilão da Cessão Onerosa;
  • A ideia dos encontros seria evitar eventuais questionamentos dos ministros do TCU quando o processo de avaliação do edital da Cessão Onerosa for à plenário, o que deveria acontecer na próxima semana. O ministro Guedes também tentou mudar a percepção de ministros sobre pontos levantados por técnicos dos quais o governo discorda, como a divisão do leilão em categorias e leilão em diferentes datas para estimular a concorrência.

FGTS poderá ser utilizado para financiar todo o subsídio do Minha Casa Minha Vida

  • De acordo com o Estadão, o governo autorizou a utilização dos recursos do FGTS para bancar todo o subsídio do Minha Casa Minha Vida e a totalidade do auxílio às famílias que recebem até R$4 mil (ou seja, que estão alocadas nas faixas 1,5 e 2). Hoje em dia, o FGTS paga apenas 90% da subvenção para a compra do imóvel, enquanto os outros 10% são bancados pela União. A medida, portanto, impediria que a falta de recursos no caixa do governo federal continuasse travando as operações;
  • A medida, que tem potencial de destravar cerca de R$26,2 bilhões em investimentos do programa habitacional, é válida até o fim de 2019 mas pode ser estendida para o ano que vem. Do dinheiro que será liberado, R$21,3 bilhões serão em financiamentos e R$4,9 bilhões em subsídios às faixas 1,5 e 2. A avaliação do governo é que, se o FGTS puder bancar sozinho os subsídios para as faixas superiores do programa, sobram mais recursos da União para a faixa 1, composta pelas famílias com renda de até R$1,8 mil;
  • Segundo Gustavo Canuto, ministro do Desenvolvimento Regional, os financiamentos serão liberados por ordem cronológica e o impacto na economia será significativo, pois vai melhorar o fluxo de caixa das empresas que atuam no setor da construção civil, permitirá a construção de novas unidades e possibilitará a criação de cerca de 524 mil novos postos de trabalho.

Internacional

China exclui produtos americanos antes de negociações comerciais

  • De acordo com a mídia internacional, a China vai excluir 16 tipos de produtos (medicamentos e inseticidas) da primeira rodada de tarifas extras a importações dos Estados Unidos;
  • A exclusão, que já estava sendo considerada desde maio, entra em vigor no próximo dia 17 e valerá por um ano. O governo realizará restituição de tarifas que já foram pagas sobre esses bens;
  • A medida ocorre antes da reunião comercial de outubro entre EUA e China e deve trazer algum alívio às tensões comerciais.

Renda Fixa

Vendas de etanol hidratado permaneceram estáveis em agosto no Brasil

  • De acordo com o Valor Econômico, as usinas do Centro-Sul apresentaram venda no mercado doméstico praticamente estáveis de etanol hidratado em agosto, em comparação com o mesmo mês de 2018. As informações são da União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Única). O volume total foi de 1,97 bilhão de litros, 1,3% acima das vendas de julho;
  • Considerando vendas totais (etanol hidratado, anidro e mercados externo e doméstico), houve aumento de 3,85% em relação a agosto de 2018 e de 5,09% em comparação com julho deste ano, atingindo 3,08 bilhões de litros;
  • O acompanhamento das vendas são um indicativo dos resultados do 2T20 das usinas que operam na região.

Fundos de Investimento

Relatório mensal: Fundos e Previdência

  • Agosto foi mais um mês turbulento para a indústria de fundos, que atravessou um ambiente marcado por uma série de choques negativos, principalmente vindos do cenário internacional;
  • Apesar do ambiente um pouco mais hostil, no entanto, a indústria de fundos local registrou captação líquida positiva no período de R$ 6,2 bilhões, segundo dados da Anbima. O destaque ficou por conta das classes de Ações e de Multimercados, que também lideram a captação líquida da indústria no acumulado em 12 meses, com um fluxo positivo da ordem de R$ 100 bilhões;
  • No mês, o Índice de Fundos Multimercados da Anbima (IHFA) teve performance levemente acima do CDI, de 0,52% (104% CDI). Para ler o conteúdo na íntegra, clique aqui.

Destaque mensal: Fundos da XP Asset

  • No destaque mensal de agosto, os gestores das diferentes áreas de gestão da XP Asset Management – Macro, Renda Fixa, Renda Variável e fundo de fundos (FOF) – abordam a performance dos produtos durante o mês de agosto de 2019;
  • Além disso, eles também trouxeram perspectivas, cenários e posicionamento para o futuro. Clique aqui para ver o panorama das diferentes estratégias da gestora ao longo do mês.
Telegram XP

Acesse os conteúdos

Telegram XP

pelo Telegram da XP Investimentos

Avaliação

O quão foi útil este conteúdo pra você?


Disclaimer:

Este relatório de análise foi elaborado pela XP Investimentos CCTVM S.A. (“XP Investimentos ou XP”) de acordo com todas as exigências previstas na Instrução CVM nº 598, de 3 de maio de 2018, tem como objetivo fornecer informações que possam auxiliar o investidor a tomar sua própria decisão de investimento, não constituindo qualquer tipo de oferta ou solicitação de compra e/ou venda de qualquer produto. As informações contidas neste relatório são consideradas válidas na data de sua divulgação e foram obtidas de fontes públicas. A XP Investimentos não se responsabiliza por qualquer decisão tomada pelo cliente com base no presente relatório. Este relatório foi elaborado considerando a classificação de risco dos produtos de modo a gerar resultados de alocação para cada perfil de investidor. O(s) signatário(s) deste relatório declara(m) que as recomendações refletem única e exclusivamente suas análises e opiniões pessoais, que foram produzidas de forma independente, inclusive em relação à XP Investimentos e que estão sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado, e que sua(s) remuneração(es) é(são) indiretamente influenciada por receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela XP Investimentos.

O analista responsável pelo conteúdo deste relatório e pelo cumprimento da Instrução CVM nº 598/18 está indicado acima, sendo que, caso constem a indicação de mais um analista no relatório, o responsável será o primeiro analista credenciado a ser mencionado no relatório. Os analistas da XP Investimentos estão obrigados ao cumprimento de todas as regras previstas no Código de Conduta da APIMEC para o Analista de Valores Mobiliários e na Política de Conduta dos Analistas de Valores Mobiliários da XP Investimentos. O atendimento de nossos clientes é realizado por empregados da XP Investimentos ou por agentes autônomos de investimento que desempenham suas atividades por meio da XP, em conformidade com a ICVM nº 497/2011, os quais encontram-se registrados na Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários – ANCORD. O agente autônomo de investimento não pode realizar consultoria, administração ou gestão de patrimônio de clientes, devendo atuar como intermediário e solicitar autorização prévia do cliente para a realização de qualquer operação no mercado de capitais. Os produtos apresentados neste relatório podem não ser adequados para todos os tipos de cliente. Antes de qualquer decisão, os clientes deverão realizar o processo de suitability e confirmar se os produtos apresentados são indicados para o seu perfil de investidor. Este material não sugere qualquer alteração de carteira, mas somente orientação sobre produtos adequados a determinado perfil de investidor. A rentabilidade de produtos financeiros pode apresentar variações e seu preço ou valor pode aumentar ou diminuir num curto espaço de tempo. Os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros. A rentabilidade divulgada não é líquida de impostos. As informações presentes neste material são baseadas em simulações e os resultados reais poderão ser significativamente diferentes. Este relatório é destinado à circulação exclusiva para a rede de relacionamento da XP Investimentos, incluindo agentes autônomos da XP e clientes da XP, podendo também ser divulgado no site da XP. Fica proibida sua reprodução ou redistribuição para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento expresso da XP Investimentos. SAC. 0800 77 20202. A Ouvidoria da XP Investimentos tem a missão de servir de canal de contato sempre que os clientes que não se sentirem satisfeitos com as soluções dadas pela empresa aos seus problemas. O contato pode ser realizado por meio do telefone: 0800 722 3710. O custo da operação e a política de cobrança estão definidos nas tabelas de custos operacionais disponibilizadas no site da XP Investimentos: www.xpi.com.br. A XP Investimentos se exime de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização deste relatório ou seu conteúdo. A Avaliação Técnica e a Avaliação de Fundamentos seguem diferentes metodologias de análise. A Análise Técnica é executada seguindo conceitos como tendência, suporte, resistência, candles, volumes, médias móveis entre outros. Já a Análise Fundamentalista utiliza como informação os resultados divulgados pelas companhias emissoras e suas projeções. Desta forma, as opiniões dos Analistas Fundamentalistas, que buscam os melhores retornos dadas as condições de mercado, o cenário macroeconômico e os eventos específicos da empresa e do setor, podem divergir das opiniões dos Analistas Técnicos, que visam identificar os movimentos mais prováveis dos preços dos ativos, com utilização de “stops” para limitar as possíveis perdas. O investimento em ações é indicado para investidores de perfil moderado e agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos Ação é uma fração do capital de uma empresa que é negociada no mercado. É um título de renda variável, ou seja, um investimento no qual a rentabilidade não é preestabelecida, varia conforme as cotações de mercado. O investimento em ações é um investimento de alto risco e os desempenhos anteriores não são necessariamente indicativos de resultados futuros e nenhuma declaração ou garantia, de forma expressa ou implícita, é feita neste material em relação a desempenhos. As condições de mercado, o cenário macroeconômico, os eventos específicos da empresa e do setor podem afetar o desempenho do investimento, podendo resultar até mesmo em significativas perdas patrimoniais. A duração recomendada para o investimento é de médio-longo prazo. Não há quaisquer garantias sobre o patrimônio do cliente neste tipo de produto. O investimento em opções é preferencialmente indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. No mercado de opções, são negociados direitos de compra ou venda de um bem por preço fixado em data futura, devendo o adquirente do direito negociado pagar um prêmio ao vendedor tal como num acordo seguro. As operações com esses derivativos são consideradas de risco muito alto por apresentarem altas relações de risco e retorno e algumas posições apresentarem a possibilidade de perdas superiores ao capital investido. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. O investimento em termos é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. São contratos para compra ou a venda de uma determinada quantidade de ações, a um preço fixado, para liquidação em prazo determinado. O prazo do contrato a Termo é livremente escolhido pelos investidores, obedecendo o prazo mínimo de 16 dias e máximo de 999 dias corridos. O preço será o valor da ação adicionado de uma parcela correspondente aos juros – que são fixados livremente em mercado, em função do prazo do contrato. Toda transação a termo requer um depósito de garantia. Essas garantias são prestadas em duas formas: cobertura ou margem. O investimento em Mercados Futuros embute riscos de perdas patrimoniais significativos, e por isso é indicado para investidores de perfil agressivo, de acordo com a política de suitability praticada pela XP Investimentos. Commodity é um objeto ou determinante de preço de um contrato futuro ou outro instrumento derivativo, podendo consubstanciar um índice, uma taxa, um valor mobiliário ou produto físico. É um investimento de risco muito alto, que contempla a possibilidade de oscilação de preço devido à utilização de alavancagem financeira. A duração recomendada para o investimento é de curto prazo e o patrimônio do cliente não está garantido neste tipo de produto. As condições de mercado, mudanças climáticas e o cenário macroeconômico podem afetar o desempenho do investimento.

Receba nosso conteúdo por email

Seja informado em primeira mão, não perca nenhuma novidade e tome as melhores decisões de investimentos

A XP Investimentos CCTVM S/A, inscrita sob o CNPJ: 02.332.886/0001-04, é uma instituição financeira autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

Toda comunicação através de rede mundial de computadores está sujeita a interrupções ou atrasos, podendo impedir ou prejudicar o envio de ordens ou a recepção de informações atualizadas. A XP Investimentos exime-se de responsabilidade por danos sofridos por seus clientes, por força de falha de serviços disponibilizados por terceiros. A XP Investimentos CCTVM S/A é instituição autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil.

BMF&BOVESPA

BSM

CVM